Cefalópodes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Como ler uma caixa taxonómicaCefalópodes
Ocorrência: Cambriano - Recentemente
Exemplo de cefalópode

Exemplo de cefalópode
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Cephalopoda
Ordens
Sepiida

Sepiolida
Spirulida
Teuthida
Octopoda
Vampyromorphida
Nautilida

Os Cefalópodes (Cephalopoda, do grego kephale, cabeça + pous, podos, pé) são a classe de moluscos marinhos a que pertencem os polvos, as lulas e os chocos.

Os cefalópodes apresentam um corpo com simetria bilateral. Na cabeça encontram-se olhos bem desenvolvidos, a boca redonda, com um bico quitinoso e a rádula, rodeada por braços e tentáculos, que são uma modificação do pé dos moluscos. A concha é produzida por glândulas presentes numa "prega" da pele, chamada de manto, que envolve todo o animal. A pele contém células pigmentadas, chamadas cromatóforos, que mudam de cor para efeitos de comunicação e camuflagem; esta mudança de cores é dada por ações nervosas diretas. Os estatocistos são os órgãos de equilíbrio.

São animais extremamente rápidos, tendo desenvolvido um sistema de propulsão na forma de jato, expelindo água da cavidade paleal para o exterior através dum tubo em forma de funil, o sifão.

A concha está ausente nos polvos, é interna nos chocos e lulas e é externa no nautilus. No argonauta, a fêmea em época de reprodução segrega uma concha externa. As lulas e polvos apresentam a chamada "glândula de tinta". Quando o animal é atacado, ele elimina o conteúdo preto da glândula, que o envolve em uma nuvem escura e lhe permite fugir do inimigo. Essa tinta é o famoso nanquim utilizado por pintores orientais.

Conhecem-se cerca de 800 espécies atuais de cefalópodes e duas importantes sub-classes de cefalópodes fósseis, incluindo os amonóides desaparecidos na extinção K-T.

Os sexos são separados e a fecundação ocorre dentro da cavidade paleal da fêmea, onde o macho coloca espermatóforos com um braço modificado, chamado hectocótilo. O desenvolvimento é direto. Estes animais geralmente se reproduzem apenas uma vez na vida, morrendo após a fecundação. Em algumas espécies, a fêmea protege os ovos sem se alimentar e morre logo após o nascimento dos filhotes. [1]

Durante a Copa do Mundo FIFA de 2010, um polvo da classe cefalópode ganhou notoriedade mundial. Paul acertou todos os resultados que previu.[2]

Classificação[editar | editar código-fonte]

A classificação aqui apresentada deriva de Current Classification of Recent Cephalopoda(Maio de 2001). Outras classificações existem que diferem principalmente em como os diversas ordens de decápodes estão relacionadas e se deverá ser utilizada a classificação em famílias ou ordens.

Basicamente, os cefalópodes estão agrupados em subclasses que levam em consideração a presença ou ausência da concha, o tipo de sutura que estas apresentam e outras características.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ruppert, E.E. & R.D. Barnes, 1996. Zoologia dos Invertebrados. Roca, 6a. ed., São Paulo, 1029p.