Surubim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Surubim
"A capital da vaquejada"
Bandeira de Surubim
Brasão de Surubim
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 11 de setembro
Fundação 27 de abril de 1893 (121 anos)
Gentílico surubinense
Prefeito(a) Túlio Vieira (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Surubim
Localização de Surubim em Pernambuco
Surubim está localizado em: Brasil
Surubim
Localização de Surubim no Brasil
07° 49' 55" S 35° 45' 21" O07° 49' 55" S 35° 45' 21" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Agreste Pernambucano IBGE/2008[1]
Microrregião Alto Capibaribe IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Limita-se a norte com os municípios de Vertente do Lério e Casinhas, a sul com Riacho das Almas e Cumaru (Pernambuco), a leste com Salgadinho (Pernambuco), João Alfredo e Bom Jardim (Pernambuco) e a oeste com Santa Maria do Cambucá e Frei Miguelinho
Distância até a capital 120 km
Características geográficas
Área 252,845 km² [2]
População 61 875 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 244,72 hab./km²
Altitude 394 m
Clima Semiárido Bsh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,635 (PE: 31º) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 394 745 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 6 674 30 IBGE/2011[5]
Página oficial
Prefeitura www.surubim.pe.gov.br

Surubim é um município brasileiro do estado de Pernambuco, conhecido como a Capital da Vaquejada. Administrativamente, o município é formado pelos distritos sede e Chéus.

História[editar | editar código-fonte]

O município originou-se de uma fazenda de gado, pertencente a Lourenço Ramos da Costa. Em 1864, ele construiu um oratório dedicado a São José, onde o padre português Antônio Alves da Silva celebrava as missas dominicais. No entorno do oratório surgiram as primeiras casas. Em 1870, o oratório foi substituído por uma capela. Em 6 de junho de 1881, a lei provincial nº 1565 criou a freguesia de São José de Surubim, instalada em 1885 e regida canonicamente pelo padre José Francisco Borges.

A cidade tem este nome em homenagem ao boi Surubim que foi atacado e devorado por uma onça nas terras do fazendeiro Lourenço Ramos onde hoje se encontra o atual município.

Foi emancipado, através da lei estadual nº 1.931, de 11 de setembro de 1928; se desmembrando do Município de Bom Jardim (Pernambuco) .

Surubim também é conhecido pelos seus ilustres filhos: Abelardo Barbosa (Chacrinha, o velho guerreiro)um grande comunicador de rádio e o maior nome da televisão brasileira, e Lourenço da Fonseca Barbosa (Capiba),um dos maiores compositores de frevo de Pernambuco.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 07º49'59" sul e a uma longitude 35º45'17" oeste, estando a uma altitude de 394 metros acima do nível do mar. Sua população estimada em 2013 é 61.700 habitantes. Possui uma área de 254,94 km².

Limites[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Surubim está inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Capibaribe e tem como principais tributários os rios Capibaribe e Caiai, além dos riachos do Brás, Maracajá, Pocoró, do Tanque Doce, Taepe e do Manso, todos de regime intermitente. O principal corpo de acumulação é a Represa de Jucazinho (327.035.818 m³).

Divisão distrital e povoados[editar | editar código-fonte]

  • Distrito sede
  • Alegre
  • Capim
  • Casés
  • Chã do Couve
  • Chéus
  • Desterro
  • Diogo
  • Furnas
  • Gameleira
  • Gancho de Galo
  • Gangungo
  • Jucá Ferrado
  • Lagoa da Vaca
  • Lagoa do Choro
  • Lagoa Queimada
  • Mimoso
  • Mocotó
  • Taperinha
  • Tamanduá de Cima e de Baixo
  • Taperinha
  • Tatus
  • Cachoeira do Taépe
  • Taépe
  • Imbé de Cima e de Baixo
  • Duas Estradas
  • Pilões
  • Pinhões
  • Capoeira do Milho
  • Baracho

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Alto Amizade
  • Alto São Sebastião
  • Bela Vista (Salgado)
  • Cabaceira
  • Centro
  • Chã do Marinheiro
  • Cohab 1
  • Cohab 2
  • Coqueiro
  • IPSEP
  • Nova Esperança
  • Planalto
  • Santo Antonio
  • São José
  • São Sebastião
  • Vila Social
  • Diogo

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo de Surubim está inserido nas Áreas Desgastadas da Província Borborema, unidade formada por maciços altos e outeiros, com altitudes variando de 650 a 1.000 m, ou seja, superfícies onduladas com relevos residuais altos. O relevo é geralmente movimentado, com vales profundos e estreitos. A altitude média de Surubim é de 394m.

