Aeroporto Internacional de Belo Horizonte-Confins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
BH Airport - Aeroporto Internacional de
Belo Horizonte
Tancredo Neves BH AIRPORT LOGO.PNG
Digitalizar0002Aerocf.jpg
IATA: CNF - ICAO: SBCF
Tipo Público
Administração BH Airport S.A.
Serve Belo Horizonte e Região Metropolitana
Localização Brasil Confins, MG
Inauguração Março de 1984


Altitude 827,5 m (2 715 ft)
Movimento em 2013 10.301.288 passageiros [1]
12.223.274 kg de carga[2]
109.257 aeronaves[3]
Capacidade anual 10,2 milhões de passageiros Ir
Website oficial Página oficial
Pistas
A atual está sendo ampliada para 3600 metros, espera-se que as obras terminem no fim de 2014
Cabeceiras Comprimento Superfície
16/34 3 000 m (9 843 ft) Asfalto

O Aeroporto Internacional Tancredo Neves (IATA: CNFICAO: SBCF), mais conhecido como Aeroporto de Confins, (1985) é o principal aeroporto do estado de Minas Gerais. Localiza-se no município de Confins, em Minas Gerais. O aeroporto serve principalmente Belo Horizonte, bem como sua Região Metropolitana. O complexo possui um terminal com capacidade de atender a uma demanda de 10 milhões de passageiros/ano, podendo receber aviões de grande porte, como o Boeing 747 e o Antonov An-124.

O aeroporto se localiza na Rodovia MG-10, a aproximadamente 8 km do centro de Confins e a 40 km de Belo Horizonte.

O Aeroporto Internacional Tancredo Neves concentra em suas instalações sistemas de avançada tecnologia, um terminal de carga aérea totalmente automatizado, pista de pouso com 3000m x 45m dotada de equipamentos para pouso de precisão e todos os demais auxílios às operações aeronáuticas.

História[editar | editar código-fonte]

Durante muitos anos, o pequeno Aeroporto da Pampulha foi o principal aeroporto de Belo Horizonte, porém o mesmo sofria com frequentes fechamentos e inundações, devido à sua localização. Ainda foi previsto que em alguns anos o Aeroporto fosse engolido pela cidade, inviabilizando sua utilização. Assim, o Governo iniciou estudos para a construção de um novo aeroporto em Belo Horizonte. O local escolhido foi o distrito de Confins, a cerca de 40 quilômetros do centro da capital. Na escolha do local foi levado em consideração estudos que apontavam uma previsão de que a cidade cresceria até certo ponto e dessa forma o aeroporto não sofreria com os mesmos problemas que afetavam o Aeroporto da Pampulha. Apesar de arqueólogos afirmarem que a existência do aeroporto no local poderia danificar grutas com tesouros arqueológicos na região, o local foi mantido.

O projeto[editar | editar código-fonte]

O projeto elaborado foi o de um grande aeroporto industrial dividido em quatro fases, que seriam realizadas de acordo com a demanda do aeroporto. O Projeto consistia em um aeroporto com duas pistas paralelas de cerca de 3000 metros e quatro módulos de terminais de passageiros, cada qual com um anexo no qual se localizariam lojas, a administração e dois estacionamentos. As obras de terraplanagem começaram em 1980, para construir a plataforma onde se ficaria o aeroporto. As obras do terminal se iniciaram em 81. Durante os anos de 1982 e 1983, o aeroporto recebeu 190 aviões que não puderam aterissar no Aeroporto da Pampulha. Os passageiros desembarcam no terminal de cargas, que já estava pronto, recebendo depois modificações provisórias.

Sala de embarque do aeroporto

A inauguração[editar | editar código-fonte]

O terminal foi inaugurado em janeiro de 1984, porém com metade de sua capacidade operacional. O primeiro avião a fazer um voo regular de passageiros em Confins foi um 737-200 da VASP, que veio procedente de Belém e São Luis, e seguiu para São Paulo. A inauguração oficial foi em março de 1984.

