Jaboatão dos Guararapes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Jaboatão dos Guararapes
"Jaboatão"
"Berço da Pátria"
Praia de Piedade

Praia de Piedade
Bandeira de Jaboatão dos Guararapes
Brasão de Jaboatão dos Guararapes
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 4 de maio
Fundação 1873
Gentílico jaboatonense
Lema Pela Integridade da Pátria
Prefeito(a) Elias Gomes (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Jaboatão dos Guararapes
Localização de Jaboatão dos Guararapes em Pernambuco
Jaboatão dos Guararapes está localizado em: Brasil
Jaboatão dos Guararapes
Localização de Jaboatão dos Guararapes no Brasil
08° 06' 46" S 35° 00' 54" O08° 06' 46" S 35° 00' 54" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Metropolitana do Recife IBGE/2008 [1]
Microrregião Recife IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Recife
Municípios limítrofes Recife, Cabo de Santo Agostinho, Moreno e São Lourenço da Mata
Distância até a capital 18 km
Características geográficas
Área 256,073 km² [2]
População 680 943 hab. (PE: 2°) –  estatísticas IBGE/2014[3]
Densidade 2 659,18 hab./km²
Altitude 76 m
Clima Tropical As'
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,717 (PE: 5°) – alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 9 480 125 mil (PE: 3°) – IBGE/2012[5]
PIB per capita R$ 14 478 20 IBGE/2012[5]
Página oficial
Prefeitura www.jaboatao.pe.gov.br

Jaboatão dos Guararapes é um município brasileiro do estado de Pernambuco, situado no nordeste do país. Pertence à Mesorregião Metropolitana do Recife, à Microrregião de Recife e à Região Metropolitana do Recife; localizando-se a sul da capital do estado, distando desta cerca de 18 km.[6] Ocupa uma área de 257,3 km², estando 23,6 km² formando o perímetro urbano e os 233,7 km² restantes formando a zona rural do município.[7] Segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2014 sua população era de cerca de 680 943 habitantes,[3] sendo, desta forma, o segundo município mais populoso do estado.[8]

A sede municipal tem uma temperatura média anual de 24,4 °C,[9] tendo a Mata Atlântica como vegetação nativa e predominante, tendo também alguns trechos de restinga e manguezal.[10] Aproximadamente 97,82 % da população vive na zona urbana municipal,[11] dispondo de 114 estabelecimentos de saúde, segundo dados de 2009.[12] O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) é de 0,717, sendo considerado médio e acima da média estadual, ocupando o quinto lugar no ranking estadual.[13]

As terras que formam o atual território municipal foram concedidas por Duarte Coelho, em 1566, a Gaspar Alves Purga e Dona Isabel Ferreira, com o objetivo de desenvolver a produtividade das terras. Numa extensão de uma légua, foi instalado o engenho São João Batista, o qual foi vendido em 1573 a Fernão Soares, cuja herdeira, Maria Feijó, foi casada com o português Antônio Bulhões, havendo a mudança do nome do engenho para Bulhões. O município foi fundado sob o nome de Jaboatão em 4 de maio de 1593 por Bento Luiz Figueira, o terceiro proprietário do antigo Engenho São João Batista. A cidade é conhecida como "Berço da Pátria", por ter sido palco das batalhas em 1648 e 1649, na qual os pernambucanos expulsaram os holandeses do seu território. Em 1989, o município passou a chamar-se "Jaboatão dos Guararapes", como uma homenagem ao Monte dos Guararapes — local onde ocorreu alguns conflitos da Insurreição Pernambucana.[14]

