Crixás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Crixás
Bandeira de Crixás
Brasão de Crixás
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 30 de outubro de 1953
Gentílico crixaense
Prefeito(a) Plínio Paiva (assumiu em 7 de agosto de 2014, após afastamento do então prefeito, Orlando Silva Naziozeno) (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Crixás
Localização de Crixás em Goiás
Crixás está localizado em: Brasil
Crixás
Localização de Crixás no Brasil
14° 32' 56" S 49° 58' 08" O14° 32' 56" S 49° 58' 08" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Noroeste Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião São Miguel do Araguaia IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Santa Terezinha de Goiás, Uirapuru, Nova Crixás, Mozarlândia, Nova América, Guarinos, Pilar de Goiás
Distância até a capital 322 km
Características geográficas
Área 4 661,077 km² [2]
População 15 760 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 3,38 hab./km²
Altitude 458 m
Clima clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,708 alto PNUD/2010 [4]
PIB R$ 188 663,945 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 20 589,35 IBGE/2008[5]
Página oficial

Crixás é um município brasileiro do estado de Goiás. Sua população estimada em 2010 era de 15.760 habitantes. Sua economia é baseada na agropecuária e na extração de minerios, dos quais se destaca o ouro, contém também, de acordo com prêmios a mina de ouro mais segura do mundo e é uma das principais cidades do país pela economia e porém com baixa qualidade de vida. Destaca-se pela má distribuição de renda em seus habitantes, onde uma parte menor, que trabalha na mineradora tem rendimentos em media superiores a R$ 2000,00, chegando a salarios de ate R$ 30000,00 , enquanto 80% da população não chega a ter rendimentos médios superiores a R$ 675,00.

A fundação de Crixás está ligada às descobertas dos garimpos de ouro no Brasil no sec.XVIII, Tem como seu descobridor o Bandeirante MANOEL RODRIGUES THOMAZ.

História[editar | editar código-fonte]

A colonização de Crixás, região compreendida entre os Rios Crixás-Açu e CrixásMirim, iniciou-se com a passagem da bandeira chefiada por Bartolomeu Bueno, filho do Anhanguera, em 1726, quando ali se descobriram ricas minas de ouro. A região era habitada pelos índios “Kirirás” ou ‘Curuchás”, cuja tradução do tupi: CRIXÁS – deu origem à denominação dos dois grandes rios e da povoação nascente. A fundação do povoado é atribuída ao bandeirante Manoel Rodrigues Tomás, companheiro de Bartolomeu, no período de 1726 a 1734, com a denominação de Nossa Senhora da Conceição, mais tarde Crixás. Segundo outra corrente histórica, foi o sertanista Domingos Pires o fundador da povoação de CRIXÁS, em 1734, elevada a “arraial” em 1740. Em janeiro de 1755, o arraial de Crixás foi elevado a paróquia, condição em que permaneceu por quase dois séculos, tornando-se sede da vila transferida de Pilar, a cujo distrito pertencia. Pelo Decreto-Lei Estadual nº 557, de 30 de março de 1938, o Distrito de Crixás perdeu para o de Pilar as prerrogativas de sede municipal. Pela Lei Estadual nº 850, de 30 de outubro de 1953, criou-se o Município de Crixás, instalado oficialmente em 1º de janeiro de 1954. No auge da exploração aurífera, integrou-se na história de Crixás o geólogo Albrecht Pedro Dutz, “o Alemão”, descobridor das famosas minas de ouro “chapéu de Sol”, e “Venâncio”, em terras posteriormente adquiridas por uma Companhia Inglesa, cuja exploração durou até 1923, quando os ingleses evadiram-se com todo o ouro fundido, em virtude de revolta no garimpo. Atualmente, Crixás destaca-se, em termos de Estado, na criação de rebanho bovino, representando a pecuária o sustentáculo de sua economia, embora seu solo seja bastante rico em “minérios”. Marcelo Augusto Borges de Sales. fonte:http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/goias/crixas.pdf

Cultura[editar | editar código-fonte]

Como nas cidades antigas do Estado de Goiás em Crixás ficaram rastros de trabalhos escravos como muros de pedras e escavações em regos para levar água de um córrego até o local do garimpo.

O Santo de devoção dos escravos era São Benedito. Após a abolição da escravatura, o local foi abandonado e o Sr. Ricardo Pereira Neves, avô de João Ferreira de Faria, 1º Prefeito de Crixás, trouxe a santo para sua residência e continuou a festejá-lo em todos os anos no mês de abril. Após sua morte seu filho continuou organizando a festa do santo, a imagem foi levada para a casa de festas do arraial, a Casa Grande e depois foi transportada para a igreja Imaculada Conceição e hoje se encontra na Igreja Matriz.

Distância[editar | editar código-fonte]

Distâncias a outros municípios em quilômetros:

  • Anápolis 279 km
  • Belo Horizonte 1.116 km
  • Brasília 351 km
  • Ceres 118 km
  • Goiânia 314 km
  • Niquelândia 232 km
  • Rio de Janeiro 1.533 km
  • São Paulo 1.261 km
  • Salvador 1.793 km
  • Uberlândia 668 km
  • Catalão 590 km
  • Auriverde-GO 42. km

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 6 de setembro de 2011.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 31 de julho de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Goiás é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.