Cristalina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Cristalina
"Terra dos Cristais"
Bandeira de Cristalina
Brasão de Cristalina
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 18 de julho de 1916 (98 anos)
Gentílico cristalinense
Padroeiro(a) São Sebastião
CEP 73850-000
Prefeito(a) Luiz Carlos Attié (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Cristalina
Localização de Cristalina em Goiás
Cristalina está localizado em: Brasil
Cristalina
Localização de Cristalina no Brasil
16° 46' 08" S 47° 36' 50" O16° 46' 08" S 47° 36' 50" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Leste Goiano
Microrregião Entorno do Distrito Federal
Municípios limítrofes Ipameri, Luziânia, Cidade Ocidental, São Sebastião (DF), Paranoá (DF), Cabeceira Grande (MG), Unaí (MG) e Paracatu (MG)
Distância até a capital 288 km
Características geográficas
Área 6 160,722 km² [1]
População 51 149 hab. (GO: 21º) –  IBGE/2013[2]
Densidade 8,3 hab./km²
Altitude 1.189 m
Clima tropical de altitude
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,699 médio PNUD/2010 [3]
PIB R$ 901 833 mil IBGE/2009[4]
PIB per capita R$ 23 421,79 IBGE/2009[4]
Página oficial

Cristalina é um município brasileiro do estado de Goiás. O município integra à Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno. Sua população é de 51,149 habitantes, segundo Estimativa Populacional 2013 divulgada pelo IBGE/2013.[2] Em dez anos (2000 a 2010) sua população teve um crescimento de 36,5%, sendo um dos municípios que mais crescem em Goiás. A cidade localiza-se a leste da capital do estado, Goiânia, distando desta cerca de 288 km e ao sul da capital federal, Brasília, distante dela 131 km. O município possui altitudes de até 1.250 metros, sendo que, sua sede está a 1.189 metros de altitude em relação ao nível do mar. A frota do município era de 19.316 veículos em 2010.[5] A zona urbana é cortada pela BR-040 e BR-050, duas das principais rodovias do país, interligando a cidade a todas as regiões brasileiras.

História[editar | editar código-fonte]

Sua história inicia-se no ano de 1592. Vagas notícias falam que Sebastião Marinho levou para o Rio de Janeiro cristais de Goiás, acredita-se que eram de Cristalina.

Igreja São Sebastião, construída em 1948.

Por volta do século XVIII no auge da expansão da mineração pelo interior da Capitania de Goiás que na época pertencia ao estado de São Paulo, as bandeiras vindos da capital paulista, chegaram em uma grande serra onde encontraram imensa quantidade de cristais de rocha de todos os tipos e tamanhos espalhados pelo chão. Devido a grande quantidade do minério deram à região o nome de Serra dos Cristais.

Porém naquela época o intuito principal das bandeiras era encontrar ouro, não dando importância ao cristal encontrado na região.

Durante muito tempo a região da Serra dos Cristais ficou esquecida. Só no ano de 1879, dois franceses, Etienne Lepesqueur e Léon Laboissière, vindos da cidade vizinha de Rio Bom, hoje Paracatu, onde comercializavam ouro, enviaram amostras de cristais para Paris na França, onde foram vendidas por bom preço.

Devido a sua pureza e qualidade, os cristais foram transformados em instrumentos de ótica e em belíssimas peças de artesanato e tendo ido enfeitar as casas da burguesia francesa, trazendo a promessa de grandes lucros.


Em 1880, a dupla de franceses fixou residência na Serra dos Cristais, dando-lhe o nome de São Sebastião da Serra dos Cristais, no local conhecido como Serra Velha, em busca do rico mineral, iniciando assim a exploração do garimpo na região. Como não era difícil extraí-lo, a notícia se espalhou e para a região se dirigiram garimpeiros de todas as partes do Brasil, sendo o minério transportado em lombo de burros até a cidade de Paracatu e dali para o porto do Rio de Janeiro, de onde eram exportado para a Europa e distribuídos nos grandes centros de lapidação como Idar-Oberstein, na Alemanha, Verona, na Itália, Antuérpia, na Bélgica, e nas indústrias de aparelhos óticos da França e da Alemanha.

