TRIP Linhas Aéreas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{spam}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Outubro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
TRIP Linhas Aéreas
IATA
T4
ICAO
TIB
Indicativo de chamada
TRIP
Fundada em 24 de março de 1998
Encerrou atividades em 2013(Foi incorporada a Azul Linhas Aéreas, e adotará a marca Azul)
Hub
Frota 58
Destinos 93
Slogan Tem algo diferente no ar
Holding AZUL TRIP S.A.
Sede Brasil Campinas, Brasil
Pessoa(s)
chave
  • José Mario Caprioli dos Santos
Website voetrip.com.br

A TRIP Linhas Aéreas S.A. ( 1998 - 2013 ) foi uma companhia aérea brasileira e a maior do segmento regional da América Latina.[1] Com 93 destinos em todas as regiões do Brasil, é a empresa brasileira que atendia o maior número de cidades, dentre as quais mais de 30 com exclusividade[carece de fontes?]. Tinha como hub Belo Horizonte, Cuiabá, Curitiba, Guarulhos, Manaus e Rio de Janeiro. Contava com a terceira maior frota comercial brasileira, constituida por 58 aeronaves em 4 modelos diferentes: 17 ATR-42, 20 ATR-72, 9 Embraer 175 e 12 Embraer 190.

Em 28 de maio de 2012, foi anunciada a fusão da TRIP Linhas Aéreas com a Azul Linhas Aéreas, surgindo a holding Azul TRIP S/A; controladora das empresas TRIP e Azul, onde, por ora, irão operar separadamente, para após a aceitação da fusão pela ANAC e CADE, formar uma única empresa.[2]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Com sede na cidade de Campinas, estado de São Paulo, iniciou suas operações em 1998, fundada pelo Grupo Caprioli. Hoje, seus controladores são o Grupo Caprioli e o Grupo Águia Branca, de Cariacica, ES.

Suas primeiras aeronaves foram 2 Embraer 120 (Brasília), com capacidade para 30 passageiros, oriundos da TOTAL Linhas Aéreas. A companhia encontrou seu sucesso operando a rota Natal - Fernando de Noronha - Recife.

Em 1999 chegou o primeiro ATR-42-300, fazendo com que um dos Embraer 120 fosse deslocado para Campinas, onde a companhia mantinha alguns voos.

No ano de 2003 chegaram mais aeronaves ATR-42-300, aumentando as operações da empresa em Campinas.

Em 2004 mais dois aviões foram agregados à frota. Em 2005 a companhia assumiu a rede de rotas da Rico Linhas Aéreas, no Amazonas, expandido sua malha.

Em 2006 introduziu o primeiro ATR-72-202 na rota de Fernando de Noronha. Em 2007 chegaram mais 2 ATR-42-300 e 1 ATR-72-202. No mesmo período, o Grupo Águia Branca, que havia comprado 50% da companhia, adquiriu também a Total Linhas Aéreas, de Belo Horizonte. Com esta aquisição foram incorporados 6 ATR-42 e 2 ATR-72, e feita uma encomenda de 12 ATR-72-500 junto à fábrica.

Dois Embraer 175 e um ATR-72 da TRIP Linhas Aéreas no Aeroporto Santos Dumont, Rio de Janeiro.

Em 2008 a TRIP recebeu seu primeiro ATR-72-500, que foi o primeiro avião novo recebido pela empresa. Iniciou as operações no estado da Bahia, expandindo o número de destinos, anunciou a encomenda dos jatos EMBRAER 175 e vendeu 20% do seu capital para a Norte Americana SkyWest Airlines, a maior empresa regional do mundo.

No ano de 2009 a companhia ultrapassou a marca dos 70 destinos operados e recebeu, em junho, seus primeiros jatos EMBRAER 175.

Em 2010 iniciou operações no estado do Acre, com rotas para a capital, Rio Branco, e o segundo município mais importante do estado, Cruzeiro do Sul (pela baixa procura dos voos em Cruzeiro do Sul, a TRIP, deixa de operar na cidade, em Maio de 2011).

O Grupo Caprioli vendeu suas empresas de ônibus, em 2010, aumentando, assim, o capital à ser investido na TRIP.

Em 2011, a TRIP não para de crescer. Atingiu a marca de mais de 80 destinos e recebe suas primeiras aeronaves com mais de 100 assentos, os EMBRAER 190 que, ao final do ano serão, ao todo, 9 aviões.

