Teresópolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Teresópolis
"Cidade de Teresa"
"Terê"
Vista da cidade da Pedra do Sino

Vista da cidade da Pedra do Sino
Bandeira de Teresópolis
Brasão de Teresópolis
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 6 de julho de 1891
Gentílico teresopolitano
Lema Sub Digitum Dei
(traduzido do Latim, significa: "Sob o Dedo de Deus")
Prefeito(a) Arlei Rosa (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Teresópolis
Localização de Teresópolis no Rio de Janeiro
Teresópolis está localizado em: Brasil
Teresópolis
Localização de Teresópolis no Brasil
22° 24' 43" S 42° 57' 57" O22° 24' 43" S 42° 57' 57" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Metropolitana do Rio de Janeiro Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[1]
Microrregião Serrana Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[1]
Municípios limítrofes Cachoeiras de Macacu, Guapimirim, Nova Friburgo, Petrópolis, São José do Vale do Rio Preto, Sapucaia e Sumidouro
Distância até a capital 91 km
Características geográficas
Área 770,601 km² [2]
População 167 622 hab. Estimativa para 2012

[3]

Densidade 217,52 hab./km²
Altitude 871 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,730 (RJ: 23º) – alto Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento/2010[4]
PIB R$ 2,764,129 mil Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2010[5]
PIB per capita R$ 16,874 51 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2010[5]
Página oficial

Teresópolis é um município da Microrregião Serrana, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Ocupa uma área de 770,601 km², contando com uma população de 167 622 habitantes (2012), segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O seu centro tem uma temperatura média anual de dezesseis graus centígrados[carece de fontes?]. Na vegetação do município, predomina a mata atlântica. Em relação à frota automobilística, em 2009 foram contabilizados 36 336 veículos.[3] O município contava, em 2009, com 75 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano Municipal é de 0,730.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Teresópolis" é formado pela junção do antropônimo "Teresa" com o termo de origem grega "pólis" (que significa "cidade"), significando, portanto, "cidade de Teresa". Trata-se de uma homenagem à imperatriz brasileira Teresa Cristina, esposa do segundo Imperador brasileiro D. Pedro II.

História[editar | editar código-fonte]

Vista da freguesia de Teresópolis, 1885
Assinatura, aos 6 de julho de 1890, do decreto de elevação de Teresópolis a cidade pelo então governador do Estado do Rio de Janeiro, Francisco Portela, que para ela transferiu a capital do estado por decreto de 5 de outubro seguinte

Antes da chegada dos primeiros portugueses à região da atual Teresópolis, no século XVI, a mesma era habitada por índios timbiras. Em 1583, índios temiminós da tribo de Arariboia receberam uma sesmaria que incluía a atual Serra dos Órgãos. Ao longo dos séculos seguintes, portugueses foram adquirindo sesmarias na região. A mesma também passou a abrigar, no chamado "Quilombo da Serra", escravos fugidos das plantações de cana-de-açúcar da Baixada Fluminense[6] . A primeira descrição oficial de Teresópolis foi feita em 1788 por Baltazar da Silva Lisboa, que, em seu relato, descrevia a serra e também a Cascata do Imbuí.

Porém, a região só se tornou mais conhecida a partir de 1821, quando o português de origem inglesa George March adquiriu uma grande gleba e transformou-a em uma fazenda-modelo, com sua sede localizada onde atualmente encontra-se o bairro do Alto. A fazenda denominava-se "Santo Antônio" ou "Sant'Ana do Paquequer" e acabou por gerar o primeiro povoado de maior importância ao longo do caminho que ligava a Corte à província das Gerais, desenvolvendo, de maneira considerável, a sua agricultura e pecuária e o veraneio da região. A Família Imperial Brasileira encantou-se profundamente com as belezas naturais e clima desta região serrana, onde, em frequentes visitas e períodos de férias na região, descansava. As origens de Teresópolis datam, portanto, da primeira metade do século XIX. Lentamente, o povoado foi se desenvolvendo e passando à categoria de Freguesia de Santo Antônio do Paquequer, através do Decreto Provincial nº 829, de 25 de outubro de 1855.[7]

