Serra Talhada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Serra Talhada
"Capital do Xaxado"
Serra Talhada - Pernambuco - Brasil.JPG

Bandeira de Serra Talhada
Brasão de Serra Talhada
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 6 de maio
Fundação 6 de maio de 1851 (162 anos)
Gentílico serratalhadense
Prefeito(a) Luciano Duque de Godoy Sousa (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Serra Talhada
Localização de Serra Talhada em Pernambuco
Serra Talhada está localizado em: Brasil
Serra Talhada
Localização de Serra Talhada no Brasil
07° 59' 09" S 38° 17' 45" O07° 59' 09" S 38° 17' 45" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Sertão Pernambucano IBGE/2008[1]
Microrregião Pajeú IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes São José do Belmonte, Mirandiba e Carnaubeira da Penha (leste), Floresta (sul), Santa Cruz da Baixa Verde, Calumbi e Betânia (oeste) e com o Estado da Paraíba (norte).
Distância até a capital 415 km
Características geográficas
Área 2 979,974 km² [2]
População 83 051 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 27,87 hab./km²
Altitude 444 m
Clima Semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,661 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 822 200 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 10 294 10 IBGE/2011[5]
Página oficial
Prefeitura www.serratalhada.pe.gov.br

Serra Talhada é um município brasileiro do estado de Pernambuco. É conhecido como a capital do xaxado e fica a 415 km da capital pernambucana, Recife. Serra Talhada é a segunda cidade mais importante do Sertão de Pernambuco e o principal município da Mesorregião do Sertão Pernambucano. Cidade pólo em saúde, educação e comércio, possui uma população superior a 80 mil habitantes. É a terra natal do cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva (Lampião).

Serra Talhada era uma fazenda de criação pertencente ao português Agostinho Nunes de Magalhães. Recebeu este nome, Serra Talhada, devido ao fato de que perto do local há uma montanha cujo formato dá a ideia de que foi cortada a prumo.

Seu crescimento se deu em função de sua posição estratégica, no cruzamento das estradas de acesso à Paraíba, Bahia e Ceará.

A Lei Provincial 52, de 19 de abril de 1838, mandou erigir a capela de Nossa Senhora da Penha da Serra Talhada em Pajeú de Flores.

Com a Lei Provincial nº 280, de 6 de maio de 1851, agregando a seu território a então Vila Bela e a Comarca de Flores, foi elevada à categoria de município.

Administrativamente, o município é formado pela sede e pelos distritos de Bernardo Vieira, Pajeú, Tauapiranga, Caiçarinha da Penha, Logradouro, Luanda, Santa Rita e Varzinha.

Os times da cidade são o Serra Talhada Futebol Clube, Serrano Futebol Clube, Ferroviário Esporte Clube (Serra Talhada) também o extinto Comercial Esporte Clube (Serra Talhada) e o Principal, Serra Talhada Futebol Clube.

História[editar | editar código-fonte]

A cidade teve seu início em meados do século XVIII, com a chegada do capitão-mor da esquadra portuguesa, Agostinho Nunes de Magalhães, que arrendou a sesmaria à Casa da Torre, às margens do Rio Pajeú e no sopé da Serra Talhada, instalou a fazenda de criar gado que denominou Fazenda da Serra Talhada, numa alusão direta à serra que lhe emprestava o nome.

Igreja de Nossa Senhora da Penha.
Praça Barão do Pajeú.

Agostinho Nunes de Magalhães, juntamente com seus filhos Joaquim, Pedro, Damião, Manoel e Filadephia, como tantos outros portugueses, migrou para o Brasil na esperança de instalar um engenho de cana-de-açúcar, e só depois de desembarcarem é que descobriram não possuir capital suficiente para tal empreitada, assim, seguindo os passos de outros compatriotas seus, adentraram nos sertões para explorar a criação de gado. A posição privilegiada dos currais de Agostinho Nunes, nos caminhos que levavam ao Ceará, Paraíba, e Bahia, logo passaram a ser ponto de encontro de vaqueiros e peões que transportavam seu gado para estes estados, e assim, despretensiosamente começa a formar-se um ajuntamento de feirantes, negociando principalmente animais, dentre outros bens. Isto aconteceu por volta de 1789/1790, na mesma época em que era erigida uma capela para a fazenda sob bênçãos de Nossa Senhora da Penha. Nascia aí também a vocação mercantilista do município. A feira de Serra Talhada hoje tem aproximadamente 220 anos, sendo que desde a primeira vez que aconteceu (segunda-feira), continua até hoje sendo realizada neste mesmo dia da semana.