Etienne Lepesqueur e Léon Laboissière, satisfeitos com o alto lucro alcançado na comercialização de cristais, retornam em 1882 à cidade de Paracatu. Os garimpeiros, sem os dois franceses para comprar o cristal, debandaram. Ficaram poucas pessoas que sobreviviam com enormes privações.

Algum tempo depois chegou outro francês, Emile Levy, trazendo bugigangas e fazendas (tecidos) que, trocadas por cristais, trouxeram novo fôlego aos poucos garimpeiros que restaram. Levy construiu a primeira casa em 1883, localizada na margem esquerda do Córrego Almocafre, fixando sua residência. A partir de 1884, a ideia de riqueza fácil encantava, haja vista que o cristal era apanhado com fartura na superfície do solo. Com a repercussão dessa notícia, fixaram-se na região pessoas das mais variadas localidades, vindo a contribuir para o desenvolvimento da localidade.

Como nessa época todos tinham altíssimos lucros com a comercialização do cristal, o produto perdera seu valor, tamanha era a facilidade de consegui-lo. Com a divulgação dessa situação, muitos bandidos e criminosos se dirigiram para a localidade, praticando todos os tipos de crimes. [carece de fontes?]

Para tentar devolver a tranquilidade à região, em 1901, Marciano Aguiar, Nicolau Batista de Oliveira, Plácido de Paiva e outros foram até a cidade de Goiás, que na época era capital do estado, pedir ao governo estadual que elevasse o Arraial de São Sebastião da Serra dos Cristais a categoria de distrito de Santa Luzia de Goiás, hoje Luziânia, o que de fato aconteceu pela Lei Estadual n° 15, de 12 de outubro de 1901, com o novo distrito passando a se chamar São Sebastião dos Cristais.

Plácido de Paiva ocupou o posto de juiz distrital, Nicolau Batista de Oliveira, o de subdelegado de polícia, e Marciano Aguiar exercendo a função de escrivão dos dois cargos.

As autoridades constituídas pediam insistentemente apoio policial ao estado, porém nunca eram atendidos. Os moradores, bastante inconformados com essa situação, resolveram fazer justiça com as próprias mãos, transformando o novo distrito no recanto mais pacato do mundo.

Em 16 de janeiro de 1916, Marciano Aguiar, Nicolau Batista de Oliveira, Jovino de Paiva, João José Taveira, Gustavo Edinger e outros conseguiram a elevação do distrito à categoria de vila, anexada ao município de Santa Luzia (hoje Luziânia), e em julho do mesmo ano, pela Lei Estadual nº 533, a vila foi elevada a município autônomo, desmembrando-se de Santa Luzia.

Em 15 de janeiro de 1917, foi oficialmente instalado o município de São Sebastião dos Cristais, com um grande número de pessoas vindas da cidade de Paracatu.

Em 31 de março de 1918, pela Lei Estadual nº 577, o nome São Sebastião dos Cristais foi mudado para Cristalina, sendo este último conservado até hoje.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Cristalina está a 47°36’ de longitude Oeste (W) e a 16°45’ de Sul (S. Localiza-se no leste goiano, na região do Entorno do Distrito Federal, no chamado Planalto Central. Possui uma área de 6.340 quilômetros quadrados.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Cristalina é considerado tropical com estação seca (tipo Aw segundo Köppen), tendo verões mais suaves que o resto do estado e invernos relativamente amenos, com diminuição de chuvas. É considerada uma cidade fria, se comparando com outras cidades goianas. O período de seca vai de abril a setembro e o chuvoso, de outubro a março, com pluviometria média anual de 1.486,5 mm. Devido à altitude, venta muito na cidade. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura mínima registrada na cidade foi de 2,0 ºC, no dia 21 de julho de 1996, enquanto que a máxima foi de 36,2 ºC, em 9 de setembro de 2004.