As operações e o abandono[editar | editar código-fonte]

A primeira companhia aérea a operar no Aeroporto foi a VASP, seguida pela Varig. No início de suas operações, o Aeroporto recebeu um número maior de operações fretadas. A primeira ligação Internacional do Aeroporto foi feita pela LAB, para Santa Cruz de la Sierra. Depois da LAB, veio a PLUNA, em 1993, voando para Montevidéu e em seguida, a American Airlines anunciou voos para Miami com escala em São Paulo. Depois ainda vieram United Airlines para Miami, Varig para Nova Iorque e depois a Continental Airlines para Newark e Rio de Janeiro, e muitos fretamentos. O Aeroporto estava em seu auge. Porém, a partir do início de 2000 a situação do Aeroporto piorou. Os voos em Confins passaram a ficar mais escassos: A PLUNA saiu em 1996, seguida da LAB, United, Continental Airlines e em 2004, a American Airlines. O Aeroporto estava com um único voo da Varig para Guarulhos, poucos da VASP e quatro da TAM, que chegou no final da década de 90. O principal motivo da saída das companhias aéreas foi a localização do aeroporto em relação à cidade.

Interior do aeroporto

Reabertura[editar | editar código-fonte]

A situação do Aeroporto da Pampulha era muito ruim. Em seu pequeno terminal, desembarcavam cerca de 3 voos simultaneamente, sendo que a sala de desembarque só contava com uma esteira. A Sala de Embarque vivia lotada e o aeroporto constantemente fechava. O Governo deveria pensar rápido, já que a Pampulha estava recebendo cada vez mais voos. Foi então decidido que o Aeroporto de Confins deveria receber os voos da Pampulha, que ficaria restrita a voos regionais. Mas o Aeroporto de Confins estava em condições de abandono e uma restauração deveria ser feita. Além disso, a rodovia de acesso ao aeroporto era de pista simples e perigosa e necessitava de uma ampliação. Foi então lançado o projeto conhecido como Linha Verde, que duplicaria a rodovia, reduzindo o tempo do percurso entre o centro e o aeroporto de mais de uma hora para cerca de 40 minutos. O trajeto melhorou o caminho para Confins desde o centro de Belo Horizonte, canalizando o Ribeirão Arrudas, melhorando a Avenida Cristiano Machado até chegar à rodovia, que também foi duplicada. No aeroporto foram modernizados os banheiros, balcões de check-in, salas de embarque e desembarque. Os monitores de informação de voo foram substituídos por novos de LCD. O terraço, antes aberto, foi coberto e foram instaladas janelas. Enquanto isso, a Pampulha só receberia voos para São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. O aeroporto começou a receber os novos voos em 2005, primeiramente operaram GOL, TAM, Varig e OceanAir.

Após a reabertura[editar | editar código-fonte]

O aeroporto começou a receber cada vez mais voos e passageiros, sofrendo um aumento superior a 2 milhões de passageiros transportados. Logo no segundo ano desde a tranferência de voos, TAM e Gol inauguraram rotas para Buenos Aires, com escalas em São Paulo (GRU) e Rio de Janeiro (GIG), reinaugurando a Sala de Embarque "A" Internacional. Os passageiros, dessa forma, têm acesso mais rápido a todos os destinos internacionais operados a partir desses aeroportos, pois realizam embarque e desembarque internacional, com todos os procedimentos e a alfândega em Confins, e apenas trocam de aeronave durante a escala ou conexão para outros voos internacionais. Ainda em 2007, chegou a WebJet, e já no final desse ano, a TAP anunciou um novo voo para Lisboa, começando no início do ano seguinte. Posteriormente, em 2008, chegaram a Copa Airlines, voando para a Cidade do Panamá, e a American Airlines que voltou a operar em novembro, voando para Miami sem escalas. Alguns meses antes, ainda em 2008, a TAM inaugurara um serviço de Belo Horizonte para Miami, com escala no Rio de Janeiro (GIG), e outro para Paris, com escala em São Paulo (GRU), os quais foram descontinuados em 2012, juntamente com todos os serviços da TAM para Buenos Aires, destino que agora conta apenas com os voos da Gol e suas respectivas escalas em São Paulo (GRU) e Rio de Janeiro (GIG).

