Airbus A380

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa



Logo Airbus A380.svg
New Zealand PW-51.svg
Airbus A380 da Singapore Airlines (2011)
Descrição
Tipo Avião comercial
Fabricante EADS Airbus
País de Origem MultinacionalNota1
Primeiro voo 27 de abril de 2005 (9 anos)Nota1
Introdução 25 de outubro de 2007 (7 anos) com a Singapore AirlinesNota1
Produção 2004-presente
128 unidades até março de 2014Nota1
Tripulação/Equipa 2 - piloto e co-pilotoNota1
Capacidade de
passageiros
de 525 (três classes) a 853 (uma classe)Nota1 passageiros
Capacidade de
carga
184 m³ a 1134 m²Nota1
Custo unitário US$414,4 milhões (2014)Nota1
Dimensões
Comprimento 72,75Nota1 metros
Envergadura 79,80Nota1 metros
Altura 24,08Nota1 metros
Área (asas) 845Nota1
Pesos
Peso máx. decolagem 560 000Nota1 kg
Propulsão
Motorização GP7270 (A380-861)Nota1
Trent 970/B (A380-841)Nota1
Trent 972/B (A380-842)Nota1
GP7277 (A380-863F)Nota1
Trent 977/B (A380-843F)Nota1
Força de empuxo 310 à 340Nota1 kN
Performance
Velocidade máxima 970Nota1 km/h
Velocidade de
cruzeiro
0.96 MaNota1
Altitude máxima 13136Nota1 metros
Alcance (MTOW) 15700Nota1 km
Distâncias de decolagem
Pista min. decolagem 2950Nota1 metros
Notas
Nota1: Wikipédia anglófona[1]

O Airbus A380, desenvolvido e construído pela Airbus S.A.S. (EADS Systems), é o maior avião comercial de passageiros da história. O avião, chamado frequentemente de Superjumbo, fez seu primeiro voo experimental em 27 de abril de 2005 em Toulouse, França.

O A380 demorou mais de dez anos e custou cerca de 12 bilhões de euros ou (R$ 35,1 bilhões) para ser desenvolvido.

Certificação[editar | editar código-fonte]

A certificação foi obtida no dia 12 de dezembro de 2006 emitida pela FA e EASA, executadas por 7 aeronaves com planos de certificação em voo e em solo, finalizada em 30 de novembro de 2006, e comandada por 800 pilotos de testes da Airbus e das companhias compradoras, e os voos comerciais iniciaram no último trimestre de 2007. A primeira operadora para esta aeronave é a Singapore Airlines de Singapura.

Números[editar | editar código-fonte]

Localização dos bancos dos passageiros.
O Gigante em Números
Nome Airbus A380
crição
Tipo Avião comercial
Fabricante EADS Airbus
País de Origem MultinacionalNota1
Primeiro voo 27 de abril de 2005 (9 anos)Nota1
Introdução 25 de outubro de 2007 (6 anos) com a Singapore AirlinesNota1
Produção 2004-presente

128 unidades até março de 2014Nota1

Tripulação/Equipa 2 - piloto e co-pilotoNota1
Capacidade de

passageiros

de 525 (três classes) a 853 (uma classe)Nota1 passageiros
Capacidade de

carga

184 m³ a 1134 m²Nota1
Custo unitário US$414,4 milhões (2014)Nota1
Dimensões
Comprimento 72,75Nota1 metros
Envergadura 79,80Nota1 metros
Altura 24,08Nota1 metros
Área (asas) 845Nota1
Pesos
Peso máx. decolagem 560 000Nota1 kg
Propulsão
Motorização GP7270 (A380-861)Nota1

Trent 970/B (A380-841)Nota1
Trent 972/B (A380-842)Nota1
GP7277 (A380-863F)Nota1
Trent 977/B (A380-843F)Nota1

Força de empuxo 310 à 340Nota1 kN
Performance
Velocidade máxima
Airbus A380 F (Interrompido)
Tipo Aeronave Comercial Aeronave Cargueira
Fabricante União Europeia Airbus União Europeia Airbus
Primeiro Voo 27 de abril de 2005 Em desenvolvimento
Passageiros 555 a 845

Aeronave cargueira- não transporta passageiros

Custo USD 290 milhões Em desenvolvimento (Interrompido)
MODELOS A380-800 (versão 900 em desenvolvimento) A380-800F
Peso Vazio 277000 kg 252000 kg
Peso Máximo 560000 kg 590000 kg
Comprimento 72,75 m 72,75 m
Envergadura 79,80 m 79,80 m
Altura 24,08 m 24,08 m
Velocidade 970 km/h 950 km/h
Altitude de Cruzeiro 15200 m / 40000 pés 15200 m / 40000 pés
Autonomia 14800 km 10370 km