Com o comércio surgido pelo ajuntamento dos vaqueiros, peões e tropeiros, a fazenda começa a tomar ares de povoado e logo se transforma em Villa Bella, nome adotado quando de sua emancipação de Flores, até então cabeça de comarca, em 6 de Maio de 1851.[6] A partir dessa data passa a ter um intendente, o Coronel da Guarda Nacional Manoel Pereira da Silva Comendador da Ordem da Rosa e de Cristo neto do fidalgo da Casa da Torre José Carlos Rodrigues e sua esposa Ana Joana Pereira da Cunha, fundadores das históricas Fazendas Sabonete, Carnaúba, patriarcas da poderosa família Pereira que foram senhores e barões de toda ribeira do Pajeú; verdadeiros ícones do coronelismo brasileiro, segundo o qual, em pleno Século XXI, é possível achar bonito indivíduos serem donos de cidades.

Em 1893 é instalada a primeira Câmara Municipal de Serra Talhada e eleito seu primeiro prefeito, Andrelino Pereira da Silva, o Barão do Pajeú. Somente em 1939, por um decreto do então governador Agamenon Magalhães, Villa Bella recebe de volta seu nome de origem e passa a chamar-se Serra Talhada – “Terra de cabras Macho”.

Lampião - Rei do Cangaço - Filho de Serra Talhada.

A história da cidade é uma das mais ricas de todo o estado de Pernambuco. Seus fundadores participaram ativamente da história de Pernambuco e do Brasil, e seus descendentes, como Agamenon Magalhães, figuram entre as principais lideranças políticas brasileiras. A cidade é rica também pelos seus artistas e intelectuais destacando-se como referência no cenário cultural do estado. Berço de figuras polêmicas, como Virgulino Ferreira da Silva (Lampião), a cidade começa a se destacar também no cenário turístico, explorando aí, além de sua beleza plástica, a figura do Rei do Cangaço, principalmente na dança criada pelo seu bando: o xaxado.

Atualmente, com o slogan de “Capital do Xaxado”, Serra Talhada tem sido referência neste assunto para todo país, conseguindo reunir em Museu toda a história da saga “lampiônica”, transformando-se, conforme dizer de especialistas “num verdadeiro museu a céu aberto”. Para se conhecer um pouco das histórias dos bravos sertanejos que povoaram os sertões quando da colonização, nos longínquos anos do século XVIII, se fez necessário conhecer um pouco da história de Serra Talhada, rica em casos e acontecimentos.

A casa do Rei do Cangaço[editar | editar código-fonte]

Se a figura do Lampião representa a Rota do Cangaço e do Lampião, Serra Talhada não pode ficar de fora do roteiro.

Localizada a 415 km da capital, a terra de Virgulino Ferreira da Silva é cortada pela BR-232. É lá que estão guardados vários pertences do Rei do Cangaço: as armas, roupas de couro. É onde se pode assistir a uma apresentação de xaxado, cujo nome foi dado devido ao som do ruído que as sandálias dos cangaceiros faziam ao arrastarem sobre o solo durante as comemorações celebradas nos momentos de glória do grupo de "Lampião".

A imponente Serra Talhada marca a paisagem da cidade, onde está o cruzeiro da cidade, que proporciona belas vistas como a do mirante do Talhado do Urubu. O centro do município tem a Igreja de Nossa Senhora da Penha, com seus belos vitrais, e o casario do entorno.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Serra Talhada está localizada em latitude 07º59'31" Sul, longitude 38º17'54" Oeste, na Mesorregião do Sertão Pernambucano, Microregião do Pajeú, a uma altitude de 429 metros. Serra Talhada fica no sertão pernambucano, na região do Vale do Pajeú, a 415 quilômetros do Recife , no trajeto da principal rodovia ligando a capital ao interior, e é um pólo econômico da região.