Ano de 2010[editar | editar código-fonte]

O ano de 2010 foi um ano de grandes expansões no aeroporto, principalmente por parte das empresas Azul, TRIP e Webjet, que inauguraram voos para destinos como Belém, Porto Velho, Manaus, Rio Branco, Ribeirão Preto, Navegantes e outros destinos nunca antes operados a partir de Confins, como Fortaleza, Maceió e Porto Alegre. A Infraero abriu a licitação para modernização do terminal do aeroporto, com a instalação de novos balcões de check-in, esteiras de bagagem, entre outras melhorias. Em dezembro, a TAM iniciou um voo direto para Miami, com seus Boeing 767-300, três vezes por semana. Esse voo, atualmente, é a única ligação internacional operada por uma companhia aérea brasileira, sem escalas, a partir de Confins. Na mesma época, o Governo de Minas Gerais solicitou que a TAM estudasse a viabilidade para a abertura de uma nova rota, que ligaria Belo Horizonte a Paris, sem escalas.

Ano de 2011[editar | editar código-fonte]

Em 2011, os fatos de maior destaque dizem respeito à consolidação dos bem sucedidos voos internacionais a partir de Confins, como a aprovação da solicitação da American Airlines para a operação de mais três frequências no voo para Miami, totalizando sete frequências semanais (apesar de a companhia proceder eventuais reduções na frequência durante a baixa temporada). A Copa Airlines, com a adição de mais duas frequências semanais e aeronaves maiores, também passou a oferecer voos diários para a Cidade do Panamá.

Ano de 2013[editar | editar código-fonte]

A Austral Líneas Aéreas, companhia que pertence ao grupo Aerolíneas Argentinas, iniciou no dia primeiro de junho a operação do seu voo diário para Buenos Aires, possibilitando ligações rápidas com destinos da América do Sul e da Oceania a partir do Aeroporto de Ezeiza. O edital de concessão à iniciativa privada foi publicado após passar por consulta pública, e o pregão, realizado em novembro, teve como vencedor o consórcio Aerobrasil, formado pela CCR e pelas Operadoras Flughafen Zürich e Flughagen München, dos aeroportos de Zurique e Munique, respectivamente.

Copa 2014[editar | editar código-fonte]

Com as obras de ampliação prontas para começar e cada vez mais voos sendo solicitados o ano começou bem para o Aeroporo de Confins, porém em fevereiro, o TCU barrou a licitação para as obras de reforma do terminal I de CNF, alegando que a mesma apresentava irregularidades em relação ao licenciamento ambiental. O TCU exigiu que uma nova licitação seja feita. Em abril de 2011, o Governo Brasileiro anunciou que, de acordo com as previsões, 10 dos 13 aeroportos de Cidades-Sede da Copa do Mundo FIFA de 2014 não estariam prontos até o início dos jogos, incluindo Confins. O Governo anunciou então um projeto de concessão das obras de ampliação de aeroportos para empresas estrangeiras, sendo a(s) empresa(s) que apresentar(em) a(s) melhor(es) proposta(s) ganhará(ão). Os primeiros aeroportos a terem a concessão foram Guarulhos,em São Paulo, Viracopos, em Campinas e Brasília. No final de 2013, definiu-se a concessão dos aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro e de Confins. O Governo Estadual vem assessorando a INFRAERO no projeto de construção de um segundo terminal de passageiros. Dessa forma, está em fase de contratação os estudos ambientais EIA/RIMA para a retirada de licenciamento ambiental, necessário na construção do segundo terminal. Posteriormente, ainda para 2011, está prevista a licitação dos projetos básico e executivo do referido terminal. Para a reforma do terminal I está previsto a ampliação da pista de 3000 metros para 3750 além da reforma e ampliação de salas de embarque, balcões de check in, elevadores, construção de um novo pátio de aeronaves dentre outros. A reforma ampliará a capacidade de CNF de 10 milhões de passageiros anuais, para 17,1 milhões.

