TAM Linhas Aéreas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{spam}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Outubro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
TAM Airlines Logo.png LATAM.JPG
IATA
JJ
ICAO
TAM
Indicativo de chamada
TAM
Fundada em 12 de julho de 1976 (38 anos) (como Táxi Aéreo Marília)
Hub
Focus cities
Programa de milhagem TAM Fidelidade
Multiplus Fidelidade
Lounge VIP Lounge
Aliança aérea Oneworld
Subsidiária(s)
Frota 165
Destinos 62 (42 domésticos e 20 internacionais)
Slogan "Paixão por voar e servir"
Holding LATAM Airlines Group
Sede Brasil São Paulo, Brasil
Pessoa(s)
chave
* Rolim Amaro - Fundador
Website www.tam.com.br

A TAM Linhas Aéreas é uma companhia aérea brasileira, marca da LATAM Airlines Group, holding formada após a fusão da TAM com a chilena LAN Airlines, completada em 22 de Junho de 2012. É a maior do Brasil e depois da fusão, tornou-se a maior da América Latina, sendo uma das 20 maiores do mundo e a líder no Hemisfério Sul em número de passageiros transportados.[1] . A companhia é membro da aliança aérea Oneworld, aliança da qual fazem parte a LAN Airlines e American Airlines. Sua sede está localizada em São Paulo, igualmente com seus dois principais centros de operações (ou hub), Aeroporto de Congonhas e Aeroporto Internacional de Guarulhos. Além destes, o Aeroporto Internacional de Brasilia-Presidente Juscelino Kubitschek, e o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão também servem como principais centros de distribuição de voos da companhia.

Sua frota é composta por 158 aeronaves Airbus (A319-100, A320-200, A321-200, A330-200 e A340-500) e Boeing (767-300ER e 777-300ER) e operam na malha aérea que voa para países na América do Norte, América do Sul e Europa, contabilizando os 20 destinos internacionais e 42 destinos em todo Brasil.

A TAM S.A. ainda possui uma companhia aérea, a subsidiária paraguaia TAM Paraguai. Além dessas duas, outras empresas pertencem ao grupo: TAM Cargo, Centro Tecnológico TAM (TAM MRO)[2] , Condomínio Industrial TAM, TAM Viagens e a Multiplus Fidelidade.

História[editar | editar código-fonte]

Décadas 60-80[editar | editar código-fonte]

Fokker F27 da TAM.

Na cidade de Marília, interior de São Paulo a TAMTáxi Aéreo Marília surgiu em 21 de fevereiro de 1961, a partir da união de dez jovens pilotos de mono-motores. Na época, eles faziam o transporte de cargas e de passageiros entre o Paraná e os estados de São Paulo e do Mato Grosso com quatro Cessna 180 e um Cessna 170. Após seis anos o grupo é comprado pelo empresário Orlando Ometto, o qual muda a sede para São Paulo e também muda o perfil ao começar a transportar apenas malotes.[3]

Em 1971, o comandante Rolim Amaro, que já havia trabalhado na companhia em seus primeiros anos de funcionamento, é convidado por Orlando Ometto para ser sócio minoritário da empresa, com 33% das ações. No ano seguinte, o piloto adquire metade das ações da TAM e assume a direção da empresa.

O ano de 1976 marca o surgimento da TAM – Transportes Aéreos Regionais, que dá origem à empresa conhecida hoje como TAM Linhas Aéreas. Rolim detém 67% do capital da nova empresa, que teve atendimento voltado para o interior de São Paulo, Paraná e Mato Grosso.

Logo 1980-2008

A década de 80 marca um período de crescimento. A mudança começa com a chegada dos turboélices Fokker F27, substituindo os aviões bimotores. Em 1981, a TAM comemora a marca de um milhão de passageiros transportados.

O primeiro grande salto da malha da empresa vem em 1986, com a aquisição da companhia aérea Votec. Com a medida, a TAM estende as suas atividades para as regiões Centro-Oeste e Norte do país.

Década de 90[editar | editar código-fonte]

Fokker 50 TAM.

Na década de 1990, a empresa ganha mais visibilidade com a chegada dos Fokker 100, inaugurando uma nova era na aviação regional. Em 1993, a TAM lança com pioneirismo o TAM Fidelidade, que se destaca por não prever limitação de assentos para as passagens gratuitas. O ano de 1996 marca o início das operações da TAM em todo o território nacional. A TAM adquire a companhia Lapsa do governo paraguaio e cria a TAM Mercosur, atualmente TAM Airlines. Em conjunto com um consórcio formado pela LAN Chile e TACA, a TAM lidera a negociação para compra de suas primeiras aeronaves Airbus. O resultado é a compra de 150 aeronaves para as três empresas junto ao consórcio europeu.