Jaboatão dos Guararapes se destaca por sua indústria, possuindo o terceiro maior PIB industrial de Pernambuco[15] e estando situado numa região estratégica de desenvolvimento econômico de Pernambuco, se localizando no caminho entre Recife e o Porto de Suape, que é o principal pólo de investimentos do estado.[16] É cortado pelas principais rodovias do estado, a BR-101 (de norte a sul), a BR-232 (de leste a oeste) e o futuro Arco Metropolitano, que tem em seu projeto um traçado no sul do município.[17] Juntamente com outros municípios da sua região, Jaboatão faz parte do Território Estratégico de Suape, criado pela Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (CONDEPE/FIDEM) para delimitar a área de influência do Complexo Industrial e Portuário de Suape.[18]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Jaboatão tem origem indígena. Para alguns autores, é derivado do vocábulo "jabotiatão" — Jaboti (uma espécie de cágado) e atam ou atã (andar) — dando a entender “andar devagar, andar como cágado”. Segundo o lexicógrafo Antenor Nascentes, o topônimo tem origem de “uma planta não identificada, que dá mastros para embarcação”. A denominação dessa espécie árvore, segundo o também lexicógrafo Teodoro Sampaio, vem do tupi yapoa’tã, significando “o indivíduo linheiro, o tronco reto”. De acordo com o lexicógrafo Rodolfo Garcia, ya (o que tem), po ou bo (fibra) e an’tã (dura), significando “arbusto de fibra dura”. Enquanto a "Guararapes", também originada da língua tupi, significa "som, estrondo ou estrépito" provocado por queda ou pancada, tendo a intenção de exprimir o rumor que fazem as águas caindo nas concavidades e cavernas daqueles montes. [19]

História[editar | editar código-fonte]

Pintura representando a Batalha dos Guararapes

Na época das capitanias hereditárias os donatários concediam lotes, em regime de sesmarias , para desenvolver a produtividade das terras. Em 1566 , por uma carta de sesmaria lavrada na vila de Olinda, Duarte de Albuquerque Coelho (segundo donatário de Pernambuco) concedeu a Gaspar Alves de Pugas uma légua de terras situadas nas margens do rio Jaboatão, judicialmente demarcadas em 1575. Grande parte dessa sesmaria foi vendida, em 15 de setembro de 1573, a Fernão Soares, que, juntamente com seu irmão, Diogo Soares, construiu o Engenho Nossa Senhora da Assunção (posteriormente Suassuna), o qual começou a moer em 1587. Gaspar Alves de Pugas ainda ficou com uma grande parte da sesmaria, na qual construiu o Engenho São João Batista (atual Usina Bulhões), que já estava em atividade em 1575. Em 1584 esse engenho foi comprado por Pedro Dias da Fonseca, que nove anos depois o revendeu aos portugueses Bento Luiz de Figueiroa e sua mulher, D. Maria Feijó de Figueiroa, ambos naturais da cidade do Porto. A escritura pública foi lavrada na vila de Olinda, no dia 04 de maio de 1593, considerada a data simbólica da fundação de Jaboatão. Eles se estabeleceram como terceiros proprietários do engenho, nas terras onde hoje se localiza o município de Jaboatão dos Guararapes.[20]

Às famílias que para ali afluíram, oriundas principalmente de Olinda e do Recife, Bento de Figueiroa doou terras para a construção de casas, na parte situada entre os rios Jaboatão e Duas Unas e na confluência dos mesmos, a título de aforamento perpétuo; a partir de então teve início o primeiro núcleo de população. Com o tempo, já desenvolvida a povoação, Bento de Figueiroa doou um terreno para erigir uma igreja, além de contribuir com donativos para a construção da mesma e terras para a constituição do seu patrimônio canônico. A igreja foi erguida sob a invocação de Santo Amaro e, em 1598, recebeu foros de paróquia. No mesmo ano foi criado um curato, por D. Antônio Barreiros, terceiro bispo do Brasil, anteriormente prior da Ordem de S. Bento de Avis; o curato foi provido em 1609. D. Maria Feijó de Figueiroa faleceu no dia 12 de novembro desse mesmo ano e foi sepultada na capela-mor da igreja matriz, atendendo ao pedido que constava em seu testamento.[21]

No dia 21 de outubro de 1633 a povoado foi invadida e saqueada por 700 neerlandeses, os quais foram rechaçados pelas tropas comandadas pelo major Pedro Correia da Gama e pelo capitão Luiz Barbalho Bezerra. No município ocorreram dois fatos importantes da história pernambucana: as lutas contra o invasor holandês, travadas nos Montes Guararapes, nos dias 19 de abril de 1648 e 19 de fevereiro de 1649. No segundo desses combates saiu ferido Henrique Dias, que veio a falecer anos depois, em consequência dos golpes recebidos.[22]

