Humaitá (bairro do Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Humaitá
—  Bairro do Brasil  —
Vista de Humaitá. Ao fundo, o Corcovado.
Vista de Humaitá. Ao fundo, o Corcovado.
Humaitá.svg
Distrito Subprefeitura da Zona Sul
Criado em 23 de julho de 1981 (decreto de criação)
Área
 - Total 105,45 ha (em 2003)[1]
População
 - Total 13 285 (em 2 010)[1]
 - IDH 0,959[1] (em 2000)
Domicílios 6 546 (em 2010)
Limites Botafogo, Jardim Botânico, Lagoa,
Alto da Boa Vista, Copacabana e
Santa Teresa [1]
Subprefeitura Subprefeitura da Zona Sul
Fonte: Não disponível

Humaitá é um bairro nobre da Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, de classe média-alta e alta que faz limite com os bairros de Botafogo, Jardim Botânico, Lagoa, Alto da Boa Vista, Copacabana e Santa Teresa.[2] Seu IDH, no ano 2000, era de 0,959, o sétimo melhor da cidade do Rio de Janeiro.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Antigas residências do bairro.

O nome do bairro provém da batalha do Humaitá, travada na Guerra do Paraguai. No começo da colonização os índios chamavam a atual área do bairro de Itaóca, devido a uma gruta existente na atual rua Icatu.[4]

Tempos depois a grande parte área pertencia a Clemente José Martins de Matos, Vigário-Geral do bispado. O proprietário constrói uma capela em 1657, e depois abre um acesso à capela que seria dedicada a São Clemente. Atualmente o caminho corresponde à Rua São Clemente.[5]

No século XIX a região se destacava pela produção de peças de cerâmica e em 1825 Joaquim Marques Batista de Leão, adquiriu a fazenda da olaria, loteando-a mais tarde. Seus herdeiros doaram diversas propriedades à Câmara em 1853. As outras fazendas e chácaras da região foram loteadas também surgindo ruas e o bairro.[5]

Já na década de 1960 houve a remoção da favela Macedo Sobrinho, sendo criado o Parque Natural Municipal da Saudade, além do alargamento da rua e do largo do Humaitá, estabelecendo uma melhor ligação com a Lagoa.[5]

As ruas do bairro têm como plano de fundo a Floresta do Corcovado.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

O bairro atualmente encontra-se praticamente unificado ao Botafogo, pelo eixo representado pelas ruas Humaitá, São Clemente e Voluntários da Pátria. Possui um caráter residencial, sendo um dos poucos bairros da Zona Sul que ainda possui um grande número de casas tradicionais e antigas, algumas delas tombadas pelo patrimônio histórico.

Pelo bairro passam diversas linhas de ônibus, algumas ligando a Zona Sul à Zona Norte. Não há estação de metrô mas pode-se tomar um ônibus de integração até a estação mais próxima, em Botafogo.


Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

A vida noturna no bairro tem aumentado consideravelmente nos últimos anos. Há vários bares, lojas de importados e restaurantes na COBAL, antiga garagem de bondes. A Rua Visconde de Caravelas também é reduto para a boemia. Bares tradicionais como Aurora e Plebeu, dividem a esquina com um bar da rede Botequim Informal - inaugurado no final de 2007. Existe também o Instituto Brasileiro de Administração Municipal - IBAM, a Casa da Espanha, o Espaço Cultural Sérgio Porto, que já realizou diversas apresentações musicais desde sua inauguração, em 1983.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Rio Prefeitura - Bairros cariocas - Humaitá Portalgeo.rio.rj.gov.br. Página visitada em 25 de janeiro de 2010.
  2. Dados completos de Humaitá Portalgeo.rio.rj.gov.br.
  3. Tabela 1172 - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH), por ordem de IDH, segundo os bairros ou grupo de bairros - 2000 (XLS) Armazemdedados.rio.rj.gov.br.
  4. História Aprofundada do Bairro Urca.net.
  5. a b c Notas Técnicas do Plano Estratégico ZONA SUL (PDF) Armazemdedados.rio.rj.gov.br.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]