Temperatura[editar | editar código-fonte]

Tabela climática de Cristalina
Temperaturas
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Média
Média Máxima °C 28,6 °C 29,1 °C 29,1 °C 28,8 °C 27,6 °C 26,8 °C 26,8 °C 29 °C 30 °C 29,7 °C 28,9 °C 29,1 °C 28,6 °C
Média minima °C 19,1 °C 18,8 °C 18,7 °C 17,5 °C 15,1 °C 12,8 °C 12,3 °C 14,3 °C 16,7 °C 18,5 °C 18,9 °C 19,1 °C 16,8 °C
Precipitação
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total
Total mm 247,7 mm 189,8 mm 186,1 mm 81,4 mm 23,2 mm 6 mm 8,8 mm 10,5 mm 30,2 mm 126 mm 214,9 mm 321,9 mm 1.446,5 mm
http://jornaldotempo.uol.com.br/climatologia.html/Cristalina-GO Jornal do Tempo - UOL

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo é de planalto, merecendo destaques as Serras dos Cristais, dos Topázios, da Posse, de São Pedro e o Morro do Padre. A cidade de Cristalina está a cerca de 1.189 metros de altitude em relação ao nível do mar e a altitude média do município é de 850 metros; sendo:

  • Plana a suavemente ondulada: 70%
  • Ondulada: 10%
  • Montanhosa: 20%

Solo[editar | editar código-fonte]

Predomina no município o latossolo vermelho, além de latossolo vermelho-amarelo e litossoloe marrom .

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Encontra-se no município dois tipos de vegetação: Campo e Cerrado. As plantas mais comuns são o Pequizeiro, Angico, Jatobá, Aroeira, Sucupira branca, Ypê do cerrado e outras.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município é privilegiado, no que diz respeito à hidrografia, apresentando 256 rios, riachos, ribeirões, veredas e nascentes. Todos os ribeirões e córregos nascem na cidade e correm para a periferia do município. Esse potencial hídrico é fundamental ao desenvolvimento da agricultura irrigada, segmento que tem contribuído decisivamente para o impulso econômico do município.

Os principais rios e Cachoeiras são:

Transporte[editar | editar código-fonte]

Cristalina situa-se num importante entroncamento rodoviário brasileiro, entre a BR-040, que liga Cristalina a Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, e a BR-050, que liga Cristalina a Catalão, Triângulo Mineiro e São Paulo). O município é cortado também pela BR-251, que liga Brasília a Unaí, e pela GO-436, que liga Cristalina a Brasília.

.

Viaduto da BR 050 sobre a BR 040, na zona urbana de Cristalina.

O transporte rodoviário intermunicipal e interestadual se faz a partir do Terminal Rodoviário Municipal, situado à margem da BR-050, e conta com diversas empresas que prestam o serviço de transporte rodoviário de passageiros, tais como:

  • VIAN - Viação Anapolina;
  • Viação Araguarina;
  • Empresa São Cristóvão;
  • Viação Planalto;
  • Viação Itapemirim;
  • Viação Penha;
  • Viação Rápido Federal
  • Empresa Gontijo de Transportes (esta última ligando o sul de minas a Brasília com embarques nas seguintes cidades: São Lourenço (origem da linha), Três Corações, Perdões, com passageiros oriundos das cidades próximas, Campo Belo, Formiga, Arcos, Bambuí, Patos de Minas e Paracatu.

Cristalina não conta com transporte público coletivo intra-municipal, sendo este suprido por táxis e moto-táxis.

