Azul (linhas aéreas)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Azul Linhas Aéreas)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Azul Brazilian Airlines logo
IATA
AD
ICAO
AZU
Indicativo de chamada
AZUL
Fundada em 2008
Hub Aeroporto Internacional de Belo Horizonte-Confins
Aeroporto Internacional de Campinas-Viracopos
Focus cities Aeroporto Internacional de Curitiba - Afonso Pena
Aeroporto Internacional de Manaus - Eduardo Gomes
Aeroporto da Pampulha
Aeroporto Internacional de Porto Alegre - Salgado Filho
Aeroporto Internacional de Recife - Gilberto Freyre
Aeroporto Internacional de Salvador-Dois de Julho
Aeroporto Santos Dumont
Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos
Aeroporto de Congonhas/São Paulo
Programa de milhagem Tudo Azul
Frota 144
Destinos 104
Slogan Você lá em cima.

É o Brasil lá em cima.

Holding Azul TRIP S.A.
Sede Brasil Barueri, Brasil
Pessoa(s)
chave
Website www.voeazul.com.br

Azul é a uma companhia aérea brasileira e a terceira maior companhia do Brasil em número de passageiros transportados e frota, e a maior em número de destinos servidos, sendo 104 em todo o território nacional. Com as operações internacionais, a Azul tornou-se a companhia aérea de bandeira do Brasil (Flag Carrier).

Seus principais centros de operações são os aeroportos de Viracopos, em Campinas, e Confins, em Belo Horizonte. A sede administrativa da companhia fica no bairro de Alphaville.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Embraer 195 da Azul sobrevoando a cidade do Rio de Janeiro. RJ

Criada e comandada por David Neeleman, norte-americano nascido no Brasil, que também foi o fundador da companhia JetBlue, dos Estados Unidos. O início das operações se deu em 15 de dezembro de 2008. Pessoas chaves: David Neeleman, CEO da empresa, presidente é Antonoaldo Neves e seu COO (Chief Operating Officer) é Flavio Costa.

ATR 72-600 da Azul.

Apesar de nova, já detinha, em dezembro de 2011, 9,77%[1] de participação no mercado, o que lhe dá a terceira colocação entre as companhias aéreas do país. A intenção inicial era de ter uma frota composta exclusivamente de Embraer E-Jets, e para tanto, encomendou 76 aeronaves, sendo 36 encomendas confirmadas e 40 com opção de compra e direito de compra.[2] Porém, em 2009, sentindo a necessidade de atender cidades menores com voos de pequenas distâncias, encomendou aviões ATR-72, que entraram em operação a partir de 2010.

Em 28 de maio de 2012 foi anunciada a fusão da companhia com a TRIP Linhas Aéreas[3] . A fusão foi aprovada pelo CADE em 6 de março de 2013[4] . Como consequência, a TRIP Linhas Aéreas deixou de existir como companhia aérea, herdando a Azul todas as aeronaves e rotas da empresa.

Nome da empresa[editar | editar código-fonte]

Embraer 195 da Azul com livery da Azul Viagens, a operadora de viagens da linha aérea.

O nome da companhia aérea foi escolhido através de um concurso na internet, denominado "Você Escolhe", que durou 30 dias e resultou em milhares de participantes. Embora Samba tenha sido o nome mais votado, a empresa optou pelo nome Azul. A disputa foi tão acirrada entre as duas opções, que a nova empresa decidiu premiar com o passe vitalício tanto o internauta que propôs pela primeira vez o nome Azul, quanto o que propôs Samba. Os dois vão poder viajar de graça, com um acompanhante, por toda a vida.[5]

Azul TRIP[editar | editar código-fonte]

À esquerda, um Embraer 175 da TRIP Linhas Aéreas, à direita, um ATR 72-600 da Azul. Ambas empresas se fundiram em 2012.

