Marcos Palmeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.
Marcos Palmeira
Marcos Palmeira em 2007
Nome completo Marcos Palmeira de Paula
Outros nomes Marcos Viana
Nascimento 19 de agosto de 1963 (51 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
 Brasil
Ocupação Ator
IMDb: (inglês)

Marcos Palmeira de Paula (Rio de Janeiro, 19 de agosto de 1963) é um ator brasileiro, indicado ao Emmy Internacional em 2013.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

O pai de Marcos Palmeira, o diretor José Viana de Oliveira Paula (Zelito Viana), é filho de Francisco Anysio de Oliveira Paula e de Haydee Viana. Francisco e Haydee são também pais de Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho (Chico Anysio) e de Maria Lupicinia Viana de Paula (Lupe Gigliotti). Zelito é um dos mais renomados diretores de cinema. Fundou junto com Glauber Rocha a Mapa Filmes, empresa que dirige até hoje. Marcos foi casado com a diretora artística Amora Mautner, com quem tem uma filha - Júlia. Betse de Paula, irmã de Marcos, é diretora de cinema e foi premiada no Festival de Brasília com o filme, O Casamento de Louise.

Já a mãe do ator é a produtora Vera Maria Palmeira de Paula (conhecida por Vera de Paula), que por sua vez é filha do advogado nascido no Sergipe: Sinval Palmeira, deputado estadual do Rio de Janeiro cassado pela ditadura militar, e de Maria de Lourdes Borges Palmeira, oriunda de tradicional família baiana. Vera e seus irmãos são herdeiros do "coronel" João Borges, herdando sua Fazenda de gado chamada Cabana da Ponte, em Itororó, Sudoeste da Bahia, bem como fazendas de cacau na região de itabuna.

Outros projetos[editar | editar código-fonte]

Marcos é produtor de alimentos orgânicos (sem uso de agrotóxicos) na região serrana do estado do Rio de Janeiro, em Teresópolis. Os produtos da fazenda Vale das Palmeiras são encontrados nos supermercados Zona Sul e em pequenos comércios naturais, todos no Rio de Janeiro. Como consultor, presta assistência em diversos projetos de alimentação orgânica espalhados pelo Brasil, inclusive a implantação do projeto PAIS – Produção Agrícola Integrada Sustentável, na aldeia Xavante de São Pedro, Onça Preta e Parinaíba, na Reserva Parabubure no Mato Grosso.

Desde Junho de 2008, Marcos Palmeira apresenta um programa semanal na TV Cultura chamado A'Uwe. A'Uwe vai ao ar todos os domingos, às 17h, e é o único espaço da televisão brasileira 100% dedicado aos índios. Em sua adolescência, Marcos Palmeira conviveu com índios Xavantes e foi batizado por eles como Tsiwari, que significa "sem medo". Desse intercâmbio cultural, Marcos trouxe na bagagem a percepção de coletividade e muitas outras referências. Em 2003, Marcos Palmeira recebeu um pedido de socorro de um cacique Xavante que havia conhecido 20 anos antes: os índios das aldeias São Pedro e Onça Preta, na Terra Indígena de Parabubure, no estado do Mato Grosso, estavam em sérias dificuldades e queriam conhecer e iniciar o cultivo orgânico de alimentos. Desejavam também divulgar suas tradições, para que as pessoas nas cidades entendessem a importância de manter a cultura de cada povo indígena do Brasil. A preparação durou 1 ano e, em 2004, Marcos liderou uma expedição composta por amigos de várias áreas de atuação e, por 15 dias, essa equipe viveu com os índios xavantes daquelas aldeias. Dessa vivência nasceu o documentário Expedição A’Uwe - A Volta de Tsiwari, que 4 anos mais tarde, deu origem à série A’Uwe na tela da TV Cultura. Em cada programa, Marcos leva ao grande público documentários feitos por índios e não-índios que mostram rituais, conflitos, tradições e histórias sobre as diferentes etnias indígenas. O programa também tem um site e um blog sobre o tema indígena: www.tvcultura.com.br/auwe

Carreira[editar | editar código-fonte]

Sua estréia como ator, se deu primeiro nas telonas, com apenas 5 anos de idade, em uma participação no filme Copacabana Me Engana, de 1968.

Em 1983, formou-se na CAL (Casa de Arte das Laranjeiras).

Já na televisão, seu primeiro trabalho, foi na Rede Globo, quando participou da primeira fase da telenovela Mandala, de 1987.

Em 1990, transferiu-se para a Rede Manchete, onde protagonizou, ao lado de Marcos Winter, Cristiana Oliveira e Paulo Gorgulho, a telenovela Pantanal. A mesma foi sucesso de crítica e público, tendo ameaçado por diversas vezes a liderança absoluta da Globo. Depois, ainda na mesma emissora, com Cristiana Oliveira, protagonizou a novela Amazônia, de 1991.

Em 1992, retornou à Globo para uma participação em um episódio do Você Decide, emissora na qual permanece até o prezado momento, e desde então passou a ser convidado somente para papéis de suma importância em produções televisivas.

Em 1993, protagonizou ao lado de Antônio Fagundes e Adriana Esteves a novela Renascer, repetindo assim a parceria de sucesso com o autor Benedito Ruy Barbosa, que também assinou Pantanal, que lançou o ator ao estrelato.

Em 1995, foi um dos protagonistas do remake de Irmãos Coragem, e no ano seguinte, esteve presente no elenco de Salsa e Merengue, como um dos personagens centrais.