Todo o crescimento e posterior desenvolvimento deste pequeno núcleo se verificou no sentido Norte-Sul, isto é, os comerciantes que vinham das Minas Gerais em direção ao Porto da Estrela, nos fundos da Baía de Guanabara, passando por Petrópolis, visavam a esta região como ponto estratégico de repouso. Em 6 de julho de 1891, através do Decreto 280 do então governador Francisco Portela, a freguesia foi alçada à condição de município, com sede na freguesia de Santo Antônio do Paquequer ou "Teresópolis", em homenagem à Imperatriz Dona Teresa Cristina, esposa de D. Pedro II, sendo desmembrado o seu território do município de Magé. A partir da República, graças à Lei Estadual nº43 de 31 de janeiro de 1893, a vila de Teresópolis é elevada à categoria de cidade e o Município de Teresópolis fica composto por dois distritos: Teresópolis e Santa Rita. Santa Rita, que fora criada pelos Decretos Estaduais ns 1 e 1-A de 1892, passa a se chamar Paquequer Pequeno com o Decreto Estadual nº641 de 15 de dezembro de 1938 (atualmente, chama-se Vale do Paquequer). Com a Lei Estadual nº517 de 17 de dezembro de 1901, o distrito de Sebastiana (a freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Ribeirão da Sebastiana do Município de Nova Friburgo, criada pelo Decreto Provincial nº1270 de 26 de novembro de 1862, toma a denominação de Sebastiana com os Decretos Estaduais ns 1 e 1-A de 1892),compreendendo a área onde localiza se o Vale Feliz e Albuquerque as divisas de Conquista e Salinas, passa a ser o terceiro distrito do Município de Teresópolis. Este último distrito chegou a tomar o nome de Nhunguaçu com o Decreto-lei Estadual nº1056 de 31 de dezembro de 1943),[7] mas atualmente é conhecido como Vale de Bonsucesso. Vale lembrar também que a mesma Lei Estadual nº43 de 1893 anteriormente mencionada também ordenava a transferência da Capital do Estado do Rio de Janeiro de Niterói para Teresópolis em decorrência da Revolta da Armada, porém antes que esta lei fosse cumprida a Lei Estadual nº50 de 30 de janeiro de 1894 ordenava a transferência da Capital do Estado para Petrópolis,[8] local de nascimento de José Tomás da Porciúncula, o então Presidente em exercício do Estado do Rio de Janeiro.

Durante muitos anos, Teresópolis permaneceu com uma via de transportes incipiente até que, em 1908, foi inaugurada a estrada de ferro que propiciou um certo progresso da área. Só bem mais tarde o fluxo de desenvolvimento foi alternado no sentido Sul-Norte, com o advento da ligação rodoviária com o Rio de Janeiro, em 1959.[nb 1]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Ocupando uma área de 770,601 quilômetros quadrados, Teresópolis contava em 2010 com 163 746 habitantes, segundo o censo do IBGE, sendo a 19ª cidade mais populosa do estado. Localizada na Região Serrana Fluminense, na Mesorregião Metropolitana do Rio de Janeiro, limita-se com os municípios de: Cachoeiras de Macacu, Guapimirim, Nova Friburgo, Petrópolis, Sapucaia, São José do Vale do Rio Preto e Sumidouro.

A cidade abriga a sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, bem como grande parte do Parque Estadual dos Três Picos, o maior parque estadual do Rio de Janeiro. É uma cidade cercada por matas e por formações bastante conhecidas, como a Pedra do Sino, Agulha do Diabo, Pedra da Tartaruga e Mulher de Pedra. Por suas formações montanhosas, a cidade é considerada a capital nacional do montanhismo.

O Dedo de Deus é uma formação montanhosa importante para a cidade de Teresópolis, embora não esteja dentro dos limites do município. A montanha de 1651 metros está no município de Guapimirim. Porém, pode ser ser vista de muitos pontos de Teresópolis, destacando-se o Mirante do Soberbo. O Dedo de Deus figura os símbolos do município e pode ser considerado seu principal cartão-postal.

