Planaltina (Goiás)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Planaltina
"Brasilinha"
Bandeira de Planaltina
Brasão de Planaltina
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 19 de março
Fundação 1790
Gentílico planaltinense
Prefeito(a) Eles Reis de Freitas (PTC)
(2013–2016)
Localização
Localização de Planaltina
Localização de Planaltina em Goiás
Planaltina está localizado em: Brasil
Planaltina
Localização de Planaltina no Brasil
15° 27' 10" S 47° 36' 50" O15° 27' 10" S 47° 36' 50" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Leste Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Entorno do Distrito Federal IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Sobradinho II (DF), Padre Bernardo, Mimoso de Goiás, Água Fria de Goiás, Formosa e Planaltina (DF)
Distância até a capital 273 km
Características geográficas
Área 2 543,867 km² [2]
População 86 014 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 33,81 hab./km²
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,669 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 341 634,769 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 315,64 IBGE/2008[5]
Página oficial

Planaltina é um município brasileiro do estado de Goiás.

Segundo o censo 2010, sua população era de 81.649 habitantes [6] . Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás, em junho de 2011 registram-se em Planaltina 47.731 eleitores ou 1,18% do eleitorado de Goiás [7] .

História[editar | editar código-fonte]

Localizado a cerca de 20 quilômetros da região administrativa de mesmo nome, Planaltina, e a 63 quilômetros de Brasília, o município de Planaltina, apesar de ser relativamente novo, tem uma história que se confunde com a de Brasília e inúmeros problemas sociais em conseqüência do excesso populacional e da falta de critérios na sua ocupação. Com a mudança da capital federal do Rio de Janeiro para o Planalto Central, parte do município goiano de Planaltina, que já existia há 100 anos, ficou fora do quadrilátero estabelecido para o Distrito Federal.

Para essa parte, foi estabelecido o prazo de um ano para o assentamento de uma nova sede que funcionou, provisoriamente, perto da lagoa formosa, passando depois para São Gabriel de Goiás. O primeiro prefeito desse novo município foi Francisco Muniz Pignata. Ao seu sucessor na prefeitura, Eloi Pinto de Araújo, mineiro de Dores do Indaiá-MG,no período de 1965 a 1969, coube a iniciativa de efetivar o assentamento da nova sede do município.

O local escolhido foi a Fazenda Brasília, de propriedade de Joaquim Gonçalves,conhecido por Joaquim Mineiro. Naquela área, identificada hoje por uma pedra fundamental, iniciou-se a construção do fórum do município, em 1967, que recebeu o nome de Planaltina, resultado de um plebiscito realizado no mesmo ano. O seu início apresentou inúmeras semelhanças com a própria construção da capital federal, entre elas, o desbravamento do cerrado capitaneado por um mineiro; os barracos de madeira que a princípio abrigaram os primeiros habitantes e os principais órgãos públicos municipais.

Por essas e outras coincidências, o município recebeu o apelido de "Brasilinha". "Estão construindo uma Brasilinha", diziam,conforme lembra o advogado Dirceu Ferreira Araújo, mineiro, detentor de um importante acervo de fotografias e documentos históricos e com o conhecimento de causa de quem mora na região desde 1955, sem contar o fato de que é filho do prefeito a quem coube o assentamento do município. Mas as coincidências com Brasília não param por aí. A cidade também tinha um planejamento de urbanização, com a área a ser ocupada previamente definida, de forma a facilitar a implantação dos serviços públicos básicos.

Essa área previa a ocupação, nos próximos 50 anos, de 22 mil lotes que abrigariam cinco pessoas, em média, o que significaria uma população de cerca de 110 mil habitantes em 2017. Em menos de 30 anos, a população já atingiu os 80 mil habitantes, de acordo com estimativas locais, que questionam os dados do censo de 1991, indicando uma população de apenas 42 mil habitantes[carece de fontes?].

Problemas sociais[editar | editar código-fonte]

Um fator que contribuiu para o agravamento dos problemas sociais foi a expansão do perímetro urbano, que nesse mesmo período aumentou cerca de seis vezes[carece de fontes?].

Os administradores da cidade tiveram sua parcela de responsabilidade com a situação ao permitirem loteamentos como a Vila Mutirão que fica localizada quatro quilômetros fora da área planejada[carece de fontes?]. Planaltina possui apenas um hospital público e outro particular, que atende também pelo Sistema Único de Saúde -SUS [carece de fontes?].

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia é baseada em agricultura (9,000 hectares em 2006), milho, mandioca e frutas cítricas), criação de gado (62,000 cabeças em 2006), serviços, administração pública (1,328 trabalhadores em 2003), e pequenas indústrias. Em 2012 existem 04 instituições financeiras.

Dados agrícolas 2006

•Fazendas: 959

•Área total: 134,617 ha.

•Área de colheitas permanentes: 2,114 ha.

•Área de colheitas perenes: 25,659 ha.

•Área de pasto natural: 66,928 ha.

•Área de bosque e florestas: 27,905 ha.

•Pessoas dependentes da agricultura: 1,350

•Número de tratores: 205 (IBGE)

Saúde e educação[editar | editar código-fonte]

  • Escolas: 58 com 26,000 alunos (2006)
  • Ensino superior: Campus da UEG [carece de fontes]
  • Índice de desenvolvimento Humano municipal: 0.723 (classificação média)
  • Posição no Estado: 167 (fora de 242 municípios)
  • Posição Nacional: 2,577 (fora de 5,507 municípios)
  • Taxa de alfabetização (2000): 85.6%
  • Taxa de mortalidade infantil (2000): 24.5

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. Dados IBGE 2010. Visitado em 24 de fevereiro de 2013.
  3. Estimativa Populacional 2013 (PDF) Censo Populacional 2013 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01/07/2013). Visitado em 23/10/2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 31 de julho de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_Pop_2010
  7. Estatísticas Eleitorais - Goiás - Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (Informações atualizadas em 11/06/2010). Visitado em 14 de junho de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]