Arcoverde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município Arcoverde
"Portal do Sertão"
Município de Arcoverde.jpg

Bandeira  Arcoverde
Brasão  Arcoverde
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 11 de setembro
Fundação 11 de setembro de 1928 (86 anos)
Gentílico arcoverdense
Prefeito(a) Madalena Britto (PTB)
(2013–2016)
Localização
Localização  Arcoverde
Localização Arcoverde em Pernambuco
Arcoverde está localizado em: Brasil
Arcoverde
Localização Arcoverde no Brasil
08° 25' 15" S 37° 03' 41" O08° 25' 15" S 37° 03' 41" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Sertão Pernambucano IBGE/2008 [1]
Microrregião Sertão do Moxotó IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Paraíba (N), Buíque e Pedra (S), Pesqueira (L) e Sertânia (O)
Distância até a capital 256 km[2]
Características geográficas
Área 353,383 km² [3]
População 72 672 hab. IBGE/2014[4]
Densidade 205,65 hab./km²
Altitude 663 m
Clima Semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,667 médio PNUD/2010 [5]
PIB R$ 580 253 mil IBGE/2012[6]
PIB per capita R$ 8 303 56 IBGE/2012[6]
Página oficial
Prefeitura Prefeitura de Arcoverde

Arcoverde é um município brasileiro do estado de Pernambuco, Região Nordeste do país. É integrante da Mesorregião do Sertão Pernambucano e pertence à Microrregião do Sertão do Moxotó. Situa-se a oeste de Recife, capital estadual, distando desta 256 km.[2] Ocupa uma área de 350,899 km²,[7] sendo 61,2 km² de área urbanizada.[8] Em 2014, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística estimou a população em 72 672 habitantes, ocupando a 22ª colocação no ranking dos mais populosos de Pernambuco.[4] A cidade possui características urbanas consistentes, reflexo de sua taxa de 90% de urbanização, tendo a maior população urbana e residindo no distrito sede da Mesorregião do Sertão Pernambucano. Arcoverde é um importante centro comercial , de serviços e de entidades governamentais do interior do estado, de acordo com o IBGE, na hierarquia urbana brasileira, a cidade é a quinta mais importante do interior pernambucano, atrás apenas de Caruaru, Petrolina, Garanhuns e Serra Talhada.

A sede municipal tem uma temperatura média de 23,7 °C[9] e sua vegetação nativa e predominante é a caatinga.[10] Com cerca de 90% da sua população vivendo no perímetro urbano, a cidade dispunha, em 2009, 69 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) em 2010 foi calculado em 0,667, considerado médio, o quinto maior do interior do estado.[11]

A ocupação das terras que compõe o município passaram a ser ocupadas com o estabelecimento das fazendas Bredos e Olho d'Água, que se localizavam próximo à serra da Aldeia Velha, sendo pertencentes a João Nepomuceno de Siqueira Melo e Manoel Pacheco do Couto, respectivamente. Em 1865, Leonardo Couto, descendente de Manuel Pacheco Couto criou o povoado de Olho d'Água dos Bredos ao mesmo tempo em que doou as terras e construiu a capela dedicada à Nossa Senhora do Livramento.[12] Em 1909, o povoado foi renomeado, passando a chamar-se Barão de Rio Branco, chamando-se popularmente apenas de "Rio Branco". Após a criação da agência postal e da linha férrea ligando à cidade do Recife, o comércio foi se intensificando na região. Graças ao crescimento ocasionado pelo comércio, o povoado foi elevado à condição de município. Em 1943, seu nome foi alterado, passando a homenagear D. Joaquim de Albuquerque Cavalcanti Arcoverde, natural da cidade e sendo o primeiro Cardeal da América Latina.[13]

A cidade se destaca, culturalmente, pela produção de bordados e renascença, sendo principal pólo comercial e de serviços do sertão do Moxotó.[14] Possui também um importante pólo médico do interior do estado, formado por hospitais e clínicas públicas e privadas.[15] Ao longo do ano o município tem a agenda cultural movimentada, com uma grande programação de eventos e shows artísticos, destacando o São João, a Fenospe, a Exposição de Animais e a Festa do Comércio. Ainda conta com o cinema mais antigo da América Latina, o cine Rio Branco.[15] [14]