Pela Lei Estadual nº 4, de 05 de maio de 1989, o município passou a denominar-se Jaboatão dos Guararapes, em homenagem ao local das batalhas históricas, os Montes Guararapes. A mesma lei criou o distrito de Jaboatão, integrado ao município de Jaboatão dos Guararapes, e extinguiu o distrito de Muribeca dos Guararapes, cujo território passou a pertencer ao distrito sede. Em divisão territorial datada de 1º de junho de 1995, o município é constituído de três distritos: Jaboatão dos Guararapes (sede), Cavaleiro e Jaboatão, assim mantendo em divisão datada de 2005. No dia 11 de janeiro de 2008 a Lei Complementar nº 2 criou mais dois distritos: Curado e Jardim Jordão.[23]

A importância dos Montes Guararapes no contexto nacional é reconhecida desde o seu tombamento, em 1961. Ratificando o valor histórico do sítio onde foram travadas as duas batalhas (1648 e 1649), foi criado o Parque Histórico Nacional dos Guararapes (PHNG), homologado através do Decreto nº 68.527, de 19 de abril de 1971. O parque ocupa uma área de 224, 40 ha, desapropriada pela União desde 1965.[24]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o território município é de cerca de 257,3 km², sendo 23,6 km² compondo a zona urbana e os 233,7 km² restantes formando a zona rural.[7] Situa-se a 08º 06' 46" de latitude sul e 35º 00' 53" de longitude oeste, estando a 18 km a sul de Recife.[25] Os municípios limítrofes são: Recife e São Lourenço da Mata, a norte; Cabo de Santo Agostinho, ao sul; Moreno e São Lourenço da Mata, a oeste; e o Oceano Atlântico, a leste.[10]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Jaboatão dos Guararapes está incluído nos domínios dos Grupos de Bacias Hidrográficas de Pequenos Rios Litorâneos. Seus principais rios são os rios: rio Jaboatão e rio Tejipió. Os principais afluentes do rio Jaboatão são os rios Duas Dunas, Zumbi, Palmeiras e Muribequinha. Seus principais açudes são: Palmeira, Mossaiba, Jangadinha, além da Barragem de Duas Dunas.[26]

Clima[editar | editar código-fonte]

O município tem o clima tropical, do tipo As´. Os verões são quentes e secos. Os invernos são amenos e úmidos, com o aumento de chuvas; as mínimas podem chegar a 15°C. As primaveras são muito quentes e secas, com temperaturas que algumas ocasiões podem chegar aos 35°C. [27]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Jaboatão dos Guararapes Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 29,8 29,7 29,5 28,9 28,2 27,2 26,7 27 27,8 28,8 29,4 29,2 28,5
Temperatura média (°C) 26,5 26,5 26,2 25,6 25 24,2 23,6 23,7 24,5 25,4 26 26 25,3
Temperatura mínima média (°C) 23,2 23,3 23 22,4 21,9 21,3 20,6 20,5 21,3 22,1 22,6 22,9 22,1
Precipitação (mm) 72 90 179 212 239 259 262 146 79 42 33 47 1 660
Fonte: Climate Data.[28]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Distritos[editar | editar código-fonte]

  • Jaboatão Velho
  • Cavaleiro
  • Muribeca dos Guararapes (sede)

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Jaboatão Centro
Manassu
Socorro
Vargem Fria
Bulhões
Santo Aleixo
Vila Rica
Floriano
Centro
Vista Alegre
Santana
Engenho Velho
Muribequinha
  • Cavaleiro
Cavaleiro
Dois Carneiros
Sucupira
Zumbi do Pacheco
  • Curado
Curado I
Curado II
Curado III
Curado IV
  • Muribeca
Marcos Freire
Muribeca
  • Prazeres
Jardim Jordão
Guararapes
Comportas
Prazeres
Cajueiro Seco
  • Praias
Piedade
Candeias
Barra de Jangada
  • Guararapes II
Guararapes
Jardim Jordão
Prazeres [29]

