Vargem Grande (bairro do Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vargem Grande
Mapa da região da Subprefeitura da Barra, incluindo Vargem Grande
Bairro do Rio de Janeiro Bandeira do Município do Rio de Janeiro.png
Área: 3 938,04 hectares (2003)
Fundação: 23 de julho de 1981
IDH: 0,746[1] (em 2000)
Habitantes: 14 039 (em 2010)[2]
Domicílios: 5 925 (em 2010)
Limites: Barra de Guaratiba, Recreio dos Bandeirantes,
Vargem Pequena, Camorim e Jacarepaguá[3]
Subprefeitura: Barra e Jacarepaguá
Região Administrativa: XXIV R.A.(Barra da Tijuca)

Clima[editar | editar código-fonte]

O bairro de Vargem Grande está situado a 15 metros acima do nível do mar ascendendo até a sua parte mais alta, a uma altitude de 345 metros, e está dentro de uma área de mata atlântica que é um resquício desta mata fora do Parque Estadual da Pedra Branca e por isso tem um dos climas mais amenos da cidade, junto com o Alto da Boa Vista, alcançando temperaturas abaixo de 8ºC no inverno nas áreas mais altas do mesmo. O clima Tropical de Altitude, tipo Cwa, que consiste em invernos secos e relativamente frios e verões extremamente úmidos e quentes, sendo o Outono e a Primavera estações de transição entre Inverno e o Verão, ou seja, entre a estação mais Seca e mais Úmida, é encontrado nas partes mais elevadas do Bairro, possuindo o mesmo clima que o Bairro do Alto da Boa Vista.


Vargem Grande é um bairro de classe média da região da Barra da Tijuca, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil. O ponto culminante da cidade, o Pico da Pedra Branca[4] , se localiza no seu limite com o bairro de Jacarepaguá[5] .

Faz limite com os bairros Recreio dos Bandeirantes, Vargem Pequena, Camorim e Jacarepaguá.[6]

Seu índice de desenvolvimento humano, no ano 2000, era de 0,746, o 116º colocado entre 126 regiões analisadas na cidade do Rio de Janeiro.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Estrada dos Bandeirantes, altura de Vargem Grande. Foto de André Luiz Pereira Nunes

As terras de Vargem Grande pertenciam à sesmaria de Gonçalo Correia de Sá, cuja filha, dona Vitória, em ocasião de seu falecimento, doaria a extensa propriedade aos Monges Beneditinos. Frei Lourenço da Expectação Valadares criou, no século XVIII, a fazenda Vargem Grande, na antiga Estrada de Guaratiba, cujas ruínas ainda existem no Sítio das Pedras, número 10.636, atual Estrada dos Bandeirantes.

Inicialmente, prevaleceu na região a cultura de cana de açúcar e, depois, o ciclo do café. Em 1891, os Beneditinos venderam todo seu latifúndio para a Companhia Engenho Central de Jacarepaguá, daí ao Banco de Crédito Móvel, e, em 1936, para a Empresa Saneadora Territorial Agrícola.

A pavimentação da estrada de Guaratiba, atual Bandeirantes, somada à ampliação do caminho sinuoso da Grota Funda, facilitou o acesso para a região. Obras de saneamento foram realizadas nos extensos alagadiços dos campos de Sernambetiba, destancando-se a abertura do Canal de Sernambetiba, que captou as águas dos rios Paineiras, Morto, Portão, Cascalho e Bonito.

A partir da década de 90, a paisagem agrícola de Vargem Grande foi alterada por um surto de urbanização. A partir do núcleo urbano inicial surgiram novos loteamentos e condomínios e comunidades de baixa renda como a Vila Cascatinha, somando-se às comunidades do rio Morto e da Beira do Canal.

Paisagem de Vargem Grande. Foto de André Luiz Pereira Nunes

A imagem de um bairro rural, ligado à natureza, com a bela paisagem florestal do Maciço da Pedra Branca ao fundo, terminou por transformar a região em um pólo de ecoturismo, onde passeios a cavalo, aluguel de sítios, criação de plantas ornamentais e trilhas rústicas somam-se a outros dois fatores de atração: o Pólo Gastronomico com resturantes rústicos, variados, destacando-se o Gepetto, Quinta, Jardineto, Skunna, Barreado, Gugut. O Water Planet, inagurado em 1998, é o maior parque aquático da América do Sul, com mais de 30 atrações diferentes em 400.000 m2 de área.

Grande parte do bairro é abrangido pelo Parque Estadual da Pedra Branca, que com seus 12.500 hectares, é considerado a maior floresta urbana do mundo. Destaca-se o Morro de Santa Bárbara (857 metros), o Pico da Pedra Branca (1.025 metros), ponto culminante do município, a Serra do Rio da Prata (divisa com Campo Grande), os Morros do Cabungui, dos Caboclos, Toca Grande, Toca Pequena, Pico do Morgado, com altitudes entre 500 e 1000 metros. Seu acesso se dá pelas estradas do Morgado, Pacuí, Cabongui, da Mucuíba e do Sacarrão, de onde partem trilhas em direção aos vales do Sacarrão, Cafundá e do Gunzá, com rios encachoeirados, em meio à Mata Atlantica e alguns bananais. Daí são feitas travessias em direção aos bairros de Guaratiba e Campo Grande, pelos antigos caminhos usados pelos sitiantes e tropeiros, com suas mulas e produtos agrícolas.

Destacam-se ainda o Haras Pégasus, o templo da Sociedade Budista Tibetana Karma Teksum Chokorling e o complexo Recnov, da Rede Record, para gravações de telenovelas, em 73.000 m2 de área.

Estrada do Rio Morto. Foto de André Luiz Pereira Nunes

O bairro é um dos que mais crescem atualmente na cidade do Rio de Janeiro, tendo passado de 9.306 habitantes, em 2000, para 14.039, em 2010. É também um dos que possuem maior área verde no Rio de Janeiro, com muita natureza. No bairro, existem cachoeiras, sítios, haras e trilhas. Boa parte de sua extensão é tomada pelo Parque Estadual da Pedra Branca, área de preservação ambiental. Também por ser um novo centro em gastronomia, Vargem Grande apresenta inúmeros restaurantes portugueses e italianos, além do parque aquático Rio Water Planet.

Além da vasta natureza, apresenta um dos menores índices de violência da cidade do Rio de Janeiro e, por esse e outros fatores ligados à qualidade de vida, o bairro é residência de vários artistas famosos, que procuram por um lugar mais tranquilo junto à natureza.

Infelizmente, seguindo uma tendência de mal planejamento e crescimento urbano, possui várias áreas de ocupação ilegal com formação de algumas favelas e vilas de baixa renda, mas que, até o momento, não registram índice de presença criminosa, sendo apenas consideradas áreas humildes que dividem espaço com condomínios altamente luxuosos e mansões.

Apesar dos problemas estruturais e de ser bastante longe do Centro da cidade, tem grande valorização imobiliária, seguindo os passos dos bairros vizinhos Recreio dos Bandeirantes e Barra da Tijuca. Praticamente não existem edifícios no bairro, apenas poucos e de pequeno tamanho. A maioria dos grandes condomínios é formada por casas.

Vargem grande é uma das poucas áreas do Rio de Janeiro cuja natureza ainda é expressiva e razoavelmente preservada em clima de cidade do interior.

Também concentra um grande número de artistas plásticos e um aclamado Centro Gastronômico que marcam presença no Festival de Arte e Gastronomia das Vargens, assim como artistas do bairro vizinho, Vargem Pequena[8] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]