Aeroporto de Governador Valadares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aeroporto de Governador Valadares
Coronel Altino Machado de Oliveira
Pista do Aeroporto de Governador Valadares MG.JPG
IATA: GVR - ICAO: SBGV
Tipo Público
Administração Prefeitura Municipal de Governador Valadares
Serve Governador Valadares e Vale do Rio Doce
Localização Não disponível
Inauguração 1966
Coordenadas 18° 53' 43" S 41° 58' 56" O
Altitude 171 m (561 ft)
Movimento em 2007 80.300 passageiros
12.350 t de carga
5.300 aeronaves
Capacidade anual 182.500 passageiros/ano
Website oficial Não disponível
Pistas
Cabeceiras Comprimento Superfície
07/25 1 800 m (5 906 ft) Asfalto

O Aeroporto de Governador Valadares - Coronel Altino Machado de Oliveira (IATA: GVRICAO: SBGV), é um aeroporto brasileiro, localizado na cidade de Governador Valadares, no estado de Minas Gerais.

Reformas[editar | editar código-fonte]

Foi concluída em meados de 2008 a obra de ampliação do pátio e da pista de pouso, que a aumentou em 300m e chegou a 1700m de extensão x 30m. Entretanto, até o fim de 2013 essa nova extensão não havia sido homologada e o aeroporto ainda opera baseado no antigo comprimento da pista, de 1400 metros. A nova pista comporta aeronaves de até 100 passageiros, como os jatos Embraer 175, 190 e 195 e o cada dia menos usado Fokker 100. Porém, apenas aviões de 45 passageiros atualmente utilizam o terminal na aviação comercial. São os ATR-42 da Azul/Trip Linhas Aéreas, que a aérea há tempos vem aposentando em voos para cidades do porte de Governador Valadares. O voo que vinha de Vitória e seguia para Ipatinga e São Paulo foi extinto em 2012 porque o aeroporto paulista passou a exigir um padrão mínimo de aviões de 70 passageiros para utilizar o terminal (como o ATR-72 que a própria Azul utiliza), e o aeroporto de Valadares não acompanhou essa exigência, o que prejudicou o público local. No aeroporto da Pampulha, é cada vez mais raro o ATR-42, sendo gradativamente substituído pelo ATR-72.

A conclusão da reforma com um novo terminal, apesar de já ser anunciada há anos, segue arrastando a passos de tartaruga. A reforma prevê uma torre de comando e a ampliação e readequação do terminal de passageiros, mal equipado e completamente obsoleto para o atual fluxo de passageiros e porte da cidade. Os passageiros reclamam da minúscula e desconfortável sala de embarque. Não há detector de metais nos moldes dos outros aeroportos. Há um detector de mão, como aqueles utilizados na entrada de festas e eventos. Não existe sala de desembarque, muito menos esteira de bagagem. Os passageiros recolhem as malas das mãos dos funcionários, em um dos quatro guichês de venda de passagem que não é utilizado para essa finalidade. Não há banheiros de qualidade no terminal. Há uma verba de aproximadamente R$ 4 milhões (já recalculados em RS 7 milhões) do governo do Estado e prefeitura para essa reforma, mas inexplicavelmente ela nunca começa, tem constantes adiamentos. O aeroporto não opera por instrumentos. Quando não há visibilidade para os pilotos, os voos são cancelados, causando grandes transtornos. Mesmo com tantos contratempos, o aeroporto continua sendo um dos mais movimentados do interior de Minas, o quinto maior destino a partir do Aeroporto da Pampulha (atrás de Montes Claros, Uberlândia, Campinas e São Paulo), e segue com quatro voos diários para Belo Horizonte - Pampulha (em 2008 eram 7). O voo circular que vinha de Vitória-ES, e seguia para Ipatinga, antes de retornar à capital do Espírito Santo (este que, antes, seguia para São Paulo), recentemente, também foi extinto. Hoje, não há concorrência porque uma outra companhia que já operou na cidade e tem interesse em retornar já disse que depende da readequação do aeroporto para receber suas aeronaves ATR-72.

Última atualização: no início de 2014, foi anunciada a homologação da pista com os moldes atuais, cinco anos depois de ela já estar nessas condições. Isso significa que o aeroporto finalmente está liberado para receber aeronaves de até 100 passageiros, o que inclui os ATR-72, com capacidade para 72 passageiros, contra os 45 das atuais aeronaves. A Azul insistentemente pedia essa liberação com a promessa de voos diretos para Confins e melhores preços em voos para os aeroportos de Belo Horizonte. Resta agora saber se os preços melhores se tornarão realidade.

Fonte: Diário do Rio Doce, Hoje em Dia, portal da Prefeitura de Governador Valadares, Governo de Minas, Passaredo Linhas Aéreas, Azul Linhas Aéreas.

Outros dados[editar | editar código-fonte]

  • Tipo: Público-Operado Pela Prefeitura Municipal
  • Fuso: UTC-3
  • Tipo de operação: VFR-Visual Noturno e Diurno
  • Frequência de coordenação: 132.05 MHz
  • Frequência NDB VAL: 380
  • Localização: Distrito Industrial, Coordenadas 18 53.91S/041 59.26W

Linhas Aéreas Operantes[editar | editar código-fonte]

Destinos[editar | editar código-fonte]

Companhias Destinos
Brasil Azul/Trip Belo Horizonte, Ipatinga e Vitória[1]

Referências

  1. Voos autorizados vigentes (XLS). Agência Nacional de Aviação Civil. Página visitada em 12 de abril de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Airport symbol.svg Este aeroporto precisa ser adaptado aos critérios do Projeto Aeroportos do Brasil.
Você pode ajudar a Wikipédia editando-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre um aeroporto, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.