Banco de Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Banco de Portugal

Coat of arms of Portugal.svg
Organização
Natureza jurídica Instituto público de regime especial
Atribuições Banco central, Sistema Europeu de Bancos Centrais
Dependência Governo de Portugal
Ministério das Finanças
Chefia Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal
Documento institucional Lei Orgânica do Banco de Portugal
Localização
Jurisdição territorial  Portugal
Sede Palácio de São Julião, Lisboa
Histórico
Antecessor Banco de Lisboa
Criação 19 de Novembro de 1846
Sítio na internet
www.bportugal.pt
Sede do Banco de Portugal, na Baixa de Lisboa.
Filial do Banco de Portugal na Praça da Liberdade, no Porto.
Agência do Banco de Portugal em Coimbra.
Agência do Banco de Portugal em Braga.
Agência do Banco de Portugal em Évora.

O Banco de Portugal GCC é o banco central da República Portuguesa.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundado em 19 de Novembro de 1846, em Lisboa, onde é a sua sede. Surgiu da fusão do Banco de Lisboa e da Companhia Confiança Nacional. Fundado com o estatuto de sociedade anónima, até à sua nacionalização, em 1974, era maioritariamente privado.

É o banco emissor de notas denominadas na moeda nacional - o real até 1911, o escudo de 1911 até 1998 e o euro desde 1999. Integra o Sistema Europeu de Bancos Centrais que foi fundado em Junho de 1998. De acordo com a sua Lei Orgânica, o Banco de Portugal prossegue os objectivos e participa no desempenho das atribuições cometidas ao SEBC.

Compete ao Banco a supervisão prudencial das instituições de crédito e das sociedades financeiras.

O Banco emite notas de euro e põe em circulação as moedas metálicas, embora o BCE detenha o direito exclusivo de autorizar a sua emissão.

Compete-lhe ainda regular, fiscalizar e promover o bom funcionamento dos sistemas de pagamentos, gerir as disponibilidades externas do País e agir como intermediário das relações monetárias internacionais do Estado, bem como aconselhar o Governo nos domínios económico e financeiro. Cabe ao Banco a recolha e elaboração das estatísticas monetárias, financeiras, cambiais e da balança de pagamentos.

A 23 de Novembro de 1946 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[1]

Administração[editar | editar código-fonte]

O actual Governador é Carlos Costa.

Governadores precedentes[editar | editar código-fonte]

Antes de haver governadores houve vários diretores ou presidentes da direção, como Henrique de Barros Gomes (1843-1898) várias vezes, a última das quais em 1887, e Libânio Ribeiro da Silva, 1.º Visconde de Ribeiro da Silva e 1.º Conde de Ribeiro da Silva (1824-1895) de 1883 a 1886.

Foram governadores do Banco de Portugal[2] :

  1. António Augusto Pereira de Miranda (1887-1891)
  2. Pedro Augusto de Carvalho (1891-1894)
  3. Júlio Marques de Vilhena (1895-1907)
  4. José Adolfo de Melo e Sousa (1907-1910)
  5. Inocêncio Joaquim Camacho Rodrigues (1911-1936)
  6. Rafael da Silva Neves Duque (1957-1963)
  7. Manuel Jacinto Nunes (interino) (1963-1966)
  8. António Manuel Pinto Barbosa (1966-1974)
  9. Manuel Jacinto Nunes (1974-1975)
  10. José da Silva Lopes (1975-1980)
  11. Manuel Jacinto Nunes (1980-1985)
  12. Vítor Manuel Ribeiro Constâncio (1985-1986)
  13. José Alberto de Vasconcelos Tavares Moreira (1986-1992)
  14. Luís Miguel Couceiro Pizarro Beleza (1992-1994)
  15. António José Fernandes de Sousa (1994-2000)
  16. Vítor Manuel Ribeiro Constâncio (2000-2010)
  17. Carlos da Silva Costa (2010-presente)

Rede Regional[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas Presidência da República Portuguesa. Visitado em 2014-11-20. "Resultado da busca de "Banco de Portugal"."
  2. Banco de Portugal. Antigos Governadores do Banco de Portugal. Visitado em 24 de Novembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Banco de Portugal