Roupa Nova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roupa Nova
Integrantes do grupo da esquerda para a direita: Serginho Herval, Nando, Cleberson Horsth, Paulinho, Ricardo Feghali e Kiko
Informação geral
Origem Rio de Janeiro (RJ)
País  Brasil
Gênero(s) Pop, pop rock, soft rock, MPB
Período em atividade 1980 - atualmente
Gravadora(s) PolyGram (1981-1983)
RCA Victor (1984-1996)
Warner/Continental (1997-1998)
Universal Music (1999-2003)
Roupa Nova Music (2004-atualmente)
Página oficial www.roupanova.com.br
Integrantes
Serginho Herval
Paulinho
Kiko
Nando
Ricardo Feghali
Cleberson Horsth

Roupa Nova é uma banda brasileira formada na década de 1980 no estado brasileiro do Rio de Janeiro. Ainda hoje encontra-se em plena atividade.

História[editar | editar código-fonte]

A banda surgiu em agosto de 1980, devido a mudanças ocorridas após 1978 no grupo chamado Os Famks[1] , e mantém até hoje sua formação original. É composta por Paulinho (voz, percussão e vocal), Serginho Herval (bateria, voz e vocal), Nando (baixo, voz e vocal), Kiko (guitarra, violões e vocal), Cleberson Horsth (teclados e vocal) e Ricardo Feghali (teclados, voz e vocal).

São os atuais recordistas em trilhas sonoras de novelas, com mais de 35 músicas[2] . Além delas, "Videogame" se tornou a trilha sonora do Jornal da Manchete, da extinta Rede Manchete[carece de fontes?]. Temas famosos são "Dona" (Roque Santeiro, 1985), "A Viagem" (A Viagem, 1994) e "Coração Pirata" (Rainha da Sucata, 1990). O grupo também esteve presente na gravação original de outros dois temas bastante conhecidos, o "Tema da Vitória", usado nas transmissões das corridas de Fórmula 1 da Rede Globo, imortalizado nas vitórias do piloto brasileiro Ayrton Senna, e o tema do Rock in Rio, em 1985.

Outro grande sucesso da carreira do Roupa Nova é "Whisky a Go Go", composição de Michael Sullivan e Paulo Massadas, gravada originalmente em 1985, tema de abertura da novela da Rede Globo Um sonho a mais. "Whisky a go-go" é um grande sucesso [1] presente até os dias de hoje, tanto nos shows do Roupa Nova quanto em danceterias, clubes e festas.

Algumas novelas tiveram mais de uma música do Roupa Nova em sua trilha sonora. É o caso de Um sonho a mais de 1985 que além do hit "Whisky a Go Go", tema de abertura, tinha também "Chuva de Prata" na voz de Gal Costa com participação especial do sexteto.[1] Na novela Corpo Santo, exibida pela extinta Rede Manchete em 1987, o tema de abertura era "Um Lugar no Mundo" do Roupa Nova. Além desta canção o grupo estava presente em "Amor Explícito" (ao lado de Simone) e "Um Sonho a Dois" (ao lado de Joanna). O feito se repetia em Felicidade, de 1991. Dessa vez, o Roupa Nova emplacaria dois grandes sucessos da sua carreira: "Felicidade", que era o tema de abertura, e "Começo, Meio e Fim", tema do casal principal Álvaro e Helena (formado por Tony Ramos e Maitê Proença). A música "Ibiza Dance", que foi tema de abertura da novela Explode Coração, de 1995, ganhou versão remix (Ibiza Dance Remix) que também entrou para a trilha sonora da novela e foi faixa de uma compilação extra lançada no mesmo ano.

Ainda em novelas, a canção "Amor de Índio", gravada pelo Roupa Nova em 2001 para o álbum Ouro de Minas, fez parte da trilha sonora de duas novelas da Rede Globo. A primeira em 2001, Estrela Guia, tema dos personagens de Sandy e Guilherme Fontes, e a segunda em 2007, Desejo Proibido, tema da personagem Laura, vivida por Fernanda Vasconcellos. Outra canção do Roupa Nova que acabou se tornando tema de duas novelas foi "Sensual", de 1983, que embalou as novelas Voltei pra Você, da Rede Globo, e O Direito de Nascer, na época exibida pelo SBT.

Em 2004, o Roupa Nova estreou seu selo próprio com o lançamento do CD e DVD RoupaAcústico 1, o qual veio a ser um grande sucesso de público e crítica e teve continuação com RoupaAcústico 2, que em menos de uma semana vendeu mais de 70.000 cópias.[1] Os dois lançamentos acústicos do Roupa Nova ajudaram a renovar o público da banda. Se tornou comum e frequente a presença de um público formado por adolescentes e jovens nos shows do grupo.

Seu álbum mais bem sucedido é o do ano de 1985, que contém vários sucessos, tais como "Dona", "Seguindo no trem azul", "Linda Demais", "Sonho" e "Show de rock'n roll". O álbum alcançou a marca de 2,2 milhões de discos vendidos, alavancando de vez a carreira da banda, que a cada ano vinha se tornando mais popular.[carece de fontes?]

O Roupa Nova se tornou presença marcante e constante em programas de auditório como o Programa Raul Gil, Discoteca do Chacrinha, Perdidos na Noite, Programa Hebe e Domingão do Faustão, entre outros.