A380F[editar | editar código-fonte]

O A380F é uma variação cargueira do A380. Uma curiosidade sobre a aeronave é que apesar do A380 ser o maior avião comercial de passageiros, o A380F não é o maior cargueiro, porque o Antonov 225, por exemplo, é o maior avião da história! Até maior que o A380. A aeronave encontra-se em desenvolvimento, com entrada prevista para 2014. Seu concorrente direto é o Boeing 747-8F

Primeira Aparição em Feira[editar | editar código-fonte]

O avião gigante, que fez o seu voo inaugural no final de abril, foi a estrela da Paris Air Show, feira no campo aéreo de Le Bourget, nos arredores de Paris, França.

Voos-teste com Passageiros[editar | editar código-fonte]

Airbus A380 durante voo teste

4 de Setembro de 2006 - Um A380 com 474 funcionários da EADS fez seu primeiro voo com passageiros partindo e retornando para a cidade de Toulouse na França com objetivo de verificar os serviços de bordo.

19 de março de 2006 - Um A380 com 483 passageiros incluindo funcionários da EADS, Lufthansa e jornalistas fez seu primeiro voo para os Estados Unidos. Objetivo foi ajustar os sistemas de voo com diversas escalas.

Voo Inaugural[editar | editar código-fonte]

O voo inaugural do A380 foi realizado no dia 25 de outubro de 2007, entre Singapura e Sydney.

Decolou do aeroporto de Changi às 08:16 (01:16 GMT), com 455 passageiros a bordo, e pousou em Sydney às 8:23 (GMT).

A Singapore Airlines vendeu os bilhetes do voo num leilão de beneficência e doou os cerca de 2 milhões de dólares (1,4 milhões de euros) recebidos à Associação do Cancro do Pulmão de Singapura, a dois hospitais infantis de Sydney e à organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras.

A380 no Brasil[editar | editar código-fonte]

Pouso do A380 no Aeroporto de Guarulhos

A estreia do gigante em aeroportos brasileiros aconteceu no dia 10 de dezembro de 2007 no Aeroporto Internacional de Guarulhos em São Paulo, vindo de Buenos Aires [carece de fontes?]

No primeiro dia da visita, foi demonstrado o interior do A380 para convidados, e deixando surpreendidos todos os passageiros e funcionários do GRU.[carece de fontes?] A aeronave fez um voo de demonstração para jornalistas e empresários no dia 11 de dezembro até a cidade de São José dos Pinhais no Aeroporto Internacional Afonso Pena (sem executar procedimentos de aproximação e pouso, permanecendo no marcador externo da terminal CWB) em um total de 1 hora e 50 minutos.[carece de fontes?]

Já a segundo visita, ocorreu no dia 22 de março de 2012, tocando o solo às 00h02. A aeronave de prefixo F-WWDD veio para um evento promocional da Airbus.[2]

Várias companhias Emirates Airlines, Lufthansa, Air France e British Airways que fazem uso do Aeroporto de Guarulhos demonstraram interesse em operá-lo em suas rotas para o Brasil, porém serão necessárias alterações nas pistas de táxi e fingers, sendo que segundo as mesmas, dificilmente será objeto de utilização antes de 2011.

Em setembro de 2011, a Infraero autorizou a Emirates Airlines a opera-lo em Guarulhos após um pedido formal da empresa para isso. Na época, técnicos fizeram inspeções na pista para verificar se ela poderia atender com segurança a aeronave e a única restrição foi que, devido ao tamanho da pista, há necessidade de se desligar os motores externos do superjumbo no momento do pouso, segundo a assessoria de imprensa da Infraero. Com dois motores de cada lado e com envergadura de quase 80 metros, o Airbus A380 deveria operar em pistas de categoria F pelos padrões da Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO), 60 metros de largura e outros 7,5 metros de escape em cada lado (até 80 metros de envergadura). Estas pistas existem em poucos lugares do mundo, em especial no Oriente Médio. Já as pistas brasileiras, como Guarulhos, são de categorias E, com 45 metros de largura e mais 7,5 metros de acostamento em cada lateral (até 65 m de envergadura).

Para o pouso ser realizado com tranquilidade, a restrição é de que os motores do lado externo seja desligada na hora do pouso para evitar que haja sucção de algum material, diz a Infraero. Autoridades aeronáuticas europeias certificaram operações do A380 em pistas E ao redor do mundo desde que obedecido este procedimento, que não interferiria na quantidade de carga ou de passageiros transportados.

