Baden Powell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Baden Powell
Powell em 1971.
Informação geral
Nome completo Baden Powell de Aquino
Nascimento 6 de agosto de 1937
Varre-Sai, RJ
 Brasil
Data de morte 26 de setembro de 2000 (63 anos)
Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Gênero(s) Jazz
Bossa Nova
MPB
Ocupação(ões) violonista
Instrumento(s) violão
guitarra
Período em atividade 1950 - 2000

Baden Powell de Aquino (Varre-Sai, 6 de agosto de 1937Rio de Janeiro, 26 de setembro de 2000), mais conhecido simplesmente por Baden Powell, foi um violonista brasileiro. É considerado um dos maiores músicos brasileiros de sua época e um dos maiores violonistas brasileiros de todos os tempos.[1] [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Dona Adelina e do violinista e escoteiro Lilo de Aquino, nasceu no dia 6 de agosto de 1937 em Varre-Sai, se mudando para o Rio de Janeiro, aos quatro meses de idade.[3] Recebeu seu nome, pois seu pai era fã do general britânico criador do Escotismo, Robert Stephenson Smyth Baden-Powell.[4] É irmão de Vera[4] Gonçalves de Aquino e pai do pianista e tecladista Philippe Baden Powell e do violonista Louis Marcel Powell (ambos nascidos na França)[3] e primo do violonista João de Aquino.

Começou a tocar violão com sete anos,[5] se tornou profissional aos treze,[6] mas só ficou famoso no Brasil quando constituiu uma parceria com Vinícius de Moraes, que escreveu versos para suas composições, criando o gênero chamado de afro-samba. Para tais músicas, ele e Vinícius foram a Bahia para pesquisarem sobre o candomblé e a umbanda.[1] [6]

Tocava a música tradicional brasileira, mas amava o jazz e logo desenvolveu um estilo que se baseava em Django Reinhardt e Barney Kessel. Passou a ser conhecido internacionalmente em 1966 quando Joachim-Ernst Berendt teve a oportunidade de conhecê-lo, convidando-o para gravar seu primeiro disco e visitar a Europa.[carece de fontes?]

O sucesso não o abandonou e sua fama foi aumentando com seus discos, principalmente na Alemanha.[carece de fontes?] Continuou dando concertos, também nos Estados Unidos, onde teve a oportunidade de se apresentar com Stan Getz, Stephane Grapelli e Jean Luc Ponty.[6]

Powell foi internado, em 22 de agosto de 2000, na Clínica Sorocaba, pois estava com pneumonia[7] bacteriana grave e morreu em 26 de setembro de 2000, aos 63 anos, devido a uma infecção generalizada em decorrência da mesma. Seu corpo foi velado na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro e, posteriormente, enterrado no Cemitério de São João Batista.[3]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 1937, 6 de agosto - Nascimento em Varre-Sai, à época distrito do município de Itaperuna, RJ.
  • 1937 - Muda-se, com a família, para a cidade do Rio de Janeiro, morando no bairro de São Cristóvão.
  • 1961 - participa da trilha sonora do filme Bruma Seca, creditado como solista de violão.
  • 1962 - Conhece Vinícius de Moraes.
  • 1962 - Primeira viagem à Europa, quando se torna o mais prestigioso artista brasileiro. Apresentações e gravações em vários países.
  • 1969 - Vence a I Bienal do Samba, com a música Lapinha, composta junto com Paulo César Pinheiro.
  • 1994 - Lança, no Brasil, o disco Baden Powell de Rio a Paris.
  • 1994, julho - Apresenta-se na Sala Cecília Meireles, a cidade do Rio de Janeiro, ao lado dos filhos Louis Marcel Powell, violonista, e Phillipe Baden Powell, pianista e tecladista. Esse concerto foi gravado em CD, com o título Baden Powell e Filhos.
  • 2000, 26 de setembro - Falecimento na cidade do Rio de Janeiro.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1959 - 78 RPM
  • 1959 - Apresentando Baden Powell e Seu Violão
  • 1961 - Um Violão na Madrugada
  • 1962 - Baden Powell (Compacto Duplo)
  • 1962 - Baden Powell Swing With Jimmy Pratt
  • 1963 - Baden Powell à Vontade
  • 1964 - Le Monde Musical de Baden Powell (gravado na França)
  • 1965 - Billy Nencioli / Baden Powell
  • 1966 - Baden Powell ao Vivo no Teatro Santa Rosa
  • 1966 - Os Afro-sambas - Baden & Vinícius
  • 1966 - Tempo Feliz
  • 1966 - Tristeza on Guitar
  • 1967 - Berlin Jazz Festival
  • 1968 - Poema on Guitar
  • 1968 - Show Recital: Baden, Marcia & Originais do Samba
  • 1969 - 27 Horas de Estúdio
  • 1969 - Le Monde Musical de Baden Powell - Vol. 2
  • 1970 - Baden Powell Quartet Vol. 1
  • 1970 - Baden Powell Quartet Vol. 2
  • 1970 - Baden Powell Quartet Vol. 3
  • 1970 - Canto on Guitar
  • 1970 - Lotus/Tristeza
  • 1970 - Os Cantores de Lapinha
  • 1971 - Estudos
  • 1971 - L'ame de Baden Powell
  • 1971 - L'art de Baden Powell
  • 1972 - Samba Triste
  • 1972 - Baden Powell
  • 1973 - Apaixonado
  • 1973 - Solitude on Guitar (gravado na Alemanha)
  • 1974 - La Grande Reunion
  • 1974 - La Grande Reunion vol.2
  • 1977 - Baden Powell canta Vinicius de Moraes e Paulo Cesar Pinheiro
  • 1977 - Maria D'Apparecida et Baden Powell
  • 1979 - Grande Show ao Vivo no Procopio Ferreira
  • 1983 - Felicidades/Felicidade/Live in Hamburgo
  • 1988 - Rio das Valsas
  • 1990 - Os Afro-sambas - Regravação com Quarteto em Cy
  • 1990 - Live at The Rio Jazz Club
  • 1992 - The Frankfurt Opera Concert 1975
  • 1992 - Live in Switzerland
  • 1994 - Rio a Paris - Decembre 94
  • 1995 - Baden Powell & Filhos
  • 1996 - Baden Powell a Paris
  • 1996 - Live at Montreux Jazz Festival
  • 1998 - Suite Afro-Consolação
  • 2000 - Lembranças

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b McGowan, Chris; Pessanha, Ricardo. The Brazilian Sound: Samba, Bossa Nova, and the Popular Music of Brazil. [S.l.]: Temple University Press, 1998. p. 64-65. ISBN 978-1-566-39545-8
  2. Os 30 maiores ícones brasileiros da guitarra e do violão. Rollingstone. Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  3. a b c Franca, Luciana (26 de setembro de 2000). Baden Powell. ISTOÉ Gente. Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  4. a b Dreyfus 1999, p. 15
  5. Dreyfus 1999, p. 11
  6. a b c Morte de Baden Powell é sentida na Europa. BBC (26 de setembro de 2000). Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  7. Morreu hoje no Rio o músico Baden Powell. Folha.com (26 de setembro de 2000). Página visitada em 29 de janeiro de 2013.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]