Madureira (bairro do Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Madureira
Madureira.svg
Bairro do Rio de Janeiro Bandeira do Município do Rio de Janeiro.png
Área: 378,76 ha (em 2003)
Fundação: 24 de maio de 1613 (401 anos)[1]
IDH: 0,831[2] (em 2000)
Habitantes: 50 106 (em 2010)[3]
Domicílios: 18 937 (em 2010)
Limites: Oswaldo Cruz, Turiaçu, Vaz Lobo,
Cavalcanti, Engenheiro Leal,
Cascadura e Campinho[4]
Região Administrativa: XV R.A.(Madureira)

Madureira é um bairro do Município do Rio de Janeiro. A população é basicamente de classe média , incluindo algumas comunidades carentes (favelas). Mas os destaques ficam por conta de uma imensa amplitude de linhas de ônibus e sua variedade de estabelecimentos comerciais, sendo o segundo pólo comercial e econômico da cidade e o maior do subúrbio. O bairro é famoso por ser sede da escola de samba Império Serrano. O bairro faz divisa com Oswaldo Cruz, Turiaçu, Vaz Lobo, Cavalcanti, Engenheiro Leal, Cascadura e Campinho[5] , e tem cerca de 50 mil habitantes(embora sua população flutuante seja muito maior que isso).

É um bairro fundamental para a economia do Município, pois sendo um bairro central, representa passagem para inúmeros bairros da zona Norte, Oeste e da própria Baixada Fluminense. Isso se confirma na quantidade de linhas de ônibus, que só fica atrás do número encontrado no Centro da Cidade do Rio de Janeiro, com a vantagem de não ser base de ponto final. A força do comércio também é algo importante, sendo o segundo polo do Município. Com as obras de acessibilidade para Copa e Olimpíadas, Madureira está sendo recortada, o que provavelmente aumentará ainda mais o fluxo do comércio local.

Seu IDH, em 2000, era de 0,831, o 67º melhor da cidade do Rio de Janeiro.[6]

Madureira possui ainda uma rádio exclusiva para toda a região, incluindo Vaz Lobo, Cavalcanti, Engenheiro Leal entre outros. A emissora BICUDA FM 98,7 tem alcance total e cobertura 24 horas.

História[editar | editar código-fonte]

No início do século XIX, o Rio de Janeiro, recém alçado à condição de sede do Reino, era fracamente povoado em seu interior, o chamado "sertão carioca". Esta região era composta por grandes propriedades rurais.

Uma dessas fazendas era a do Campinho, situada na Freguesia do Irajá. Era proprietário da fazenda o capitão Francisco Ignácio do Canto, e arrendatário um boiadeiro de nome Lourenço Madureira. Com a morte do capitão, iniciou-se uma disputa judicial entre o arrendatário e a viúva do proprietário, Rosa Maria dos Santos, a qual saiu perdedora. Lourenço Madureira deteve a propriedade do imóvel até falecer, em 16 de fevereiro de 1851. Após a morte do boiadeiro, com o loteamento da fazenda, surgiu a semente do que viria a se tornar o bairro de Madureira.

Até essa época, o acesso àquelas paragens era feito a cavalo. Somente em 1858 é que os trilhos da Central do Brasil chegaram à região, com a construção da Estação Cascadura, no que atualmente é o bairro vizinho de Cascadura. Em 1890, foi inaugurada no bairro a Estação Madureira, que recebeu essa denominação em homenagem ao boiadeiro e proprietário.[7] A denominação ajudou a consolidar o nome de Madureira ao nascente bairro. Em 1897, foi inaugurada a Estação Dona Clara[8] , que daria origem à localidade Dona Clara, considerada, posteriormente, juntamente com a Serrinha[9] , Oswaldo Cruz[9] e Magno, uma das principais adjacências de Madureira.[9] Finalmente, em 1908, foi inaugurada a Estação Inharajá, rebatizada para Estação Magno em 1928.[10]

No ano de 1914 surgiu o primeiro clube de futebol da região, o Fidalgo Futebol Clube, que mais tarde daria origem ao Madureira Esporte Clube.

