Bonito (Pernambuco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Bonito
"Terra das àguas"
Vista parcial

Vista parcial
Bandeira de Bonito
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Fundação 15 de abril de 1839
Gentílico bonitense
Prefeito(a) Ruy Barbosa (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Bonito
Localização de Bonito em Pernambuco
Bonito está localizado em: Brasil
Bonito
Localização de Bonito no Brasil
08° 28' 12" S 35° 43' 44" O08° 28' 12" S 35° 43' 44" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Agreste Pernambucano IBGE/2008[1]
Microrregião Brejo Pernambucano IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Camocim de São Félix, Sairé e Barra de Guabiraba (Norte); Palmares e Catende (Sul); Cortês e Joaquim Nabuco (Pernambuco) (Leste); São Joaquim do Monte e Belém de Maria (Oeste).
Distância até a capital 104 km
Características geográficas
Área 399,503 km² [2]
População 38 122 hab. estatísticas IBGE/2014[3]
Densidade 95,42 hab./km²
Altitude 443 m
Clima Tropical As'
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,591 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 223 560 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 5 953 35 IBGE/2011[5]
Página oficial

Bonito é um município brasileiro do estado de Pernambuco. O município é constituído de 3 distritos: Estreito do Norte, Alto Bonito e Bem-te-vi.

História[editar | editar código-fonte]

O território do município de Bonito era, até o final do século XVIII, totalmente coberto de imensas florestas e situava-se na área abrangida pelo célebre Quilombo dos Palmares.

A beleza do local deu à cidade o nome de Bonito. O município foi batizado por caçadores, vindos do povoado de São José dos Bezerros, que percorriam as florestas e deparavam-se com belos riachos de águas límpidas.

Em 1812 foi edificada a Matriz de Nossa Senhora da Conceição - padroeira da cidade - tendo contribuído para a povoação local.

Bonito foi palco de diversas revoltas que terminaram na morte de muitos habitantes do município. Em 19 de dezembro de 1874, ocorreu a invasão denominada Revolta do Quebra-Quilos. A revolta deu-se devido à alteração do antigo sistema de pesos e medidas para as unidades de metro, centímetro e quilo, de acordo com a Lei Imperial nº1157, de 1862.

O mesmo local, nos fins de 1819, no governo Luiz do Rego, foi palco da grande matança dos habitantes da Serra do Rodeador (comunidade pertencente, hoje, ao município), a qual D. Pedro I, em seu manifesto aos brasileiros, assim se exprimiu: "Pernambucanos, lembrai-vos das fogueiras do Bonito".

O caso messiânico do Rodeador, liderado pelo ex-soldado do 12º Batalhão de Milícias de Alagoas, Silvestre José dos Santos, assim como outros movimentos que unem interesses religiosos à esperança da saída da miséria, foi abafado com sangue. Silvestre pregava o Sebastianismo - uma forma de messianismo em Portugal. Os seguidores acreditavam na volta de D. Sebastião, que não teria morrido na África, na batalha de Alcácer-Quibir.

A cidade foi emancipada pelo Dr. Lucas Elias Arcelino Santos e o Dr. Rafael de Albuquerque Chagas em 3 de julho de 1895.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com o Censo 2009, o município possui uma população de aproximadamente 40.832 habitantes. Sua área territorial é de 400 km².

Bonito localiza-se na unidade geoambiental das Superfícies Retrabalhadas que compõem o mar de morros que antecede o Planalto da Borborema. A vegetação predominante é a Floresta subperenifólia, com partes de Floresta hipoxerófila.

O município de Bonito está nos domínios das Bacias Hidrográficas dos Rios Una e Sirinhaém. Tem como principais tributários o Rio da Prata e o Riacho Mulambo, além do açude da Prata, com capacidade de acumulação de 40.000.000 m³.

Turismo[editar | editar código-fonte]

É bastante conhecido como destino turístico, por apresentar cachoeiras de tamanhos e intensidades variadas. Estas, eleitas recentemente, uma das 7 maravilhas de Pernambuco.

Encontra-se próximo às suas cachoeiras diversas pousadas e hotéis-fazenda, assim como áreas de camping, recebendo turistas de todo o país. Ainda existe a associação de guias da cidade, responsáveis pela orientação sobre trilhas por toda a região, seja para trekking, rapel ou outros esportes.

Muitos grupos de ciclismo do estado também realizam trilhas regulares por entre suas cachoeiras, como Venture Bikers [1], grupo voltado para o esporte não-competitivo.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Estimativa Populacional 2014 Estimativa Populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (agosto de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 01 de outubro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2011 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 17 dez. 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Pernambuco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.