Outra iniciativa estratégica é a compra de uma área de 447 hectares no município de São Carlos, no interior de São Paulo, que hoje é a sede do Centro Tecnológico TAM. Em 1998, chegam à TAM seus primeiros Airbus A330 e a empresa faz o seu primeiro voo internacional na rota São Paulo-Miami. No ano seguinte, é a vez do primeiro destino para a Europa, Paris, em parceria com a Air France.

2001-2002[editar | editar código-fonte]

O edifício-sede da TAM, localizado no hangar 7 do Aeroporto de Congonhas (SP).

A TAM começa em 2000 uma ofensiva fase de crescimento, mas o ano de 2001 é marcado por grandes acontecimentos. O comandante Rolim morre tragicamente no dia 8 de julho em um acidente de helicóptero. Dois meses depois, a aviação internacional sofre um sério abalo e entra em um ciclo de retração em decorrência dos atentados de 11 de setembro. Assim como em outras partes do mundo, o mercado brasileiro sofre os efeitos da retração econômica. No entanto, a TAM cresce 31% nesse período, transportando mais de 13 milhões de passageiros e elevando o faturamento para praticamente R$ 3 bilhões no ano. Em 2001, a empresa incorpora mais 15 aeronaves Airbus A320 e dois Airbus A330. Mesmo com as adversidades, a TAM transporta quase 14 milhões de passageiros em 2002.

2003-2004[editar | editar código-fonte]

Airbus A330 utilizado nas rotas diárias para Buenos Aires, Frankfurt, Madrid, Miami, Nova York, Orlando e Paris.

Em 2003, a TAM remaneja sua malha aérea, reestrutura-se internamente e dá início ao compartilhamento de voos com a VARIG. A companhia fecha o ano com lucro de R$ 174 milhões, o maior de sua história. Depois de uma carreira de 30 anos na empresa, Daniel Mandelli Martin deixa a presidência da TAM.

Marco Antonio Bologna, que havia ocupado a vice-presidência Financeira, assume a presidência em janeiro de 2004.

Com o reaquecimento da economia, a companhia volta a operar os voos diurnos para Miami e passa a operar mais três voos semanais para Paris. Além disso, a empresa inicia uma estratégia de crescimento para a América Latina e começa a voar diariamente para Santiago no início de dezembro. Para adequar a frota ao aumento de demanda no mercado doméstico e internacional, a TAM confirma a chegada do seu décimo Airbus A330 até outubro de 2005. A empresa também acertou junto à Airbus um cronograma para a entrega de mais 10 aeronaves A320.

Fokker 100 , a aeronave que mais contribuu para a expansão da TAM.

No mercado doméstico, a TAM fecha uma série de acordos com companhias aéreas regionais para aumentar a sua cobertura no território nacional e oferecer novas possibilidades de conexão e de frequências para seus passageiros. Ao todo, 25 novos destinos nacionais, responsáveis pelo transporte de 38 mil passageiros a mais em 2004. Os acordos envolvem cinco empresas: Passaredo, OceanAir, TOTAL, TRIP e Pantanal. Com isso, a TAM passou a cobrir uma malha com 66 cidades no território nacional (sendo 41 destinos próprios).

2005-2006[editar | editar código-fonte]

Novas frequências para Paris, Buenos Aires e o lançamento do voo para Nova York, em novembro, contribuem para aumentar a fatia desse segmento. Além disso, a Companhia consolida seus voos para Miami, Santiago e reforça sua integração com a malha da subsidiária TAM Mercosur, sediada em Assunção, no Paraguai.

Nesse ano, 19,6 milhões de passageiros são transportados, número 44,7% superior ao registrado em 2004.

No primeiro semestre de 2006, reforça voos a partir de São Paulo, Rio e Brasília, principalmente para capitais do Nordeste. Em julho, passa a voar para Boa Vista e inicia frequências diretas para Manaus a partir de São Paulo. A partir de outubro, começa a operar voo diário para Rio Branco a partir de Goiânia, com escala em Brasília, e passa a voar para todas as 26 capitais brasileiras, além do Distrito Federal.

No mercado internacional, completa as sete frequências semanais para Nova York com voos no horário noturno, inicia-se o terceiro voo diário para Miami a partir de Manaus e, com a TAM Mercosur, reforça Buenos Aires a partir do Galeão. Para Santiago, aumenta a capacidade com a operação do Airbus A330. Em outubro, inicia o voo para Londres e passa a oferecer a seus passageiros mais dois novos destinos na Europa: Zurique e Genebra, na Suíça, por meio de voos em codeshare com a Air France.

2007[editar | editar código-fonte]

Airbus A340 da TAM utilizado na rota para Milão.