No dia 28 de maio de 2012, a Azul e a TRIP Linhas Aéreas anunciaram uma fusão. TRIP Linhas Aéreas, que então era a maior empresa aérea com segmento regional na América Latina. Após a aprovação, a nova empresa passou a representar 15% do mercado. Com a fusão, a Azul passou a ter um mercado maior na região norte e aeroportos regionais, como o Aeroporto da Pampulha em Belo Horizonte, assim como passará a ter voos saindo do Aeroporto Internacional de Guarulhos. A fusão foi aprovada pela ANAC e pelo CADE em 2013. Até a aprovação ambas empresas mantiveram seus voos separadamente, e a partir do fim de 2013, os voos antes operados com o código T4, da TRIP, passaram a ser operados com o código AD, da Azul. A razão social da nova empresa é AZUL TRIP S/A, e opera sob a marca Azul. O fim da marca TRIP deu-se no final do ano de 2013, quando a nova pintura da Azul foi lançada, desde então a nova logomarca e nova pintura vem sendo implantadas gradativamente nas aeronaves, anúncios e lojas. Para marcar a fusão, um Embraer 195 foi pintado nas cores das duas empresas e u m Embraer e um ATR serão mantidos com as cores originais da TRIP.

Voos internacionais e companhia aérea de bandeira[editar | editar código-fonte]

Após o último passo para a integração da TRIP Linhas Aéreas e seus funcionários, a Azul retomou seus planos pré-fusão, entre eles o processo de internacionalização e expansão da companhia. Entre os planos, estão incluídos a compra de aeronaves maiores, como os Airbus A330, para o início dos voos internacionais da companhia, inicialmente para Nova York, Orlando e Fort Lauderdale, na Flórida, hubs da JetBlue, outra companhia fundada por David Neelman, e a partir desses destinos, oferecer conexões para outras regiões dos Estados Unidos, através de acordo com a JetBlue. As aeronaves escolhidas para os voos internacionais de longa distância foram os Airbus A330-200, que começam a chegar em 2014, e os Airbus A350-900, que podem chegar em 2017. [6]

Os A330 irão realizar voos domésticos e internacionais de longa distância para os Estados Unidos a partir de dezembro de 2014, e com os A350 a Azul estuda iniciar serviços intercontinentais para a Europa. O primeiro A330, chegou em junho de 2014, veio da companhia Gulf Air, do Bahrein, e contará com duas classes de serviço. Em 2015 as aeronaves serão reconfiguradas para o padrão da Azul, contando com Classe Executiva, Premium Economy (Espaço Azul) e Econômica.[carece de fontes?]. Há também a possibilidade de encomenda de aeronaves Airbus A320neo, que se adquiridas, poderão integrar rotas aéreas nacionais e internacionais latino-americanas.

Com o anúncio das novas operações internacionais, a Azul se tornou a companhia aérea de bandeira do Brasil (Flag Carrier), ostentando, em algumas aeronaves, o título "Brasil's Flag Carrier", abaixo da logo da Azul, e o nome "Brasil" em destaque.[carece de fontes?] Uma das aeronaves Airbus A330-200 recebidas pela empresa, carrega a frase "Brasil's Flag Carrier" embaixo do logotipo da companhia. Além desse detalhe,a aeronave A330-243 matriculada PR-AIV recebeu a pintura da bandeira do Brasil, assemelhando-se a outra aeronave da empresa, um Embraer 195 matriculado PR-AYV, que recebeu o mesmo tipo de pintura,e que opera na Azul desde 2011.

Acordos Interline[editar | editar código-fonte]

[carece de fontes?]

Acordos encerrados[editar | editar código-fonte]

O aeroporto de Viracopos[editar | editar código-fonte]

A Azul concentrou seus esforços no aeroporto de Viracopos, que já possuía uma boa infraestrutura por ter sido o aeroporto internacional de São Paulo antes da abertura de Cumbica.

Hoje, com cinco anos de operações, a Azul ocupa mais de 90% dos voos no aeroporto de Viracopos em Campinas e é líder na maioria dos aeroportos do qual opera.[7]

Recordes[editar | editar código-fonte]

A Azul é a empresa aérea que mais rapidamente chegou a um milhão de clientes transportados no mundo,[8] [9] com menos de oito meses de operações, no dia 13 de agosto de 2009.[10] O recorde anterior pertencia à JetBlue Airways, que havia conquistado essa marca com apenas 10 meses de vida.[9]

Outro recorde alcançado pela Azul em 2009 foi transformar-se na primeira linha aérea do mundo em transportar mais de 2 milhões de passageiros durante seu primeiro ano de operações.[11] [12] Também foi a primeira a atingir a marca de cinco milhões de passageiros em menos de dois anos.