Montanhas e picos de Teresópolis[editar | editar código-fonte]

Serra dos Órgãos
Montanha ou pico Altitude (m)
Pedra do Sino 2 263
Pedra do Açu 2 230
Agulha do Diabo 2 020
Nariz do Frade 1 919
Dedo de Deus 1 651
Pedra da Ermitage 1 485
Dedo de Nossa Senhora 1 320

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Teresopolis-Comary.jpg
Teresopolis-Comary2.jpg
Lago Comary

Clima[editar | editar código-fonte]

Teresópolis possui um clima tropical de altitude, com invernos amenos e secos e verões agradáveis e úmidos; a temperatura média do município é de 16°C[carece de fontes?]. A temperatura média do mês mais quente do ano está acima de 22.0ºC, mais precisamente 22.5ºC no mês de fevereiro, que é o mês mais quente na cidade,e que segundo a classificação climática de Köppen-Geiger A classifica como o tipo climático Cwa. Menor temperatura oficialmente registrada no centro: -4°C[carece de fontes?]. Por seu clima ameno, Teresópolis foi escolhida como sede de treinos da Confederação Brasileira de Futebol, sendo o local de concentração da Seleção Brasileira de Futebol, situada na Granja Comary.

Teresópolis tem um dos climas mais agradáveis do Brasil.[9]

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura Máxima °C 26 27 24 23 21 19 18 20 21 20 22 25 21
Temperatura Mínima °C 17 18 16 14 10 9 8 7 10 12 14 15 12
Chuvas mm 274 7 259,8 226,4 138,4 84,4 62,3 50,6 60 49,1 142,2 217 314,9 1 879,8

Demografia[editar | editar código-fonte]

Em 2010, residiam, em Teresópolis, 163 746 habitantes dos quais 89,3% viviam na zona urbana e 10,7% zona rural[10] , divididos em 78 275 homens e 85 471 mulheres, de acordo com pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2010. Segundo o IBGE, Teresópolis possuía 118 944 eleitores em 2010.[11] O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Teresópolis é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, sendo seu valor de 0,790. Teresópolis possui indicadores acima da média, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. A renda per capita é de 13 029,25 reais e a expectativa de vida é de 77 anos para as mulheres e 69 anos para os homens.[12]

Religião[editar | editar código-fonte]

Igreja de Santo Antônio

De acordo com dados do censo de 2010 do IBGE, a população de Teresópolis está composta por:

Religião Percentual
Católica Apostólica Romana 41,97%
Evangélico 30,00%
Sem religião 15,09%
Mórmons 5,90%
Católica Ortodoxa 0,10%
Católica Apostólica Brasileira 0,25%
Testemunhas de Jeová 0,08%
Espiritualista 0,06%
Espírita 2,85%
Umbanda e Candomblé 0,32%
Judaísmo 0,19%
Hinduísmo 0,01%
Budismo 0,12%
Islamismo 0,01%
Tradições Esotéricas 0,08%
Tradições Indígenas 0,04%
Ateu 1,56%
Agnóstico 0,08%

Política[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

A cidade é administrada por dois poderes:

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

Subdivisões da cidade de Teresópolis
Localização População
Distrito Censo 2010
Distrito de Teresópolis 146.207
Vale do Paquequer 3.334
Vale de Bonsucesso 8.828

Teresópolis está oficialmente subdividida em três distritos: Teresópolis, Vale do Paquequer e Vale de Bonsucesso, sendo o Vale do Paquequer o segundo distrito mais populoso, com 8 828 habitantes, de acordo com o IBGE, em 2010. Quando o município se emancipou, era composto por dois distritos, sendo eles Teresópolis e Paquequer Pequeno.

A cidade, atualmente, é formada por 60 bairros oficiais, além de inúmeros loteamentos, não considerados bairros. Atualmente, os bairros mais populosos de Teresópolis são: São Pedro, Alto e Várzea.