Em 1916 os bondes a tração animal começaram a ser substituídos por bondes elétricos, processo que somente foi concluído em 1937, com a desativação da Estação Dona Clara. Com esse fato, Dona Clara foi absorvido por Madureira, desaparecendo como referência geográfica, processo semelhante ao que se repetiu posteriormente com Magno.

Na década de 1960 foi construído o Viaduto Negrão de Lima, à época o maior do município.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Rua Domingos Lopes, em Madureira.

Segundo dados de 2003 da Prefeitura do Rio de Janeiro, Madureira ocupa uma extensão de 378,76 ha, tendo uma altíssima taxa de urbanização (99,93%). Possui uma população de 49.546 habitantes, distribuídos em 15.400 domicílios (média de 3,21 habitantes por domicílio).

Estrutura administrativa[editar | editar código-fonte]

Os bairros integrantes dessa região administrativa são: Bento Ribeiro, Campinho, Cascadura, Cavalcante, Engenheiro Leal, Honório Gurgel, Madureira, Marechal Hermes, Osvaldo Cruz, Quintino Bocaiúva, Rocha Miranda, Turiaçu, Vaz Lobo. A XV R.A., por sua vez, está subordinada à Subprefeitura da Zona Norte, com sede em Guadalupe.

Economia[editar | editar código-fonte]

O comércio do bairro conta com várias lojas, com várias galerias comerciais, com o Madureira Shopping, o Shopping dos peixinhos, o Polo 1, o Portela Shopping e diversas lojas de rua.É um dos maiores pólos comerciais da cidade e o maior do subúrbio, atraindo pessoas de diferentes bairros da cidade em busca de variados produtos e serviços.

O Mercadão de Madureira[editar | editar código-fonte]

Madureira é um centro comercial que possui vários estabelecimentos, dentre os quais destaca-se um cuja história se confunde com a do próprio bairro: o Mercadão de Madureira, no início uma grande quitanda de hortifrutigranjeiros. As origens do assim chamado "Mercadão" remontam à República Velha, quando em 1914 foi inaugurado o Mercado de Madureira, ponto de venda de produtos agrícolas que mudou de sede em 1916 e passou por uma ampliação em 1929. No ano de 1959, o Presidente Juscelino Kubitschek inaugurou o novo Mercadão de Madureira, no local onde se encontra até hoje (Avenida Ministro Edgard Romero). Como reflexo, o bairro passou a ser um dos maiores arrecadadores de ICMS da cidade. A concorrência que passou a enfrentar por parte da CEASA motivou a diversificação de produtos vendidos por suas 650 lojas. No dia 15 de janeiro de 2000 o Mercadão sofreu um incêndio que danificou boa parte de suas instalações, tendo sido recuperado posteriormente e reinaugurado a 5 de outubro de 2001. É tido hoje como sendo maior mercado popular do Brasil, não podendo ser confundido com um camelódromo. Mas os destaques daquele bairro não ficam só por conta de uma amplitude de linhas de ônibus(que levam a diversos bairros do Rio de Janeiro e por sua variedade de estabelecimentos comerciais) e também por grande parte de sua população( a grande maioria de negros, descendentes de ex-escravos) e trabalhadores que engrossam e contribuem para uma parte do PIB nacional.

Madureira Shopping[editar | editar código-fonte]

O principal shopping do bairro é o Madureira Shopping Rio, um centro integrado de lojas e salas comerciais. [11] Foi inaugurado em abril de 1989.[12] Dentro dele está localizada a unidade Madureira da Universidade Estácio de Sá[12] Em julho de 2011 foi atingido por um incêndio em seu terceiro andar.[13] [14] No final do mesmo ano, anunciou altos investimentos, como o cinema 4D[15] , a contratação de um novo superintendente[16] [17] e uma milionária campanha de Natal[18] .