Distâncias[editar | editar código-fonte]

Cidade Distância em km
Brasília 130
Goiânia 280
Belo Horizonte 600
Rio de Janeiro 1.120
São Paulo 900
Salvador 1.600
Uberlândia 280
Anápolis 230
Luziânia 69

Distritos e Povoados[editar | editar código-fonte]

  • Povoado de São Bartolomeu;
  • Distrito de Campos Lindos.

Educação[editar | editar código-fonte]

Centros de ensino:

Quantidade Tipo Local
11 Escolas Municipais Cidade
05 Escolas Estaduais Cidade
01 Escola Especial (APAE) Cidade
11 Escolas Municipais Zona Rural
08 Creches de 0 a 5 anos Cidade
05 Escolas Particulares Cidade
03 Faculdades Cidade

A cidade conta com 33 escolas municipais, estaduais e particulares. Os estabelecimentos que mais se destacam em termos de notas e infra - estrutura, são o Colégio Maria Montessori, Colégio Jean Piaget, Colégio Máximus, Centro de Educação Integrada Zulca Peixoto de Paiva e Escola Municipal Adalardo Tiradentes Bispo. Já as que menos se destacam são a Escola Municipal Valdete dos Santos Abadia, Colégio Estadual Adelvina Flores Ribeiro e o Colégio Castelo Branco.

No ensino superior, Cristalina conta com as faculdades:

  • Pólo da Fesurv - Faculdade de Rio Verde
  • FACEC - Faculdade Central de Cristalina, campus;
  • Anhanguera;
  • Instituto Federal Goiano de Urutaí - Polo Cristalina, com os cursos técnicos em Segurança do Trabalho, Admistração e outros sendo a distancia (EAD) e o Técnico em Agropecuária sendo curso presencial com inicio em 2014.

Administração[editar | editar código-fonte]

  • Eleitores: 31.759, TRE 2012.
  • Prefeito: Luiz Carlos Attié (PSD), (janeiro 2013)
  • Vice-prefeito: João Carlos Facchinello
  • Vereadores: 13

Demografia[editar | editar código-fonte]

Foto do Residencial Cristal Park - Cristalina/GO

A posição estratégica em que se encontra a cidade foi um dos maiores responsáveis pelo seu crescimento, que teve um considerável impulso com a fundação de Brasília.

Mais tarde, no final da década de 1970, vários agricultores vindos especialmente da Região Sul do Brasil introduziram a agricultura comercial nos cerrados de Cristalina.

Isso fez com que a economia local, antes baseadas somente na exploração e comercialização do cristal de rocha, ganhasse um novo alento. Milhares de pessoas vindas principalmente do Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil dirigiram-se para o município em busca de emprego no campo.

Hoje a zona urbana de Cristalina passa por um rápido crescimento populacional, o número de bairros praticamente dobrou de 1990 a 2010 e, além do crescimento horizontal da cidade, Cristalina vem tendo um crescimento vertical considerável com os vários prédios que ora oferecem centenas de apartamentos para moradia.

De acordo com o censo populacional de 2007 realizado pelo IBGE, Cristalina possuía uma população de 36.614 habitantes, já em 2008, as estimativas apontavam uma população de 38.125 habitantes. No ano de 2009, a estimativa populacional realizada pelo IBGE, apontava que Cristalina tinha 38.504 habitantes naquele ano. O Censo 2010 constatou que o município de Cristalina tem uma população de 46.568 habitantes, aumento de 36,5% no período de 2000 a 2010. A tendência é que esse forte crescimento populacional se mantenha, uma vez que, o município atrai milhares de pessoas de todos os cantos do Brasil que vêm trabalhar na agricultura e mais recentemente nas indústrias que estão se instalando em Cristalina.