Vegetação e solo[editar | editar código-fonte]

O município, assim como a maior parte da região no seu entorno, apresenta vegetação de caatinga hiper-xerófila. Nas cristas residuais altas predominam os solos litólicos, nos topos e vertentes das ondulações, os solos brunos não cálcicos e nas baixas vertentes das ondulações os planossolos Os solos são pouco profundos e de fertilidade variando entre média e alta.

Clima[editar | editar código-fonte]

  • Tipo de clima: Semiárido.
  • Precipitação pluviométrica: 726 mm.
  • Temperatura média anual: 23,6°C.
  • Meses chuvosos: março a julho.

O clima do município é o tropical, do tipo As'. Porém, pode apresentar características do semiárido, por estar situado na transição entre os dois biomas. O verão de Surubim é quente e seco, com máximas podendo alcançar os 35°C, com mínimas entre 18°C e 22°C. O inverno é chuvoso, com mínimas entre 15°C e 19°C, e máximas entre 23°C e 28°C.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 1985 e a partir de 1993, a menor temperatura registrada em Surubim foi de 10,2 ºC em 4 de setembro de 1966,[6] e a maior atingiu 37,4 ºC em 3 de março de 1995.[7] O maior acumulado de chuva em 24 horas foi de 146,6 mm em 14 de junho de 1966. Outros grandes acumulados foram 135,2 mm em 18 de abril de 1974, 128,8 mm em 18 de junho de 2010, 111,8 mm em 14 de abril de 1973, 106,8 mm em 1º de maio de 1978 e 103 mm em 30 de abril de 1977.[8] Em junho de 1966 foi observado o maior volume de chuva em um mês, de 278,6 mm.[9]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Surubim Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 36,5 36,5 37,4 36,4 33,7 33,4 31,5 31,8 32,7 34,8 36 35,6 37,4
Temperatura máxima média (°C) 31,4 31,3 30,6 29,8 28,6 26,8 26,1 27 27,9 30 31 31,2 29,3
Temperatura média (°C) 24,8 24,9 24,6 24,3 23,3 22,3 21,6 21,9 22,7 23,8 24,4 24,7 23,6
Temperatura mínima média (°C) 20,6 20,7 20,7 20,6 19,9 19 18,3 18,2 18,8 19,6 20,1 20,4 19,7
Temperatura mínima registrada (°C) 16 16 17,6 16 16,7 15,4 12,6 12,4 10,2 15,8 16,1 16,8 10,2
Chuva (mm) 27,9 43,6 94,9 109 96,4 111,3 118,6 46,2 30,2 18,7 6,3 23 726,2
Dias com chuva (≥ 1 mm) 3 5 8 9 10 12 12 8 5 3 2 3 80
Umidade relativa (%) 71 71 74 77 80 85 82 77,7 73 73 70 71 75,4
Horas de sol 249,6 214,7 198,9 188,6 192,4 172,7 143,6 193,4 218,4 257,2 254,7 252,1 2 536,3
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (médias climatológicas de 1961 a 1990;[10] [11] [12] [13] [14] [15] [16] recordes de temperatura de 01/03/1961 a 31/12/2013).[17] [18]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Conhecida como a Capital da Vaquejada por ter a mais antiga e tradicional festa de vaquejada do mundo, o município realiza na terceira semana do mês de setembro, a Festa do Gado, que chega a atrair cerca de 100.000 visitantes. A cidade também ficou imortalizada nos versos da música do Quinteto Violado e da dupla de forró Sirano e Sirino. Hoje Surubim também conta com um tradicional carnaval, que acontece após a quarta-feira de cinzas e estende-se até o domingo pós-carnavalesco, quando a cidade recebe mais de 100.000 visitantes.Tem como filhos ilustres Capiba e Chacrinha.