Infra-estrutura[editar | editar código-fonte]

No quesito serviços, Madureira dispõe dos mais diversos, no bairro e em suas adjacências:

  • Unidades de Saúde Públicas: Maternidade Herculano Pinheiro (Av Min. Edgar Romero), UPA Madureira (Est. Intendente Magalhães) e Clínica da Família (Praça do Patriarca).
  • Escolas: Públicas e Particulares (dentre as mais conhecidas como Lemos de Castro, , Martins, Ponto de Ensino, Elite, GPI, Wakigawa , Bahiense), além da faculdade Estácio de Sá.
  • Cursos preparatórios: Curso Maxx, Degrau Cultural etc
  • Agências Bancárias
  • Supermercados
  • Shopping Center etc.

Transportes[editar | editar código-fonte]

A linha de trem chegou ao bairro em 1858 e, como sua construção é posterior, este se dividiu em três partes. Os trens que por ali passam interligam o Centro da cidade com o bairro de Santa Cruz, na Zona Oeste, e com os municípios de Paracambi, Belford Roxo e Japeri, ambos na Região Metropolitana. No bairro estão situadas as estações de Madureira e do Mercadão de Madureira, a última anteriormente chamada de Magno.

Madureira também conta com várias linhas de ônibus que atravessam o bairro e o liga a diversas localidades do Grande Rio. No bairro há um Terminal Rodoviário[19] - de onde partem as linhas 700 (MADUREIRA X PONTE DE MARAPENDI (CIRCULAR)), 701 (MADUREIRA X ALVORADA), 761 (MADUREIRA X BOIUNA), 762 (MADUREIRA X COLONIA), 763 (MADUREIRA X SANTA MARIA), 764 (MADUREIRA X PAU DA FOME) e 780 (BENFICA X MADUREIRA) -, além de futuras estações do BRT TransCarioca - em fase de construção, que interligará a Barra da Tijuca ao aeroporto internacional Antônio Carlos Jobim (Aeroporto do Galeão - Ilha do Governador).

Principais vias e estações de trem[editar | editar código-fonte]

  • Estrada do Portela - Começa na frente da Escola de Samba Império Serrano. É onde se localiza o Madureira Shopping e a maior parte comercial do bairro. Esta via vai até o encontro da Estrada do Sapê com a Avenida dos Italianos.
  • Rua Conselheiro Galvão - É paralela a Estrada do Portela, seguindo pelo outro lado da linha férrea do ramal Belford Roxo. Onde se encontra o Madureira Esporte Clube e o estacionamento do Mercadão.
  • Rua Carolina Machado - Paralela a linha férrea do ramal Deodoro. Começa em Cascadura e segue até depois de Marechal Hermes, quase na Avenida Brasil.
  • Rua João Vicente - Paralela a linha férrea do ramal Deodoro, no lado que dá acesso a Jacarepaguá, Vila Valqueire e Campo dos Afonsos.
  • Rua Padre Manso - Liga a Avenida Ernani Cardoso ao Bairro de Madureira, próximo a um acesso do Viaduto Negrão de Lima.
  • Viaduto Negrão de Lima - Integra o bairro, que é cortado por quatro linhas férreas.
  • Rua Domingos Lopes - Liga a rua João Vicente ao bairro de Campinho / Jacarepaguá. É onde se encontra o Mergulhão Clara Nunes construído para a passagem do BRT Transcarioca e a Praça do Patriarca.
  • Estação de Madureira - Principal estação ferroviária do bairro, dispondo dos ramais Santa Cruz, Japeri (inclusive os diretos) e Campo Grande.


Cultura[editar | editar código-fonte]


Além do Imperial Baskete Clube que hoje é a Galeria Imperial localizada no início da estrada do Portela, onde era realizadas as melhores tardes dançantes da época de 1964. E também as melhores quadrilha de festa junina, premiada por vários anos. Madureira Esporte Clube e do Social Atlas Clube, tem sede em Madureira duas das maiores escolas de samba do Carnaval carioca: o Império Serrano e a Portela. O bairro foi cantado em verso e prosa por diversos intérpretes da MPB, tendo ficado famoso na voz de Clara Nunes, Arlindo Cruz, Paulinho da Viola e Zeca Pagodinho. Atualmente ficou conhecido como tema da música Meu Lugar, de Arlindo Cruz[20] , e como inspiração para o bairro fictício "Divino" (Avenida Brasil (telenovela), da Rede Globo).