Frota[editar | editar código-fonte]

A TRIP conta com a maior frota regional do Brasil[carece de fontes?].[3]

Frota TRIP Linhas Aéreas
Modelo Quantidade Encomendados Assentos Nota
ATR 42-300
08
45
PP-PTC (primeiro ATR)
ATR 42-500
09
47
ATR 72-200
01
66
ATR 72-500
14
68
PP-PTL (primeiro avião novo)
ATR 72-600
06
14
68
PP-TKI (50° avião)
Embraer 175
09
86
PP-PJA e PJB (primeiros jatos)
Embraer 190
12
106
PP-PJJ (primeiro avião com 100 assentos)
Total
59
14

ATR[editar | editar código-fonte]

O ATR é uma aeronave de médio-porte e propulsão turbo-hélice combinada com asas altas, cujo projeto é voltado para a utilização tipicamente civil, no transporte regional de passageiros em rotas curtas e médias.

É operado na maioria das vezes em linhas regionais, por ser apropriado para pistas de curta e média extensão.

Embraer[editar | editar código-fonte]

A TRIP é a primeira empresa aérea brasileira a utilizar o Embraer 175, um avião de sucesso mundial na aviação regional. O avião é confortável e silencioso, possui 86 assentos e conta com tripulação de 2 comissárias e 2 pilotos. Tem o teto operacional máximo de 41.000 pés (12.500 metros) e velocidade máxima de 911 km/h (481 Knots, Mach 0.82).

O Presidente da TRIP anunciou, em julho de 2010, na Feira de Aviação de Farnborough, a compra de 2 Embraer 190 para 110 passageiros, a serem recebidos em 2011. Em 2012, depois de anunciada a fusão, a TRIP, vai adotar a configuração de 106 assentos nos seus Embraer 190, oferecendo, também, o espaço Azul.

Destinos Nacionais[editar | editar código-fonte]

A TRIP Linhas Aéreas opera voos para 89 destinos nacionais, sendo assim a companhia com maior número de destinos atendidos no Brasil[carece de fontes?].

Acordo codeshare[editar | editar código-fonte]

A TRIP mantém parceria comercial com a TAM Linhas Aéreas em diversos pontos do Brasil.

Editado e atualizado de acordo com a Tabela de Pedidos de HOTRAN da ANAC

Região Norte[editar | editar código-fonte]

Região Centro Oeste[editar | editar código-fonte]

Região Nordeste[editar | editar código-fonte]

Região Sudeste[editar | editar código-fonte]

Região Sul[editar | editar código-fonte]

Destinos Internacionais[editar | editar código-fonte]

America do Sul[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

2009[editar | editar código-fonte]

  • Top of Mind, categoria Cia Aérea Regional, revista RDM Cuiabá (2009)[carece de fontes?];
  • Revista Voe TRIP - A melhor revista customizada do Brasil, Revista Propaganda, da Editora Referência, recebeu o troféu "O Comunicador" (2009)[carece de fontes?].

2010[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Top Fornecedores Varejo, Federação das Camaras e Dirigentes da Bahia (2010)[carece de fontes?];
  • Prêmio Avião Revue - Melhor Cia Aérea Regional Região Sul e Sudeste, Revista Avião Revue (2010)[carece de fontes?];
  • Revista Voe TRIP - A melhor revista de bordo do Brasil em 2009, D'lla Roche operadora de turismo (2010)[carece de fontes?];
  • Revista Voe TRIP - Prêmio Veículos de Comunicação da Revista Propaganda, Editora Referência (2010)[carece de fontes?];
  • Revista Voe TRIP - A melhor revista customizada do Brasil, Revista Propaganda, da Editora Referência, recebeu o troféu "O Comunicador" (2010)[5] .

2011[editar | editar código-fonte]

  • Skytrax World Airline Awards - A melhor companhia de aviação regional da América do Sul (2011)[carece de fontes?];
  • Prêmio TOP de Qualidade - Melhor Companhia Aérea Regional, 34ª Aviestur (2011)[carece de fontes?];
  • Prêmio Avião Revue - Melhor Cia Aérea Regional, Revista Avião Revue (2011)[carece de fontes?];
  • Prêmio Criatividade - Pelo espaço tecnológico que simulava a estrutura de uma aeronave, ABAV (2011)[carece de fontes?];
  • Prêmio Prata - Categoria Rádio do Festival Brasileiro de Publicidade, da Associação Brasileira de Propaganda, com a campanha “Tem algo diferente no ar” (2011)[carece de fontes?];
  • Prêmio Maximídia - Melhor case de internet do mercado, com a campanha “Céu da Internet” (2011)[carece de fontes?];
  • Prêmio IBGC Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - Categoria “empresas não listadas” (empresas de capital fechado) (2011)[carece de fontes?];
  • Revista VOE (Trip Linhas Aéreas) - 25º Prêmio Veículos de Comunicação, ABM (Academia Brasileira de Marketing) (2011)[carece de fontes?].

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]