Economia[editar | editar código-fonte]

De acordo com dados do IPEA do ano de 1996, o PIB era estimado em R$ 53,58 milhões, sendo que 12,9% correspondia às atividades baseadas na agricultura e na pecuária, 7,0% à indústria e 80,0% ao setor de serviços. O PIB per capita era de R$ 907,86.

Em 2002, conforme estimativas do IBGE, o PIB havia evoluído para R$ 105,703 milhões e o PIB per capita para R$ 1.999,00.

Produção agrícola[editar | editar código-fonte]

IBGE (2002)
Lavoura Quantidade produzida (ton.) Valor da produção (R$ mil) Área plantada (ha.) Área colhida (ha.) Rendimento médio (kg/ha.)
Algodão herbáceo (em caroço) 15 13 10 10 1.500
Batata-doce 48 19 6 6 8.000
Coco-da-baía 710 (mil frutos) 201 39 39 18.205 (frutos/ha.)
Fava 30 66 100 100 300
Feijão (em grão) 336 299 1.120 1.120 300
Goiaba 8 3 2 2 4.000
Mandioca 80 8 16 10 8.000
Milho (em grão) 180 39 1.500 1.500 120

Pecuária[editar | editar código-fonte]

IBGE (2002)
Rebanho Efetivo (cabeças)
Bovino 8.900
Suíno 4.859
Eqüinos 80
Asininos (jumentos) 190
Muares (mulas) 120
Ovinos 2.200
Galinhas 2.300
Galos, frangas, frangos e pintos 35.000
Caprinos 2.000
Vacas ordenhadas 800
IBGE (2002)
Gênero Produção
Leite de vaca 1.176 (mil litros)
Ovos de galinha 18 (mil dúzias)

Dados estatísticos[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

IBGE (2003)
Ensino Alunos matriculados Professores
Fundamental 10.764 442
Médio 3.116 202
  • Analfabetos com mais de quinze anos: 32,51% (IBGE, Censo 2000).

Índice de Desenvolvimento Humano[editar | editar código-fonte]

PNUD (2000)
IDH 1991 2000
Renda 0,533 0,587
Longevidade 0,552 0,643
Educação 0,582 0,693
Total 0,555 0,641[1]

Saneamento urbano[editar | editar código-fonte]

IBGE (2000)
Serviço Domicílios (%)
Água 86,3%
Esgoto sanitário 73,0%
Coleta de lixo 81,7%

Saúde[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. IDH de nível médio, comparável ao do Gabão (123º do mundo): List of countries by Human Development Index
  2. Mortalidade infantil comparável ao do Azerbaijão (29ª mais elevada): Lista de países por índice de mortalidade infantil

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Estimativa Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (julho de 2013). Página visitada em 29 de agosto de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 3 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2011. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 17 dez. 2013.
  6. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas TempM.C3.ADnINMET_SurubimPE
  7. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas TempM.C3.A1xINMET_SurubimPE
  8. Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Surubim. Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 31 de julho de 2014.
  9. Série Histórica - Dados Mensais - Precipitação Total (mm) - Surubim. Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 31 de julho de 2014.
  10. Temperatura Média Compensada (°C). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 31 de julho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  11. Temperatura Máxima (°C). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 31 de julho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  12. Temperatura Mínima (°C). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 31 de julho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  13. Precipitação Acumulada Mensal e Anual (mm). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 31 de julho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  14. Número de Dias com Precipitação Maior ou Igual a 1 mm (dias). Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 31 de julho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  15. Insolação Total (horas). Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 31 de julho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  16. Umidade Relativa do Ar Média Compensada (%). Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 31 de julho de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  17. Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (ºC) - Surubim. Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 31 de julho de 2014.
  18. Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (ºC) - Surubim. Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 31 de julho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Pernambuco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.