Economia[editar | editar código-fonte]

Voltada principalmente para o turismo e produção agrícola, a cidade possui comércio diversificado e setor hoteleiro muito desenvolvido. Além disso, abriga uma das maiores feiras de artesanato a céu aberto do Brasil, a Feirinha de Teresópolis ou Feirinha do Alto, que contém diversos produtos da moda feminina, infantil, móveis, uniformes, potes, bijuterias etc.

Teresópolis faz parte do cinturão verde do Rio de Janeiro, região responsável pela produção da maior parte dos hortigranjeiros consumidos no estado. Foi uma das cidades turísticas brasileiras razoavelmente afetadas economicamente pela Proibição do jogo no Brasil, no governo do Presidente Dutra em 1946. Já sediou o Festival de Cinema Brasileiro, atualmente realizado na cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul.[13] [14]

Apesar de estar voltada principalmente para a agricultura, Teresópolis está se desenvolvendo rapidamente no setor de bebidas, contando com uma das maiores indústrias de bebidas destiladas e sucos do estado do Rio de Janeiro, a Arbor Brasil. Outra produtora de bebidas da cidade é a Cervejaria Sankt Gallen, que resgatou a Cerveja Therezópolis, elaborada de acordo com o mestre Alfredo Claussen em 1912, descendente dos dinamarqueses que povoaram Teresópolis em 1826.

Apesar de ter perdido uma grande fábrica têxtil, a falida Sudantex, que gerava muitos empregos e renda para o município, hoje Teresópolis tem um produto interno bruto de 1 111 813 mil reais e uma renda per capita de 7 564 reais.

Feiras estão se tornando cada vez mais populares na cidade, destacando-se a FePro, Tecnohort, Festa do Produtor Rural, eventos que fazem parte da economia teresopolitana.

Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]

Teresópolis conta com uma infraestrutura urbana deficiente, assim como toda cidade em desenvolvimento. O serviço de água e esgoto é feito pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro. A energia elétrica é fornecida pela empresa Ampla.

Teresópolis conta com agências bancárias de todos os grandes bancos brasileiros, como Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e muitos outros, além de um centro de distribuição domiciliar dos Correios.

Educação[editar | editar código-fonte]

Nos últimos anos, várias instituições de ensino superior têm instalado novas unidades no município de Teresópolis, contribuindo para a mudança do seu perfil industrial para estudantil. O município abriga o Centro Universitário Serra dos Órgãos e recentemente a Universidade Estácio de Sá, instituições de ensino superior particulares que oferecem diversos cursos de graduação e também cursos de pós-graduação. A Universidade do Estado do Rio de Janeiro também está presente na cidade com o curso de graduação em Turismo.

O município abriga também a Educação de Jovens e Adultos, que, pelo seu destaque, ganhou reconhecimento pelo Ministério da Educação.[15] [16] [17]

Meios de Comunicação[editar | editar código-fonte]

O jornal mais antigo de Teresópolis, ainda em circulação, é o semanal Teresópolis Jornal. A cidade possui diversos jornais semanais e um diário em circulação, entre eles o Correio do Interior.

Teresópolis possui sete tevês locais, disponíveis pela operadora a cabo RCA TV, duas rádios FM e duas AM. Possui, ainda, diversos portais de Internet cada um com um cunho diferente, como o Portal Terê.

Transportes[editar | editar código-fonte]

As principais vias de acesso à cidade são a BR-116 norte, a BR-495 e a RJ-130.

