Rio Verde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Rio Verde
"RV"
"Capital do Sudoeste Goiano"
"Capital do Agronégocio""
Vista de RV

Vista de RV
Bandeira de Rio Verde
Brasão de Rio Verde
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 5 de agosto de 1848
Gentílico rio-verdense
Prefeito(a) Juraci Martins de Oliveira (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Rio Verde
Localização de Rio Verde em Goiás
Rio Verde está localizado em: Brasil
Rio Verde
Localização de Rio Verde no Brasil
17° 47' 52" S 50° 55' 40" O17° 47' 52" S 50° 55' 40" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Sul Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Sudoeste de Goiás IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Aparecida do Rio Doce, Cachoeira Alta, Caiapônia, Castelândia, Jataí, Maurilândia, Montividiu, Paraúna, Quirinópolis, Santa Helena de Goiás e Santo Antônio da Barra
Distância até a capital 238 km
Características geográficas
Área 8 388,295 km² [2]
População 197 048 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 23,49 hab./km²
Altitude 748 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,754 (GO: 6º) – alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 5,526 bilhões IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 30,527 15 IBGE/2011[5]
Página oficial

Rio Verde é um município brasileiro do estado de Goiás. Segundo estimativa divulgada em agosto de 2013, sua população é de 197 048 habitantes, sendo a quarta maior cidade de Goiás, ficando atrás apenas da capital Goiânia e das cidades de [Aparecida de Goiânia]] e Anápolis.

História[editar | editar código-fonte]

A ocupação do sudoeste Goiano se deu no início do Século XIX com a isenção de pagamento de impostos por 10 anos pela Lei nº 11 para criadores de gado bovino e equino na região sul de Goiás. Por volta do ano de 1840, chegam a região de Rio Verde José Rodrigues de Mendonça, sua esposa, Florentina Cláudia de São Bernardo e filhos se estabeleceram a seis léguas de Rio Verde, no que viria a ser a Fazenda São Tomás.

Em 25 de agosto de 1846, José Rodrigues e sua mulher doaram sete sesmarias de Suas terras para o patrimônio da igreja e construção de uma capela em louvor a Nossa Senhora das Dores, A partir daí, surgiu o Arraial de Nossa Senhora das Dores do Rio Verde.

Em 5 de agosto de 1848, através da Lei Provincial, a Vila foi elevada à categoria de Distrito de Rio Verde.

De acordo com a Lei nº 08 de 6 de novembro de 1854, o povoado de Dores do Rio Verde foi elevado à categoria de Vila.

O grande marco de arrancada para o desenvolvimento aconteceu na década de 1970. Com a abertura dos cerrados à agricultura e a chegada das estradas pavimentadas que a ligam a Goiânia e Itumbiara, a agricultura começou a florescer e atraiu produtores do sul e do sudeste do país. Também vieram agricultores americanos que fundaram uma colônia. Todos eles trouxeram maquinários, tecnologias, recursos e experiências que transformaram o município em um dos maiores produtores de grãos de Goiás e um dos destaques do país. Não por outra razão, o poeta Leo Lynce, iniciador da corrente modernista na literatura goiana, no poema "Rio Verde", década de 1940, registra "Rio Verde de agora...que mudança!/ Colméia de trabalho e de bonança,/ que do progresso brilha no apogeu.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Território[editar | editar código-fonte]

Sua topografia é plana levemente ondulada com 5% de declividade, com altitude média de 748 metros, e o clima apresenta duas estações bem definidas: uma seca (de maio a outubro) e outra chuvosa (novembro a abril). A temperatura média anual varia entre 20 °C e 25 °C.

A vegetação é constituída de cerrado e matas residuais. Seu solo é do tipo latossolo vermelho escuro com texturas argilosa e areno-argilosa.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Rio Verde é mesotérmico úmido com temperaturas amenas durante o inverno e calor no verão e principalmente na primavera. Nas estações outono-inverno são registradas as menores temperaturas mínimas que podem variar de 6 °C à 15 °C. A menor temperatura registrada nos últimos 8 anos foi de 0 °C no dia 18 de julho de 2000 (Mín.: 0 °C/Máx.: 27 °C). Portanto, nessa época do ano, há grande amplitude térmica. Há dias em que a mínima pode ser inferior a 10 °C e a máxima ser superior 30 °C.[6]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura mínima registrada em Rio Verde foi de 1,0 ºC, ocorrida no dia 18 de julho de 1975, enquanto que a máxima foi de 38,9 ºC, observada no dia 31 de outubro de 2012. O maior acumulado de chuva registrado na cidade em 24 horas foi de 150,0 mm, em 25 de dezembro de 1986.[7]