História[editar | editar código-fonte]

A primeira menção oficial ao povoado Olho d’Água nos livros de atas das sessões da Câmara de Cimbres (atual Pesqueira) data de 1812, fazendo referência à nomeação de José dos Reis Lima para servir no cargo de juiz do Limite desse povoado e de seus subúrbios. Há uma hipótese de que foi também nesse ano (ou dois ou três anos depois) que o capitão Leonardo Pacheco Couto chegou à Fazenda Santa Rita, em Olho d’Água, onde já havia uma povoação com cerca de meia dúzia de casas, em uma das margens do Riacho do Mel. Ele mandou construir em terras de sua fazenda, perto da povoação e a cerca de sete quilômetros da casa da propriedade, a igrejinha de Nossa Senhora do Livramento de Olho d’Água, da freguesia de Cimbres, doando como patrimônio um terreno de 100 braças de frente por uma légua de fundo. A construção da igreja deu outra vida ao povoado de Olho d’Água, do qual se originou Arcoverde.[16]

O português Leonardo Pacheco Couto nasceu em 1779 (ou 1780) na ilha de São Miguel (arquipélago dos Açores), filho de Duarte Pereira e Francisca da Piedade, e faleceu no dia 02 de julho de 1870, na Fazenda Santa Rita. Ele tinha propriedades nessa ilha, das quais continuou a receber rendimentos depois que veio para o Brasil e se instalou em sua fazenda, em Olho d’Água. No dia 24 de novembro de 1818 Leonardo Pacheco Couto casou-se com Ana Antônia Cordeiro do Rego, então residente na serra das Varas. Em 1819 nasceu o primeiro dos 11 filhos do casal, Veríssimo José do Couto.[17]

Em 1841 a Câmara de Cimbres, sob a presidência de Isidoro Camelo Pessoa de Siqueira Cavalcanti, enviou ao governo da Província, para apresentação à Assembleia Legislativa, uma representação dos habitantes de Olho d’Água, pedindo a nomeação de um juiz de Paz, em vista de já possuírem uma capela curada desde o dia 28 de fevereiro desse mesmo ano. Além disso , pediam também a criação de uma cadeira de primeiras letras (ata da sessão extraordinária de 28 de dezembro de 1841). Em 02 de maio de 1844 o povoado de Olho d’Água tornou-se 2º distrito do município e freguesia de Cimbres, em decorrência da Lei Provincial nº 142. Em 09 de setembro do mesmo ano, em sessão extraordinária da Câmara de Cimbres, foram nomeados juízes de Paz do distrito de Olho d’Água os senhores Joaquim Severiano de Albuquerque, Joaquim Rodrigues de Araújo, João Cordeiro do Rego e Leonardo Pacheco Couto (tratando-se este de Leonardo Pacheco Couto Filho, ou Leonardo “Duque”, sexto filho do casal Leonardo Pacheco Couto e Ana Antônia Cordeiro do Rego).[18]

Em 1848 o capitão Antônio Francisco de Albuquerque Cavalcanti (que ficou conhecido por capitão Budá) casou-se com Marcolina Dorothéia Pacheco do Couto, sétima dos 11 filhos de Leonardo Pacheco Couto e Ana Antônia Cordeiro do Rego. O primeiro filho do casal (nascido no dia 17/01/1850) foi D. Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti, o primeiro cardeal do Brasil e da América Latina, conhecido por Cardeal Arcoverde. Ele nasceu na Fazenda Fundão, em Olho d’Água, que era vizinha à Fazenda Santa Rita, do seu avô materno, Leonardo Pacheco Couto.[19]

