Porangatu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Porangatu
Bandeira desconhecida
Brasão de Porangatu
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 25 de agosto
Fundação Não disponível
Gentílico porangatuense
Prefeito(a) Eronildo Valadares (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Porangatu
Localização de Porangatu em Goiás
Porangatu está localizado em: Brasil
Porangatu
Localização de Porangatu no Brasil
13° 26' 27" S 49° 08' 56" O13° 26' 27" S 49° 08' 56" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Norte Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Porangatu IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Novo Planalto, Araguaçu, Santa Teresa, Mutunópolis, Bonópolis, Montividiu do Norte, Trombas [2]
Distância até a capital 406 km
Características geográficas
Área 4 820,485 km² [3]
População 40 469 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 8,4 hab./km²
Altitude 496 m
Clima tropical úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,761 alto PNUD/2000 [5]
PIB R$ 320 804,990 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 7 936,79 IBGE/2008[6]
Página oficial

Porangatué uma cidade brasileira localizada no Norte de Goias. Sua população estimada em 2009 era de 40 469 habitantes. É considerado o principal município do Norte de Goiás. O município é cortado pela Rodovia Belém-Brasília (BR-153), um dos mais importantes corredores rodoviários brasileiro, por onde escoa grande parte da produção agrícola e industrial brasileira.

História[editar | editar código-fonte]

Antes da chegada dos colonizadores de origem europeia, a região era habitada pelos índios avás-canoeiros. No século XVIII, com a descoberta de ouro na região, houve a vinda dos bandeirantes, acompanhados de padres que visavam a catequizar os índios. Desse período, referências são a Fazenda Pindobeira, o bandeirante João Leite e a Igreja de Nossa Senhora da Piedade. A região sofreu novo influxo populacional durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), quando desertores do exército brasileiro se fixaram na região[7] [8] .

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Porangatu" é um termo de origem tupi que significa "bonito e bom", através da junção dos termos porang ("bonito") e katu ("bom")[9] .

Uma lenda popular dá uma versão poética para a origem do nome da cidade. É a "lenda de Angatu":

Contam os antigos que em tempos idos, que existia uma tribo dos índios Canoeiros; tinha uma índia muito bela, esposa de um dos futuros chefes da tribo. O tempo passou e chegou João Leite e seus bandeirantes e entre eles um cativou o coração da jovem índia, o forte e valente Antônio. Começaram entre os arvoredos um lindo romance. Não tardou, esse romance veio a ser descoberto e proibido, como também proibido seus encontros. Angatu e o jovem apaixonado não pensaram nos perigos que corriam e começaram, a se encontrar às escondidas,e tudo ia bem para ambos, apesar de todas as pressões ao romance. Um dia porém, os dois são levados à presença do chefe da tribo como castigo o moço é condenado a morrer flechado e o corpo queimado em uma enorme fogueira no meio da mata e ela seria obrigada a vê-lo morrer sem nada pode fazer, presa e cercada por guerreiros da tribo. O jovem bandeirante amarrado a um tronco de árvore ao receber as flechadas mortíferas expira e suas últimas palavras são dirigidas à amada: "Morro por Angatu". Assim, aquele lugar teria passado a chamar-se Porangatu em memória do amor proibido entre Angatu e Antônio.[8]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Porangatu está em sua própria microrregião, a Microrregião de Porangatu, com 40.469 habitantes em uma área de 35.287 km²; 426 km da capital, Goiânia. Esta microrregião serve como um núcleo para dezoito municípios no norte do Estado de Goiás. O município se situa a oeste da principal rodovia do estado, que é a BR-153, que liga Belém a Brasília e o sul do estado com o estado do Tocantins.

Os rios importantes são Santa Tereza, Cana Brava, Ouro Pintado, Santa Maria, Gregório e, principalmente, o Rio do Leite. O clima é quente, tropical úmido, com temperaturas que vão até 40 °C. A média mínima é de 22 °C. A elevação é de 390 metros acima do nível do mar e os pontos mais altos são a Serra da Sabina e Serra dos Picos.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura mínima registrada em Porangatu foi de 11,0 ºC, ocorrida no dia 20 de agosto de 2010, superando os 11,1 ºC do dia 18 de julho de 1975. Já a máxima foi de 36,8 ºC, observada dia 9 de setembro de 1997. O maior acumulado de chuva registrado na cidade em 24 horas foi de 167,0 mm, em 2 de janeiro de 1981.[10]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cultura em Porangatu é muito ampla, tem diversos talentos na música, poesia, teatro, pintura etc. A Academia Porangatuense de Artes e Letras "APALE", A Cia Teatral Caravana da Alegria, Grupo de Teatro Trem de Doido,são Instituições importantes no desevolvimento cultural do municipio. Porangatu envolve vários artistas: poetas, escritores, pintores, escultores, músicos, compositores etc.

Futebol[editar | editar código-fonte]

Vila Nova Porangatuenses é o time q representa Porangatu(Go) Nos Campeonatos "Goiano,Metropolitano...." Campeão Metropolitano 2013 De Futsal... É Nois estamos com uma meta de ser Campeão do campeonato Goiano 2013..

Distritos e Povoados[editar | editar código-fonte]

  • Grupelândia;
  • Ent. de São Miguel;
  • Barreiro;
  • Estreito;
  • Araras;
  • Serrinha;
  • Capelinha.

RELIGIÃO[editar | editar código-fonte]

50 % católicos ; 37 % evangélicos, sendo a maioria da Igreja Evangélica Assembléia de Deus ; 13 % Outros.

Administração[editar | editar código-fonte]

Prefeitos de Porangatu[editar | editar código-fonte]

  • Ângelo Rosa de Moura (1948 – 1952
  • Euzébio Martins da Cunha (1953 - 1956)
  • Ângelo Rosa de Moura (2º mandato 1957 - 1960)
  • Moacir Ribeiro de Freitas (1961 – 1966)
  • Pedro Teixeira Filho (1967 – 1970)
  • João Gonçalves dos Reis ((1971 – 1973)
  • Luiz Antonio de Carvalho ((1973 – 1976)
  • Trajano Machado Gontijo Filho (1977 – 1983)
  • João Gonçalves dos Reis (2º mandato, 1983 – 1988);
  • Jarbas Macedo Cunha (1989 – 1992)
  • Luiz Antonio de Carvalho (2º mandato, (1993 – 1996);
  • Julio Sergio de Melo (1997 – 2000)
  • Julio Sergio de Melo (2º mandato, (2001–2004);
  • José Osvaldo da Silva (2005-2012)[8]
  • Eronildo Lopes Valadares (2013-2016)

Referências[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. http://mochileiro.tur.br/mapago.htm
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. http://cidadebrasileira.brasilescola.com/goias/historia-porangatu.htm
  8. a b c http://www.porangatu.go.gov.br/projetos.php
  9. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  10. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). Dados Meteorológicos - Goiás. Página visitada em 16 de agosto de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]