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município possui três tipos de relevo em seu território: as Planícies Costeiras, com trechos periódicos ou permanentemente inundados, com terraços marinhos com altitudes variando entre um e oito metros. Há, também, áreas com altitudes elevadas, podendo atingir mais de 100 metros na zona leste do município. [30]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A cobertura vegetal nativa do município é a mata atlântica, composta por floresta perenefólia, floresta caducifólia e manguezal. Hoje resta menos de 3% da cobertura original. A atividade econômica relacionada à cana-de-açúcar foi o principal responsável pelo desmatamento. [31]

Reserva florestal de Manassu[editar | editar código-fonte]

A reserva está localizada no Engenho Manassu e é uma das cinco áreas de reserva ecológica de município. A reserva constitui uma área de proteção integral, de acordo com o que diz um decreto estadual de 1987, que deveria estar sob a responsabilidade e proteção da Companhia Pernambucana de Recursos Hídricos (CPRH). Devido ao impasse fundiária entre a Companhia Pernambucana de Recursos Hídricos e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, o decreto ainda não foi validado. A reserva possui 264,24 hectares e é bastante rica em fauna e flora. A região da reserva é cortada pelos rios Manassu e Mussaíba, que nascem no município de São Lourenço da Mata e que são afluentes do rio Jaboatão. Eles encontram-se relativamente bem preservados.

Os impasses entre os dois órgãos citados atrapalham a fiscalização desse refúgio, que está, pouco a pouco, sendo destruído pela extração de madeira na época de festejos juninos. As principais espécies encontradas são: visgueiros, sucupiras, imbiribas, pau-ferro, urucuba, munguba, entre outras.

Solo[editar | editar código-fonte]

Os principais tipos de solos encontrados no município são: latossolo vermelho amarelo distrófico, podzólico vermelho amarelo, podzol hidromórfico, solos aluviais, areias quartzosas marinhas e solos indiscriminados de mangues.[32]

Geologia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído, geologicamente, na Província da Borborema, sendo constituído por complexo gnáissico-migmatítico, rochas plutônicas, grupo pernambuco (formação cabo), formação barreiras e depósitos quatemários.[33]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Jaboatão dos Guararapes é o segundo maior município de Pernambuco em população. Segundo o censo 2013 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, possui uma população de 675 599 habitantes, distribuídos numa área de 258,694 quilômetros quadrados, tendo, assim, uma densidade demográfica de 2 491,82 habitantes por quilômetro quadrado. [34]

População dos bairros[editar | editar código-fonte]

Posição Bairro População
1 Candeias 64 587
2 Piedade 64 503
3 Cajueiro Seco 52 535
4 Curado 46 449
5 Guararapes 38 985
6 Cavaleiro 38 677
7 Barra de Jangada 36 214
8 Prazeres 35 594
9 Vila Rica 29 722
10 Zumbi do Pacheco 28 125
11 Jardim Jordão 27 010
12 Muribeca 26 147
13 Sucupira 25 975
14 Santo Aleixo 22 019
15 Marcos Freire 20 744
16 Dois Carneiros 19 647
17 Centro 12 518
18 Vista Alegre 10 894
19 Floriano 10 724
20 Áreas rurais 7 218
21 Engenho Velho 7 177
22 Santana 5 937
23 Socorro 5 753
24 Comportas 2 869
25 Muribequinha 1 953
26 Manassu 1 689
27 Vargem Fria 799
28 Bulhões 156

[35]

Política[editar | editar código-fonte]

O poder executivo do município é exercido por Elias Gomes, do PSDB. [36]

Economia[editar | editar código-fonte]