Crescimento Populacional de Cristalina no período de 1980 a 2010

Economia[editar | editar código-fonte]

O PIB do município é estimado em R$ 652 milhões em 2007, oriundos dos cultivos de soja, milho, feijão, algodão, café, milho doce, batata, alho nobre, cebola, cenoura, beterraba, trigo, aveia, sorgo, eucalipto, leite e atividade garimpeira. Cristalina apresentou um dos maiores indíces de crescimento econômico do Estado, sendo de acordo com dados publicados pelo IBGE o 7º maior PIB agrícola do país e o maior do Estado de Goiás. É destaque também o setor de serviços, principalmente a construção civil.

Campo de milho

Até o final da década de 1970, a extração e comercialização de cristal de rocha era a principal atividade econômica de Cristalina. Quase toda a população dependia desse minério para sobreviver, mas hoje a principal atividade econômica do município é a agricultura.

Cristalina atrai turistas e artesãos de todo o país, que vêm em busca de matéria-prima (cristal). Com isso são gerados empregos diretos e indiretos, tanto na exploração do minério e sua comercialização como no artesanato com pedras. Essa cadeia produtiva faturou em 2007 mais de R$ 20 milhões, respondendo por uma importante fatia da economia do município.

A cidade é o maior centro de comercialização de pedras do Brasil, além de ser a maior reserva de cristal de rocha do mundo, sobre a qual a cidade foi construída, motivo pelo qual muitos dizem que a cidade é mística.

Para atender a esse segmento, desde 2005, o Ministério da Integração Nacional em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Goiás, Senai e Instituto Euvaldo Lodi, estão promovendo o Programa de Desenvolvimento Econômico do Arranjo Produtivo Local (APL) do Artesanato Mineral de Cristalina, sendo que os artesãos recebem cursos de capacitação e recursos da ordem de R$ 610 mil, para otimizar a produção e o beneficiamento da pedra, visando à melhoria da qualidade dos produtos comercializados.

Como dito anteriormente, até o final da década de 1970 a mineração de cristal era a principal atividade econômica da cidade, mas isso começou a mudar quando alguns produtores provenientes da Região Sul do Brasil desbravaram o cerrado cristalinense, fazendo surgir uma nova atividade econômica que em poucos anos seria a base da economia do município: a agricultura.

São mais de 200 mil hectares de produção em sequeiro e mais de 40 mil hectares de produção irrigados com pivôs centrais, tendo o município a maior área irrigada da América Latina, sendo característica de sua agricultura o emprego de alta tecnologia na produção de grãos, visando sempre maior produtividade.

Indicadores sócio-econômicos[editar | editar código-fonte]

PIB municipal (2005)
[6] R$ 652.021.000,00
Composição do PIB (2005)
[7]
  • Agropecuária: R$ 359.871.000,00
  • Indústria: R$ 30.670.000,00
  • Serviços: R$ 222.159.000,00
  • Impostos: 39.320.000,00

Industrialização[editar | editar código-fonte]

Três grandes indústrias no ramo de alimentos estão instaladas em Cristalina:[8]

As três fábricas já estão operando e gerando centenas de empregos. No mês de agosto/2010, Cristalina ocupou o quinto lugar no ranking goiano de geração de emprego com carteira assinada. Em apenas um mês, foram gerados 1.137 postos de trabalho. A economia está aquecida no município.

Instituições Financeiras[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Pedra Chapéu do Sol

Cristalina tem um grande potencial turístico, haja vista que milhares de pessoas de todos os cantos do mundo visitam a cidade anualmente, principalmente por causa de suas pedras e seu artesanato mineral, já que a cidade é um centro de intensa comercialização e lapidação de pedras preciosas e semi-preciosas.

Muitos místicos visitam a cidade por considerá-la o ponto de equilíbrio do mundo pelo magnetismo de seu solo.

Além do encanto dos cristais, Cristalina conta com muitos outros atrativos, tais como turismo ecológico, garimpos seculares e belíssimas joias feitas a partir de cristais, e a possibilidade de o visitante extrair o cristal bruto no solo das jazidas de cristais.