Em 1865, no vale formado pelos serrotes do Retiro e do Cruzeiro, e da serra da Aldeia Velha, o aglomerado de casas que se havia formado já apresentava aspecto de um povoado. Nesse ano, foi reconstruída a igreja de Nossa Senhora do Livramento, mandada erigir por Leonardo Pacheco do Couto. Nessa época começaram a surgir as primeiras casas de comércio e, em 1891, o desenvolvimento do povoado era tamanho que o então município de Cimbres elevou-o à categoria de distrito, anexando-o ao seu território. Pouco tempo depois, no entanto, voltou a ser simples povoado, situação que permaneceu por quase 20 anos. O topônimo foi mudado para Olho d’Água dos Bredos e a primeira menção a essa nova denominação aparece em 1890, na ata de uma das sessões do Conselho da Intendência do Município de Cimbres.[20]

Em 1º de julho de 1909 a Lei Estadual nº 991 elevou o povoado de Olho d’Água dos Bredos à categoria de vila. Uma Resolução do Conselho Municipal de Cimbres, comunicada ao governador em ofício de 19 de março de 1912, mudou a denominação de Olho d’Água dos Bredos para Rio Branco, em homenagem ao Dr. José Maria da Silva Paranhos Jr., o barão do Rio Branco, histórico chefe da diplomacia brasileira, falecido no dia 10 de fevereiro desse mesmo ano. O distrito foi criado em 12 de novembro de 1912, pela Lei Municipal nº 18, como 7º distrito do município de Cimbres. Nessa época já possuía uma agência postal, criada em 1910, e já era ligado à capital do estado pela via férrea que fora inaugurada em 13 de maio de 1912 pelo então governador, general Emídio Dantas Barreto. No frontão de cada lado da pequenina estação a Great Western mandou inscrever a denominação “Barão do Rio Branco”.[21]

Depois da inauguração da ferrovia, outro fator que muito contribuiu para a consolidação econômica do local foi a criação da feira de gado, em 1916. Em 1917 foi inaugurada a iluminação elétrica pública e particular, fato que se deve à iniciativa do Sr. Augusto Cavalcanti que, pouco tempo depois, foi responsável também pela inauguração do primeiro cinema do distrito, o Cine Rio Branco. A freguesia foi criada no dia 31 de agosto de 1919, desmembrada da freguesia de Pesqueira (ex-Cimbres). Por provisão de D. José Antônio de Oliveira Lopes, bispo de Pesqueira, o primeiro vigário foi o padre José Kherle, nascido em Reinstten (Wuttemberg, Alemanha). Nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1º de setembro de 1920 o distrito de Rio Branco aparece no município de Pesqueira (ex-Cimbres), com essa denominação desde 1913.[12]

A Lei Estadual nº 1.931, de 11 de setembro de 1928, criou o município de Rio Branco formado pelo território do distrito de mesmo nome, desmembrado de Pesqueira, acrescido de parte da Fazenda Tatu, desmembrada de Buíque. Essa mesma lei concedeu ao distrito de Rio Branco foros de cidade e sede do município. Foi instalado em 1º de janeiro de 1929 e o seu primeiro prefeito, eleito no dia 30 de setembro de 1928, foi o Cel. Antônio Japyassu. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933 o município é constituído apenas do distrito sede. A comarca de Rio Branco foi criada em 13 de junho de 1934 através do Decreto nº 305, sendo instalada no dia 18 do mesmo mês, pelo juiz Agrício da Silva Brasil; é classificada como comarca de 2ª entrância. Pelo Decreto-lei Estadual nº 952, de 31 de dezembro de 1943, o município, termo e comarca de Rio Branco tiveram o topônimo alterado para Arcoverde, em homenagem ao Cardeal Arcoverde, natural do município, falecido no Rio de Janeiro, no dia 18 de abril de 1930. Em divisão territorial datada de 1º de julho de 1960 o município é constituído apenas do distrito-sede, assim permanecendo em divisão territorial de 2005.[22]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o município possui uma área territorial de 350 899 km²,[7] , tendo 61 200 km² de perímetro urbano.[8] e os 289 699 km² restantes, de zona rural. Localiza-se a uma latitude 08º25'08" sul e a uma longitude 37º03'14" oeste, estando a uma distância de 256 km da capital pernambucana.[23] [2] Tem como municípios limítrofes: Sertânia, a oeste; Buíque e Pedra a sul; Pesqueira a leste; faz divisa ao norte com o estado da Paraíba.[24]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Arcoverde está inserido nos domínios das Bacias Hidrográficas dos Rios Ipanema e Moxotó. Tem como principais tributários o Rio Ipojuca e os riachos do Ipojuca, Beija-Mão, Salgado, Jucurutu, do Zumbi, da Atravessada, Mororó, do Cafundó e Lagoa Seca, todos de regime intermitente. Conta ainda com os açudes Municipal e do Zumbi. A área da unidade é recortada por rios perenes, porém de pequena vazão e o potencial de água subterrânea é baixo.