Inicia as novas rotas para Milão e para Córdoba, na Argentina, passa a oferecer uma frequência direta entre Salvador e Paris, além dos voos ligando Fortaleza e Salvador a Buenos Aires. Lança ainda a segunda frequência diária para Santiago e passa a operar o terceiro voo diário para Paris, desta vez com partida do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro.

Antigo Boeing 767 da TAM, repassado da Alitalia.

Em julho, recebe autorização oficial da Agência Nacional de Aviação Civil para iniciar operação regular de três frequências semanais para Frankfurt e de sete para Madrid. Para operar o segmento internacional, a TAM anuncia a ampliação de seu planejamento de frota, com a aquisição de 22 Airbus A350 XWB (Xtra Wide Body) com mais 10 opções, para serem entregues entre 2013 e 2018. Além desses, a empresa confirmou o recebimento de mais dois A330 em 2010 e outros dois em 2011. Anteriormente, a empresa já havia anunciado a aquisição de quatro Boeing 777-300ER, aumentando para oito o número de aeronaves desse modelo.

2008[editar | editar código-fonte]

O ano de 2008 registrou momentos históricos para a TAM, como o reposicionamento de sua marca e o anúncio feito em outubro da entrada da empresa na Star Alliance, a maior aliança mundial de companhias aéreas, representando um novo patamar na expansão internacional da TAM. Ainda na área internacional, a companhia ampliou seus acordos de codeshare com várias empresas, como a TAP, a Lufthansa e a Air Canada; e, na América do Sul, manteve os acordos com a LAN Chile, a LAN Peru, a LAN Argentina e a Pluna.

A empresa encerrou o ano de 2008 — em que recebeu seu primeiro Boeing 777-300ER — com 129 aviões, uma frota com idade média de 5,5 anos, uma das jovens do mundo. A receita líquida no ano foi de R$ 10,5 bilhões, um crescimento de 29,7% em relação a 2007.

O volume total de passageiros domésticos transportados pela TAM em 2008 foi de 25,6 milhões de pessoas, um aumento de 6,1% em relação ao ano anterior. No mercado internacional, foram 4,5 milhões de passageiros transportados, um crescimento de 22,4% em relação a 2007. A taxa de ocupação acumulada ao final do ano nos voos domésticos foi 68,1%, e a dos voos internacionais atingiu, no mesmo período, 75,5%.

2009[editar | editar código-fonte]

Airbus A319 da TAM se aproximando do Aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro.

Em 2009 uma das ações prioritárias para a adesão à Star Alliance foi a migração dos sistemas comerciais de gestão de passageiros e de check-in da TAM para a plataforma Amadeus Altéa CMS. Ao longo de 2009, a empresa realizou uma reformulação completa em sua plataforma tecnológica.

Em paralelo, a companhia ampliou sua atuação internacional. Em abril, iniciou um acordo de codeshare com a empresa britânica bmi e também um acordo regional com a companhia uruguaia Pluna para fortalecer a rota São Paulo-Montevidéu. Em maio, fechou codeshare com a Swiss. Selou, ainda, acordos de integração de programas de fidelidade com a Air Canada, Swiss, bmi e Austrian. Em agosto, também deu-se início ao codeshare com a Air China para voos São Paulo-Pequim, via Madrid.

Em 19 de dezembro, a TAM S.A., a holding controladora da TAM Linhas Aéreas formalizou a aquisição da Pantanal Linhas Aéreas, empresa de aviação que atende cidades de densidade populacional média nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná a partir do Aeroporto de Congonhas (SP).

A empresa encerrou o ano com uma frota de 132 aviões, sendo 107 narrow-body Airbus (20 A319, 81 A320 e 5 A321) e 25 wide-body, sendo 18 modelos Airbus (16 A330, 2 A340) e sete modelos Boeing (os 4 Boeing 777-300ER e 3 Boeing 767-300).

2010[editar | editar código-fonte]

Boeing 777-300ER utilizado nas rotas diárias para Frankfurt, Londres, Miami, Paris e Santiago.

Em março, a aquisição da Pantanal Linhas Aéreas pela TAM Linhas Aéreas foi oficializada e a partir de então 3 Airbus da TAM passaram a fazer voos para a subsidiária em conjunto com os ATR 42.

No dia 13 de maio, foi efetuada a entrada oficial da TAM na principal aliança mundial de empresas aéreas, a Star Alliance. A responsável pela entrada da companhia aérea brasileira na aliança foi a United Airlines. As aeronaves da TAM passam a ostentar ao lado das portas dianteiras os adesivos da aliança, sendo que um A320 (PR-MBO) e um A330 (PT-MVM) apresentam o esquema de pintura especial da aliança.