Teresópolis tem três empresas de ônibus, a Viação Dedo de Deus, a Viação 1º de Março e a Viação Teresópolis. Com frota renovada, novos ônibus foram comprados e estes estão, em sua maioria, adaptados para deficientes físicos, obesos e pessoas com cães guia. A partir de 2009, a Viação Dedo de Deus adaptou seus coletivos para o sistema de bilhetagem eletrônica, possibilitando assim a integração de passageiros em qualquer lugar da cidade com o cartão eletrônico; mais tarde, foi a vez da Viação 1º de Março adaptar sua frota. Teresópolis conta com vários pontos de táxi, espalhados pelo centro e demais bairros. A Viação Dedo de Deus e a Viação 1º de Março realizam o transporte de passageiros dentro da cidade. A Viação Teresópolis também mantém algumas linhas dentro do limite da cidade, mas para distritos e localidades rurais ou mais distantes do Centro, como Vieira, Mottas, Serra do Capim e Água Quente. A Viação Teresópolis também faz a ligação entre Teresópolis e as cidades vizinhas ou da área de influência. Mantém linhas intermunicipais entre Teresópolis e Rio de Janeiro, Nova Friburgo (via Conquista e Campo do Coelho), Petrópolis (via Itaipava), Sapucaia (via Aparecida), Castelo - Terminal Menezes Cortes, Madureira (seg a sexta), Nova Iguaçu (via Duque de Caxias), Rio das Ostras, Guapimirim, Magé (via Guapimirim), São José do Vale do Rio Preto, Vila do Peão (via Volta do Peão, distrito de Sapucaia), Carmo (via Sumidouro) e Soledade (distrito de Sumidouro). A empresa mantém ainda uma linha interestadual: Teresópolis x Além Paraíba (via Jamapará).

Na cidade também opera a Viação Salutaris com partida diária para São Paulo. Recentemente, alguns horários de viações que se destinam a Minas Gerais e a cidades da região Nordeste - que trafegam pela BR 116 (Rio - Bahia) - passaram a entrar na cidade para embarque e desembarque (Itapemirim, Rio Doce).

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Teresópolis, juntamente com os municípios de Petrópolis e Nova Friburgo, faz parte da Região Serrana, que é muito procurada pelos turistas, principalmente nas épocas de inverno e verão, por ter um clima agradável e paisagens exuberantes.

Teresópolis conta com diversas áreas de interesse histórico, ecológico e cultural.

Atrativos rurais[editar | editar código-fonte]

Vista das Torres de Bonsucesso
Vista das Torres de Bonsucesso

Na área do ecoturismo, destaca-se a Serra do Subaio, onde estão localizados diversos atrativos rurais do município, que são as várias trilhas, montanhas e cachoeiras, como a Mulher de Pedra, que se destaca por se assemelhar à figura de uma mulher deitada. Entre os atrativos naturais, também se destacam as Torres de Bonsucesso, localizadas no bairro de Bonsucesso, terceiro distrito da cidade. Já nas localidades do Vale do Paquequer, podemos encontrar destaque na produção de poncãs: o município é o maior produtor do estado.[18] Destacam-se também:

  • Orquidário Aranda: Fundado em 1985 no bairro do Quebra-Frascos, lá é exposta e comercializada uma grande variedade de orquídeas, entre espécies e híbridos.[19]
  • Circuito Turístico Terê-Fri: A RJ-130, conhecida como Estrada Teresópolis - Friburgo ou Terê-Fri, é uma rodovia do estado do Rio de Janeiro. Com 67 quilômetros de extensão, a rodovia recebe, no município de Teresópolis, o nome de "Doutor Rogério de Moura Estevão". É um grande corredor turístico da Região Serrana Fluminense. No entorno desta rodovia, podem ser encontradas diversas pousadas e hotéis-fazenda. Através dela, tem-se acesso aos Três Picos de Salinas, importante monumento natural do Parque Estadual dos Três Picos.[20]
  • Pedra da Tartaruga: É uma formação rochosa similar a uma tartaruga, localizada entre as trilhas de Teresópolis. Do seu cume avista-se parte da Serra dos Órgãos, incluindo a Mulher de Pedra, os Três Picos e outros. Local ideal para a prática de rapel e um local de encontro de jipeiros, proporciona um maior contato com outros amantes deste esporte.

Atrativos urbanos[editar | editar código-fonte]

Fachada do Palácio Teresa Cristina, atual sede da Prefeitura
Fachada do Palácio Teresa Cristina, atual sede da Prefeitura

Além das atrações naturais do interior do município, Teresópolis ainda possui vários monumentos e atrativos urbanos, alguns com valor histórico e cultural.