Economia[editar | editar código-fonte]

No recente crescimento do agronegócio brasileiro, a cidade de Rio Verde tem se destacado por contar com uma importante estrutura agro-industrial e uma importante cooperativa agrícola (COMIGO). E ainda: Cargill, Grupo Cereal, Brejeiro que agregam valor à sua produção agrícola. O município é um importante produtor de arroz, soja, milho, algodão, sorgo, feijão, girassol e vem se destacando na cultura de tomate[8] , e conta ainda com um importante plantel bovino, avícola e suíno. Destaque também para o processamento industrial de carnes de aves e suínos, indústrias no segmento de embalagens metálica, plástica e celulose. Bem como também de implementos rodoviários.

O turismo local se baseia em feiras e eventos ligados ao agro-negócio, ecoturismo, rodeios e recepção de turismo de negócios. Para atender tal demanda, a cidade possuí mais de trinta hotéis, com mais de mil e quinhentos leitos. Conta também com um aeroporto com pista de 1500 m, iluminação, pista asfaltada, terminal de passageiros, e tem vôos diários para Belo Horizonte, Uberaba, Uberlândia, Goiânia, Ipatinga, Montes Claros, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro e São José dos Campos.[9]

O município conta com mais de cinqüenta escolas próprias de primeiro grau, vinte e quatro escolas estaduais de primeiro e segundo grau e vinte particulares. Conta com cinco instituições de ensino superior e quatro centros de ensino profissionalizante.


A cidade conta com cinco estações de rádio, quatro emissoras de televisão, sendo uma geradora de informações locais afiliada a Rede Anhanguera e Rede Globo, uma operadora de tv a cabo digital e seis jornais e revistas.

Rio Verde detém um Produto Interno Bruto PIB de pouco mais 4 bilhões e 160 milhões de reais - o quarto maior do Estado de Goiás -, o que dividido pelo seu número de habitantes, lhe dá um produto por habitante de: R$ 23.571,97. Em 2009 o município registrou o maior crescimento na agropecuária do país, saltando do 12º lugar para o topo do ranking nacional. A partir do ano seguinte o município entra em estagnação econômica e perde a posição para a também cidade goiana de Cristalina, o que resultou numa perda de R$ 100 milhões de reais no seu PIB em 2010, reduzindo também sua participação na economia do município por habitante, ocasionando uma perda de R$ 2.561,58. Ou seja, a cidade ficou mais pobre. [10]

Mas apesar de ainda ser um município rico, ainda não conseguiu erradicar os bolsões de pobreza verificados nas periferias da cidade. E mesmo com tantas escolas, cursos técnicos disponíveis e superiores, existe uma enorme dificuldade de os jovens da cidade conseguirem se qualificar, dado aos horários de estudo e trabalho serem inconciliáveis pela maioria, que trabalha nas agroindústrias do segmento de carnes e processamento de grãos, e ainda pela incompatibilidade de renda e o custo dos cursos. Sendo a indisponibilidade de mão-de-obra qualificada a principal queixa dos empresários locais, que os quais importam essa mão-de-obra de outros estados do Sul e Sudeste do país.

Indicadores socioeconômicos[editar | editar código-fonte]

PIB municipal (2011)
[5] R$ 5.526,024 bilhões
PIB per capita (2011)
[5] R$ 30.527,15
Composição do PIB (2011)[11]
  • Valor adicionado bruto da agropecuária: R$ 723,351 milhões
  • Valor adicionado bruto da indústria: R$ 1.834,039 bilhão
  • Valor adicionado bruto dos serviços: R$ 2.397,641 bilhão
  • Impostos sobre produtos líquidos de subsídios: R$ 570,994 milhões

Bacia do Paraná[editar | editar código-fonte]

A ANP constatou através de um levantamento aerogravimétrico - avaliação da estrutura interna do solo por meio de aviões com auxílio de um instrumento que avalia a diferença de gravidade interna abaixo da terra. Que a Bacia do Paraná apontou indícios de petróleo e gás entre as cidades de Ribeirão Preto (SP) e Rio Verde. Com 1,1 milhão de quilômetros quadrados, a Bacia do Paraná fica localizada no continente entre o Sul e o Centro-Oeste do Brasil e, pelo fato de o Brasil ter privilegiado a exploração de petróleo e gás no mar, seu potencial ainda é praticamente desconhecido. Os estudos da ANP para a avaliação da região estão orçados em R$ 100 milhões, e serão concluídos até 2011.[12]

Frota[editar | editar código-fonte]

Rodoviária de Rio Verde.