Clima[editar | editar código-fonte]

Gráfico climático para Arcoverde
J F M A M J J A S O N D
 
 
41
 
31
19
 
 
70
 
30
19
 
 
121
 
30
19
 
 
115
 
28
19
 
 
74
 
27
18
 
 
74
 
26
17
 
 
75
 
25
16
 
 
37
 
27
16
 
 
20
 
29
16
 
 
14
 
31
18
 
 
26
 
31
18
 
 
21
 
31
19
Temperaturas em °CPrecipitações em mm
Fonte: LAMEPE (Temp. Máxima) LAMEPE (Temp. Mínima)

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[25] . Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

  • Tipo de clima: Semiárido
  • Precipitação pluviométrica: 694,2mm
  • Temperatura média anual: 23,75°C
  • Meses chuvosos: fevereiro a julho

O verão da cidade é bastante quente, com máximas entre 31/35°C, com mínimas entre 17/20°C. No inverno é ameno, com máximas entre 19/26°C, e com mínimas entre 13/16°C.

Segundo o INMET, a menor temperatura já registrada na cidade foi de 11,4°C, no dia 24 de agosto de 2006, enquanto que, a maior foi no dia 11 de março de 2013, com 36.6°C, registrados tanto pela estação automática, quanto pela convencional. O maior acumulado de precipitação em 24 h foi de 112 mm no dia 27 de março de 2005. [26]

Distritos e povoados[editar | editar código-fonte]

  • Distrito sede
  • Povoados: Caraíbas, serra das varas, Ipojuca e Malhada, Riacho do Mel.

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Alto do Cardeal
  • Alto do Cardeal (serra)
  • Batalha
  • Boa Esperança
  • Boa Vista
  • Centro
  • Cidade Jardim
  • Cohab I
  • Cohab II
  • Coronel Siqueira Campos
  • JK
  • Jardim da Serra
  • Loteamento Arco-Iris
  • Loteamento Petrópolis
  • Loteamento Veraneio
  • Melancia
  • Novo Arcoverde
  • Pôr do Sol
  • Santa Luzia
  • Santos Dumont
  • São Cristóvão
  • São Geraldo
  • São Miguel
  • Sucupira
  • Tamboril
  • Vila São Francisco
  • Vila da Rodoviária
  • Vila São José

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município de Arcoverde, está inserido na unidade geoambiental do Planalto da Borborema, formada por maciços e outeiros altos, com altitude variando entre 650 a 1.000 metros. Ocupa uma área de arco que se estende do sul de Alagoas até o Rio Grande do Norte. O relevo é geralmente movimentado, com vales profundos e estreitos dissecados. Com respeito à fertilidade dos solos é bastante variada, com certa predominância de média para alta. Nas superfícies suave onduladas a onduladas, ocorrem os Planossolos, medianamente profundos, fortemente drenados, ácidos a moderadamente ácidos e fertilidade natural média e ainda os Podzólicos, que s ão profundos, textura argilosa, e fertilidade natural média a alta. Nas elevações ocorrem os solos litólicos, rasos, textura argilosa e fertilidade natural média. Nos vales dos rios e riachos, ocorrem os planossolos, medianamente profundos, imperfeitamente drenados, textura média/argilosa, moderadamente ácidos, fertilidade natural alta e problemas de sais. Ocorrem ainda afloramentos de rochas.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação desta unidade é formada por Florestas Subcaducifólica e Caducifólica, próprias das áreas agreste.