Segundo dados sobre o produto interno bruto dos municípios, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística referente ao ano de 2011, a soma das riquezas produzidos no município é de R$ 8 474 65,00 reais (o 3° maior do estado). Sendo o setor de serviços o mais representativo na economia jaboatanense, somando R$ 4 906 229,00 reais. Já os setores industrial e da agricultura representam R$ 2 197 656,00 reais e R$ 15 629 000,00 reais, respectivamente. O produto interno bruto per capita do município é de R$ 13 042,18 reais (o 8° maior do estado). [37]

Serviços[editar | editar código-fonte]

Com um diversificado setor comercial que representa mais de 50% do produto interno bruto do município, a cidade apresenta grandes bairros comerciais como Cavaleiro, Jaboatão Centro, e Prazeres.[38] No bairro de Piedade, encontra-se um dos maiores e mais movimentados shoppings de Pernambuco, o Shopping Guararapes.

Indústria[editar | editar código-fonte]

Jaboatão localiza-se entre o Recife e o Porto de Suape: por isso, possui um importante distrito industrial. Estão instaladas, no município, fábricas como a da Coca-Cola, da Unilever, da Basf e da Vitarella.Jaboatão também é um importante centro logístico, destacando-se o Centro de Distribuição da Rede Wal-Mart e a Nestlé[39] , possui várias transportadoras entre elas a Rapidão Cometa. Jaboatão receberá a fábrica de Novartis, a empresa suíça que seria instalada no Polo Famacoquímico e de Biotecnologia em Goiana (PE), vai ser instalada em Jaboatão dos Guararapes. A construção da fábrica de vacinas terá um investimento de 300 milhões de dólares estadunidenses (480 milhões de reais) e vai gerar cerca de 120 postos de trabalho. [40]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Jaboatão não conta com nenhuma instituição de ensino superior pública, mas, por sua proximidade com Recife, boa parte de seus estudantes estudam no Recife. Em Jaboatão, ainda existem quatro faculdades privadas e uma escola técnica estadual (ETE).[41]

Existem 87 223 alunos matriculados no ensino fundamental em Jaboatão, sendo 35 599 na rede municipal, 27 041 na rede estadual e 24 583 na rede privada, e também 25 055 no ensino médio, sendo 19 844 na rede estadual, 1 720 na rede municipal e 3 491 na rede privada.[42]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em Jaboatão, existem 2 hospitais públicos: um no bairro de Prazeres e outro em Jaboatão. O município conta com mais 3 unidades de pronto atendimento nos bairros de Engenho Velho, Curado e em Barra de Jangada. O bairro de Prazeres ainda conta com uma policlínica que possui várias especialidades médicas.[43]

Alguns bairros do município ficam próximos a hospitais de outras cidades, como é o caso de Sotave, que fica perto do Hospital Dom Helder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, e Cavaleiro, que fica próximo ao Hospital Otávio de Freitas, no Recife. No bairro de Piedade, encontra-se o Hospital da Aeronáutica. [44]

Transportes[editar | editar código-fonte]

O município é muito bem servido pelas linhas de ônibus e metrô urbano. Conta com quatro linhas de metrô, sendo a Linha Centro ligando a região central de Recife à região central de Jaboatão. A linha sul liga a região central de Recife ao bairro de Cajueiro Seco, que a partir desta estação, há uma linha de veículo leve sobre trilhos que liga a população ao centro do município de Cabo de Santo Agostinho. Além da linha que liga a estação de Cajueiro Seco à do Curado, zona oeste do Recife. [45] [46] [47] O município é cortado pelas rodovias BR-101, BR-232, BR-408, PE-017, PE-007, PE-025, PE-008, PE-009.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Igreja Nossa Senhora de Lourdes, no bairro de Muribequinha.
Igreja Nossa Senhora dos Prazeres.

Praias[editar | editar código-fonte]

Praia de Piedade.