Após a adesão na Star Alliance, a TAM volta a firmar novos acordos de codeshare com as companhias também Star Alliance como Continental Airlines, ANA e US Airways, e ampliadas as parcerias já existentes com a Lufthansa e a Swiss. No mercado doméstico, o acordo de codeshare com a regional TRIP foi expandido. Além disso, foram inauguradas cinco rotas internacionais: Frankfurt e Londres, partindo do Rio de Janeiro; Miami, saindo de Brasília e Belo Horizonte; e São Paulo-Bogotá.

No dia 13 de agosto, foi anunciada juntamente com a LAN Airlines a intenção da união das duas holdings em uma única,[4] a LATAM Airlines Group. Juntas, TAM e LAN somam mais de 40 mil funcionários, mais de 280 aviões, 115 destinos, em 23 países, além de oferecer serviços de carga em todo o mundo. Será a maior empresa aérea da América Latina e 10ª maior em passageiros transportados.[5] As duas companhias continuarão operando com as marcas existentes e sob suas próprias certificações de operação, assim como KLM e Air France.

A LAN ficará com 70,6% da Latam, e a TAM, com 29,3%, sendo a família Amaro detentora de 80% do capital votante da empresa e também com participação na Lan.[6]

Em 28 de outubro, iniciou-se o serviço de chamadas telefônicas, pioneiro na aviação brasileira, assim como o envio de mensagens de texto e acesso à internet durante os voos da companhia para passageiros a bordo inicialmente de um Airbus A321.

2011[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2011, foram assinados os acordos vinculativos para a formação da LATAM Airlines Group, aprovados pelos respectivos Conselhos de Administraçãoe, e em março de 2011, a ANAC concedeu a autorização prévia para a operação. Em maio de 2011 foi vinculado à impresa o começo de operações para Cidade do México, e assinado acordo de Code-Share com a Spanair.

2012: LATAM Airlines[editar | editar código-fonte]

Airbus A320, o avião mais utilizado pela TAM.

Em meados desse ano, foi anunciada a segunda fase do plano de renovação da frota, o que significava retirar os antigos Boeing 767 da frota e substituí-lo pelo Airbus A330-200 em suas rotas. Porém, com o atraso na entrega dos novos Airbus 350 e dos Boeing 777-300ER e devido aos contratos de voos charter assinados com a TAM, a companhia adiou a desativação dos Boeing 767 para 2013. No início de Julho: a TAM e a LAN Airlines concluíram o processo de fusão, resultando na criação da holding LATAM Airlines Group.

No início de Agosto, a TAM recebeu o primeiro Boeing 777-300ER da encomenda de oito aeronaves que a empresa havia assinado em 2011. A aeronave, matriculada PT-MUE foi a primeira aeronave da frota a contar com a nova configuração de interior, com primeira classe e classe econômica reformuladas pela empresa inglesa Priestmangoode, e ainda contando com o Espaço+, uma cabine da classe econômica que conta com assentos com mais espaço para as pernas e reclinação. A aeronave conta também com Wi-Fi. Em Novembro, ingressou na frota também o Airbus A319 PT-TMI, o primeiro a contar com a nova configuração para a frota de médio curso, com novas poltronas e também uma seção Espaço+ como nos 777.

2013[editar | editar código-fonte]

Airbus A330 com a pintura especial da seleção brasileira.

No começo de março, a companhia aérea divulgou que deixará o Star Alliance, para integrar-se à Oneworld. Decisão esta, já esperada, visto que a holding LATAM, tinha a obrigação de decidir por permanecer em apenas uma aliança global de empresas aéreas, como uma das condições impostas, por órgãos reguladores de concorrências do Brasil e do Chile, para a aprovação da fusão entre LAN e TAM.

Airbus A320 TAM com sharklets.

Em abril de 2013 a companhia recebeu seu primeiro Airbus A320 (prefixo PR-MYY) equipado com Sharklets nas asas, são dispositivos que reduzem o consumo de combustível em até 3%. Os Sharklets tem este nome, pois lembram as barbatanas de um tubarão (shark, em inglês).

Em meados de maio, foram anunciadas mais algumas mudanças nas rotas partindo do Rio de Janeiro. Entre elas, a efetivação dos novos Boeing 767-300ER, oriundos da LAN e a sua efetivação em todas as rotas internacionais do Galeão. As rotas para Londres, Miami e Nova Iorque, antes era, operadas pelos Airbus A330-200. Essas mesmas aeronaves serão utilizadas também nas rotas internacionais de outras bases, como: Belo Horizonte, Brasília, Belém e Manaus, em suas ligações à Miami.