Vegetação de Arcoverde.

Economia[editar | editar código-fonte]

A infraestrutura urbana de Arcoverde o coloca numa posição privilegiada, sendo um centro irradiador do comércio, do lazer, cultura e dos serviços nesta microrregião. A sede de Arcoverde é considerada um polo comercial e de serviços, tendo suas portas abertas através do terminal rodoviário e da BR-232, garantindo ao município a marca de mais importante centro expedidor e distribuidor de mercadorias para o sertão pernambucano, como também supridor de produtos básicos que são demandados por cerca de 26 municípios próximos.[carece de fontes?]

A área comercial de Arcoverde tem hoje grande variedade de produtos, tanto nos setores de vestuário, móveis, eletroeletrônicos e construção, como nos setores de serviços, com clínicas médicas, escritórios de advocacias, oficinas, entre outras especialidades. A cidade é também um importante polo médico do interior do Estado, com hospitais públicos e privados, clínicas particulares e dezenas de consultórios médicos em todas as especialidades. Esta área médica e de serviços é hoje uma das principais atividades econômicas de Arcoverde. A cidade recebe diariamente cerca de 4,5 mil pessoas, vindas em 350 vans de passageiros, de várias cidades da região, em busca de tratamento médico, compras no movimentado comércio local e estudos ,desde o nível infantil ao superior de ensino.

Na área de lazer, Arcoverde oferece durante todo o ano uma vasta programação de eventos e shows artísticos, destacando o São João, a Fenospe, a Exposição de Animais e a Festa do Comércio. Arcoverde ainda conta com o cinema mais antigo em funcionamento da América Latina, o Cinema Rio Branco. Tem uma grande casa de espetáculos, o Coliseu, além de teatros, bares, danceterias e restaurantes que fazem das noites arcoverdeneses uma das mais movimentadas do interior do Estado. Para receber os turistas, que sempre vêm em busca de lazer ou para participar de encontros e congressos, Arcoverde oferece uma diversificada rede hoteleira.

Outro atrativo de Arcoverde é a sua produção cultural e artística. Terra do samba de coco, que tem nos grupos Irmãs Lopes e Raízes de Arcoverde seus maiores expoentes, a Capital do Sertão, também deu origem ao grupo Cordel do Fogo Encantado e à Orquestra Super Oara. Junto a tudo isso, a cidade tem uma vasta gama de artesãos, artistas plásticos e dançarinos que ainda buscam uma melhor estrutura para apresentar seu trabalho. Recentemente foi aberta a Casa do Artesão, onde os artistas plásticos de Arcoverde expõem e vendem as suas obras.[carece de fontes?]

Arcoverde está incluída na Região de Desenvolvimento do Moxotó, cuja economia é baseada na agropecuária. Nas atividades pastoris, a bovinocultura e a caprinocultura recebem destaque. A área rural apresenta uma atividade agrícola mais diversificada onde, além da cana-de-açúcar, predomina a produção de frutas. As lavouras de subsistência e do algodão também têm grande importância na economia da região.[carece de fontes?] O rio Pajeú e rio Moxotó formam as bacias hidrográficas da região.

Pontos de comércio intenso[editar | editar código-fonte]

1º Centro Comercial[editar | editar código-fonte]
Avenida Cel. Antônio Japiassú.

Localizado no centro da cidade com entidades federais e estaduais(Ministério Público, subseccional da OAB, PROCON, Receita Federal, Tribunal de Justiça de Pernambuco, Tribunal Regional Eleitoral, INSS, SESC etc), várias redes nacionais e regionais de lojas de eletro, móveis, vestuário, sapatos, farmácias e clínicas, como por exemplo Lojas Americanas,Ótica Diniz,Esposende Calçados, Eletro Shopping, Finger, Farmácias Pague Menos, Bonanza (supermercados), Cacau Show, UNIMED,Hering Store, Rabelo, Ortobom.

