Decolagem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A decolagem (português brasileiro) ou descolagem (português europeu) é a fase inicial do voo de um avião em que o veículo adquire a velocidade necessária para obter a sustentação para alçar voo.

A decolagem é a fase em que geralmente se utiliza a maior potência dos motores.

A decolagem e o pouso são considerados os momentos mais críticos do voo. Nesses procedimentos são necessários cuidados adicionais da tripulação para evitar acidentes.[1] [2]

Variáveis envolvidas e limite de peso[editar | editar código-fonte]

Na decolagem é necessário que os motores desenvolvam potência suficiente para vencer quatro variáveis:

É o momento em que se aplica a potência máxima nos motores, estando a aeronave normalmente com seu peso máximo (Maximum Take-Off Weight). Este limite máximo de peso na decolagem é estabelecido pelo fabricante e certificado pelas autoridades aeronáuticas para cada modelo de aeronave.

Parâmetros de segurança[editar | editar código-fonte]

Existem fatores que definem o momento em que a tripulação pode iniciar a decolagem ou abortá-la de imediato, em caso de falha crítica da aeronave. São definidos pela tripulação segundo a configuração da aeronave e as condições de funcionamento, como as condições da pista, pressão atmosférica, temperatura ambiente, versão e peso da aeronave.[3]

Os fatores que estão associados diretamente ao procedimento de decolagem, são:[4]

  • V1 - velocidade máxima durante a decolagem na qual o piloto pode parar com segurança a aeronave sem sair da pista. É também a velocidade mínima que permite ao piloto prosseguir em segurança para decolagem, mesmo que ocorra uma falha crítica entre V1 e V2.
  • V2 - velocidade de segurança para a decolagem. Acima desta velocidade, a decolagem deve prosseguir e não poderá ser abortada, a menos que hajam razões para crer que o avião não irá manter-se no ar.
  • V2min - velocidade mínima para a decolagem.
  • V3 - velocidade de retração dos flaps.
  • VEF - velocidade em que ocorre uma falha crítica do(s) motor(es) durante a decolagem.
  • VFTO - velocidade final na decolagem.
  • VMCG - velocidade mínima de controle em solo com falha crítica de motor(es).
  • VMCA - velocidade mínima de controle em voo com falha crítica de motor(es).
  • VR - velocidade de rotação (início da decolagem), momento em que que o trem de pouso "de nariz" sai da pista.

Relações entre os fatores[editar | editar código-fonte]

  • V1 > VMCG
  • VR V1 > VMCA
  • V2 > VMCA > VR

Tipos de decolagem[editar | editar código-fonte]

  • CATOBAR (decolagem assistida por catapulta e recuperação por arresto).
  • CTOL (decolagem e aterrissagem convencionais).
  • JATO (decolagem com propulsão extra fornecida por foguetes).
  • STOBAR (decolagem curta e recuperação por arresto).
  • STOL (decolagem e aterrissagem curtas).
  • STOVL (decolagem curta e aterrissagem vertical).
  • V/STOL (decolagem e aterrissagem vertical ou em espaço reduzido).
  • VTOL (decolagem e aterrissagem verticais).
  • VTOHL (decolagem vertical e aterrissagem horizontal).
  • ZLTO (lançamento de aviões anexados a foguetes).

Referências

  1. Decolagem e pouso são as fases mais perigosas do voo Último Segundo (16/7/2010).
  2. Takeoff Emergency! (em inglês) Fliyng (5/8/2014).
  3. O termo abortar em aeronáutica, significa cancelar, desistir da decolagem
  4. V speeds – Velocity-speeds (em inglês) Aviation glossary.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.