Embora rico quando o assunto é samba, o mesmo não se pode dizer das artes cênicas. A exemplo do que ocorreu em outros locais do subúrbio carioca, os teatros de Madureira há alguns anos perderam espaço para os cinemas de rua e estes para os atuais shopping center, os quais, hoje, são uma das maiores opções de lazer. O recém inaugurado Parque Madureira, terceiro maior parque e quarta maior área verde da cidade, se tornou, então, uma opção de lazer, tanto para os moradores do bairro quanto para os de outras regiões, com seus atrativos (pista de skate, ciclovias, bosques e riacho) e shows frequentes.

Para disseminar a cultura do bairro, Madureira conta com a Rádio Comunitária BICUDA FM 98,7 MHz, que no dia 03 de março de 2013 recebeu a outorga definitiva nº 002/2013-RJ, atestada pelo Ministério das Comunicações / República Federativa do Brasil. Desde abril de 2009 no ar, a Bicuda FM busca promover a educação ambiental, a democratização da comunicação e as expressões culturais da Zona Norte. São esses os objetivos da Rádio Comunitária Bicuda FM 98,7 MHz, o veículo de comunicação da ONG Bicuda Ecológica. Sua transmissão alcança parte de Madureira, Irajá, Vicente de Carvalho, Vila da Penha, Vila Kosmos, Colégio, Rocha Miranda, Guadalupe, Oswaldo Cruz, Campinho, Thomaz Coelho e Vaz Lobo, além de transmitir pela internet através do endereço http://www.bicuda.org.br e também em celulares mais modernos.

O bairro possui um Grupo de Escoteiros do Ar. O 55º Grupo Escoteiro do Ar Julio Verne que em 2013, completou 15 anos, costuma realizar suas reuniões no Parque Madureira e na igreja de São Luiz Gonzaga.

No aspecto religioso, o bairro tem adeptos de diversas religiões. Da religião católica[21] , encontram-se as seguintes paróquias:


  • Santo Sepulcro

01/01/1945 - SB/4ª - 5720/04 End.: Rua Sanatório, 310 Tel: 3899-4750 Pároco: Pe. Ademir Martini, SDV

Até a década de 1970 era um mosteiro de frades franciscanos.


  • Nossa Senhora da Glória

End.: Rua Candiru, s/n


  • Santa Clara

End.: Rua Sanatório, 802


  • Santo Antônio

End.: Rua Iguaçú, 360 c/ 56


  • São Brás

23/04/1958 - SB/4ª End.: Rua Andrade Figueira, 158 Telefax: 3390-3438 Pároco: Pe. Nivaldo Alves dos Santos Junior Vigário Paroquial: Pe. Jayme Henrique Diácono: Valdir Bernardino Bastos (P)

Sede do Vicariato Suburbano. Tem como capelas a de São José da Pedra, a de Santo Antônio e, atualmente, iniciaram-se os trabalhos para a construção de uma terceira capela, na comunidade do Cajueiro (Rua Tatuí, 125), dedicada à Nossa Senhora Aparecida.


  • Santo Antônio

End.: Rua Licurgo, s/n - Serrinha


  • São José da Pedra

End.: Rua Alves, s/n - Morro de São José

Os visitantes da capela, construída entre 1901 e 1904 e reconstruída em 1931, são brindados com uma visão panorâmica da região. Segundo a tradição, em fins do século XIX, um grupo de caçadores subiu o morro buscando se abrigar da chuva. Lá, encontraram uma imagem de São José em cima de uma pedra. Ao interpretar o fato como um milagre, iniciou-se a devoção ao local onde foi erguida a capela. A escadaria somente foi construída em 1978, facilitando o acesso. Os fiéis que freqüentam a igreja gostam de lembrar que ela tem um degrau a mais do que a famosa escadaria da Igreja da Penha, no bairro da Penha.