Destacam-se também:

Carnaval[editar | editar código-fonte]

No carnaval da cidade, o ponto alto são os desfiles das escolas de samba, que são filiadas à Liga das Escolas de Samba de Teresópolis. São elas: Bambas da Serra, Cala Boca, Gaviões da Colina, Imperatriz do Perpétuo, Leões da Tijuca, Rainha do Alto, Rainha do Alto, Roseira Imperial, Unidos da Barra, Unidos de Santa Cecília e Unidos do Rosário.

Em 2011, devido à tragédia da Região Serrana, o carnaval foi cancelado.[28]

Esporte[editar | editar código-fonte]

Granja Comary, em Teresópolis: local de treinamento da Confederação Brasileira de Futebol

Teresópolis tem fama nacional por sediar a Confederação Brasileira de Futebol, onde a Seleção Brasileira treina, uma área com mais de 150 mil metros quadrados de área verde divididos entre cinco campos, infraestrutura para atendimento aos atletas e um dos mais modernos centros de treinamento do mundo. O vasto espaço da confederação é um ponto de atração para turistas. Mas não é só a Seleção Brasileira de Futebol que usufrui deste centro de treinamento, outras categorias patrocinadas pela CBF também podem usá-lo. Localiza-se na Granja Comary, em um dos mais belos e charmosos bairros da cidade.

Eventos esportivos são disputados frequentemente na cidade, como a Copa Nacional de Futebol de Salão e a partida entre Brasil e Uruguai pelo Desafio Internacional de Futsal, disputadas no ginásio poliesportivo Pedro Jahara, mais conhecido como "Pedrão".

Além disso, a praça de esportes radicais sediou o campeonato nacional de skate.

A cidade é conhecida como capital nacional do alpinismo. O Dedo de Deus é o símbolo das montanhas presentes, apesar de não ser a única e mais alta montanha. Muitos teresopolitanos praticam este esporte e muitos ganharam fama internacional, como Mozart Catão, um dos maiores alpinistas brasileiros, que morreu escalando o monte Aconcágua, na Argentina, pela face sul, arrebatado por uma avalanche.[29] [30]

Lugares como o Parque Nacional da Serra dos Órgãos são excelentes para a prática deste esporte, por abrigar a Pedra do Sino, o ponto culminate desta Serra e tantas outras pedras, como o Dedo de Deus, Escalavrado, Nariz do Frade, Dedo de Nossa Senhora e Pedra do Elefante. Destaca-se ainda a Mulher de Pedra, que não pertence ao PARNASO, e se localiza em Vargem Grande, bairro situado no km 12 do Circuito Terê-Fri (estrada entre Teresópolis e Friburgo).

A equitação é um esporte muito praticado por moradores e turistas da cidade, por ela ter uma área propícia para sua prática.

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

A cidade de Teresópolis, além de ser conhecida pelas belas paisagens naturais, é também muito diversificada em sua culinária. Restaurantes e bares movimentam a vida noturna da cidade, sendo reconhecidos e premiados pela excelência.[31] São encontrados restaurantes de culinária internacional, como francesa, italiana, portuguesa e japonesa.[32]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Teresópolis

Tragédia[editar | editar código-fonte]

Em decorrência das fortes chuvas, o rio subiu rapidamente durante a madrugada, destruindo as casas em sua margem

Em 12 de janeiro de 2011, a cidade, juntamente com os municípios de Nova Friburgo, Petrópolis, Bom Jardim, Sumidouro, Areal e São José do Vale do Rio Preto, foi palco da maior tragédia climática acontecida no território brasileiro,[33] [34] [35] [36] com grande número de mortos e desaparecidos.[37] Só na cidade, foram 382 mortes confirmadas, com 9 110 desalojados e 6 727 desabrigados.[38] Bairros como Campo Grande, Posse, Cascata do Imbuí e Caleme foram fortemente devastados pela enxurrada[39] , sendo os mais destruídos, e que tiveram a grande causa de devastação pela criação desordenada dos domicílios nas margens de riachos, que não atingiam 1 metro de largura.[40] Em tentativa de prevenir novos desastres, Teresópolis ganhou, em 14 de dezembro de 2011, um sistema de alerta contra enchentes, visando a alertar a população em casos de chuva forte, de futuras novas temporadas de chuvas, nas épocas de verão.[41] Após a tragédia, Teresópolis atualmente contém mais de 12 000 residências em áreas de risco, afetando mais de 55 000 moradores.[42] [43] [44]

Situação política após a tragédia[editar | editar código-fonte]

A Câmara de Vereadores de Teresópolis aprovou por unanimidade, em 2 de agosto de 2011, projeto de lei que afastou o prefeito Jorge Mário Sedlacek por 90 dias. A principal acusação é de desvio dos recursos federais destinados ao município após a tragédia das chuvas.