A Emirates Airlines queria descer com o A380 em Guarulhos às 18h e decolar às 2h, um horário não compatível com o grande volume de voos no aeroporto. A contraproposta da Infraero foi para o superjumbo pousar uma hora mais tarde do previsto.

As negociações se arrastaram e a previsão da empresa iniciar os voos com o A380, estimada para março de 2012, foi adiada para o segundo semestre deste ano, conforme a Infraero.[3]

Motores[editar | editar código-fonte]

O A380 vem equipado com quatro motores Turbofan Rolls-Royce Trent 900, produzindo um esforço de 320 kN (mais precisamente 20.271956298) (72 000 lbf) cada um dos 4, ou Engine Alliance GP7200 340 kN (76 500 lbf).

A Rolls-Royce foi escolhida em 1996 como a fornecedora oficial dos motores do A380, com o motor Trent 900.

No ano de 2005 a equipe de engenharia da divisão África do Sul da Rolls-Royce liderada pelo engenheiro Edgard Diezel (Brasil, Rio de Janeiro) e sua assistente engenheira Elena Ivanova (Ucrânia, Kiev) construiram um modelo matemático para simular possíveis problemas elétricos nos motores Trent 900, ficando esta equipe rsponsável por várias alterações nos sistemas elétricos dos motores Trent 900.

Em Novembro de 2010 um motor Trent 900 do A380 da Qantas explode em voo.[4]

Em Março de 2012 um motor Trent 900 do A380 da Singapore Airlines tem problema durante voo.[5]

A General Electric e a Pratt & Whitney se aliaram em 1996 para desenvolver o GP7200, um motor avançado, de alta tecnologia e elevado rendimento. O GP7200 usa sub-sistemas do PW4000 e do GE90 (maior e mais potente motor do mundo com 115 000 lbf de empuxo e 3,43 metros de diâmetro, usado no Boeing 777). O GP7200 foi originalmente desenvolvido para ser usado no Boeing 747 500/600X, que foi cancelado devido a falta de demanda nas linhas aéreas. O GP7200 acabou sendo adaptado para ser usada no 'A380.

Complexo Industrial e Montagem[editar | editar código-fonte]

Apresentação do primeiro A380 completo em Toulouse, na França, onde se localiza o principal hangar de construção do avião.

Para que fosse possível a fabricação do avião, a Airbus teve de construir novas instalações. Foram preparadas centrais de trabalho em quinze cidades, três delas na Espanha, seis na Alemanha, quatro na França e duas no Reino Unido. Na maioria dos casos, foi necessária a construção de novos edifícios para receber as modernas linhas de produção. O último prédio a ser inaugurado foi o de Hamburgo, na Alemanha, onde foi realizada a montagem de componentes.

Localizado em uma área de 140 hectares ao lado do rio Elba, o edifício tem 27.000 metros quadrados de superfície e 35 metros de altura. Para se ter uma ideia da magnitude da obra, em sua construção foram utilizadas 4800 toneladas de aço. Além da montagem de componentes e sistemas avançados, a sede alemã também ficará responsável por alguns testes de voo e pela entrega das aeronaves para os clientes da Ásia.

Na cidade de St. Nazaire, na França, foi erguido um hangar destinado à instalação de interiores e à pintura das aeronaves. Com 370 metros de comprimento e 32 metros de altura, é um dos maiores do mundo. O lugar poderá abrigar até 4 A380 ao mesmo tempo. Em alguns casos, construções antigas tiveram de ser derrubadas. Em Broughton, cidade vizinha de Liverpool, na Inglaterra, parte do prédio original foi colocada no chão e, depois, reconstruída para que se pudesse construir as asas do gigante da Airbus. O principal hangar de construção do A380 fica em Toulouse, na França, onde será feita a montagem final dos aviões. Como ocorreu com o A340 e o A330, as instalações existentes não eram suficientes. Mais uma vez, a Airbus teve de ampliar a sede (há quem brinque que, se no futuro a empresa decidir fazer uma aeronave ainda maior, não haverá espaço suficiente no mundo). A linha de montagem do A380 foi construída em uma área de 200 hectares perto do aeroporto local.

Compostos de Fabricação[editar | editar código-fonte]

Cockpit do A380.
Trens de pouso do A380.