A cidade conta com uma frota de 87.001 veículos registrados[13] em maio de 2011, sendo 35.398 automóveis, 3.023 caminhões, 8.610 caminhonetes, 1.456 camionetas, 22.883 motocicletas, 9.148 motonetas, 434 ônibus, 225 micro-ônibus, etc.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Torcida Alviverde, a maior do interior de Goiás

Futebol[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com três times profissionais, dentre eles se destaca o Esporte Clube Rio Verde, chamado pelos mais fanáticos de "Verdão do Sudoeste", o Rio Verde sempre foi um clube bastante competitivo, em 1995 o verdão chegou as semi-finais, quando caiu diante do forte Vila Nova de Goiânia, mesmo ano que encerrou suas atividades, Voltando a jogar no ano de 2009 pela terceira divisão do campeonato goiano, o clube esteve próximo do acesso, porém terminou a competição na terceira colocação, uma vez que subiram os dois primeiros colocados. Em 2012, com uma campanha regular na primeira fase e uma recuperação incrível na segunda do Goianão Chevrolet 2012, a equipe manteve-se entre os 8 melhores, permanecendo na 7ª colocação, obtendo 5 vitórias, 4 empates e 9 derrotas, dos 18 jogos disputados na primeira fase. Em 2013, entra como favorita pela classificação à segunda fase do Campeonato Goiano de Futebol de 2013.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município conta com quatro hospitais: Hospital Presbiteriano Doutor Gordon, Hospital Santa Terezinha, Hospital Municipal e Hospital do Câncer.

Bairros[editar | editar código-fonte]

Zona Oeste Morada do Sol; Jardim Tocantins; Jardim Presidente; Laranjeiras; lourdes; Setor Universitário; Água Santa; Vila Verde; Vitória Régia; Interlagos.

Zona Noroeste Canaã; Mondale; Betel; Vila Menezes; Santa Luzia; Solar dos Ataídes; Serpró.

Zona Sudoeste Campestre; Solar do Agreste; Buriti I e II; Boungainville; Vila Mariana; Promissão; Santa Cruz I e II; Recanto do Bosque; Jardim Floresta; Setor dos Funcionários; São Tomás I, II e III; Jardim Atalaia; Jardim Helena; Serra Dourada.

Zona Sul Renovação; Vila Amália I e II; Mutirão; Jardim das Margaridas; Gameleiras I e II; Vila Carolina; Santo Antônio; Bandeirantes; Jardim Brasília; Jardim Adriana.

Zona Central Centro; Jardim Neves; Jardim Marconal; Setor Oeste; Jardim América; Jardim Goiás; Vila Borges; Vila Moraes; Medeiros; Vila Olinda; Jardim Cruvinel; Santo André; Santa Bárbara.

Zona Leste Industrial; Vila Maria; Nova Vila Maria; Santo Agostinho; Popular; São João; São Joaquim; Dona Gercina; Maranata; Veneza; Arco-Íris; Pauzanes; Eldorado; Martins.

Zona Norte Dimpe; Céu Azul; Liberdade; Primavera; Maurício Arantes; Dom Miguel; Parque dos Girassóis; Monte Sião; Valdeci Pires.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Estimativa Populacional 2013 (PDF). Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Página visitada em 29 de agosto de 2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  5. a b c d Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2011.
  6. INMET-Gráficos
  7. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). Dados Meteorológicos - Goiás. Página visitada em 12 de julho de 2013.
  8. http://www.rioverdegoias.com.br/i.do?si=not&ler=2&id=3374
  9. Trip Linhas Aéreas - http://www.voetrip.com.br/institucional/destinos.aspx
  10. www.seplan.go.gov.br/sepin/pub/pib/pibmun2010/pibmun2010.pdf
  11. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Banco de Dados: Cidades
  12. Prefeitura Municipal de Ribeirão preto. Bacia do Paraná - Petóleo e Gás. Página visitada em 29 de agosto de 2009.
  13. http://www.denatran.gov.br/frota.htm
  • LYNCE, Leo. "Rio Verde". In: Poesia Quase Completa. Goiânia, Editora da UFG, 1997, p. 293.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ligações externas[editar | editar código-fonte]