Movimento Operacional[editar | editar código-fonte]

O aeroporto por dentro.
Histórico - Movimento Operacional[4]
Ano Passageiros
2012 10.398.296Aumento
2011 9.534.986Aumento
2010 7.261.041Aumento
2009 5.617.171Aumento
2008 5.189.528Aumento
2007 4.340.129Aumento
2006 3.727.501Aumento
2005 2.893.299Aumento
2004 388.580Aumento
2003 364.910Aumento
Maiores rotas domésticas de Confins em 2010[5]
Rank Origem Passageiros

(desembarques)

Destino Passageiros

(embarques)

1
São Paulo São Paulo-Congonhas, São Paulo
709.616
São Paulo São Paulo-Congonhas, São Paulo
683.754
2
Distrito Federal (Brasil) Brasília, Distrito Federal
464.194
Distrito Federal (Brasil) Brasília, Distrito Federal
477.175
3
São Paulo São Paulo-Guarulhos, São Paulo
408.914
São Paulo São Paulo-Guarulhos, São Paulo
418.994
4
Rio de Janeiro Rio de Janeiro-Santos Dumont, Rio de Janeiro
367.529
Rio de Janeiro Rio de Janeiro-Santos Dumont, Rio de Janeiro
366.578
5
Bahia Salvador, Bahia
244.757
Bahia Salvador, Bahia
260.978
6
São Paulo Campinas, São Paulo
200.303
São Paulo Campinas, São Paulo
235.216
7
Espírito Santo (estado) Vitória, Espírito Santo
199.153
Rio de Janeiro Rio de Janeiro-Galeão, Rio de Janeiro
197.257
8
Rio de Janeiro Rio de Janeiro-Galeão, Rio de Janeiro
195.752
Espírito Santo (estado) Vitória, Espírito Santo
190.692
9
Pernambuco Recife, Pernambuco
175.787
Pernambuco Recife, Pernambuco
124.891
10
Bahia Porto Seguro, Bahia
114.547
Bahia Porto Seguro, Bahia
108.008

O Aeroporto[editar | editar código-fonte]

O Terminal[editar | editar código-fonte]

Aeroporto Confins

O terminal de passageiros possui um piso térreo, um mezanino e um terraço de observações. Além disso, em frente ao terminal fica um anexo no qual existe um pequeno comércio.

Piso térreo

No piso térreo se localizam:

  • Balcões de Check-in
  • Lojas de companhias aéreas
  • Livraria
  • Casa de câmbio
  • Desembarque Doméstico e Internacional
  • Quiosques de refeições
  • ANAC
  • Balcão de Informações da BH Airport

Piso Mezanino

No mezanino se localizam:

  • Embarque Doméstico e Internacional
  • Loja "Dufry"
  • Polícia Federal
  • ANVISA
  • Receita Federal

Terraço de Observações

No terraço existem sanitários e o restaurante "The Collection"

Embarque Doméstico

A sala de embarque doméstico possui sete portões de embarque por fingers e mais dois portões de embarque remoto. A sala possui três equipamentos de Raio-X, um anexo da livraria, sanitários e um restaurante, além de tomadas para carregar celulares e internet Wi-Fi.

Embarque Internacional

A sala de embarque internacional possui dois aparelhos de raio-X e múltiplos guichês de inspeção de passaporte. Em seu interior existe uma loja do Free Shop, sanitários e uma banca de revistas. No setor internacional existem dois portões de embarque.

Desembarque Internacional

No desembarque internacional existem sanitários, uma esteira de bagagem, uma loja do Free Shop, além da alfândega e dois guichês de inspeção de passaportes. Uma expansão da sala está sendo realizada, prevê-se que será instalada uma nova esteira e mais guichês de inspeção de passaporte.

Desembarque Doméstico

Nele existem sanitários e cerca doze esteiras de bagagem.

Anexo

No anexo se localizam dois restaurantes, lojas, uma farmácia, uma pequena praça de alimentação e uma posição de pagamento de estacionamento.

Expansão[editar | editar código-fonte]

Visando a novas melhorias para a Copa de 2014, recentemente a Infraero anunciou investimentos de R$ 408 milhões em infra-estrutura.

Desde a reabertura do aeroporto, muitos projetos de expansão foram realizados.

Embraer 195 da Azul em Confins.