Para a construção de sua mais ambiciosa aeronave, a Airbus decidiu fazer uso dos mais modernos e confiáveis materiais disponíveis no mercado. Em função dessa preocupação, foram amplamente utilizados materiais como fibra de carbono e alguns tipos de plásticos reforçados. Fabricadas pela Eads-Casa, as superfícies traseiras de controle serão de fibra especial, assim como partes da asa. Tudo isso diminuirá consideravelmente o peso final da aeronave, permitindo que seu tamanho descomunal não prejudique o seu desempenho. Em relação às asas, novos tipos de ligas metálicas também estão sendo utilizadas, de forma a baratear e, ao mesmo tempo, conferir maior leveza, resistência e segurança aos equipamentos. Segundo a Airbus, cerca de 40% do A380 será de fibra de carbono e novas ligas metálicas.

A parte superior da fuselagem será feita, pela primeira vez na história da aviação, de um novo material chamado GLARE, que consiste em finas lâminas de liga de alumínio combinadas com fibras de vidro. O resultado é um composto 20% menos denso que o alumínio, que irá assegurar uma redução de incríveis 800 kg no peso final do avião. Além disso, o Glare é mais resistente à corrosão, ao fogo e à fadiga por excesso de uso.

Outro importante avanço desenvolvido pelos engenheiros da Airbus é a mudança do centro de gravidade do avião, que passou a ser 6% mais atrás do que normalmente é feito na fabricação de aviões. Somada ao novo sistema fly-by-wire, a mudança permite um melhor controle aerodinâmico e, como consequência, o aumento do desempenho da aeronave.

Os motores do A380 também contribuíram decisivamente para a diminuição do peso do avião. A Airbus aumentou em 60% a pressão dos sistemas hidráulicos, o que equivale à utilizada na aviação militar. Além disso, os engenheiros conseguiram reduzir o diâmetro dos motores sem prejudicar o seu desempenho final. Com todas essas medidas, foi possível reduzir em aproximadamente uma tonelada o peso do avião. De acordo com os engenheiros responsáveis pela construção do Airbus A380, se novas técnicas não tivessem sido utilizadas, incluindo uma inovadora forma de soldar a fuselagem, a aeronave seria pelo menos 15 toneladas mais pesada, o que comprometeria por completo a execução do projeto, tornando-o caro demais para os padrões atuais.

Preço[editar | editar código-fonte]

O preço divulgado foi de US$375,3 milhões de dólares

Encomendas[editar | editar código-fonte]

18 companhias aéreas já encomendaram 240 aeronaves A380-800. 54 já foram entregues.

Companhias Encomendas Motores Entregues
União Europeia Airbus Executive and Private Jets 1 A contratar
França Air Austral 2 GP7200
França Air France 12 GP7200 6
Coreia do Sul Asiana Airlines 6 Trent 900
Reino Unido British Airways 12 Trent 900 1
República Popular da China China Southern Airlines 5 Trent 900
=Emirados Árabes Unidos Emirates 90 GP7200 51
=Emirados Árabes Unidos Etihad Airways 10 GP7200
Índia Kingfisher 5 A contratar
Coreia do Sul Korean Air 10 GP7200 3
Alemanha Lufthansa 15 Trent 900 8
Malásia Malaysia Airlines 6 Trent 900 5
Austrália Qantas 20 Trent 900 10
Catar Qatar Airways 5 A contratar
Singapura Singapore Airlines 19 Trent 900 12
Japão Skymark Airlines 6 Trent 900
Tailândia Thai Airways International 6 Trent 900
Reino Unido Virgin Atlantic 6 Trent 900
Rússia Transaero 4 A contratar

Aeronaves e seus Operadores[editar | editar código-fonte]

Operadora Pedidos Total Entregues Primeira Entrega Motorização
Air Austral 002 00 GP72XX
Air France 012 008 GP72XX
Asiana Airlines 006 00 Trent 970
British Airways 012 00 Previsto Julho 2013 Trent 970
China Southern 005 005 Trent 970
Emirates 090 032 28/07/2008 GP72XX
Etihad Airways 010 00 GP72XX
Hong Kong Airlines 010 00 A decidir
Kingfisher Airlines 005 00 A decidir
Korean Air 010 006 31/05/2011 GP72XX
Lufthansa 017 010 19/05/2010 Trent 970
Malaysia Airlines 006 006 29/05/2012 Trent 970
Qantas Airways 020 012 19/09/2008 Trent 972
Qatar Airways 010 00 GP7270
Singapore Airlines 024 019 15/10/2008 Trent 970
Skymark Airlines 006 00 Trent 970
Thai Airways International 006 004 27/09/2012 Trent 970
Transaero 004 00 A decidir
Virgin Atlantic 006 00 Trent 97X
Gesamt 262 102

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Airbus A380
Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.