Principais avenidas: Cel. Antônio Japiassu, José Magalhães de França, Severiano José Freire, Pinto de Campos, Dom Pedro Segundo.

Principais ruas: Alcides Cursino, Beco do Buíque, Germano Magalhães, Cap. Arlindo Pacheco de Albuquerque, Neto Cavalcante, Rua da Bandeira.

2º Centro Comercial[editar | editar código-fonte]

Localizado no Bairro do São Cristóvão com inúmeras empresas de serviços e venda de produtos automotivos, concessionárias, lojas, farmácias, supermercados, distribuidoras, etc

Localizam-se na Avenida José Bonifácio, São Cristóvão.

Bancos[editar | editar código-fonte]

3 Casas Lotéricas : Avenida Cel Antonio Japiassú e Praça do São Cristóvão

Polo médico[editar | editar código-fonte]

Um dos pontos fortes é sem dúvida a saúde, o município possui a marca de "alto desenvolvimento" segundo o Índice Firjan para o ano de 2011 e um IDHm-Longevidade de 0,799(2010) considerado alto e próximo de "muito alto" (0,800).Arcoverde faz parte dos 13% dos municípios brasileiros considerados de alto desenvolvimento, ocupando o 5º lugar em Pernambuco. O polo médico arcoverdense conta com dois hospitais de alta complexidade ,duas policlínicas, uma cooperativa médica, clinicas, consultórios médicos, postos de saúde nos bairros.

  • Hospital Regional Ruy de Barros Correia
  • Hospital Memorial Arcoverde (serviços de oncologia e hemodiálise pelo SUS)
  • UPAE
  • Centro de Reabilitação Mens Sana (O mais equipado do estado, atende pelo SUS)
  • Policlínica Dr. Paulo Rabello
  • Centro de especialidades Médicas Santa Ramos
  • Unimed Pernambuco Central
  • 19 PSF's

Educação[editar | editar código-fonte]

Centro administrativo da AESA - CESA - ESSA.

Arcoverde é um grande polo educacional em sua região, possuindo dezenas de escolas públicas e particulares. Em nível superior, a cidade conta com um Campus da Universidade de Pernambuco - UPE, e com a Autarquia de Ensino Superior de Arcoverde - AESA, que engloba o Centro de Ensino Superior de Arcoverde - CESA e a Escola Superior de Saúde de Arcoverde - ESSA (antiga FENFA).


A AESA atrai estudantes de dezenas de municípios e de outros estados, com cursos de Matemática, Geografia, História, Letras, Pedagogia, Biologia, Educação Física e Enfermagem. Em 2011, a UPE abriu suas portas em Arcoverde com os cursos de Direito (1º da faculdade) e de Odontologia.

Nas modalidades EAD e semi-presenciais a cidade conta com as Universidade Norte do Paraná(UNOPAR),Universidade Paulista(UNIP) e FAEL.

No ensino técnico o município conta com várias instituições privadas e está em fase de acabamento a Escola Técnica Estadual (ETE).

Turismo[editar | editar código-fonte]

Cinema Rio Branco, fundado em 1917.

O município de Arcoverde é considerado a porta de entrada do Sertão Pernambucano.[carece de fontes?] Com localização estratégica e clima ameno, a cidade é conhecida por ser o berço de alguns dos mais tradicionais grupos de coco de roda do Estado.

Os principais pontos turísticos de Arcoverde são: O Cinema Rio Branco (o mais antigo em funcionamento da América Latina) ; Morro da Santa Cruz - oferece uma das mais belas vistas panorâmicas da cidade; Fazenda Araras - guarda pinturas rupestres indígenas em pedras; Casa do Cardeal Arcoverde - localizada no Sítio Fundão, guarda a memória do primeiro Cardeal da América Latina; Alto do Cruzeiro - polo de concentração cultural do grupo de Samba de Coco Raízes de Arcoverde e vista panorâmica da cidade.

