Catarina Sunnesdotter da Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catarina Sunnesdotter
Tumba da rainha sueca
Rainha Consorte da Suécia
Reinado 12442 de fevereiro de 1250
Cônjuge Érico XI da Suécia
Casa Casa de Bjälbo
Pai Sune Folkesson
Mãe Helena Sverkersdotter
Nascimento 1215
Morte 1252
Abadia de Gudhem
Enterro Abadia de Gudhem, Västra Götaland, Suécia

Catarina Sunnesdotter (1215 - 1252[1] ), falecida no Abadia de Gudhem em 1252, foi rainha consorte da Suécia, por ser esposa de Érico XI. Era a filha mais velha do jarl Sune Folkesson e da princesa Helena Sverkersdotter. Sua mãe era filha de Sverker II.

Enviuvou em 1250 sem ter descendentes. Sabe-se que doou um parte considerável de seus bens ao Convento de Gudhem, na província de Västergötland. Pode ter sido feita monja, pois faleceu no convento em 1252. Nesse convento permanecem seus restos mortais.

Família[editar | editar código-fonte]

Seus avós maternos eram Sverker II da Suécia e Benita Ebbesdatter. Catarina descendia da Casa de Bjälbo também conhecida como Casa de Folkung e da Casa de Sverker, as quais pertenciam à clãs godos.

Seu pai, Sune Folkesson era Lorde de Ysemborg, lagman de Västergötland, e em algumas obras literárias é mencionado como tendo sido Conde dos Suecos. O pai de Sune era Folke Birgersson, Conde dos Suecos, morto em 1210 na Batalha de Gestilren. Os pais de Folke eram Birger Brosa, também Conde dos Suecos e Brígida Haraldsdotter, rainha viúva de Magno II da Suécia. Uma de suas filhas com Birger era Ingegerda Birgersdotter, consorte do rei Sverker II da Suécia.

Rainha da Suécia[editar | editar código-fonte]

Érico XI da Suécia da Casa de Erik, filho de Érico X e Rikissa de Dinamarca, se tornou rei em 1222 após a morte de João I da Casa de Sverker. Porém, o co-regente Canuto Holmgersson, depôs o rei após a Batalha de Olustra em 1229. Dessa forma, Érico foi forçado ao exílio de 1229 até o ano da morte do então Canuto II em 1234. Seu tempo em exílio foi passado na corte de seu tio Valdemar II da Dinamarca.

É dito que Érico era manco e gago, e era de uma natureza bondosa.[2] O casamento era uma forma pela qual o rei fortaleceria sua reivindicação ao trono, já que através de sua linhagem materna, Catarina possuía sangue real. Eles se casarem em 1244 em Fyrisängen perto de Uppsala. Catarina recebeu um imenso dote, dito do tamanho de metade do reino.

Como consequência da vida isolada dedicada à religião que levava, Catarina e Érico provavelmente não tiveram nenhum filho conhecido. Por questão de falta de um herdeiro homem da Casa de Erik, com a morte do monarca em 1250, foi escolhido como seu sucessor real o seu sobrinho Valdemar, da Casa de Bjälbo. Seu marido foi enterrado na Abadia de Varnhem[3] , em Västergötland, o mesmo local de enterro de seu pai, Érico X.

Viuvez[editar | editar código-fonte]

Com a morte de seu marido, Catarina passou a viver na Abadia de Gudhem, tendo doado seus dotes de rainha para alguns parentes e outras instituições religiosas. Sua irmã Benedita Sunnesdotter [4] recebeu a cidade de Söderköping em Östergötland. Em Gudhem, serviu como abadessa até a sua morte em 1252.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Helena Pedersdatter Strange
Rainha Consorte da Suécia
Erikska.jpg

1244 - 2 de fevereiro de 1250
Sucedida por:
Sofia da Dinamarca
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catarina Sunnesdotter da Suécia

Referências