A sede da Prefeitura de Cristalina também se tornou atração turística na cidade, aos finais de tarde várias pessoas visitam o local, entre eles turistas que se maravilham pela beleza do prédio e paisagens da Praça onde a prefeitura está sediada.

Principais Pontos Turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Lojas e Lapidações de Cristais: A cidade possui várias lojas que comercializam todos os tipos de artefatos de cristais e até mesmo o cristal bruto. Por trás dessas lojas estão as lapidações de cristal, que fornecem o material acabado, além dos artesãos.

As principais lojas de lapidação de cristais estão localizadas no centro da cidade, principalmente nas ruas da Saudade, 21 de Abril e Otaviano de Paiva, na praça José Adamian e na Estação Rodoviária Municipal.

Cristais de Cristalina
  • Balneário das Lages: localiza-se a 12 km do centro da cidade, possui praias e piscinas artificiais e uma belíssima queda d´água.

Tem restaurante, área de camping, seguranças, sorveteria, banheiros, espaço para shows e apresentações e quiosques.

  • Pedra Chapéu do Sol: assim denominada por seu formato, é um enorme bloco de Quartzito que pesa mais de 100 toneladas, equilibrada há milhões de anos em uma base de pouco mais de um metro quadrado. É simplesmente impressionante, sendo o único exemplar no mundo por sua grandeza. Localiza-se a 7 km do centro da cidade, no Parque das Pedras, área de preservação da Fazenda Sucupira, onde ainda se podem observar várias inscrições rupestres, sendo o acesso pela GO 309 (estrada vicinal), no sentido do Assentamento das Três Barras.

Além desses pontos turísticos, há outros que valem a pena visitar, tais como a Cachoeira do Arrojado, que se localiza a 6 km do centro, e a Reserva Particular Linda Serra do Topázios, que tem uma grande área de cerrado natural e água cristalina, além do observatório astronômico da UNB. Devido a sua altitude e baixa umidade na maior parte do ano, Cristalina tem o céu mais limpo do Brasil, facilitando a observação de fenômenos astronômicos.[9]

Veja mais em * Portal Turístico

Festas Tradicionais[editar | editar código-fonte]

Veja abaixo as datas das principais festas da cidade:

Janeiro
  • Festa de São Sebastião
Maio
  • Dia do Garimpeiro - 16
  • Festa do Divino Espírito Santo
Junho
  • Rodeio Crioulo
Julho
  • Festa de São Cristóvão
  • FECRIS - Feira de Cristais, joias, artesanato e pedras preciosas
  • Moto Cristal - Encontro Nacional de Motociclistas organizado pela Irmandade Estradeira
  • Aniversário da cidade e Festival de inverno - 18, 19 e 20
Agosto
  • Festa a Nossa Senhora da Abadia
  • Festa a São Bartolomeu
Setembro
  • Exposição Agropecuária
  • Semana Farroupilha - 15 a 21

Segurança[editar | editar código-fonte]

Pavilhão principal da 3ª Brigada de Infantaria Motorizada - Exército

Cristalina conta com:

  • Um posto da Polícia Rodoviária Federal, que se situa na BR 040, próximo à cidade;
  • 32ª Companhia Independente da Polícia Militar do Estado de Goiás;
  • Um Presídio, mantido pela Agência Prisional do Estado de Goiás;
  • CIOPs - Centro Integrado de Operações de Segurança, que abriga a Polícia Civil e Militar;
  • Guarda Municipal, que atua em ocorrências mais leves;
  • Sub-Grupamento do Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás;
  • SAMU - Serviço de Atendimento Médico de Urgência do governo federal.
  • 3ª Brigada de Infantaria Motorizada, do exército brasileiro.