Em julho, chegaram os dois primeiros Boeing 767-300ER, oriundos da LAN, com os prefixos PT-MSY e PT-MSX. Em agosto, foi a vez de chegar outros dois Boeing 767-300ER, oriundos da LAN, com os prefixos PT-MSW e PT-MSV. Dois novos Boeing 777-300ER também foram entregues em agosto, com os prefixos PT-MUI e PT-MUJ, ambos operarão nas rotas ligando São Paulo a seus destinos internacionais.

2014[editar | editar código-fonte]

O CEO da TAM, Marco Antonio Bologna, afirmou a decisão de compra de vinte novos jatos para aviação regional no Brasil até o final do ano. A empresa também declarou que vai operar apenas com jatos, e nenhum turboélice. Também anunciou politicas de redução de custos . Especula-se que tal politica , tem relação com a politica de preços agressiva da GOL Linhas Aéreas, principal concorrente da TAM no mercado domestico nacional.

Destinos[editar | editar código-fonte]

Mapa de destinos da TAM Linhas Aéreas (em vermelho) no mês de dezembro de 2010.

Destinos Domésticos[editar | editar código-fonte]

Região Norte[editar | editar código-fonte]

Região Nordeste[editar | editar código-fonte]

Airbus A321 da TAM.
Airbus A319 retro-jet da TAM nas cores usadas de 1976 até 1979.
Airbus A319 retro-jet da TAM nas cores usadas de 1980 até 1998.
Airbus A319 da TAM estacionados.

Região Centro-Oeste[editar | editar código-fonte]

Região Sudeste[editar | editar código-fonte]

Região Sul[editar | editar código-fonte]

[7]

Destinos Internacionais[editar | editar código-fonte]

Interior de um Airbus A330 da TAM.

América do Norte

América do Sul

Europa

[8]

Alianças[editar | editar código-fonte]

Além das companhias aéreas membros Oneworld, a TAM mantém acordos com os seguintes parceiros:

[9]

(*) Não valem para pontuação no Fidelidade os bilhetes emitidos nas seguintes classes de reserva em voos das Alianças:

  • Shenzhen - O, I, X, R, N, T e E
  • Air Canadá - AC: I, X, O*, F* (sendo que a tarifa I também pode ser usada para upgrade, valendo 100%).
    As classes O e F são inválidas a partir de 22/12/2012.
    As classes de reserva A, E, P, G e N são inválidas para voos dentro do Canadá.
  • Air China - CA: O, I, X, R, T, E, N
  • Austrian Airlines - OS: O, I, R, X, N, T, E, K, L, A, F e S
  • Brussels Airlines - SN: O, I, X, P, N, R, T, E, L, K, F e A
  • Lufthansa - LH: O, I, X, R, N, L, T, E, K e P
  • Singapore Airlines - SQ: X, I, O, G, Q, V, N, T
  • South African Airways - SA: X, I, R, N e O
  • Swiss International Air Lines - LX: X, I, O, R, N, P, T, E, K, L e W
  • Turkish Airlines - TK: F, P, W, I, X, R, N, G, Z.

Frota[editar | editar código-fonte]

Atualmente possui a segunda frota de aviões mais moderna do país. A idade média das aeronaves da TAM é de 6 anos. Ficando atrás somente da Azul Linhas Aéreas que possui frota com idade média das aeronaves de 3 anos.

TAM Airlines Logo.png [10]
Aeronave Total Pedidos Passageiros Rotas Notas
First Business Econômica Total
Airbus A319-100
26


138
144
138
144
Domésticas Curtas
Airbus A320-200
88

16



12

144
168
174
156
168
174
Domésticas CurtasDomésticas Médias •Domesticas Longas•Internacionais Sul-Americanas.

(Assunção, Buenos Aires, Caracas, Ciudad del Este, Cochabamba, Lima, Montevidéu, Rosário (Santa Fé), Santa Cruz de la Sierra e Santiago do Chile)

7 equipados com Sharklets.
Airbus A320neo
22




Não Divulgadas. Aeronave em desenvolvimento. Serão entregues a partir de 2016.
Airbus A321-200
17
30
220
220
Rotas Domésticas:

MédiasLongasCurtas de Grande Ocupação.