Em agosto de 2009 a empresa lançou a Azul Cargo, de modo a utilizar as aeronaves para o transporte de mercadorias, mas com a intenção de no futuro operar com Boeings 737 e 757.[13] Nos anos de 2009 e 2010 a Azul foi eleita a empresa aérea mais pontual do Brasil.[14]

Dados históricos
Data Passageiros
13 de agosto de 2009 1 milhão de passageiros
7 de dezembro de 2009 2 milhões de passageiros
30 de abril de 2010 3 milhões de passageiros
28 de julho de 2010 4 milhões de passageiros
24 de setembro de 2010 5 milhões de passageiros
24 de novembro de 2010 6 milhões de passageiros
9 de fevereiro de 2011 7 milhões de passageiros
13 de abril de 2011 8 milhões de passageiros
19 de maio de 2011 9 milhões de passageiros
1 de julho de 2011 10 milhões de passageiros
4 de outubro de 2011 12 milhões de passageiros
9 de fevereiro de 2012 15 milhões de passageiros
5 de setembro de 2012 18 milhões de passageiros
30 de setembro de 2013 20 milhões de passageiros

Frota[editar | editar código-fonte]

A frota[15] da empresa é composta majoritariamente por aviões fabricados pela Embraer e pela Avions de Transport Régional (ATR), além de possui encomendas de aeronaves Airbus. A escolha pelos aviões da Embraer se deu pela boa experiência que David Neeleman teve com o modelo na JetBlue. As aeronaves ATR foram escolhidas devido à necessidade de realização de rotas regionais mais curtas.

A Azul é a maior operadora mundial de aeronaves ATR e do modelo Embraer 195. As aeronaves Airbus 330-200 serão empregadas em rotas internacionais de longa distância. A Azul tem o costume de batizar suas aeronaves, em muitos casos premiando seus funcionários com o direito de escolher o nome. Parte das aeronaves Airbus A330-200 da empresa foram operadas anteriormente pelas companhias Emirates Airlines, Gulf Air, South African Airways, e Gulf Air. Atualmente, os cinco Airbus A330-200 pendentes (já usados), estão estocados em Toulouse, na França.

Aeronave Total Pedidos Passageiros Rotas Notas
J Y+ Y Total
Airbus A320neo
35
TBA Rotas domésticas. Encomendas ainda serão formalizadas.
Airbus A330-200
2
6
42
208
250
Rotas internacionais longas. Serão entregues entre 2014 e 2015.
Serão reconfigurados para o padrão Azul a partir de 2015.
Airbus A350-900
5
TBA Rotas internacionais longas. Serão entregues a partir de 2017.
ATR 42-500
7
47
47
Rotas regionais de baixa densidade. Provenientes da TRIP.
ATR 72-500
13
68
68
Rotas regionais. Provenientes da TRIP.
ATR 72-600
37
70
70
Rotas regionais. 6 Provenientes da TRIP.
Embraer 190
22
22
84
106
Rotas médias. 12 provenientes da TRIP.
Embraer 195
56
15
96
118
Rotas médias, rotas longas. Maior operadora mundial de E195.
Embraer 195-E2
30
TBA Rotas médias, rotas longas. Encomendas serão finalizadas até o 4° trimestre de 2014.
Cliente lançadora do modelo.
Serão entregues a partir de 2019.
Total de aeronaves
140
78
Atualizado: 15 de outubro 2014

Frota aposentada[editar | editar código-fonte]

TV ao vivo a bordo futebol on-line[editar | editar código-fonte]

o primeiro semestre de 2012 entrou no ar nos aviões da Azul um sistema de TV ao vivo a bordo com uma programação de 36 canais. O sistema é oferecido em parceria com a SKY e a programação é transmitida, via satélite, para as aeronaves. Ter programação de TV ao vivo era uma das promessas do fundador David Neeleman desde a criação da empresa. Inicialmente, eram 6 aeronaves com o sistema parcialmente operante[16] . Em outubro de 2012, foi, oficialmente, lançado o programa com 48 canais de televisão ao vivo em parceria com a Sky em 40 aeronaves da frota, todos Embraer 190 e 195 num investimento total de R$ 100 milhões[17] .