De acordo com um relatório da Controladoria Geral da União, publicado pelo jornal O Globo, a RW Construtora embolsou 873 mil reais, dos 4,5 milhões de reais contratados para os serviços.[45]

As denúncias se acumularam e levaram ao afastamento do ex-prefeito Jorge Mário Sedlack, que teve o mandato cassado por unanimidade. O vice-prefeito Roberto Pinto chegou a assumir, mas morreu de infarto apenas dois dias após sua posse. O presidente da Câmara Municipal, Arlei de Oliveira Rosa (PMDB) assumiu o cargo interinamente, com o dever de liderar a reconstrução da cidade.[46] Em 6 de dezembro de 2011, os juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro aprovaram, em sessão ordinária, uma eleição suplementar para o município. Os eleitores do município iriam voltar às urnas no dia 5 de fevereiro de 2012 para a escolha de prefeito e vice-prefeito,[47] [48] algo que não ocorreu.[49]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Para maiores referências sobre a história de Teresópolis, consultar ROSA, W.M. "Regularização fundiária e eficácia dos novos instrumentos: a concessão de uso especial para fins de moradia no município de Teresópolis – RJ". In: CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO URBANÍSTICO, 4., 2006, São Paulo. Anais ..., São Paulo: IBDU, 5-8, dez., 2006. Acessado em: 29 de agosto de 2013.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE. Título não preenchido, favor adicionar. Visitado em 12 de dezembro de 2011.
  3. a b Estimativa Populacional 2012. Visitado em 12 de dezembro de 2012.
  4. Perfil dos Município de Teresópolis (RJ) Atlas do Desenvolvimento Humano 2013 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 29 de julho de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 13 de dezembro de 2012.
  6. http://www.tere-rj.net/guiatere/index.php?option=com_content&view=article&id=19&Itemid=27&lang=pt
  7. a b IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Anuário Geográfico do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IBGE, 1958. n. 11, p. 283-286.
  8. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sinopse Estatística do Município de Teresópolis - Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IBGE, 1948. p. 5.
  9. Os encantos de Teresópolis Geórgia Honório 365 dias viajando (14 de abril de 2009). Visitado em 5 de novembro de 2011.
  10. IBGE. IBGE-Cidades@.
  11. UOL. Apuração dos votos (segundo turno).
  12. O Diário de Teresópolis. População de Teresópolis envelheceu diz pesquisa.
  13. Cinema para Todos. Teresópolis, a Cidade Pioneira do Festival Nacional de Cinema. Visitado em 12/12/2011.
  14. FestivaldeGramado.net. História do Festival de Cinema de Gramado. Visitado em 12/12/2011.
  15. GuiaTerê.com (1/11/2011). EJA de Teresópolis conquista reconhecimento do Ministério da Educação. Visitado em 12/12/11.
  16. PortalTerê (1/11/2011). EJA de Teresópolis conquista reconhecimento do Ministério da Educação. Visitado em 12/12/11.
  17. Notícias da Serra (16 de Setembro de 2011). EJA concorre a Premiação Nacional. Visitado em 12/12/11.
  18. Teresópolis é o maior produtor de tangerina ponkan do estado do Rio de Janeiro e o 7º do Brasil. Visitado em 16/06/2011.
  19. Visite Teresópolis. Orquidário Aranda. Visitado em 10/12/11.
  20. Visite Teresópolis. Circuito Turístico Terê-Fri. Visitado em 10/12/11.
  21. Visite Teresópolis. Castelo Montebello Medieval. Visitado em 10/12/11.
