Avigdor Lieberman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Avigdor Lieberman
Avigdor Lieberman
Ministro de Relações Exteriores de Israel Israel
Período de governo 1º de abril de 2009
até atualidade
Antecessor(a) Tzipi Livni
Sucessor(a)
Vida
Nascimento 5 de junho de 1958 (56 anos)
Kishinev,  União Soviética
Dados pessoais
Cônjuge Ella Lieberman
Partido Yisrael Beitenu

Avigdor Lieberman (em hebraico: Loudspeaker.svg? אביגדור ליברמן; em russo: Авигдор (Эве́т Львович) Либерман, transl. Avigdor (Evet Livovich) Liberman; Kishinev, 5 de junho de 1958) é um político da ultradireita israelense, membro do Knesset e atual ministro das Relações Exteriores do seu país.

Fundou e lidera o partido Yisrael Beitenu, cuja base eleitoral são os imigrantes da extinta União Soviética. [1] Nascido Evet Lieberman, seu pai serviu no Exército Vermelho e foi prisioneiro do gulag. Sua família emigrou para Israel em 1978, onde passou a se chamar Avigdor.

Lieberman serviu ao Exército de Israel e formou-se em Ciência Política pela Universidade Hebraica de Jerusalém. De 1983 a 1988, ajudou a fundar o Fórum Sionista para os judeus soviéticos. Em 1988, começou a trabalhar com Benjamin Netanyahu. De 1993 a 1996, após a eleição de Netanyahu como líder do partido, Lieberman tornou-se Diretor-Geral do partido Likud. De 1996 a 1997, foi também Diretor-Geral do gabinete de Netanyahu.

Yisrael Beitenu[editar | editar código-fonte]

Em 1999, Lieberman fundou o Yisrael Beitenu ("Israel é nosso lar"), voltado à enorme população originária da antiga União Soviética e disputando o mesmo eleitorado do partido Yisrael BaAliyah, de Natan Sharansky.[1] À direita do espectro político, o Yisrael Beitenu defende entre outras teses, o juramento de lealdade à cidadania israelense, visando especialmente a população árabe de Israel. Lieberman obteve uma das quadro vagas do partido ao Knesset naquele ano. Em março de 2001, foi escolhido Ministro da Infraestrutura Nacional. Reeleito deputado em 2003, seu partido compôs o governo de união nacional, sendo ele ministro dos Transportes. Em maio de 2004, foi demitido do cargo pelo então primeiro-ministro Ariel Sharon, por sua oposição à retirada unilateral israelense da Faixa de Gaza.

Na eleição seguinte, em 2006, o partido de Lieberman obteve onze cadeiras. Inicialmente na oposição, Lieberman e o primeiro-ministro Ehud Olmert assinaram, em outubro do mesmo ano, um acordo de coalizão. Lieberman passou então a ocupar o ministério dos Assuntos Estratégicos. No entanto, ele deixou a coalizão, juntamente com seu partido, em janeiro de 2008.

Ministro das Relações Exteriores[editar | editar código-fonte]

Nas eleições legislativas de 10 de fevereiro de 2009, sob a liderança de Lieberman, o Yisrael Beitenu obteve quinze cadeiras no Knesset, tornando-se fundamental na formação de qualquer gabinete. O patido apoiou o Likud, segundo colocado nas eleições, e Lieberman obteve do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu o cargo de Ministro das Relações Exteriores. Logo no início de sua gestão, renunciou aos acordos da Conferência de Annapolis.

Referências

  1. a b Lieberman and the Russian Jews' Ascent in Israeli Politics (em inglês) Aslanmedia.com (17 de julho de 2011).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Tzipi Livni
Ministro das Relações Exteriores de Israel
2009
Sucedido por


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Avigdor Lieberman