Azul 7662 MGF 10 2009.JPG

Ônibus[editar | editar código-fonte]

Ônibus Azul

A Azul tem uma rede de ônibus executivos gratuitos para traslado de algumas cidades para alguns aeroportos que opera e vice versa. Os serviços de Viracopos eram, inicialmente, operados pela empresa Leads, mas, em 2013, a Azul trocou o contrato para a Viação Lira, que opera com nome fantasia Lirabus. As linhas de Navegantes (SC) são operadas por outra empresa de ônibus. As linhas contemplam:[18]

São Paulo (Capital e grande São Paulo)

São Paulo (Interior)

Santa Catarina

Destinos[editar | editar código-fonte]

A Azul opera em mais de 100 destinos em todo o território nacional, o maior número dentre todas as companhias aéreas brasileiras, e recebeu autorização da ANAC para operar voos para os Estados Unidos, previstos para dezembro de 2014.

Doméstico[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 05/08/14

Região Norte[editar | editar código-fonte]

Região Centro Oeste[editar | editar código-fonte]

Região Nordeste[editar | editar código-fonte]

Região Sudeste[editar | editar código-fonte]

Região Sul[editar | editar código-fonte]

Internacionais[editar | editar código-fonte]

A Companhia irá operar voos entre o Brasil e os Estados Unidos. O aval foi concedido pela Anac, onde foram liberadas 18 frequências semanais para a realização de "serviços aéreos mistos" entre os dois países. Os voos serão lançados a partir do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, e conectados à rede doméstica. [19]


América do Norte[editar | editar código-fonte]

Incidentes[editar | editar código-fonte]

NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

2009[editar | editar código-fonte]

  • 24 de novembro de 2009: no voo 4061, que transportava 94 pessoas de Salvador para Campinas, uma despressurização na cabine do avião Embraer 190 ocasionou o acionamento das máscaras de oxigênio e levou a tripulação a iniciar uma descida de emergência para o FL100 (nível de voo 100).[nota 1] O avião retornou a Salvador e pousou em segurança. Ninguém se feriu.[21]

2011[editar | editar código-fonte]

Dia 1 de janeiro de 2011, após uma hora de voo, o voo 4224, que fazia a rota Fortaleza-São Paulo-Campinas teve que fazer um pouso de emergência no Aeroporto Senador Nilo Coelho em Petrolina devido a um passageiro que passou mal.

No dia 20 de janeiro de 2011, o voo 4213, operado com Embraer 195, sofreu um bird strike (colisão com pássaro) no momento da decolagem em São Luís com destino a Belo Horizonte. Felizmente os danos foram mínimos e a aeronave pôde prosseguir normalmente e em segurança até o pouso em Confins. Em seguida, a aeronave passou por manutenção e retornou à malha aérea.

No dia 31 de janeiro de 2011, o voo 4179 sofreu um problema hidráulico. O avião vinha de Vitória com destino a Curitiba. Em altitude de cruzeiro, o piloto constatou o problema e decidiu fazer um pouso de emergência no Rio de Janeiro. Nenhum dos 90 passageiros se feriu. Após o pouso, a aeronave necessitou de auxílio para ser conduzida ao pátio do aeroporto.

No dia 24 de setembro de 2011, também o voo 4311, que saia de São José do Rio Preto (SP) e destino Campinas (SP), operado, também, pela aeronave ATR72/200, abortou a decolagem por pássaros ao redor do aeroporto. Com isso, os freios sofreram superaquecimento. O voo tinha 67 pessoas a bordo, mas, somente, uma pessoa se feriu. Segundo os passageiros, esse voo precisou, antes, retornar a São José do Rio Preto (SP) devido ao fechamento do aeroporto de Campinas (SPP devido a neblina. Os passageiros foram reacomodados em outro voo.

