Cedro-da-madeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Como ler uma caixa taxonómicaCedro-da-madeira
Juniperos cedrus no Jardim Botânico Viera y Clavijo (Gran Canaria)

Juniperos cedrus no Jardim Botânico Viera y Clavijo (Gran Canaria)
Estado de conservação
Status iucn3.1 EN pt.svg
Em perigo
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Pinophyta
Classe: Pinopsida
Ordem: Pinales
Família: Cupressaceae
Género: Juniperus
Espécie: J. cedrus Webb & Berthel.
Subespécie: J.c.maderensis
Nome trinomial
Juniperus cedrus maderensis
(Menezes) Rivas Mart., Capelo, J.C.Costa, Lousã, Fontinha, R. Jardim & M.Seq.

O cedro-da-madeira ou cedro-das-canárias (Juniperus cedrus) é uma planta da família botânica Cupressaceae. É uma espécie endémica dos arquipélagos das Canárias (onde ocorre nas ilhas de La Palma e de Tenerife) e da Madeira (ilha da Madeira). A sua denominação científica é Juniperus cedrus (Webb & Berthel. subsp. maderensis (Menezes) Rivas Mart., Capelo, J.C.Costa, Lousã, Fontinha, R. Jardim & M.Seq.).

Apresenta-se como uma árvore dióica com folhagem persistente, que pode chegar aos 20 metros de altura. Apresenta um tronco acastanhado e ramos pendentes.

As folhas são pequenas e em forma de agulha, com duas riscas brancas na página superior. Encontram-se dispostas em verticilos de 3.

Os frutos são gálbulos mais ou menos globosos, com cerca de 1 centímetro de diâmetro, de cós acastanhada ou avermelhada quando maduros.

Aquando da descoberta da ilha da Madeira era muitíssimo mais abundante do que hoje em dia dado que restam escassos indivíduos na natureza.

Um alvará do rei D. João II em 1493 faz referência ao cedro-da-Madeira, restringindo o seu corte. Silva e Menezes (1946) referem que nos finais do século XIX ainda existiriam diversos bosquetes desta árvore mas que a mesma teria praticamente desaparecido da natureza em meados do século XX.

Apresenta floração: Janeiro a Março.

Ao longo dos tempos a madeira do cedro-da-Madeira, dado a sua excelente qualidade: cor amarelado-dourada ou avermelhada e qualidade aromática foi muito utilizada no passado em carpintaria e em marcenaria, tendo sido inclusivamente usada em alguns dos edifícios históricos do Funchal (Sé e Velha Alfândega). A sua raridade actual impede qualquer tipo de exploração.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Árvores e Florestas de Portugal - Açores e Madeira, Edic. Público, Comunicações, SA. Dep. Legal nº 254481/2007

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cedro-da-madeira