Anton Webern

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anton Webern
Anton Webern, em Estetino, outubro de 1912
Nascimento 3 de dezembro de 1883
Viena
Morte 15 de setembro de 1945 (61 anos)
Mittersill, Salzburgo

Anton Webern (Viena, 3 de dezembro de 1883Mittersill, Salzburgo, 15 de setembro de 1945) foi um compositor austríaco, pertencente à chamada Segunda Escola de Viena, liderada por Arnold Schönberg, cujo estilo e poética musical foi denominado de música dodecafônica, música expressionista ou música pontilhista. É conhecido e admirado entre os músicos pós-modernos pelas inovações rítmicas, timbrísticas e dinâmicas que formaram o estilo musical conhecido como serialismo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Anton Webern na juventude.

Nascido Anton Friedrich Wilhelm von Webern, nunca usou seus nomes intermediários e descartou o von em 1918. Ingressou na Universidade de Viena em 1902. Estudou musicologia com Guido Adler e composição com Arnold Schönberg, escrevendo sua Passacaglia op. 1 como peça de graduação em 1908.

Schoenberg, Webern e Alban Berg, que Webern conheceu tempo depois, revolucionariam a música do século XX nas décadas seguintes com a produção dodecafônica.

Como maestro, passou por Bad Ischl, Teplitz, Danzig, Estetino e Praga antes de voltar a Viena. Conduziu a Orquestra Sinfônica dos Trabalhadores de Viena entre 1922 e 1934.

Anton Webern morreu em Mittersill, Salzburgo, morto por um soldado norte-americano durante a invasão dos Aliados durante um incidente que envolveu o seu genro, suspeito de actividades de mercado negro.

Obras[editar | editar código-fonte]

Obras com número de opus[editar | editar código-fonte]

  • Op. 1Passacaglia para orquestra (1908)
  • Op. 2Entflieht auf Leichten Kähnen, para coral a cappella com texto de Stefan George (1908)
  • Op. 3 – Cinco Lieder sobre Der Siebente Ring, para voz e piano (1907-08)
  • Op. 4 – Cinco Canções com texto de Stefan George, para voz e piano (1908-09)
  • Op. 5 – Cinco movimentos para quarteto de cordas (1909)
  • Op. 6 – Seis peças para grande orquestra (1909-10, revisado em 1928)
  • Op. 7 – Quatro peças para violino e piano (1910)
  • Op. 8 – Duas Canções com texto de Rainer Maria Rilke, para voz e oito instrumentos (1910; segunda versão sem data, terceira versão 1921 com nova instrumentação, quarta versão revisada para publicação 1925)
  • Op. 9 – Seis bagatelas para quarteto de cordas (1913)
  • Op. 10 – Cinco peças para orquestra (1911-13)
  • Op. 11 – Três pequenas peças para violoncelo e piano (1914)
  • Op. 12 – Quatro Canções para voz e piano (1915-17)
  • Op. 13 – Quatro Canções para voz e piano (1914-18)
  • Op. 14 – Seis Canções para voz, clarinete, clarinete baixo, violino e violoncelo (1917-21)
  • Op. 15 – Cinco Canções Sagradas para voz e pequena orquestra (1917-22)
  • Op. 16 – Cinco cânons sobre textos em latim, para alto soprano, clarinete, e clarinete baixo (1923-24)
  • Op. 17 – Três Rimas Tradicionais, para voz, violino (alternando com viola), clarinete e clarinete baixo (1924)
  • Op. 18 – Três Canções para voz, clarinete em Mi bemol e violão (1925)
  • Op. 19 – Duas Canções para coro misto, celesta, violão, violino, clarinete e clarinete baixo (1926)
  • Op. 20Trio de cordas (1927)
  • Op. 21Sinfonia (1928)
  • Op. 22 – Quarteto para violino, clarinete, saxofone tenor e piano (1930)
  • Op. 23 – Três canções sobre Viae inviae de Hildegard Jone, para voz e piano (1934)
  • Op. 24Concerto para 9 instrumentos flauta, oboé, clarinete, trompa, trompete, trombone, piano, violino e viola (1934)
  • Op. 25 – Três Canções sobre textos de Hildegard Jone, para voz e piano (1934-35)
  • Op. 26Das Augenlicht, para coro misto e orquestra, sobre um texto de Hildegard Jone (1935)
  • Op. 27 – Variações para piano (1936)
  • Op. 28 – Quarteto de cordas (1937-38)
  • Op. 29Cantata Nº 1, para soprano, coro misto e orquestra (1938-39)
  • Op. 30 – Variações para orquestra (1940)
  • Op. 31 – Cantata Nº 2, para soprano, baixo, coro e orquestra (1941-1943)

Obras sem número de opus[editar | editar código-fonte]

  • Duas Peças para violoncelo e piano (1899)
  • Três Poemas, para voz e piano (1899-1902)
  • Oito Primeiras Canções, para voz e piano (1901-1903)
  • Três Canções, sobre poema de Ferdinand Avenarius (1903-1904)
  • No Vento do Verão - ("Im Sommerwind"), para grande orquestra - sobre poema de Bruno Wille (1904)
  • Movimento lento para quarteto de cordas (1905)
  • Quarteto de Cordas (1905)
  • Peça para piano (1906)
  • Rondó para piano (1906)
  • Rondó para quarteto de cordas (1906)
  • Cinco Canções, sobre poema de Richard Dehmel (1906-1908)
  • Quinteto de piano (1907)
  • Quatro Canções, sobre poema de Stefan George (1908-1909)
  • Cinco peças para orquestra (1913)
  • Três Canções, para voz e orquestra (1913-1914)
  • Sonata de Violoncelo (1914)
  • Peça para crianças, para piano (1924)
  • Peça para piano, em tempo de minueto (1925)
  • Peça para Trio de cordas (1925)
  • "Deutsche Tänze" (Danças Alemãs) por Schubert (1824), orquestrado por Webern (1932)
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.