Likud

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Likud
Líder Benjamin Netanyahu
Presidente Benjamin Netanyahu
Fundação 1973
Sede Tel Aviv
Ideologia Conservadorismo liberal
Sionismo Revisionista
Espectro político Direita
Membros 125,000
Afiliação nacional Likud Yisrael Beiteinu
Cores Azul
Site
[1]

Likud (União, em hebraico) é um partido político de Israel, que congrega a direita conservadora. Foi criado em 1973, como uma coligação liderada pelo partido Herut que representa os sionistas conservadores. Entre os primeiro-ministros do Likud encontra-se Ariel Sharon, que em 2005 o abandonou para fundar o Kadima. Atualmente o partido lidera o governo, tendo como primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, tendo 27 cadeiras no parlamento, dentro de uma coligação de 66 assentos. O partido, que ficou em segundo lugar nas eleições de 2009, sofreu em 2005 uma dissidência liderada pelo então primeiro-ministro Ariel Sharon (2001-2006), que provocou a saída de vários de seus líderes mais dispostos a negociar com os palestinos.

O Likud esteve pela primeira vez à frente do governo em 1977 e liderava o país em 1979, quando foi assinado o histórico acordo de paz entre Israel e o Egito. Os dois países haviam se enfrentado dez anos antes na Guerra dos Seis Dias e, desde então, mantêm uma relação de reconhecimento mútuo única entre países árabes e o Estado judeu. O primeiro líder do Likud, que foi chefe de governo de Israel entre 1977 e 1983, foi Menachem Begin. Em 1948, juntamente com os representantes da ala caracterizadamente fascista do revisionismo sionista, Menachem Begin fundou o Partido da Liberdade, que assegurou à velha extrema-direita sionista um novo alento na vida política do Estado de Israel. Pouco depois, várias figuras proeminentes do judaísmo, incluindo Albert Einstein e Hannah Arendt, publicaram no New York Times carta onde se lê: «Um dos mais perturbadores fenómenos políticos do nosso tempo é o aparecimento do Partido da Liberdade no recém-criado Estado de Israel, um partido político que nas suas formas de organização, nos seus métodos, na sua filosofia política e na sua audiência social tem um parentesco muito estreito com os partidos nazis e fascistas. Ele deveu a sua formação aos membros e seguidores da antiga Irgun Z’vai Le’umi, uma organização terrorista, de direita e xenófoba […]».

O partido é favorável ao estabelecimento de um Estado palestino que garanta à Israel fronteiras defensáveis. Alguns membros mais conservadores e religiosos, porém, ainda reivindicam a península do Sinai como território israelense (a península do Sinai foi conquistada por Israel durante a Guerra dos Seis Dias, quando se defendeu da ameaça de países árabes. Foi devolvida ao Egito por Israel em troca de paz) além de serem contra a desocupação da Cisjordânia.

Líderes do Likud[editar | editar código-fonte]

Outros políticos de destaque do Likud[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Israel é um esboço relacionado ao Projeto Ásia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.