Em 1998, viveu o advogado Alexandre Leme Toledo que se envolve com a garçonete Sandrinha, a grande vilã da história, na novela Torre de Babel. Posteriormente, despontou como o jornalista Chico Mota de Andando nas Nuvens, tendo feito par romântico com Débora Bloch.

Em 2001, retornou ao posto de protagonista do horário nobre ao encarnar o pescador Gumercindo "Guma" Vieira em Porto dos Milagres.

Em 2002, voltou a atuar com Benedito Ruy Barbosa na novela Esperança. Seu personagem entrou no meio da trama, que vinha enfrentando problemas com a audiência, com a intenção de alavancar os números da mesma.

Em 2003, protagonizou Celebridade, grande sucesso de Gilberto Braga onde viveu o cineasta Fernando Amorime e interpretou o sanitarista Osvaldo Cruz no curta metragem de Silvio Tendler.

Em 2006, após dois anos afastado das novelas, participou de Belíssima como o delegado Gilberto, par da co-protagonista Vitória, personagem de Cláudia Abreu.

Entre 2005 e 2007, esteve a frente da série policial Mandrake, como o personagem principal. A série foi feita em parceria pela Conspiração Filmes e o canal pago HBO, tendo sido transmitida em rede nacional pelo segundo.

Em 2008, repetiu par com Cláudia Abreu ao protagonizar a novela Três Irmãs.

Em 1º de Junho de 2008 começou a apresentar o programa semanal na TV Cultura.

Acumula uma série de atuações no cinema, entre elas: o longa metragem Villa-Lobos - Uma Vida de Paixão (2000), em que interpretou o famoso compositor ainda jovem; Dom (2003), baseado no livro Dom Casmurro, em que viveu Bentinho e fez par com Maria Fernanda Cândido; O Homem que Desafiou o Diabo (2007) e A Mulher do meu Amigo (2008).

Em 2009 pode ser visto em Cama de Gato, na pele do protagonista, o empresário Gustavo Brandão.

Já namorou a atriz Ana Paula Arósio.

Em 2012 voltou às novelas em Cheias de Charme, onde viveu o malandro Sandro Barbosa.

Em 2013 interpretou Augustão, o segurança da cantora de axé Sereia que é assassinada em pleno Carnaval na minissérie O Canto da Sereia [2] , e no segundo semestre do ano interpretou Seu Cazuza no remake de Saramandaia.

Em 2014, é anunciado que o ator terá um papel de destaque no remake de O Rebu, interpretando o delegado Pedroso.[3] [4] No segundo semestre do mesmo ano, protagoniza a série do Multishow, A Segunda Vez, no papel de Raul, um jornalista que ao perder o emprego e a mulher, se envolve com o mundo da prostituição de luxo de São Paulo. [5] [6] [7] [8] [9] [10] Ainda em 2014, é anunciado no elenco de Babilônia, novela de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga, que substituirá Império.[11]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • 1981 - O Diamante do Grão Mongol
  • 1982 - "Os Meninos da Rua Paulo"
  • 1984 - "Maria Minhoca"…
  • 1984 - "Chapetuba Futebol clube"… Zito
  • 1986 - "Uma Lição Longe Demais" … Valente
  • 1987 - "Ligações Perigosas" - Dansenir
  • 1993 - "Othello" … othello
  • 1999 - "Adão e Eva"… Adão
  • 2000 - Mais Uma Vez Amor … Rodrigo
  • 2007 - Auto de Anjicos … Lampião

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Marcos Palmeira - Biografia. Página visitada em 16 de Maio de 2013.
  2. Rede Globo (08 de novembro de 2012). O Canto da Sereia: Marcos Palmeira interpreta um segurança particular Rede Globo > séries. Página visitada em 17 de junho de 2014.
  3. Carla Bittencourt (29 de maio de 2014). Marcos Palmeira e Dira Paes gravam 'O rebu' no Rio Extra. Telinha. Página visitada em 30 de maio de 2014.
  4. Florença Mazza (24 de março de 2014). Marcos Palmeira terá papel de destaque em 'O rebu' O Globo. Página visitada em 30 de maio de 2014.
  5. Sobre - A Segunda Vez - MULTISHOW MULTISHOW. Página visitada em 02 de agosto de 2014.
  6. "A Segunda Vez" estreia dia 11 de agosto no Multishow com Marcos Palmeira no elenco MULTIHOW. Página visitada em 02 de agosto de 2014.
  7. IG (02 de agosto de 2014). Marcos Palmeira vira cafetão de luxo em nova série do Multishow O Dia. Página visitada em 02 de agosto de 2014.
  8. Paulo Pacheco (01 de agosto de 2014). Marcos Palmeira lamenta estar no ar em duas TVs ao mesmo tempo UOL. Notícias da TV. Página visitada em 02 de agosto de 2014.
  9. Louise Soares (11 de agosto de 2014). Marcos Palmeira compete consigo mesmo com novela e série no mesmo horário F5 - televisão. Página visitada em 15 de setembro de 2014.
  10. Patrícia Kogut (21 de julho de 2014). Marcos Palmeira grava série com Letícia Persiles O Globo. Página visitada em 02 de agosto de 2014.
  11. Patrícia Kogut (25 de julho de 2014). Marcos Palmeira estará na próxima novela das 21h, 'Babilônia' O Globo. Página visitada em 02 de agosto de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Marcos Palmeira
Precedido por
Tonico Pereira
por O Cego que Gritava Luz
Troféu Candango de Melhor Ator
por Anahy de las Misiones
empatado com Ernesto Piccolo por Como Ser Solteiro

1997
Sucedido por
José Dumont
por Kenoma