Jacarezinho (bairro do Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Jacarezinho
Estação Jacarezinho.JPG
Bairro do Rio de Janeiro Bandeira do Município do Rio de Janeiro.png
Área: 94,39 ha (em 2003)
Fundação: 29 de julho de 1992
IDH: 0,731[1] (em 2000)
Habitantes: 37 839 (em 2010)[2]
Domicílios: 11 881 (em 2010)
Limites: Maria da Graça, Cachambi,
Sampaio, Jacaré e Manguinhos[3]
Subprefeitura: Zona Norte[4]
Região Administrativa: XXVIII R.A.(Jacarezinho) [4]

O Jacarezinho é um bairro da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil. Também é uma das maiores favelas da cidade. Localiza-se na Zona Norte da cidade, junto à via férrea. Era um bairro com altos índices de violência, principalmente relacionados ao consumo e ao tráfico de drogas[5] .

Seu IDH, no ano 2000, era de 0,731, o 121º colocado entre 126 regiões analisadas na cidade do Rio de Janeiro.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

Um dos acessos à Favela do Jacarezinho
Vista do bairro

Tem população estimada em mais de 36 000 habitantes, segundo dados de 2004 da prefeitura.

É servida por uma estação ferroviária da Supervia e, nas suas imediações, passam importantes eixos viários da cidade, especialmente a Avenida Dom Hélder Câmara. Nasceu na comunidade, em janeiro de 1966, o ex-jogador de futebol e atual deputado federal Romário e o funkeiro MC Serginho.

É de caráter plano e integra ruas, avenidas e uma estação ferroviária de igual nome. Comunica-se com outra favela próxima, a de Manguinhos.

Na comunidade, se encontra a escola de samba Unidos do Jacarezinho, que já integrou o grupo principal do carnaval da cidade. A comunidade foi batizada com a versão diminutiva do nome do rio que nasce no Maciço da Tijuca e que atravessa os bairros do Jacaré, Méier, Engenho Novo e Triagem. Nos anos 1940, o Rio Jacaré foi aterrado e canalizado para a construção da Avenida Brasil. Ele desemboca na Baía de Guanabara pelo Canal do Cunha.

Pacificação[editar | editar código-fonte]

Por volta das 6h30 de domingo (14 de Outubro de 2012), mais de dois mil homens das forças policiais e do Exército participam da operação na favela do Jacarezinho. A ação teve o apoio de 24 veículos blindados, sendo 13 da Marinha e 11 da Polícia Militar, além de sete aeronaves da Polícia Rodoviária Federal, da PM e da Polícia Civil. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, este é o primeiro passo para a implantação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no Jacarezinho. A preparação para o início do processo de pacificação começou na sexta-feira (12), quando policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Batalhão de Choque (BPChq), e do 22º BPM (Maré) e 3º BPM (Méier) reforçaram a segurança no entorno, realizando blitzes em vias estratégicas, como a Avenida Brasil, e revistando as pessoas que entravam e saíam das comunidades.

Em 16 de Janeiro de 2013 a comunidade passou a ser atendida pela 30° UPP com o efetivo de 543 policiais.


Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Rio de Janeiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.