Universidade Hebraica de Jerusalém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.

Nota: esta página contém alguns caracteres especiais e é possível que a impressão não corresponda ao artigo original.


31° 46′ N 35° 12′ E

Universidade Hebraica de Jerusalém
האוניברסיטה העברית בירושלים
Fundação 1918
Tipo de instituição Pública
Localização Jerusalém,  Israel
Campus Urbano, ha.
Página oficial http://www.huji.ac.il/huji/eng/index_e.htm
a cerimônia de abertura no Monte Scopus - 1925
o hospital universitário em Mount Scopus - 1934

A Universidade Hebraica de Jerusalem (האוניברסיטה העברית בירושלים, abreviado Huji ou Uhji) é uma das 7 maiores universidades de Israel. Tem atualmente cerca de 23.000 estudantes.

A universidade hebraica é considerada a melhor de Israel e está entre as 100 melhores universidades do mundo. Em um levantamento recente de 2009, feito pela Shanghai Jiao Tong University, o ranking ARWU, a universidade hebraica foi classificada na posição 64ª no mundo (e 4ª na região da Ásia e do Oceano Pacífico)[1] . Neste levantamento constam também os departamentos de física[2] , química[3] , ciência da computação[4] , matemática[5] e economia[6] da universidade hebraica entre os 100 melhores do mundo.

Cinco de seus ex-alunos foram galardoados com prémios Nobel (1 em Física, 3 em Química e 1 em Economia).

História[editar | editar código-fonte]

Um dos sonhos do movimento sionista é o do estabelecimento de uma universidade hebraica na terra de Israel. A proposta de uma tal Universidade foi feita em 1884 na conferência de Kattowitz.

Poucas décadas mais tarde, esta ideia vai conhecer o apoio de Albert Einstein, que inclusivamente legou em seu testamento todas as suas propriedades e escritas para esta Universidade.

Os fundamentos da Universidade foram estabelecidos em 1918, e sete anos mais tarde, a 1 de Abril de 1925, o campus da Universidade no Monte Scopus em Jerusalém foi aberto numa cerimónia de gala. Presentes, entre outros, o presidente do conselho diretivo, Chaim Weizmann, distintas figuras académicas e políticas e dignitários britânicos, incluindo o Lord Arthur James Balfour, o Visconde Allenby e Sir Herbert Samuel.

O primeiro reitor foi o Dr. Judah Magnes.

Em 1947, a Universidade tinha tornado-se já uma grande instituição de ensino e pesquisa, com faculdades de humanidades, ciências, medicina, educação e agricultura (esta última num campus em Rehovot). Continha já a biblioteca nacional judaica (que mais tarde se tornaria a Biblioteca Nacional de Israel), uma editora da Universidade; um centro de educação de seniores.

Durante a Guerra israeli-árabe de 1948, os Árabes repetidamente atacaram a Universidade, localizada na zona a nordeste de Jerusalém, e escoltas que se moviam entre a zona de Jerusalém controlada por Israel e a Universidade.

Após o massacre à escolta médica de Hadassah em 1948, o campus do Monte Scopus foi separado da parte judaica de Jerusalém. Quando o governo jordaniano repudiou os acordos do armistício de 1949 e recusou o acesso israelita ao campus do Monte Scopus, a Universidade foi forçada a mudar para o novo campus em Givat Ram no oeste de Jerusalém, o qual ficou pronto em 1953.

No início de 1967, o número de estudantes atingia os 12.500.

Após a reunificação de Jerusalém, na Guerra dos seis dias de Junho de 1967, a Universidade pode regressar ao campus original Monte Scopus, que necessitava de ser reconstruído. Em 1981, as obras de reconstrução estavam prontas e o Monte Scopus voltou a ser o campus principal da Universidade.

Estudos[editar | editar código-fonte]

Para se candidatar para os cursos da Uhji, o candidato necessita apresentar um diploma de colegial bagrut completo (alunos estrangeiros necessitam apresentar um diploma equivalente como por exemplo o francês Baccalauréat ou o Abitur alemão, ou ingressar no rigoroso curso preparatório com duração de um ano, denominado mechiná) e também sua nota no exame psicométrico nacional de Israel, que mede capacidades verbais, lógicas, matemáticas e em língua inglesa. A admissão aos cursos depende das notas finais nos exames de bagrut juntamente com a nota na prova psicométrica. A nota na parte de inglês (0-150) do exame psicométrico é usada para classificar e encaminhar os alunos que foram recebidos aos diferentes níveis dos cursos acadêmicos de inglês no primeiro ano de faculdade. Candidatos com menos de 100 em inglês não são recepcionados. Estudantes com nota acima de 133 são exemplos de estudos de inglês nos cursos de bacharelado[7] .

Os cursos na Universidade Hebraica de Jerusalém são equivalentes aos cursos em países da União Europeia, Reino Unido, Canadá e Estados Unidos. A universidade oferece cursos para Bacharelado, mestrado e doutoramento. Alunos excelentes em algumas áreas podem depois de concluir o bacharelado seguir diretamente para doutorado.

Alunos e professores notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Universidade Hebraica de Jerusalém