Jaboatão tem três praias, sendo elas:

  • Barra de Jangada: sua extensão é de aproximadamente 400m em praia quebrada, é considerada regular para banho. Localizada entre a Praia de Candeias ao norte e a Praia do Paiva no Cabo de Santo Agostinho ao sul, suas águas são pouco profundas com média intensidade de ondas. Ainda em Barra de Jangada existe a Ilha do Amor, uma praia de vegetação intocada que fica próxima à costa ligada a Praia do Paiva por um istimo de terra. .[48]
  • Candeias: sua extensão é de aproximadamente 3 quilômetros em praia de trechos quebrados e trechos ondulados. Localizada entre a Praia de Piedade ao norte e a Praia de Barra de Jangada ao sul, Candeias é uma das praias mais bonitas da cidade seu calçadão é bem localizado com áreas de esporte e lazer, a conta com vários restaurantes em seu entorno.[49]
  • Piedade: sua extensão é de aproximadamente 4,5 quilômetros de praia quebrada. Localizada entre a Praia de Boa Viagem, ao norte, e a Praia de Candeias, ao sul, com ondas de média densidade ocorrendo erosão em alguns trechos, é a praia mais procurada da cidade nos fins de semana. Em sua orla, encontram-se os melhores hotéis da cidade, além de boates, bares e restaurantes. Foi divulgado recentemente que sua orla passaria por grandes reformas.[50]

Igreja de Nossa Senhora do Loreto[editar | editar código-fonte]

Foi construída em 1660, possivelmente edificada como pagamento de promessa após a invasão holandesa. É uma capela maneirista que passou para a propriedade da Ordem dos Beneditinos, depois de sofrer reformas. Chama atenção o belo jardim que a circunda. [51]

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário[editar | editar código-fonte]

Fica no povoado de Muribeca. Erguida no século XVII, durante a invasão holandesa, foi depredada e transformada em fortaleza. Em 1781, foi reconstruída pelo proprietário do Engenho Santo André, Felipe Campelo. A igreja destaca-se do conjunto por sua proporção e imponência. [52]

Santuário Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora / Gruta de Nossa Senhora de Lourdes[editar | editar código-fonte]

O santuário foi construído em 1915, pelo padre italiano Antônio Villar, a pedido de Dom Bosco. Foi erguido sobre um monólito, no Antigo Engenho Suassuna. É de estilo romântico com forma externa bizantina e lá se encontra a imagem de Nossa Senhora Auxiliadora, com 4m de altura. O santuário está vinculado à Basílica de São Pedro, no Vaticano, e concede às pessoas que o visitam as mesmas indulgências da Basílica. Em 1918, deu-se a inauguração da escadaria de 52 degraus que leva à Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, sobre a qual foi erguida a Igreja. [53]

Igreja de Nossa Senhora do Rosário[editar | editar código-fonte]

No local mais antigo da cidade, há, hoje, uma praça. E é lá que foi erguida, no século XVII, a Igreja votiva à Nossa Senhora do Rosário, que possui lindos vitrais. [54]

Igreja de Santo Amaro[editar | editar código-fonte]

Foi erguida em 1598, quando os proprietários do Engenho São João Batista doaram o terreno para sua construção. Em 1691, a igreja, já bastante avariada e distante do povoamento, foi transferida para o local atual. É uma das áreas mais elevadas da cidade, o que lhe confere posição de destaque. [55]

Igreja de Nossa Senhora do Livramento[editar | editar código-fonte]