Vista do bairro Nossa Senhora da Penha

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Nossa Senhora da Penha (Centro)
  • Nossa Senhora da Conceição (Alto da Conceição)
  • Ipsep
  • AABB
  • Várzea
  • São Cristóvão (Bomba)
  • Bom Jesus
  • Cagep
  • José Tomé de Souza Ramos (Mutirão)
  • José Rufino Alves (Caxixola)
  • Tancredo Neves (COHAB)
  • São Sebastião (Borborema)
  • Cachoeira
  • Loteamento Quitandinha
  • Malhada
  • Universitário
  • Vila Bela
Bairro da Aabb.

Distritos e povoados[editar | editar código-fonte]

  • Distrito-sede
  • Bernardo Vieira
  • Pajeú
  • Tauapiranga
  • Caiçarinha da Penha
  • Logradouro
  • Luanda ( Água Branca)
  • Santa Rita
  • Varzinha

Limites[editar | editar código-fonte]

  • Norte: Estado da Paraíba
  • Sul: Floresta
  • Oeste: Santa Cruz da Baixa Verde, Calumbi e Betânia
  • Leste: São José do Belmonte, Mirandiba e Carnaubeira da Penha

Rodovias[editar | editar código-fonte]

As principais rodovias que servem ao município são BR-232, PE-320, PE-365 , PE-390 e PE-418..[7]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Serra Talhada encontra-se inserido nos domínios da Bacia Hidrográfica do Rio Pajeú. Seus principais tributários são: o Rio Pajeú e os riachos: do Meio, da Raposa, Terra Nova, São Cristóvão, do Deserto, da Pitomba, Tapuio, do Chocalho, Cabeça de Boi, do Agreste, dos Morrinhos, do Bode, do Farias, São Domingos, do Remédio, São Miguel, do Afonso, do Tabuleiro, da Canoa, das Preces, da Cachoeira, do Cipó, Boqueirão, Cachoeirinha dos Arcos, do Pau Branco, da Marimba, da Ema, do Juá, do Sal, do Mirador, do leite, Poço do Negro, Boa Vista, Cgo. Luanda, Cgo.Caititu, do Saquinho, do Belém, do Bom Nome, Manoel Antonio, da Malhada da Areia, Maxixeiro, Barrozão, do Campo Queimado, Ingazeira, Jatobá, do Monteiro, do Mavarisco, do Cumbuco, da Arara, Cachoeira do Sá, da Penha, dos Caibros, do Gado, das Cabaças, do Poço, Cachoeira do Bezerro, dos Frades, Caldeirãozinho, Lagamar, da Sarna e Cacimba Salgada. Os principais corpos de acumulação são: os açudes Serrinha II (311.000.000m³), Cachoeira II (21.031.145m³), Jazigo (15.543.300m³), da Varzinha e Guarani e as Lagoas: do Pau Preto, Grande, do Cumbuco, da Lagartixa, da Águia, do Meio, Derradeira, da Caiçara, das Mutucas, dos Bois, do Marruá, do Sobrado, Vassoura, do Exu, Cabeça da Onça, do Angico, das Pedras, dos Torrões, Bom Sossego, Seca, da Caatinga, Cavada, dos Cauãs, do Barbosa, do Espinho e da Marcação. Todos os cursos d’água no município têm regime de escoamento intermitente e o padrão de drenagem é o dendrítico.

Clima[editar | editar código-fonte]

Gráfico climático para Serra Talhada
J F M A M J J A S O N D
 
 
120
 
32
20
 
 
141
 
30
20
 
 
206
 
30
20
 
 
193
 
30
20
 
 
108
 
28
19
 
 
108
 
27
18
 
 
81
 
27
17
 
 
26
 
29
17
 
 
28
 
31
18
 
 
18
 
33
20
 
 
28
 
32
20
 
 
81
 
32
21
Temperaturas em °CPrecipitações em mm
Fonte: LAMEPE (Temp. Máxima) LAMEPE (Temp. Mínima) Jornal do Tempo (Precipitações e temperatura)

O clima do município é semiárido, do tipo Bsh. Apresenta verão muito quente, com máximas entre 31°C e 37°C, com mínimas entre 18°C e 24°C, este é o período mais chuvoso. O inverno é ameno, com máximas entre 23°C e 28°C, e mínimas entre 15°C e 20°C. A primavera é a estação mais quente, com máximas que podem chegar aos 38°C.