No dia 30 de dezembro de 2011, o voo 9136, que saiu de Fortaleza com destino Teresina (PI), pousou no aeroporto errado. Ao invés de pousar no aeroporto Petrônio Portela, pousou em um aeroporto particular em Timon (MA). O piloto só percebeu o engano quando já estava em solo. A torre de Teresina pensou que o avião tinha caído e já havia dado o alerta para os bombeiros quando o avião retornou a Teresina com vinte minutos de atraso. O piloto utilizou vários argumentos para justificar o erro, dentre eles, a falta de comunicação com Teresina. Os dois aeroportos têm dimensões iguais e a distância entre os aeroportos é de apenas 6 km. O copiloto afirma que havia visto duas pistas, mas escolheu a de Timon, pois estava mais centralizada com o avião. O voo prosseguiu sem problemas. Não foi a primeira vez que tal fato ocorreu. Em 2001, um Fokker 100 da TAM pousou neste mesmo aeroporto por engano, mas, desta vez, o piloto percebeu o engano na hora do pouso e arremeteu. O avião da TAM sofreu danos no trem de pouso.

2012[editar | editar código-fonte]

No dia 19 de julho de 2012, um Embraer 195 da Azul (o voo 4101 que fazia a rota Campinas - Aracaju - Maceió - Campinas) teve um incêndio em um de seus motores ao pousar no Aeroporto Internacional de Maceió. Apesar do incidente, ninguém se feriu. O problema foi causado por um vazamento de óleo do motor. Após o incidente, os passageiros seguiram viagem, normalmente, no mesmo avião, com um pouco de atraso de viagem.

No dia 19 de agosto de 2012, no Aeroporto de Teresina, Petrônio Portela, um avião da Azul (voo 4193 - que tinha como destino a cidade de Campinas (SP) e previsão de decolagem para 6h40) teve que cancelar a decolagem após registrar um princípio de incêndio no motor #2 (direito) da aeronave. Não houve feridos. Os passageiros foram alocados em outro voo.

No dia 28 de setembro de 2012, um avião da companhia aérea Azul, procedente de Campinas, em São Paulo, saiu da pista após tentar, por duas vezes, pousar no Aeroporto Municipal de Cascavel, no oeste do Paraná.

2013[editar | editar código-fonte]

Em 14 de Fevereiro de 2013, um Embraer 195 da AZUL, que saia do aeroporto de Viracopos, retornou, ao aeroporto, após perder contato com a torre de controle. A aeronave teve que fazer um pouso de emergência, pois o trem de pouso também estava quebrado.

Em 22 de Março de 2013, um jato Embraer da Azul, que decolou do Rio de Janeiro, do Aeroporto Santos Dumont, teve problemas mecânicos. A aeronave seguia para Belo Horizonte. O piloto fez um pouso de emergência.

Em 25 de Março de 2013, um jato Embraer da Azul, que saia de Salvador da Bahia com destino a São Paulo Viracopos, em Campinas, teve pane. Dois passageiros tiveram arritmia cardíaca. A aeronave fez um pouso de emergência em Belo Horizonte e os passageiros foram colocados em outra aeronave depois de mais de 7 horas de espera no aeroporto.

Em 26 de Julho de 2013, num turboélice do modelo ATR 72-500 da TRIP(Azul), realizando voo T4-5591 de Maceió (AL) para Salvador (BA) com 58 passageiros e 4 tripulantes a bordo, foram detectadas graves vibrações em ambos os motores. A tripulação, intencionalmente, desligou os 2 motores afim de recuperar o controle da aeronave. Alguns minutos depois, conseguiram ligar os motores novamente. A aeronave alternou para Salvador (BA) para pousar em segurança. O CENIPA do Brasil está investigando o caso com apoio da Azul e ATR. [23]

Em 18 de outubro de 2013, uma aeronave, com destino a Juiz de Fora, apresentou problemas durante o voo 5398. O voo levava, para Juiz de Fora, os jogadores e a comissão técnica do Juventude de Caxias do Sul (RS). Trinta minutos após a decolagem do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), o avião precisou retornar à cidade. O avião saiu de Campinas às 12h34 com previsão de chegada a Juiz de Fora às 14h05. A assessoria da empresa informou que a aeronave apresentou problemas técnicos. Todos os clientes, inclusive os jogadores e comissão técnica do time, foram reacomodados em um voo extra e receberam assistência da companhia. Além disso, a aeronave que apresentou problemas foi encaminhada para conserto. O novo voo chegou por volta das 17h15 em Juiz de Fora.