Construída no fim do século XVIII, tem o interior adornado por falsas janelas. Como a maioria das igrejas do município, é um atrativo urbano. [56]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. a b Estimativa Populacional 2014 Censo Populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (agosto de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 04 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2014.
  6. Distância Cidades. Distância entre Recife e Jaboatão dos Guararapes. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  7. a b CNPM. Urbanização. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  8. IBGE. População estimada » Comparação entre os municípios: Pernambuco. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  9. Somar Meteorologia. Climatologia para Jaboatão dos Guararapes. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  10. a b CPRM. Jaboatão dos Guararapes - Mapa de Indicadores Geotécnicos. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  11. PNUD. Perfil do Município de Jaboatão dos Guararapes, PE. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  12. PNUD. serviços de saúde - 2009. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  13. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). Ranking IDH-M Municípios 2010 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  14. IBGE. Histórico. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  15. IBGE. Valor Adicionado Bruto da indústria a preços correntes » Comparação entre os municípios: Pernambuco. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  16. Prefeitura Municipal de Jaboatão dos Guararapes. Um breve histórico do município de "Yapoatan". Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  17. Olho de Tudo. Dnit vê preço excessivo no Arco. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  18. Agência CONDEPE/FIDEM. Caracterização do Território. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  19. FONSECA, Homero. Pernambucânia: o que há nos nomes das nossas cidades. Recife: CEPE, 2009.
  20. Agência CONDEPE/FIDEM, Calendário Oficial de Datas Históricas dos Municípios de Pernambuco. 2006. v.3
  21. BRASIL. Ministério da Cultura; JABOATÃO DOS GUARARAPES. Prefeitura – Fundação Yapoatan. Jaboatão: histórias, memórias e imagens. Recife: CEPE, 1996. v.1
  22. VELOSO, Van-Hoeven Ferreira. Jaboatão dos meus avós. 2ª ed. Recife: Centro de Estudos de História Municipal - CEHM, 1982. Biblioteca Pernambucana de História Municipal, 3.
  23. PERNAMBUCO. Tribunal de Justiça. História das Comarcas Pernambucanas. 2ª ed. Recife, 2010.
  24. SERPE. Jaboatão – Pernambuco: aqui se aprendeu a liberdade. Recife, 1974.
  25. Geógrafos. Coordenadas Geográficas de Jaboatão dos Guararapes. Visitado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014.
  26. http://www.cprm.gov.br/recife/rel09.pdf
  27. http://www.cprm.gov.br/recife/rel09.pdf
  28. Clima: Jaboatão dos Guararapes Climate Data. Visitado em 17 de outubro de 2014.
  29. http://www.jaboatao.pe.gov.br/jaboatao/regionais.aspx
  30. http://www.cprm.gov.br/recife/rel09.pdf
  31. http://www.cprm.gov.br/recife/rel09.pdf
  32. http://www.cprm.gov.br/recife/rel09.pdf
  33. http://www.cprm.gov.br/recife/rel09.pdf
  34. http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=260790&search=pernambuco%7Cjaboatao-dos-guararapes
  35. http://populacao.net.br/os-maiores-bairros-jaboatao-dos-guararapes_pe.html
  36. http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=260790&search=pernambuco%7Cjaboatao-dos-guararapes
  37. http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=260790&idtema=125&search=pernambuco%7Cjaboatao-dos-guararapes%7Cproduto-interno-bruto-dos-municipios-2011
  38. IBGE@cidades.
  39. Cond Logistico.
  40. Fábrica da Novartis agora será em Jaboatão.
  41. Estado inaugura Escola Técnica em Jaboatão dos Guararapes.
  42. Matriculas 2009 Jaboatão dos Guararapes.
  43. Hospital e Policlínica Jaboatão Prazeres.
  44. Hospital da Força Aérea.
  45. http://www.cbtu.gov.br/operadoras/sites/menuprincrec.htm
  46. http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2013/03/em-pe-vlts-do-cabo-comecam-operar-e-beneficiam-35-mil-pessoas.html
  47. http://www.granderecife.pe.gov.br/transporte_terminais.asp
  48. Praia de Barra de Jangada.
  49. Praia de Candeias.
  50. Praia de Piedade.
  51. http://www.ferias.tur.br/informacoes/5302/jaboatao-dos-guararapes-pe.html
  52. http://www.ferias.tur.br/informacoes/5302/jaboatao-dos-guararapes-pe.html
  53. http://www.ferias.tur.br/informacoes/5302/jaboatao-dos-guararapes-pe.html
  54. http://www.ferias.tur.br/informacoes/5302/jaboatao-dos-guararapes-pe.html
  55. http://www.ferias.tur.br/informacoes/5302/jaboatao-dos-guararapes-pe.html
  56. http://www.ferias.tur.br/informacoes/5302/jaboatao-dos-guararapes-pe.html

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CORRÊA, Alexandre Fernandes. Festim Barroco. Ensaio de Culturanálise da Festa de Nossa Senhora dos Prazeres dos Montes Guararapes/PE. São Luis/MA: EDUFMA, 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]