  • Tipo de clima: Semiárido
  • Precipitação pluviométrica: 1.141,6mm
  • Temperatura média anual: 25,0°C
  • Meses chuvosos: janeiro a junho

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município de Serra Talhada, está inserido na unidade geoambiental da Depressão Sertane,ja que representa a paisagem típica do semiárido nordestino, caracterizada por uma superfície de pediplanação bastante monótona, relevo predominantemente suave-ondulado, cortada por vales estreitos, com vertentes dissecadas. Elevações residuais, cristas e/ou outeiros pontuam a linha do horizonte. Esses relevos isolados testemunham os ciclos intensos de erosão que atingiram grande parte do sertão nordestino.

Vegetação e solo[editar | editar código-fonte]

A vegetação é basicamente composta por Caatinga Hiperxerófila com trechos de Floresta Caducifólia. Com respeitos aos solos, nos Patamares Compridos e Baixas Vertentes do relevo suave ondulado ocorrem os Planossolos, mal drenados, fertilidade natural média e problemas de sais; Topos e Altas Vertentes, os solos Brunos não Cálcicos, rasos e fertilidade natural alta; Topos e Altas Vertentes do relevo ondulado ocorrem os Podzólicos, drenados e fertilidade natural média e as Elevações Residuais com os solos Litólicos, rasos, pedregosos e fertilidade natural média.

Economia[editar | editar código-fonte]

Rua comercial em Serra Talhada.
Pontos comerciais na cidade.
Hospital Regional.
Autarquia Educacional de Serra Talhada.
Prefeitura Municipal.
Fórum Eleitoral.

A cidade de Serra Talhada é a mais próspera do Sertão do Pajeú e polo econômico dessa microrregião pernambucana. A importante infraestrutura urbana de Serra Talhada a coloca numa posição privilegiada, sendo um centro em pleno desenvolvimento na área de comércio, lazer e cultura. Serra Talhada tem o segundo maior PIB do Sertão de Pernambuco, atrás apenas de Petrolina[8] . De acordo com dados do IBGE para o ano de 2011, o PIB era de 822,200 milhões de reais. O PIB per capita da cidade, ainda em 2011, era de 10.294,10 reais. Seu IDH-M é de 0,661 segundo o Atlas de Desenvolvimento Humano/PNUD (2010)

Saúde[editar | editar código-fonte]

Serra Talhada é o 4º pólo médico do estado de Pernambuco, possui vários hospitais, prontos-socorros, maternidades e clínicas particulares. Possui também um hospital regional bem modernizado, o HOSPAM (Hospital Professor Agamenon Magalhães), que conta com um heliponto.

Educação[editar | editar código-fonte]

Serra Talhada é também um pólo educacional. Além de um grande número de escolas públicas (escolas de tradição no interior pernambucano), escolas particulares, escolas de tempo integral (dois turnos diários) e escolas técnicas, a cidade possui várias instituições de nível superior.

Ensino Fundamental e Médio[editar | editar código-fonte]

  • Colégio de Aplicação(particular)
  • Escola Santa Izabel (particular)
  • Escola Nova Geração (particular)
  • Colégio da Imaculada Conceição (particular)
  • Colégio Francisco Mendes (particular)
  • Escola de Referência em Ensino Médio Professor Adauto Carvalho (pública e integral)
  • Escola de Referência em Ensino Médio Cornélio Soares (pública e semi-integral)
  • Escola Solidônio Leite (pública)
  • Escola Irnero Ignácio (pública)
  • Escola Luz do Saber (particular)
  • Escola Antônio Timóteo (pública)
  • Escola Methodio de Godoy Lima (pública)
  • Escola Técnica Clóvis Nogueira Alves (pública - oferece o Ensino Médio Integrado com o curso de Edificações e Agropecuária)
  • Escola Manoel Pereira lins (pública)
  • Escola Cônego Torres (pública e integral), entre outras mais.