  22. Visite Teresópolis. Feirinha do Alto de Teresópolis. Visitado em 10/12/11.
  23. Visite Teresópolis. Granja Comary - CBF. Visitado em 10/12/11.
  24. Visite Teresópolis. Matriz de Santa Teresa. Visitado em 10/12/2011.
  25. Visite Teresópolis. Mirante do Soberbo. Visitado em 10/12/11.
  26. SESC Rio. Informações sobre o SESC Rio de Teresópolis. Visitado em 30/01/14.
  27. Visite Teresópolis. Palácio Teresa Cristina. Visitado em 10/12/2011.
  28. SRZD. Carnaval de Teresópolis é cancelado devido à tragédia. Visitado em 19/01/2011.
  29. Ivan Padilla (19/12/2002). Drama no Aconcágua Época. Visitado em 12/12/2011.
  30. Roberta Paixão. Tragédia anunciada Veja. Visitado em 12/12/2011.
  31. IGTurismo (24/08/2009). Gastronomia e vida noturna em Teresópolis. Visitado em 12/12/2011.
  32. Portal Terê (8/10/2008). Festival Gastronômico em Teresópolis. Visitado em 12/12/2011.
  33. Rodrigo Vianna (14 de janeiro de 2011). Tragédia na Região Serrana do RJ já deixa mais de 500 mortos (em português) g1.com.br. Visitado em 11 de novembro de 2011.
  34. G1 (13 de janeiro de 2011). Chuva na Região Serrana é maior tragédia climática da história do país (em português) g1.com.br. Visitado em 11 de novembro de 2011.
  35. Nathália Duarte e Fabíola Glenia (17 de janeiro de 2011). Especialistas divergem sobre maior tragédia climática da história do país (em português) g1.com.br. Visitado em 11 de novembro de 2011.
  36. Sidney Rezende (14 de janeiro de 2011). Maior tragédia climática do Brasil deixa mais de 500 mortos SRZD. Visitado em 11 de novembro de 2011.
  37. Rafael Lemos (12 de janeiro de 2012). Aniversário da tragédia na Serra terá bolo de lama veja.com. Visitado em 30 de janeiro de 2012.
  38. Total de mortos na região serrana já chega a 820.
  39. Daniel Milazzo (12/01/2011). "O bairro acabou", diz vítima de tragédia em Teresópolis (RJ) (em português) UOL Notícias. Visitado em 1/12/2011.
  40. Bairros destruídos pela chuva cresceram sobre riachos (em português) veja.com.
  41. Teresópolis ganha sistema de alerta contra enchentes (em português) terra.com.br (15/12/11). Visitado em 19 de dezembro de 2011.
  42. noticias.terra.com.br (26 de janeiro de 2012). MP ajuiza ações para Teresópolis retirar moradores de áreas de risco (em português) terra.com.br. Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  43. A Redação (25 de janeiro de 2012). MPRJ requer à Justiça desocupação de áreas de risco e obras em Teresópolis (em português) oreporter.com. Visitado em 30 de janeiro de 2012.
  44. Redação Bem Paraná com Estadão (25 de janeiro de 2012). MP pede desocupação de áreas de risco no Rio (em português) bempara.com.br. Visitado em 30 de janeiro de 2012.
  45. Prefeito de Teresópolis é afastado por 90 dias (em português) veja.com. Visitado em 7/11/2011.
  46. Rafael Lemos (2/11/2011). Sem prefeito e sem dinheiro, Teresópolis vai enfrentar temporais ainda em reconstrução (em português) veja.com. Visitado em 7/11/2011.
  47. In360 RJ (6/12/2011). TRE-RJ marca eleição suplementar em Teresópolis para fevereiro de 2012 (em português). Visitado em 10/12/2011.
  48. Tribunal Superior Eleitoral (7 de dezembro de 2011). Teresópolis-RJ terá eleição suplementar em fevereiro de 2012 (em português). Visitado em 10 de dezembro de 2011.
  49. Ministro do TSE suspende eleição suplementar em Teresópolis

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Teresópolis
Portal A Wikipédia possui o
Portal de Teresópolis.
Mapas