6 equipados com Sharklets
Airbus A330-200
12
4
36
183
223
Internacionais Sul-AmericanasInternacionais Norte-AmericanasInternacionais Europeias.
(Buenos Aires, Madrid, Miami, Nova York, Orlando, Milão, Cidade do México e São Paulo)
Serão substituídas pelos Boeing 767-300ER.
Airbus A350-900
27
Em média 330
Não divulgadas. Serão entregues a partir de 2014. Será a uma das primeiras companhias a receber o modelo. [11] [12]
Boeing 767-300ER
9
7
30
191
221
Rotas Domésticas Longas, Rotas Norte-Americanas e Rotas Europeias
(Miami, Nova Iorque, Londres, Madrid, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Manaus e Belém).
Novos Boeing 767-300ER provenientes da LAN Airlines. Substituem previamente os Airbus A330-200.
Boeing 777-300ER
10
4
56
302
362
Internacionais Sul-AmericanasInternacionais Norte-AmericanasInternacionais Europeias.
(Frankfurt, Londres, Paris, Santiago do Chile, Miami e São Paulo)
Total de aeronaves
162
102
Atualizado: 16 de setembro de 2014


Frota aposentada da TAM Linhas Aéreas
Aeronave Total Anos de operação Notas
Embraer EMB-110 Bandeirante 14 1976–1996
Fokker F27 11 1980–2000
Fokker 50 10 1990–2001 Últimos aviões turboélice da TAM.
Fokker 100 51 1991–2008 Foram substituídos pela Família A320.
McDonnell Douglas MD-11 3 2007–2008 Foram substituídos pelo Boeing 777.
Airbus A340-500 2 2007–2011 Foram substituídos pelos Boeing 777-300ER. Atualmente encontram-se em processo de devolução à Air Canada.
Airbus A330-200 13 1998–Até hoje Desativados devido à redução da malha aérea internacional do Rio de Janeiro e à substituição pelos dos novos Boeing 767-300ER e Airbus A350-800.
Airbus A319-100 5 1999–Até hoje
Airbus A320-200 31 1998–Até hoje Estão sendo substituídos por aeronaves Airbus A320-200 mais recentes.
Boeing 767-300ER 3 2007–Até hoje Foram substituídos por novos Boeing 767-300ER, oriundos da LAN.

Frota de Cargueiros

90px
Aeronave Total Notas
Boeing 767-300ERF
4
1 com a pintura da TAM Cargo, 3 com a pintura da ABSA Cargo

TAM Nas Nuvens[editar | editar código-fonte]

  • RED Report: Publicação bimestral em duas edições bilíngues (português/inglês e português/espanhol), distribuída nos voos internacionais da companhia.
  • Revista TAM Nas Nuvens: Publicação bilíngue, distribuída mensalmente com tiragem de 150 mil exemplares em todos os voos nacionais e internacionais.
  • Revista TAM Nas Nuvens Kids: Entretenimento infantil, com distribuição bimenstral de 50 mil exemplares.
  • Passatempo TAM Nas Nuvens: Jogos e curiosidades, distribuídos mensalmente com tiragem de 100 mil exemplares em voos nacionais e internacionais.
  • Guia de Entretenimento de bordo: Tiragem de 100 mil exemplares, distribuídos em voos internacionais.
  • Jornal Primeira Chamada: Distribuído diariamente, entre às 6h e 12h nos voos com saída em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Goiânia com destino a todo território nacional.
  • TV TAM Nas Nuvens: Programa de bordo, com 18.880 inserções mensais e programação especial para a ponte aérea.
  • Áudio TAM Nas Nuvens: Seleção musical de qualidade para voos nacionais, com 11 canais e diferentes possibilidades de customização.
  • Ações Promocionais: Integração direta com o passageiro através de sampling, sorteio promocional e speech.

Pantanal[editar | editar código-fonte]

A então Pantanal Linhas Aéreas Sulmatogrossenses foi fundada em 23 de maio de 1993 em Mato Grosso do Sul para operar comercialmente serviços regulares de linhas aéreas de passageiros em todo o território brasileiro. Anos depois sua sede foi transferida para São Paulo, passando a se chamar apenas Pantanal Linhas Aéreas, sendo a primeira empresa aérea regional do Brasil a implantar o web-check-in. No começo do ano de 2009, entrou com pedido de recuperação judicial junto a Justiça de São Paulo. E em dezembro do mesmo ano foi anunciada sua aquisição pela TAM Linhas Aéreas por R$ 13 milhões. Após a incorporação com a TAM, a empresa deixou de ter aeronaves arrendadas pela LATAM Airlines.

TAM Cargo[editar | editar código-fonte]

É uma empresa brasileira que atua no mercado de logística. Fundada em 1997, a cargueira pertencente à TAM Linhas Aéreas, utiliza voos da companhia para entrega de carga em 45 aeroportos, além de seu serviço terrestre atingindo mais de 3.900 cidades no Brasil e exterior. Sua sede fica localizada junto ao Aeroporto de Congonhas.