Instituições de Nível Técnico[editar | editar código-fonte]

Atualmente, oferta os cursos técnicos de nível médio em:

  • Administração
  • Agroindústria
  • Comércio
  • Desenho em Construção Civil
  • Informática
  • Zootecnia
  • Escola Técnica Estadual Clóvis Nogueira Alves (Antiga Escola Fazenda)

Oferece os cursos de:

  • Agropecuária
  • Enfermagem
  • Segurança do Trabalho
  • Edificações

Instituições de Nível Superior[editar | editar código-fonte]

  • FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO - FIS

Cursos de Graduação

Possui três faculdades:
FAFOPST: Faculdade de Formação de Professores de Serra Talhada
  • Letras, Matemática, Geografia, História, Ciências Biológicas, Educação Física
FACISST: Faculdade de Ciências da Saúde de Serra Talhada
  • Psicologia
FACHUSST: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Serra Talhada
  • Serviço Social, Turismo
A Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST-UFRPE) foi instalada, em agosto de 2006, no Centro de Treinamento e Pesquisa em Pequena Irrigação (CTPPI), um dos Campus avançados da UFRPE. A nova estrutura física da Unidade Acadêmica teve sua 1ª fase concluída em março de 2008, com 3 prédios (um ainda em conclusão) possuindo cada um deles 15 salas de aulas. A partir de agosto de 2008, todas as aulas serão ministradas nessas novas instalações (2008.2). A próxima etapa do projeto de Conclusão da UAST diz respeito à construção de uma Casa de Estudantes, da Biblioteca, do Auditório, dos Laboratórios de Aulas-práticas, do Laboratório de Pesquisas e do prédio de Salas dos Professores[9] .
Cursos de Graduação
Cursos de Pós-Graduação
  • Mestrado em Produção Vegetal
Possui os seguintes cursos:
  • Direito
  • Fisioterapia
  • Enfermagem
  • Administração
  • Ciências Contábeis
  • Universidade Anhanguera - Uniderp: A Universidade Anhanguera-Uniderp, por meio do seu Centro de Educação a Distância, tem pólos de ensino a distância em todas as regiões do Brasil e está presente em mais de 230 cidades. Oferece em Serra Talhada os cursos nas áreas de exatas, humanas, saúde e tecnologia.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Trata-se de um atrativo turístico de grande relevância para o local, devido à sua formação rochosa, granítica, sua altura e estrutura, e propícia à prática de esportes radicais como rapel e escalada. Sua vegetação, a caatinga, único bioma exclusivamente brasileiro, permite ainda a abertura de trilhas ecológicas, corridas de aventura, interpretação do próprio bioma, estudos científicos, observação de pássaros, turismo fotográfico, entre outros.

São vários pontos, por exemplo:

Igreja Matriz da Cidade.
  • A Serra que deu origem ao nome da cidade. Esta, além de uma estética fascinante, possui trilhas, para aqueles que gostam de se aventurar, e ao chegar ao topo, no cruzeiro, se deslumbram com a vista de toda a cidade e de parte do Vale do Pajeú. Quando em época de chuva, pode-se aproveitar pequenas cachoeiras que se formam nos rochedos. Existem grupos na cidade que aproveitam as formações rochosas para praticar rapel.
  • Igreja Matriz de Nª Senhora da Penha, uma monumental obra, linda de todos os ângulos, uma das mais belas de todo o estado de Pernambuco. Chama a atenção por seu estilo neoclássico, e por seu tamanho e altura imponente.
  • Igreja Nª Senhora do Rosário, pequenina, porém bela, foi construída à mão de obra escrava. Foi ao seu redor que se deu início a cidade de Serra Talhada, na época chamada de Vila Bela.
Igreja do Rosário.
  • Açude Jazigo, em épocas de cheias, esse açude forma em seu paredão uma imensa cortina de água, que faz parar quase todos que passam pela rodovia BR-232. Ao seu lado está um aconchegante clube, com boas piscinas.
Açude Jazigo.
  • Teatro do CIST, bom local para fazer um programa com a família e ir assistir uma peça no teatro do CIST.
  • Açude Cachoeira, tem esse nome por que, quando cheio, seu bebedouro transborda e forma uma bela cachoeira, onde um grande número de pessoas aproveitam para o banho. Independente da época, lá há um mirante de onde se pode ver um belo pôr-do-sol. É possível também praticar a pesca e passear de barco ou canoa.
Rio Pajeú ao cruzar Serra Talhada.
  • Barragem de Serrinha, uma das maiores barragens de Pernambuco, você poderá apreciar as pequenas ilhas e praias de água doce.
  • Mirantes - como o Talhado do Urubu, com magnífica visão da Chapada do Araripe, do Vale do Pajeú e do Açude do Saco.
  • Casa da Cultura, uma bela construção antiga, que já foi sede do cartório, hoje abriga peças de toda a história de Serra Talhada, desde Lampião, filho ilustre da cidade, fotos de pessoas importantes do município e de suas "misses", que em três anos consecutivos levaram o prêmio de Miss Pernambuco, objetos do Padre Jesus, figura importante na construção da Igreja Matriz, e outras peças históricas.
  • Sítio Passagem das Pedras, fica a 42 km do centro da cidade, local onde nasceu o cangaceiro Lampião, no local ainda há um pequeno museu onde existe um grande acervo de fotos e objetos do cangaço;
  • Museu do Cangaço, esse fica localizado na Estação do Forró, instalado em um prédio da antiga estação ferroviária da cidade;
  • Estação do Forró, local onde ocorrem as festas juninas do município, lá você encontra uma pequena cidade cenográfica, com casas de madeira e de barro, além, é claro, do antigo prédio da estação, neste local durante todo o ano, ocorrem apresentações culturais, uma das mais famosas é o Encontro Nordestino de Xaxado, onde se apresentam grupos de todo o nordeste e também grupos locais, como "Os Cabras de Lampião", grupo que já fez apresentações em todo o Brasil e no exterior;
  • Ponte sobre o Rio Pajeú, esta ponte liga o centro da cidade ao bairro Cachixola, dela tem-se uma bela vista do Rio e da Serra; o Rio Pajeú nasce na Serra do Balanço, Município de Brejinho, Divisa Pernambuco-Paraíba. Percorre uma distância de 347 km até desaguar no Rio São Francisco no lago da Barragem de Itaparica. Drena 22 municípios na bacia e sua área corresponde a 17% do estado de Pernambuco.

População da Bacia 400.000 mil Habitantes.

PIB 13% do Estado Pernambucano, com um potencial hídrico existente: Barragem Brotas 34 milhões de metros cúbicos, Jazigo 13 milhões de metros cúbicos e Serrinha 311 milhões de metros cúbicos.

  • Casa do Artesão, está localizada na praça da Igreja do Rosário, conhecida como Concha Acústica, neste ambiente existe um grande número de peças artesanais feitas por diversos artesãos da cidade.
  • Shopping Serra Talhada (em construção - inauguração prevista 2º semestre/2014) – com 68 lojas, sendo, 4 Salas de Cinema, 3 Lojas Âncoras, 3 Mega Lojas, 46 Lojas Satélites, 13 Lojas de Alimentação, 1 Game Infantil e 1 Academia. A área bruta locável é de 9.799,48m². [10]

No início do século XX bandos de cangaceiros circulavam pelas terras do Sertão despertando admiração e medo nas cidades por onde passavam. A imagem do cangaceiro ajudou a formar o imaginário popular do nordestino. Mais que isto, virou uma marca do povo sertanejo. A rota do Cangaço e Lampião conta um pouco da história dos bandoleiros nômades, a perseguição das volantes policiais e mantém viva a memória de Virgulino Ferreira da Silva, o maior ícone do cangaço, morto em 1938.

A rota percorre as cidades de Triunfo, Flores, Santa Cruz da Baixa Verde, Serra Talhada, Afogados da Ingazeira, São José do Belmonte, São José do Egito e Tabira. A Rota do Cangaço e Lampião é um mergulho na mitologia do Nordeste. Um lugar perfeito para turismo histórico, de aventura e técnico científico.

Festas e comemorações[editar | editar código-fonte]

  • Serra Folia: carnaval fora de época da cidade
  • Carnaval: nos últimos anos a cidade tem melhorado cada vez mais suas festividades de momo.
  • Aniversário (Emancipação política): ocorre no dia 06 do mês de maio.
  • Encontro Nordestino de Xaxado: acontece na estação do forró, se apresentam grupos culturais de todo o nordeste.
  • São João: um dos melhores da região, ocorre na Estação do Forró, ponto turístico da cidade.
  • ExpoSerra: evento consagrado, uma das maiores feiras comerciais do nordeste, sempre conta com apresentações musicais de nível nacional.
  • Festa da Padroeira: conhecida como Festa de Setembro, é a maior e mais badalada da cidade, atrai pessoa de toda a região e também de fora do estado, sempre com atrações de peso.
  • Natal e Fim de Ano: a cidade sempre conta com festas de fim de anos, onde a população se junta para celebrar a chegada de mais um ano e admirar a ornamentação arrojada da Praça Sérgio Magalhães que sempre chama atenção por sua beleza.