  • São Luiz Gonzaga

26/10/1915 - SB/4ª - 7320/04 End.: Rua Manuel Martins, 43 Telefax: 3390-7400 Tel: 2451-0626 (casa Paroquial) Pároco: Pe. Paulo Cardoso Diácono: João de Barros Almeida (P)


  • São Sebastião (Irmandade)

End.: Rua Alaide, 63


Entre os evangélicos, Madureira também é conhecida por ter sido a localidade onde teve o início do Ministério de Madureira e foi fundada a Covenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil (CONAMAD), pelo Pastor Paulo Leivas Macalão (1903-1982) nos anos de 1930, e hoje sendo uma das maiores Convenções representante da Igreja no Brasil e no Mundo, tendo seu principal templo a Catedral da Assembléia de Deus em Madureira fundada na Rua Carolina Machado, 174, em maio de 1953.

Referências

  1. O Dia (24/05/2013). Madureira festeja 400 anos no ritmo da modernidade 00:19:22. Visitado em 25/05/2013.
  2. Tabela 1172 - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH), por ordem de IDH, segundo os bairros ou grupo de bairros - 2000
  3. Dados
  4. Bairros do Rio
  5. Bairros do Rio
  6. Tabela 1172 - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH), por ordem de IDH, segundo os bairros ou grupo de bairros - 2000
  7. Ralph Mennucci Giesbrecht (23.01.2012). Estação Madureira. Visitado em 18.12.2012.
  8. Ralph Mennucci Giesbrecht (22.04.2011). Estação Dona Clara. Visitado em 18.12.2012.
  9. a b c Citação: "Serrinha, Osvaldo Cruz e Dona Clara são lugares periféricos a Madureira e centrais para a geografia e a história das escolas de samba. É verdade que em Dona Clara não se formou nenhuma grande escola de samba; porém, foi dali que saíram aqueles que levaram o samba para a Mangueira, segundo testemunhou Carlos Cachaça a Cabral" - Nélson da Nóbrega Fernandes. Escolas de Samba: Sujeitos Celebrantes e Objetos Celebrados. Rio de Janeiro: Coleção Memória Carioca, vol. 3, 2001, página 59.
  10. Ralph Mennucci Giesbrecht (12.08.2009). Estação Magno (Mercadão de Madureira). Visitado em 18.12.2012.
  11. G1 (05/07/2010). Madureira Shopping, no Rio, abre 800 vagas. Visitado em 08/11/2011.
  12. a b Brookfield Shopping Centers. Madureira Shopping. Visitado em 08/11/2011.
  13. O Globo (29/07/2011). Incêndio atinge o Madureira Shopping. Visitado em 01/08/2011.
  14. Sidney Rezende (29/07/2011). Após incêndio, piso do Madureira Shopping é interditado. Visitado em 08/11/2011.
  15. Guilherme Barros, IG (26/09/2011). Madureira Shopping investe em Cine 4D para o Dia das Crianças. Visitado em 08/11/2011.
  16. Adriana Fonseca, Valor Econômico (11/10/2011). Madureira Shopping anuncia novo superintendente. Visitado em 08/11/2011.
  17. Panorama Brasil (11/10/2011). Madureira Shopping anuncia novo diretor superintendente. Visitado em 08/11/2011.
  18. Guilherme Barros, IG (01/11/2011). Madureira Shopping investe R$ 1 milhão em campanha de Natal. Visitado em 08/11/2011.
  19. http://www.rioonibus.com/servicos/terminais/
  20. Letras.Terra. Meu Lugar - Arlindo Cruz. Visitado em 06/12/2011.
  21. http://www.arquidiocese.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=222
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Madureira (bairro do Rio de Janeiro)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]