Bairros de Cristalina[editar | editar código-fonte]

  • Bairro Belvedere
  • Bairro Cidade Nova
  • Bairro Cristal
  • Bairro Cristalina Velha
  • Bairro Cruzeiro
  • Bairro DNER
  • Bairro Henrique Cortes
  • Bairro JK
  • Bairro Lustosa
  • Bairro Rio de Janeiro
  • Jardim Planalto
  • Residencial Cristal Park
  • Residencial Topázio
  • Setor Aeroporto
  • Setor Central
  • Setor Noroeste
  • Setor Norte
  • Setor Oeste
  • Setor Oeste Novo
  • Setor Sul I
  • Setor Sul II
  • Setor Sul Novo
  • Zona Sul Nova
  • Vila dos Cabos (Exército Brasileiro)
  • Vila dos Oficiais (Exército Brasileiro)
  • Vila dos Sargentos (Exército Brasileiro)
  • Vila Andrade
  • Vila Abrão
  • Vila Guanabara
  • Vila Mutirão
  • Vila Santa Clara
  • Vila São João
  • Vila Vicentina

Meios de Comunicação[editar | editar código-fonte]


| Jornais impressos = |[[Correio Cristalinense]] [Jornais 1]

Telefonia Fixa[editar | editar código-fonte]

O sistema de telefonia fixa de Cristalina é prestado pela operadora Oi (ex - Brasil Telecom) e em algumas localidades da zona rural pela Embratel. O prefixo telefônico na cidade é o 3612 e o DDD é o (61). Desde 2011, as ligações telefônicas entre Cristalina e Brasília são tarifadas como chamadas locais.

Telefonia Móvel[editar | editar código-fonte]

As maiores empresas de telefonia celular do Brasil operam em Cristalina, por ter o DDD (61), as ligações telefônicas via celular entre Cristalina e Brasília são tarifadas como chamadas locais. Veja abaixo as operadoras de Celular que atuam em Cristalina:

Internet[editar | editar código-fonte]

O acesso à Internet na cidade de Cristalina é prestado por diversas empresas que utilizam as mais variadas tecnologias para conectar as pessoas ao mundo virtual. Na cidade existe as modalidades de Internet, via rádio, 3G e cabeada (via rede telefônica).

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Hino de Cristalina
  • Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, de Jurandyr Pires Ferreira, janeiro de 1958;
  • Histórias e Estórias de Cristalina, de Otto Mohn, 1983;
  • Biblioteca Pública Municipal Magda Faraj Santanna;
  • Notícia Geral da Capitania de Goiás, vol. I e II, de Paulo Bertan;
  • Jornal O Sudeste Goiano, Cristalina, julho de 2001;
  • Jornal Diário da Manhã, Goiás em Raio X, Cristalina, Goiânia, 23 de maio de 2002.
  • Câmara Municipal de Cristalina, http://www.legislativo.cristalina.go.gov.br.
  • Revista do Município, publicada pela Prefeitura Municipal de Cristalina e pela Secretaria de Agricultura, Indústria, Comércio e Desenvolvimento do Município, Cristalina, 2007.
  • Site: Ministério das Comunicações, http://www.mc.gov.br
  • Jornal Folha de Cristalina, Cristalina, novembro de 2008;

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  2. a b Estimativa Populacional 2013 (PDF) Censo Populacional 2013 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01/07/2013). Visitado em 23/10/2013.
  3. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 31 de julho de 2013.
  4. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 14 de dezembro de 2011.
  5. IBGE. IBGE Cidades@ - Frota 2010. Visitado em 07 de dezembro de 2010.
  6. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Banco de Dados: Cidades.
  7. Idem.
  8. [1]. Redecol Brasil - Cristalina o novo Eldorado do Planalto Central. Visitado em 7 de dezembro de 2010.
  9. Revista do Município, Publicada pela Prefeitura Municipal de Cristalina e pela Secretaria de Agricultura, Indústria, Comércio e Desenvolvimento do Município, Cristalina, 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Erro de citação: existem marcas <ref> para um grupo chamado "Jornais", mas nenhuma marca <references group="Jornais"/> correspondente foi encontrada (ou uma marca de fechamento </ref> está faltando)