Em 05 de Dezembro de 2013, uma aeronave modelo ATR, partindo do Aeroporto Afonso Pena (Curitiba-PR) com destino ao Aeroporto Salgado Filho (Porto Alegre-RS) enfrentou uma forte turbulência ao passar pela região entre os estados do Paraná e Santa Catarina, o qual promoveu um problema técnico na caixa preta da aeronave. Nenhum passageiro ficou ferido.

Em 05 de Dezembro de 2013, uma aeronave modelo ATR, partindo do Aeroporto Salgado Filho (Porto Alegre-RS) com destino ao Aeroporto Lauro Carneiro de Loyola (Joinville-SC), teve sua decolagem abortada por conta de problemas na caixa preta. Os passageiros foram gentilmente direcionados para outra aeronave com destino ao Aeroporto Afonso Pena (Curitiba-PR) e então levados de ônibus disponibilizado pela companhia até a cidade catarinense de destino.

Em 14 de dezembro de 2013, um jato modelo Embraer 195 decolou do aeroporto de Viracopos com destino ao aeroporto de Uberlândia, realizando o voo AD6913, derrapou e atolou após o pouso. O piloto não conseguiu frear a aeronave antes do fim da pista, que estava molhada e escorregadia por causa da chuva. Havia mais de 90 passageiros a bordo, mas ninguém se feriu.[24]

Notas

  1. Aproximadamente 10 000 pés (3 050 metros) acima do nível médio do mar.

Referências

  1. Market Share Azul Agência Nacional de Aviação Civil.
  2. Uma nova empresa para o Brasil.
  3. Veja
  4. [1]
  5. Depois de pouco mais de 30 dias de campanha Você Escolhe, foi definido o nome da nova companhia aérea brasileira: Azul Linhas Aéreas Brasileiras
  6. http://azulnews.com.br/azul-linhas-aereas-vai-de-airbus-nas-linhas-internacionais/
  7. [2]
  8. "ABAV Nacional critica promoção anunciada pela Azul". Notícias. Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV). Visitado em 23 de novembro de 2014.
  9. a b Fleury, Pedro Leme. Estudo sobre estratégias de negócios de empresas de transporte aéreo para atender o mercado de baixa renda: estudo de caso. Formato PDF. São Paulo: Universidade de São Paulo (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade), 2010. 159 pp. p. 127. Visitado em 23 de novembro de 2014.
  10. Guedes, Camila Rodrigues. O marketing de relacionamento nas mídias sociais: Análise das companhias aéreas Gol e Azul no Facebook. Formato PDF. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora (Faculdade de Comunicação Social), 2013. 78 pp. p. 44. Visitado em 23 de novembro de 2014.
  11. Brazil's Azul Airlines Reaches First Anniversary With World-Record Results Yahoo! Finance (18 de janeiro de 2010). Visitado em 22 de janeiro de 2010.
  12. AZUL comemora seu primeiro aniversário Brasil Turis Jornal (15 de dezembro de 2009). Visitado em 22 de janeiro de 2010.
  13. [3]
  14. Azul é a mais pontual em janeiro Revista Avião Revue.
  15. CH Aviation Azul Fleet, recuperado em 15 de outubro 2014
  16. [4]
  17. [5]
  18. ônibus Azul
  19. Anac libera voos da Azul entre Brasil e Estados Unidos. Visitado em 11 de agosto de 2014.
  20. (22 de junho de 2009) "Avião da Azul que teve pane em turbina recebe reparos em Navegantes". ANotícia. Grupo RBS. Visitado em 23 de novembro de 2014.
  21. HRADECKY, Simon. (25 de novembro de 2009). "Incident: Azul E190 near Salvador on Nov 24th 2009, loss of cabin pressure" (em en). The Aviation Herald. NOMIS SOFT. Visitado em 23 de novembro de 2014.
  22. SIQUEIRA, Chico. (22 de setembro de 2011). "Fogo em turbina faz avião da Azul retornar a aeroporto em SP". Cidades. Araçatuba: Terra. Visitado em 23 de novembro de 2014.
  23. http://avherald.com/h?article=46691b8a&opt=0
  24. PORTILHO, Carolina. (15 de dezembro de 2013). "Avião atolado é retirado da pista do aeroporto de Uberlândia". G1. Minas Gerais: Globo. Visitado em 23 de novembro de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Azul (linhas aéreas)