Cláudio Nucci

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cláudio José Moore Nucci, mais conhecido como Cláudio Nucci (Jundiaí, 9 de junho de 1956), é cantor, compositor, violonista e produtor musical brasileiro.

Integrou o grupo Boca Livre na primeira formação oficial do grupo - sendo Zé Renato, Maurício Maestro e David Tygel os outros integrantes - tendo participado do primeiro LP do grupo - homônimo - lançado em 1979 de forma independente.

A gravadora Polygram (atual Universal Music) mais tarde viria a comprar os direitos e relançar novas tiragens tanto em LP e fita-cassete como em CD, bem como contratar o grupo e lançar o terceiro (Folia, 1982) e o quarto (também homônimo, 1983), trabalhos nunca relançados em CD - o segundo (Bicicleta, 1980), também lançado de forma independente e com capa dupla, teve algumas de suas faixas também relançadas em CD pela Polygram/Universal Music em coletâneas, mas o disco não teve novas edições.

Claúdio Nucci saiu do grupo ainda no primeiro trabalho - já não integrava o Boca Livre quando do lançamento dos três citados e dos demais já lançados em CD e por diversas gravadoras - e partiu para carreira solo na Emi-Odeon/Emi Music, onde lançaria seus três primeiros discos: Claúdio Nucci (1981); Volta e Vai (1983); e Melhor de Três (1984) que não teve nenhuma de suas músicas tocadas em rádio ou TV.

Em 1985 gravou o disco Pelo Sim Pelo Não (CBS/Sony Music) em duo com Zé Renato (com quem voltaria a compor após sua saída do Boca Livre) embalado pelos sucessos das músicas "Pelo Sim Pelo Não" e "A Hora e a Vez" presentes na trilha-sonora da novela Roque Santeiro da Rede Globo.

Participou de diversos projetos isolados - músicas feitas por encomenda para novelas ("Garça Branca" para a novela Pantanal; "Ciranda do Sassá" para a novela O Salvador da Pátria), participações em compilações temáticas e inéditas e festivais de música, como o "Som das Águas" da extinta Rede Manchete.

Em 1995 gravou o CD Ê Boi (com músicas temáticas e folclóricas sobre o animal e a natureza que o cerca, incluindo desde sucessos como outras canções menos conhecidas: "Correnteza" de Luiz Bonfá e Tom Jobim, "O Menino da Porteira" - sucesso na voz de Sérgio Reis - "Vide, Vida Marvada" de Rolando Boldrin, "Boiadeiro" - sucesso na voz de Luiz Gonzaga, dentre outras) com o grupo vocal Nós e Voz lançado pela gravadora independente Atração Fonográfica. Voltou aos discos de carreira com o CD Casa da Lua Cheia (independente, 1999) que inclui canções nunca gravadas anteriormente por ele como "Sapato Velho" (gravado pelo Roupa Nova) e "Meu Silêncio" (gravado por Nana Caymmi, com quem fora casado), regravações de sucessos do Boca Livre e outros (como "Alegre Menina" de Dori Caymmi feita originalmente para a trilha sonora da novela Gabriela tendo Djavan como intérprete da 1ª versão) e inéditas também de sua autoria.

Em 2004 lançou pela gravadora independente Lua Music até então seu último disco de carreira: Ao Mestre com Carinho, somente com músicas de autoria de Dorival Caymmi.

Possui um trabalho lançado pelo IEB (Instituto Escola Brasil) em 2001 - patrocinado pelo Banco Real, com tiragem e distribuição limitadas e lucro das vendas destinadas ao Instituto - mais uma vez como integrante do Boca Livre (substituindo Zé Renato na formação do grupo à época) só com músicas inéditas e ainda a participação da cantora, violonista e compositora Joyce (que fora a compositora da melodia da canção "Mistérios" - com letra de Maurício Maestro - já citada como um dos sucessos do primeiro trabalho do grupo e que a própria Joyce também gravou em seu LP Feminina de 1980).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.