A primeira delas foi a inauguração do novo estacionamento, em 19 de julho de 2010, oferecendo 1.538 vagas, ocupando uma área total de 41.208,00 m². Outra obra que ainda está sendo executada é a expansão do desembarque internacional, que atualmente conta com apenas uma esteira, dois guichês de imigração, um para cidadãos brasileiros e outro para outras nacionalidades, uma pequena loja de Free Shop, a alfândega e dois banheiros que se localizam em um ambiente pequeno sem infraestrutura para oferecer conforto adequado a um voo de 200 pessoas. A livraria que ficava ao lado do desembarque foi movida para um grande quiosque em frente ao antigo local, para dar lugar à sala de desembarque. O projeto não foi divulgado, mas se prevê que a alfândega seja trocada de lugar, tornando a sala mais ampla, sejam instalados mais guichês de imigração e que outra esteira de bagagem seja instalada, já que existe uma previsão de, até o final do ano, dois voos com mais de 200 pessoas desembarcando em um intervalo de pouco mais de uma hora. A Infraero abriu uma licitação para previsão dos impactos ambientais de uma real ampliação do aeroporto, que deverá ter licitação aberta após a aprovação da atual.

As obras executadas serão:

  • Ampliação da atual pista de pouso de 3000m para 3600m;
  • Construção de um segundo pátio de aeronaves, já visando a construção de um segundo terminal de passageiros;
  • Construção de novas taxiways, ligando o terminal de passageiros ao terminal de cargas e o terminal de cargas ao Centro de manutenção da GOL.
  • Ampliação do pátio do terminal de cargas;
  • Construção de mais duas saídas rápidas da pista de pouso;
  • Modernização do atual terminal de passageiros;
  • Construção de uma reza ao final da cabeceira 34.
  • Construção de pistas de acesso a uma segunda pista que poderá vir a ser construída na planejada fase 3 das obras de ampliação.

As obras visam o movimento operacional durante a copa de 2014, e devem ser concluídas antes da copa das confederações de 2013.

Foi liberado um edital em Novembro de 2010 para realização das obras de ampliação e modernização do terminal de passageiros. Serão executadas as seguintes obras:

  • Construção de novos balcões de Check-in no formato "ilha" aumentando de 42 para 64 o número de balcões;
  • Cobertura da área aberta entre o terminal e o módulo comercial;
  • Construção de um jardim interno;
  • Ampliação das salas de embarque/desembarque doméstico e internacional;
  • Construção de novas pontes de embarque com paredes de vidro e mobilidade geral;
  • Construção de novas áreas comerciais no térreo e mezanino;
  • Construção de novos elevadores (sendo 6 deles panorâmicos) e escadas rolantes;
  • Transformação de parte do terraço panorâmico em área administrativa do aeroporto;
  • Construção de uma nova ligação entre os estacionamentos e o terminal;
  • Fechamento da entrada do saguão substituindo a atual entrada tipo "Saguão Aberto" por entradas de portas automáticas.

Ainda serão realizadas outras obras de infra-estrutura no Aeroporto.

Informações[editar | editar código-fonte]

Números[6]


Sítio Aeroportuário:

  • Área15.010.000 m²

Pátio das Aeronaves:

  • Pátio 1: 186.020 m²
  • Pátio 2: 8.617,17 m²
  • Pátio 3: 16.800 m²

Pontes de embarque: 09

Estacionamento de aeronaves:

  • Pátio 1: 18 posições
  • Pátio 2: 07 posições para aviação geral e 01 heliponto
  • Pátio 3: 03 posições para aeronaves cargueiras

Pista

  • dimensões: 3.000m x 45m

Terminal de Passageiros

  • Área: 53.949,70 m²
  • Capacidade/Ano: 10,2 milhões de passageiros

Estacionamento de veículos

  • Capacidade: 2.005 vagas
Endereço


Aeroporto Internacional Tancredo Neves,

Confins - MG

CEP: 33500-900

Acessos :

  • MG-10 (Linha Verde - Av. Presidente Antônio Carlos / Av. Cristiano Machado)
  • MG-424
Distâncias[7]


  • Centro de Belo Horizonte - 39,8 km
  • Rodoviária - 39,5 km
  • Aeroporto da Pampulha - 33,4 km
Serviços[8]


  • Balcão de Informações da BH Airport
  • Perdidos e achados
  • Polícia Militar
  • Polícia Civil
  • Polícia Federal
  • Receita Estadual
  • Receita Federal
  • Vigilância Sanitária
  • VIGIAGRO
  • ANAC
  • DER
  • Juizado da Infância e Juventude
Facilidades[9]