Prefeitos de Serra Talhada[editar | editar código-fonte]

Ano Prefeito
1892/1895 Andrelino Pereira da Silva (Barão do Pajeú)
1895/1898 Manoel Pereira da Silva Jacobina
1898/1901 Antônio Andrelino Pereira da Silva
1901/1904 Francisco Vieira Lima
1904/1907 José Pereira da Silva e Sá
1908/1910 José Alves da Silveira Lima
1910 Adolfo Corte
1912 Manoel Emiliano de Morais Barros
1912/1913 Andrelino Barbosa Nogueira
1913 Manoel Emiliano de Morais Barros
1913/1916 Adolfo Corte
1916/1920 Dr. Mário Alves Pereira de Lyra
1920/1925 Francisco Alves da Fonseca Barros
1925/1928 João Alves de Barros
1928/1930 Francisco Alves de Carvalho Barros
1930 Antonio Romão de Farias
1930 Methódio de Godoy Lima
1930/1936 Manoel Joaquim Policarpo Lima
1936/1939 Antonio Romão de Farias
1939/1940 José Aureliano de Acioli
1940/1944 José Bené de Carvalho
1944/1945 Waldemar Soares de Menezes
1945 Dr. Aníbal Wanderley Cavalcanti
1945 Cel. José de Alencar de Carvalho Pires
1945/1946 Luiz Conrado de Lorena e Sá
1946/1951 Cornélio Aurélio Soares de Lima
1951/1955 Moacyr Godoy Diniz
1955/1958 Luiz Conrado de Lorena e Sá
1959 Antonio Andrade Policarpo
1959/1964 Hildo Pereira de Menezes
1964/1969 Luiz Conrado de Lorena e Sá
1969/1973 Nildo Pereira de Menezes
1973/1977 Sebastião Andrada de Oliveira
1977/1983 Hildo Pereira de Menezes
1983/1988 Sebastião Andrada de Oliveira
1989/1993 José Ferdinando Feitosa
1993/1997 Augusto César Elehimas de Carvalho
1997/2001 Sebastião Andrada de Oliveira
2001/2005 Genivaldo Pereira Leite
2005/2012 Carlos Evandro Pereira de Menezes
2013/hoje Luciano Duque de Godoy Sousa

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. [ftp:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/xtras/perfil.php?codmun=261390=ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2012 Título não preenchido, favor adicionar] (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (30 de agosto de 2011). Página visitada em 31 de agosto de 2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 09 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2011. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 18 dez. 2013.
  6. Lei provincial nº 280, de 6 de maio de 1851:
    - Art. 1º - A sede do município de Flores fica transferida para a povoação de Serra Talhada, que é elevada à categoria de vila, com a denominação de Vila Bela.
    - Art. 2º - Fica transferida para Vila Bela, novamente criada, a sede da comarca de Pajeú de Flores.
    Leis, Decretos e Resoluções de Pernambuco - tomo XVI. Recife, Tip. M. F. de Faria. 1851. p. 13-14.
    Lei Provincial nº 437, de 26 de maio de 1858:
    - Art. 1º - Fica criado um município na freguesia de Flores.
    Coleção de Leis Provinciais de Pernambuco. Recife, Tip. M. F. de Faria, 1860.
    in FIAM/CEHM. Calendário Oficial de Datas Históricas dos Municípios do Interior de Pernambuco. Coleção Documentos Históricos Municipais. Recife, 1994.
  7. DER-PE, Guia Quatro Rodas, Google
  8. [1]
  9. [(http://www.ufrpe.br/uast/newsite/index.php?option=com_content&view=article&id=5&Itemid=2) (Histórico da UFRPE/UAST)]
  10. Intelligent I Malls http://www.imalls.com.br/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Serra Talhada