Arcoverde é berço de artistas, como Mazinho de Arcoverde, Preto, Paulinho Leite, Gildo Moreno, Junior Saigon, João Silva, Pablo Patriota, Nenem, Maestro Josias Lima, Zezinho da Sanfona, entre outros. Em Arcoverde, bandas famosas se formaram, como Cordel do Fogo Encantado, Noda de Caju, Super Oara, Lábios de Mel, Adrenalina, Samba de Coco Raízes de Arcoverde, Urucungo, Samba de Coco Irmãs Lopes, Banda Caras & Bocas, O Cafofo, Troupernas de Pau e Teatro, entre outros grupos de sucesso. Esta riqueza e diversidade artística tornam o município rico em manifestações populares de dança, teatro e música.

João Silva, maior parceiro de Luiz Gonzaga "o rei do baião", em número de composições.

Durante todo o ano, Arcoverde oferece uma programação para todos os gostos. Os festejos começam em janeiro, quando acontece o Reveillon Popular (shows com trios elétricos e blocos pelas principais ruas da cidade). Em fevereiro e março há o Carnaval dos Bois (desfile de blocos, troças, na Praça da Bandeira, folia nos bairros e o Baile Municipal), a Festa de São José (manifestações religiosas e shows na comunidade rural de Pedra Vermelha) e a Arcofest (campanha de liquidação do comércio local, com feirão de automóveis e shows na Praça Winston Siqueira). Durante a Semana Santa, no mês de abril, são realizados shows religiosos, missas, procissões no Alto do Cruzeiro e no Morro da Santa Cruz.

Em maio, três grandes festas enriquecem o calendário da cidade. São realizados shows artísticos e programação cultural na praça da Bandeira e Praça Winston Siqueira em comemoração ao dia do Trabalhador, a Fenospe (feira de negócios, shows artísticos e exposição no Estádio Municipal Áureo Bradley) e o Festival do Calangotango (shows artísticos, artesanato, arte e cultura popular na Praça Winston Siqueira). Em junho, é hora dos festejos juninos com o Arraial Popular, Quadrilhas de Pernas de Pau, manifestações religiosas, atrações nacionais e regionais e o maior São João do sertão de Pernambuco na Praça da Bandeira.

Passado o São João, é realizada, em julho, a Festa do Agricultor com manifestações religiosas e culturais na comunidade rural de Caraíbas. Em agosto, celebra-se o Samba de Coco com shows de grupos culturais de Arcoverde no Alto do Cruzeiro. Setembro é outro mês cheio de atrações. A primeira festa é a de emancipação do município (festa cívica, cultural e religiosa, shows, missa e desfile cívicos pela Av. Antonio Japiassú e Praça da Bandeira). Tem, também, a Festa da Padroeira, onde acontecem manifestações religiosas, missas, procissões e encontros na Praça do Livramento e a Exposição de Animais (Expoarc), onde são realizados shows artísticos com atrações regionais e nacionais, exposição de animais, leilão, concurso leiteiro e negócios.

Outubro é o mês do Salão da Beleza, Moda e Cultura, com exposição de confecções, perfumarias e produtos de beleza. Em novembro é a vez da Semana de Artes Cênicas (espetáculos, oficinas e shows artísticos) e da Festa de São Cristóvão (quermesse, procissão e shows populares). Em dezembro acontece a Festa do Comércio, o sorteio de prêmios - Arcoverde dá Sorte (organizado pela associação comercial da cidade) e o carnaval fora de época - Réveillon Fest, com atrações regionais e nacionais (organizado pela iniciativa privada).

A radiofonia em Arcoverde também é destaque na região. A cidade dispõe de quatro emissoras de rádio FM e uma AM (3 comerciais, 1 educativa e 1 comunitária). A primeira rádio instalada no município no dia 11 de setembro de 1964, que na época denominava-se Rádio Bandeirante 1490 KHz, foi à Rádio Difusora Cardeal Arcoverde AM 600 KHz, que tem esse nome em homenagem ao filho da chamada "Terra do Cardeal", por ter nascido em território arcoverdense o primeiro cardeal da América Latina. Em 2014 a Rádio Cardeal Arcoverde AM completa 50 anos de Historia no rádio arcoverdense, e foi a primeira a emissora no estado de Pernambuco a assinar a migração da sua frequência de AM para FM, a frequência da Rádio Cardeal será 89.1 FM, em breve.