Centro Tecnológico TAM[editar | editar código-fonte]

Localizado junto ao Aeroporto de São Carlos, a empresa faz manutenção de aeronaves e outros.[13] A empresa está autorizada pela ANAC, pela EASA europeia, e pela FAA americana; para fazer qualquer tipo de manutenção correctiva e preventiva em todos os tipos de aeronaves. Para poder fazer manutenção de aviões maiores a TAM solitou que seja aumentada a pista do Aeroporto de São Carlos para 3.000m junto ao DAESP, pedido aguardando autorização, inclusive ambiental.

Museu TAM[editar | editar código-fonte]

É uma instituição cultural localizada na cidade de São Carlos. Foi inaugurado no dia 11 de novembro de 2006 no distrito de Água Vermelha, anexo ao Aeroporto de São Carlos (Centro Tecnológico da TAM), na Rodovia Engenheiro Thales de Lorena Peixoto Junior (SP-318), com acesso no km 249. Entre os destaques estão o Lockheed Constellation da Panair do Brasil, o primeiro a fazer viagens entre continentes, e réplicas do 14-bis e do Demoiselle, modelos construídos por Santos Dumont; e o caça alemão Messerschmitt Bf 109, utilizado na Segunda Guerra Mundial. A inauguração também fez parte das comemorações dos 150 anos da cidade de São Carlos.

Alguns Prêmios & Conquistas[editar | editar código-fonte]

Airbus A320 TAM, ao fundo hangares da TAM Aviação Executiva.
    • TAM Cargo conquista premio em serviço TAM ganha mais uma vez o prêmio de marcas de confiança
    • TAM Viagens ganha prêmio de qualidade de atendimento
    • Ganhou 3 vezes o prêmio por ser a melhor cia aérea Regional do mundo na década de 90
    • A revista TAM nas nuvens ganhou em 2012 o prêmio por ser a melhor revista de entretenimento
    • Ganhou o prêmio de confiabilidade operacional da Airbus
    • Ganhou o prêmio por ter a melhor manutenção do mundo nos Airbus
    • É a unica empresa aérea fundada no Brasil que tem primeira Classe e Classe Executiva
    • Tem o melhor serviço de Bordo da America do Sul Utiliza os mesmos equipamentos que a NASA
    • Transporta mais de 40 Milhões de passageiros por ano Tem a maior frota da America Latina
    • Fez parceria com a maior cia aérea do Mundo American Airlines
    • Fez fusão com a Chilena LAN criando a LATAM que hoje tem mais de 300 aeronaves e até o ano 2018 terá mais de 500 aeronaves
    • A TAM ganha prêmio por ser a quinta companhia aérea mais inovadora do Mundo
    • É a 15 maior cia aérea do Mundo
    • Tem umas das frotas mais novas e modernas do Mundo
    • Tem a maior tripulação do Brasil
    • Ganhou o prêmio 2 vezes por ser a melhor cia aérea da America do Sul
    • Tem a tripulação mais profissional, eficiente e mais alegre e gentil do Brasil
    • Encomendou mais de 103 aeronaves que serão entregues até 2016
    • Ganhou 3 vezes na Década 90 o Prêmio Internacional Americano de Melhor Cia Aérea Regional do Mundo
    • Ganhou mais de 3 Vezes o Prêmio Internacional de Melhor Vinho de 1 Classe
    • Nos últimos anos desde 2006 a TAM e a LAN está ganhando anualmente o premio de Melhor cia aérea e maior da America Latina

Acidentes[editar | editar código-fonte]

Voo TAM 402[editar | editar código-fonte]

Destroços do voo TAM 402 em uma residência próxima ao Aeroporto de Congonhas.

31 de outubro de 1996: O Fokker 100 matrícula PT-MRK com cor azul-escuro pintado com a inscrição "Number 1" da empresa TAM, taxiou pela pista 17R do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde se preparava para decolar com destino ao Rio de Janeiro. O voo decolou às 8h26min. Dentro dele havia noventa passageiros e seis tripulantes, comandado por José Antônio Moreno, que tinha mais de nove mil horas de voo, das quais três mil em Fokker 100. O avião procedia do Aeroporto de Caxias do Sul.

Segundo os radares do Centro Integrado de Defesa Aérea (Cindacta 1), o plano de voo consistia em que o avião saísse do aeroporto com cerca de 33 metros de altura e mudasse sua direção, o que não foi possível devido à uma falha no reversor (sistema de freio que deve ser acionado na hora do pouso) do motor direito, o que impediu o recolhimento do trem de pouso e levou a perda da velocidade e sustentabilidade (estol). Entre a saída do aeroporto até a queda passaram-se somente 24 segundos.

O Fokker 100 colidiu primeiramente com um prédio de dois andares, depois com um prédio de três andares, arrancou o telhado de um sobrado (matando o pedreiro Tadao Funada) e mergulhou no asfalto. Na queda, a aeronave destruiu 8 casas na Rua Luís Orsini de Castro, matando duas pessoas: o professor universitário Marcos Antônio Oliveira e seu cunhado, Dirceu Barbosa Geraldo. Morreram todos os 96 ocupantes da aeronave e 3 em solo.