Durante a sua carreira, o Roupa Nova fez parcerias com os grandes nomes da música brasileira e artistas internacionais, como The Commodores, com quem gravou a canção "Esse tal de repi enroll", tema da novela Meu Bem Meu Mal, de 1990, David Gates (ex-vocalista do Bread), com quem gravou "De Ninguém" para o álbum Através dos Tempos, de 1997, e a canção "Volte neste natal", para o álbum Natal Todo Dia, de 2007, e a banda Ben's Brother, que participou da faixa "Reacender", do CD e DVD Roupa Nova em Londres, de 2009.

O Roupa Nova também fez parcerias com Roberto Carlos, Ivete Sangalo[1] , Rita Lee, Sandra de Sá[1] , Zélia Duncan[1] , Fagner, Luciana Mello[1] , Marjorie Estiano, Pedro Camargo Mariano, Cláudia Leitte, Elba Ramalho[1] , Ed Motta, Chitãozinho e Xororó, José Augusto, Hangar, Byafra[1] , Tony Garrido, Padre Marcelo Rossi, Simone, Joanna, Milton Nascimento, Angélica e Gal Costa, entre outros.

Os grandes incentivadores da carreira do Roupa Nova são Mariozinho Rocha, diretor musical da Rede Globo que é inclusive o responsável pelo nome da banda, o maestro Eduardo Souto Neto com quem o Roupa Nova gravou o Tema da Vitória e o cantor e compositor Milton Nascimento que homenageou a banda com a canção "Nos bailes da vida".

Vários artistas famosos também já regravaram canções compostas pelos integrantes do Roupa Nova, como é o caso de Sandy e Júnior com a canção "A lenda", a dupla sertaneja Rick e Renner com as canções "A Força do amor" e "De volta pro futuro", o cantor Eduardo Costa, com "Linda Demais" e "Volta pra mim", a dupla sertaneja Victor & Léo com "Retratos rasgados" e a banda KLB com "Whisky a go go". O talento dos integrantes do Roupa Nova como compositores foi reconhecido no Programa Raul Gil, quando eles foram homenageados por calouros e por artistas consagrados no quadro Homenagem ao compositor, em 2005.

É a banda brasileira com maior tempo de formação, mais de 30 anos de estrada e com seus membros originais.

Em junho de 2005 o Roupa Nova foi o grande vencedor do Prêmio TIM de Música na categoria Canção Popular, recebendo dois prêmios: o prêmio de melhor disco com Roupacústico, disputando com Beleza Roubada de Dulce Quental e Outros Planos da banda 14 Bis, e o prêmio de melhor grupo, disputando com Red e 14 Bis.[3]

Em 2009 o grupo recebeu um dos mais importantes prêmios da música mundial, o Grammy Latino, na Categoria Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro, desta vez concorrendo com Ivete Sangalo, Jota Quest, Skank e Rita Lee.[4]

Nos dias 2 e 3 de julho de 2010 foi gravado um projeto em comemoração aos 30 anos de carreira com participações de Sandy, Milton Nascimento, Fresno e o Padre Fábio de Melo. O álbum foi lançado em outubro de 2010.

Em 30 anos de carreira, o grupo já vendeu quase 10 milhões de discos. [5]

Em 2013 o grupo autorizou o lançamento de sua primeira biografia, sob o título: Tudo de Novo - Dos bailes para a história da música brasileira. O livro foi publicado pelo Selo Best Seller, do Grupo Editorial Record, autoria da jornalista Vanessa Oliveira. [6] [7]

Formação[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Com os Famks[editar | editar código-fonte]

Roupa Nova[editar | editar código-fonte]

DVDs[editar | editar código-fonte]

Produções em trabalhos de outros artistas[editar | editar código-fonte]

  • Ricardo Feghali e Cleberson Horsth atuaram como produtores na maioria dos CDs da cantora gospel Aline Barros. A parceria iniciou-se em 1995 com o CD Sem Limites, que foi sucesso de público e crítica, levando Aline a tocar nas principais rádios seculares e emissoras do país. A parceria se manteve em 1998, com o lançamento de Voz do Coração, em 2000, com O Poder do Teu Amor e em 2003, com o multipremiado Fruto de Amor. Este último conquistou o "Oscar" da música, o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Cristã em 2004 Aline foi a primeira cantora evangélica brasileira a conquistar o prêmio, feito este repetido outras duas vezes, em CDs de outros produtores.

Essa parceria se repetiu em 2011, no CD "Extraordinário Amor de Deus", que novamente foi laureado com um Grammy de melhor album de música cristã em Língua Portuguesa. Ricardo e Cleberson produziram ainda os dois primeiros CDs do conhecido cantor gospel Kléber Lucas.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j Roupa Nova - Dados Artísticos. www.dicionariompb.com.br.
  2. Popularizadas na década de 70, trilhas de novelas ficam na memória do público. globo.com. Página visitada em 11 de outubro de 2010.
  3. Artigos de Roupa Nova. Página visitada em 31 de dezembro de 2010.
  4. Grammy Latino 2009. Página visitada em 31 de dezembro de 2010.
  5. Roupa Nova festeja 30 anos em cruzeiro. Caras (16 de setembro de 2011). Página visitada em 12 de julho de 2012.
  6. Lula Branco Martins (21 de agosto de 2013). Dos bailes à MPB. Veja Rio. Página visitada em 21 de agosto de 2013.
  7. Mauro Morais (01 de novembro de 2013). A Receita do Whisky A Go Go. Tribuna de Minas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]