A primeira rádio FM foi inaugurada em 1982 (Rádio Independente). Na época sua frequência era 93,9 (atualmente - 93,7). Era dirigida pelo publicitário João Ferreira Correia, que em 1988 implantou sua própria rádio, que na época se chamava Rádio JF Educativa FM 95,5, depois mudou para 106,7 e atualmente é a Rádio Itapuama FM - 99,3 MHz. Existe ainda uma retransmissora da Rede Brasil de Comunicação, que funciona em frequência 95,5 FM (emissora gospel, pertencente Igreja Assembleia de Deus) e a Rádio Comunitária Arcoverde FM 104,9 (pertencente a Associação Aliança).

Hotéis[editar | editar código-fonte]

Os principais hotéis de Arcoverde são:

  • Arcoverde Palace Hotel, 74 leitos
  • Bandeirante Plaza Hotel, 56 leitos
  • Cardeal Arcoverde , 60 leitos
  • Cruzeiro, 75 leitos
  • Grande Hotel Majestic , 130 leitos
  • Monumental Monteirão, 120 leitos
  • Olho d'água dos Bredos, 50 leitos
  • Serrano Imperial, 64 leitos
  • Riacho do Mel , 26 leitos
  • Verdes Arcos , 80 leitos
  • Alojamentos Santuário da Misericórdia, 55 leitos

Total : 914 leitos

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. a b c Prefeitura de Arcoverde. Dados do município Prefeitura de Arcoverde. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. a b Estimativa Populacional 2014 Estimativa Populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (agosto de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 09 de setembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2014.
  7. a b Prefeitura de Arcoverde. Área dos municípios - 2010 Prefeitura de Arcoverde. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  8. a b Embrapa. Urbanização Embrapa. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  9. Instituto Nacional de Meteorologia. Climatologia para Arcoverde - PE Jornal do Tempo. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  10. Companhia Pernambucana de Recursos Hídricos. Diagnóstico para o município de Arcoverde Companhia Pernambucana de Recursos Hídricos. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  11. PNUD. Ranking IDHM Municípios 2010 PNUD. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  12. a b IBGE. Histórico IBGE. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  13. Histórias da Região - Pedro Salviano Filho. Histórico Prefeitura de Arcoverde. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  14. a b Sertão.net. Cultura Sertão.net. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  15. a b Funpremarc. Economia Funpremarc. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  16. Agência CONDEPE/FIDEM, Calendário Oficial de Datas Históricas dos Municípios de Pernambuco. 2006. v. 3
  17. ENCICLOPÉDIA DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS. Rio de Janeiro: IBGE, 1958. v. 18
  18. FONSECA, Homero. Pernambucânia: o que há nos nomes das nossas cidades. Recife: CEPE, 2009.
  19. PERNAMBUCO. Tribunal de Justiça. História das Comarcas Pernambucanas. 2ª ed. Recife , 2010.
  20. ENCICLOPÉDIA DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS. Rio de Janeiro: IBGE, 1958. v. 18
  21. ENCICLOPÉDIA DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS. Rio de Janeiro: IBGE, 1958. v. 18
  22. PERNAMBUCO. Tribunal de Justiça. História das Comarcas Pernambucanas. 2ª ed. Recife, 2010.
  23. Geógrafos. Coordenadas geográficas de Arcoverde Geógrafos. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  24. IBGE. Limites dos Municípios Banco de Dados do Estado de Pernambuco. Visitado em 16 de março de 2014. Cópia arquivada em 16 de março de 2014.
  25. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro.
  26. INMET. BDMEP. Visitado em 14 de dezembro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arcoverde