Escolinha do Professor Raimundo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Escolinha do Professor Raimundo
Logotipo do programa
Informação geral
Formato Sitcom
Criador(es) Haroldo Barbosa
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Elenco Chico Anysio - Professor Raimundo

Antônio Carlos Pires, Antônio Pedro, Brandão Filho, Castrinho, Cláudia Jimenez, Francisco Milani, Grande Otelo, Heron Flávio, Jayme Filho, Lúcio Mauro, Lug de Paula, Luís Delfino, Lupe Gigliotti, Marcos Plonka, Mário Tupinambá, Milton Carneiro, Nizo Neto, Olney Cazarré, Orlando Drummond, Regina Chaves, Rogério Cardoso, Rony Cócegas, Sérgio Mallandro, Stella Freitas, Tássia Camargo, Walter D'Ávila, Zezé Macedo

Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Transmissão original 1ª Fase:
4 de agosto de 199028 de maio de 1995[1]
2ª Fase:
26 de março de 2001
28 de dezembro de 2001[2]
N.º de episódios 1504

Escolinha do Professor Raimundo foi um quadro cômico comandado por Chico Anysio e exibido em diversos programas humorísticos por mais de 38 anos, período em que reuniu muitos dos maiores nomes do gênero no Brasil.[3]

Estreou como programa próprio na Rede Globo em agosto de 1990, sendo transmitido até maio de 1995. Voltou ao ar em 1999 como parte do humorístico Zorra Total, permanecendo até outubro de 2000. Retornaria a seu formato original em março de 2001, quando foi exibida sua última temporada.[3]

A partir de 4 de outubro de 2010, passou a ser reprisado pelo canal por assinatura Viva.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Rádio[editar | editar código-fonte]

O formato de humorístico formado por um professor e seus alunos já existia no rádio, sendo o precursor do gênero o programa Escolinha da Dona Olinda, criado pelo humorista Nhô Totico e transmitido pela EPR durante os anos 30.[5] Já a Escolinha do Professor Raimundo surgiu em 1952 pelas mãos de Haroldo Barbosa para a Rádio Mayrink Veiga.[5] Consistia de uma sala de aula onde o Professor Raimundo Nonato (Chico Anysio) servia como escada para as piadas de três alunos: o sabido, interpretado por Afrânio Rodrigues, o burro, papel de João Fernandes, e um esperto, Zé Trindade. Mais tarde, eles ganhariam a companhia de um mineiro desconfiado, Antônio Carlos Pires.[3]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Com o sucesso do programa no rádio, ele ganhou sua versão televisiva em 1957, sendo exibido no programa Noites Cariocas, da TV Rio. O aluno inteligente era agora interpretado por João Loredo; seu oposto por Castrinho; Vagareza era o malandro que tentava ludibriar o professor; e Ary Leite, um aluno gago e confuso.[3] A Escolinha passou ainda pelas TVs Excelsior e Tupi,[5] até chegar à Rede Globo, onde foi exibida como parte dos programas Chico City (1973), em seu formato de três alunos e professor, e Chico Anysio Show (1988), com uma sala de aula maior, com 20 alunos.[3]

A ideia de transformar o quadro em programa solo foi de Chico Anysio. Estreou no dia 4 de agosto de 1990, com direção de Cassiano Filho, Paulo Ghelli e Cininha de Paula. Gravado inicialmente nos estúdios da antiga TV Tupi, na Urca, e depois na Cinédia e nos estúdios do Renato Aragão, todos no Rio de Janeiro, a Escolinha ia ao ar aos sábados, às 21h30 da noite. Estreou com vinte alunos, e a partir de 29 de outubro, com a adição de mais três, passou a ser exibida de segunda a sexta-feira, às 17h30 da tarde.[3]

No dia 11 de junho de 1992 foi ao ar o programa de número 500. A Escolinha parou de ser exibida aos sábados, passando para as noites de quarta-feira, mas depois de um tempo a mudança foi desfeita. Já então o elenco contava com 37 atores, entre alunos e personagens de apoio.[3]

Em 1995 as edições vespertinas começaram a ser reprisadas. O programa de sábado passou a ser transmitido às quartas-feiras, voltando para o sábado e indo parar até nas tardes de domingo, reflexo da queda inevitável de audiência - talvez devido à superexposição do formato, exibido seis vezes por semana durante cinco anos ininterruptos. Como as mudanças não deram resultado, a Escolinha saiu do ar em maio de 1995.[3]

Em 1999, Chico Anysio decidiu levar a Escolinha pelos teatros do Brasil e sua turnê teve o pontapé inicial dado em 8 de outubro de forma gratuita no Shopping Grande Rio, em São João de Meriti, no Rio de Janeiro. No mesmo ano voltou a ser exibida na Rede Globo, agora como quadro do programa Zorra Total, permanecendo no ar até outubro de 2000.[3]

Uma última temporada, novamente como programa solo e com 25 minutos de duração, foi exibida de segunda a sexta-feira entre março e dezembro de 2001.[3]

Com o fim definitivo do quadro muitos humoristas do elenco da Escolinha acabariam sendo contratados pela Rede Record, onde estrelaram - sem Chico Anysio - o programa Escolinha do Barulho. No lugar de Chico, Dedé Santana, Gil Gomes, Benvindo Siqueira e Miéle, entre outros, faziam o papel do professor.

Em 2008 a Globo lançou um DVD com episódios do ano de estreia, 1990, num disco de três horas. No único extra, uma compilação de cenas de quadros do programa onde os alunos levavam seus parentes (geralmente pais e avós), sempre com atores convidados como Mario Lago e Renato Aragão.[6]

Após a morte de Chico Anysio em 23 de março de 2012, a Globo anunciou uma reprise especial da Escolinha em sua homenagem, num compacto de cinco capítulos exibidos entre 26 e 30 de março do mesmo ano.[7] [8]

Desde o dia 8 de Dezembro de 2014,a Rede globo está reprisando a escolinha dentro do vídeo show,com edições diárias de 20 minutos.

Elenco[editar | editar código-fonte]

O elenco do mês de estreia do programa, agosto de 1990, consistia de:[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Escolinha do Professor Raimundo