  • Bancos
  • Caixas Eletrônicos
  • Posto Médico
  • Estacionamento
  • Táxi
  • Locadora de Veículos
  • Farmácia
  • Fraldário
  • Casa de Câmbio
  • Alimentação
  • Ônibus Executivo
  • Trasporte Urbano
  • Proteção de Bagagem
  • Correio
  • Lotérica
  • Moda e Beleza
  • Livraria
  • Free Shopping
  • Flores
  • Turismo
  • Internet
  • Produtos Regionais
  • Artesanato

Companhias aéreas e destinos[editar | editar código-fonte]

Atualmente operam voos domésticos em Confins as companhias Avianca Brasil, Azul, Gole TAM.

Companhias Terminal Aeronaves Voos Domésticos regulares[10]
Brasil Avianca Brasil 1-R Airbus A318 Distrito Federal (Brasil) Brasília
Brasil Gol Linhas Aéreas 1-B Boeing 737-700

Boeing 737-800

Brasil Azul 1-B Airbus A330-200

ATR 72-500

ATR 72-600

Embraer 195

Embraer 190

Brasil TAM Airlines 1-B Airbus A319

Airbus A320

Airbus A321

Operam voos internacionais as companhias American Airlines, Aerolíneas Argentinas, Copa Airlines, Gol, TAM e TAP Portugal.

Companhias Terminal Aeronaves Voos Internacionais regulares[10]
Estados Unidos American Airlines 1-A Boeing 767-300ER Estados Unidos Miami
Argentina Aerolíneas Argentinas 1-A Boeing 737-800

Embraer 190

Argentina Buenos Aires-Ezeiza
Panamá Copa Airlines 1-A Boeing 737-800 Panamá Cidade do Panamá

Estados Unidos Tampa (Flórida)

Brasil TAM Airlines 1-A Boeing 767-300ER Estados Unidos Miami
Portugal TAP Portugal 1-A Airbus A330-200

Airbus A340-300

PortugalLisboa
Brasil GOL 1-A Boeing 737-800 República DominicanaPunta Cana (inicia em 24 de novembro de 2014) [11]


As companhias cargueiras em Confins.

Companhias Terminal Aeronaves Voos Cargueiros reguares[10]
Brasil ABSA Cargas Boeing 767-300
Estados Unidos FLORIDA WEST Cargas Boeing 767-300
Chile LAN Cargo logo.png Cargas Boeing 777
Estados Unidos ATLAS AIR Cargas Boeing 747-400

Brasil Campinas

Colômbia LAN Cargo logo.png LANCO Cargas Boeing 767-300
Brasil Total Cargas Boeing 727-200
Estados Unidos Centurion Cargo Cargas McDonnell Douglas MD-11
México MAS Air Cargas Boeing 777-200
Brasil Sideral Cargo Cargas Boeing 737
Brasil RIO Linhas Aéreas Cargas Boeing 727, Boeing 767
Estados Unidos Sky Lease Cargas McDonnell Douglas MD-11

Acidentes e Incidentes[editar | editar código-fonte]

  • No dia dia 29 de setembro de 1988, o voo VASP 375, que ia de Confins para o Rio de Janeiro foi sequestrado, o avião pousou em Goiânia e o sequestrador foi detido. A única vítima foi o co-piloto, morto pelo sequestrador.
  • No dia 18 de março de 2000, um Boeing 727-200(PP-VLV) operado pela Varig Cargo procedente de Salvador cumprindo uma rota regular de carga, acidentou-se durante o pouso. A aeronave tocou o solo às 22h20 e alguns segundos após o toque, o conjunto do trem de pouso esquerdo se soltou, colidindo com o motor de mesmo lado da aeronave. A aeronave girou sem controle ficando no sentido contrário ao do pouso; houve perda total do avião. Os três tripulantes saíram ilesos.
  • No dia 5 de agosto de 2009, um Fokker 100 (PR-OAQ) da OceanAir, cumprindo o voo 6151 procedente de Brasília, estourou um pneu durante o pouso deixando a aeronave atravessada na pista. Ninguém se feriu, porém, o aeroporto ficou fechado por quase seis horas, atrasando decolagens e pousos de vários voos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Internacional de Belo Horizonte-Confins