Voo TAM 283[editar | editar código-fonte]

No dia 9 de julho de 1997, um Fokker 100 de prefixo PT-WHK, que fazia rota diária entre Vitória e São Paulo com escala em São José dos Campos sofreu repentina explosão entre os assentos 18 e 20, o que abriu em sua fuselagem um buraco de quatro metros quadrados e arremessou o engenheiro Fernando Caldeira de Moura Campos para fora do avião. O passageiro despencou de uma altura de 2 400 metros, a 160 metros por segundo, criando uma falha de 1 metro de diâmetro no solo, em uma plantação de mandioca na cidade de Suzano onde foi encontrado. Segundo laudo cadavérico emitido pelo IML, apesar da explosão é muito provável que Fernando tenha chegado vivo e lúcido ao chão.[14] [15]

Dias depois, a Polícia Federal indiciou o professor desempregado Leonardo Teodoro de Castro, que também viajava na aeronave, como autor da explosão. Leonardo porém não pôde ser julgado pelo ocorrido, porque curiosamente dias após a explosão foi atropelado por um ônibus e se encontra em estado vegetativo.[16]

Voo TAM 3054[editar | editar código-fonte]

O acidente do voo TAM 3054 em São Paulo.

Em 17 de julho de 2007, um Airbus A320 de prefixo PR-MBK da TAM Linhas Aéreas, voo 3054, saiu do Aeroporto Internacional Salgado Filho em Porto Alegre às 17h16 com destino ao Aeroporto de Congonhas em São Paulo. Já era noite quando a aeronave pousou na pista 35L às 18h51. Com dificuldades de frenagem, fez uma curva para esquerda e saiu da pista em seu terço final, percorrendo por sobre parte de um gramado. Após cruzar sobrevoando a avenida Washington Luís, a aeronave atingiu parte da cobertura de um posto de gasolina e em seguida chocou-se contra um prédio da TAM Express (serviço de carga da própria TAM) situado ao lado do posto. A pista estava molhada devido a chuva e a aeronave apresentava um reverso (sistema que auxilia a frenagem utilizando a própria turbina) inoperante. Ao cruzar a avenida Washington Luís, o avião atingiu a parte superior de alguns automóveis. O choque do avião com o prédio de quatro andares da TAM Express, localizado próximo à alça de acesso da avenida dos Bandeirantes, causou um grande incêndio no local. O incêndio comprometeu a estrutura do prédio, que foi implodido posteriormente. No dia seguinte do acidente, a TAM alterou o número do voo que faz a rota entre Porto Alegre e São Paulo. Deixando de identificar como JJ 3054 e passando a ser identificada pela sigla JJ 3160. No acidente morreram 199 pessoas incluindo passageiros, tripulantes e pessoas que estavam no prédio da TAM Express.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. UOL Notícias. TAM e LAN formam maior empresa aérea da America Latina. Página visitada em 12 de abril de 2012.
  2. http://www.tammro.com.br/br
  3. Histórico TAM www.tam.com.br (24 Abril 2011). Página visitada em 24 Abril 2011.
  4. Costa, Melina. (15 de agosto de 2010). Não foi aquisição nem fusão. Foi uma combinação. O Estado de S.Paulo, acesso em 16 de agosto de 2010
  5. Soto, Alonso. (14 de agosto de 2010). Fusão LAN/TAM criará sinergias de US$ 3 bilhões--jornal. Reuters/O Estado de S.Paulo, acesso em 14 de agosto de 2010
  6. Folha Online/Reuters. (14 de agosto de 2010). TAM irá controlar apenas 29% da nova gigante da aviação; LAN terá 70,6%, acesso em 14 de agosto de 2010
  7. Revista TAM nas Nuvens Dezembro 2012
  8. Revista TAM nas Nuvens Dezembro 2013
  9. [1]
  10. TAM Airlines fleet - Official website
  11. http://en.wikipedia.org/wiki/TAM_Airlines#Fleet
  12. http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Airbus_A350_XWB_orders
  13. Info Cidades. TAM formará pólo aeronáutico em São Carlos. Página visitada em 10 de outubro de 2010.
  14. Revista Veja. Um corpo cai. Página visitada em 17/08/2011.
  15. Revista Veja. Explosão e rasgo. Página visitada em 17/08/2011.
  16. Portal IG - Último Segundo. Atropelamento livra suspeito da explosão de avião da TAM em 1997. Página visitada em 17/08/2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre TAM Linhas Aéreas
Portal A Wikipédia possui o portal: