Dedé Santana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde junho de 2011) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Dedé Santana
Dedé e seu filho
Nome completo Manfried Sant'Anna
Outros nomes Dedé Santana
Nascimento 9 de maio de 1936 (78 anos)[1]
Niterói, Rio de Janeiro[1] [2]
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação ator, apresentador, diretor, dublador, humorista, e roteirista
IMDb: (inglês)

Manfried Sant'Anna, mais conhecido como Dedé Santana, (Niterói, 9 de maio de 1936) é um ator, apresentador, diretor, dublador, humorista e roteirista brasileiro, muito conhecido por ter integrado o grupo humorístico Os Trapalhões. Dedé Santana reside atualmente em Itajaí (SC)[3] , fazendo parte do elenco do programa Aventuras do Didi, na Rede Globo.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dedé Foi criado por sua família, que é descendente de ciganos, entre artistas de circo. Entrou no seu primeiro espectáculo circense apenas com três meses de vida.

Dedé formou, com o ator e irmão Dino Santana, uma dupla, Maloca e Bonitão. No filme Na Onda do Iê-iê-iê, de 1965, já na companhia de Renato Aragão, Dedé e Didi vão à delegacia para salvar o personagem César Silva, vivido pelo cantor Silvio César, que estava preso injustamente e tinha que sair da cadeia para participar de um festival, o guarda reconheceu Dedé perguntando: "Você não é o Maloca da televisão? Me conta uma piada!", então Dedé ficou entretendo o guarda para que Didi abrisse o cadeado da prisão para a fuga do personagem César Silva.

Foi com Renato Aragão, que Dedé conheceu na Rede Excelsior, que iniciou o grupo de comediantes e humoristas que lhe viria a dar fama, Os Trapalhões. Como Dedé é de formação circense, ensinou muitas piruetas e movimentos de circo a Renato Aragão na época que eram uma dupla.

Ao lado de Mussum, Didi e Zacarias e de diversos artistas do elenco da Globo como Roberto Guilherme, Tião Macalé e Carlos Kurt, Dedé participou de várias edições do Criança Esperança, de 1985 até 1996. Criado e estreado em 1985, foi ao ar exibido ao vivo direto do antigo Teatro Fênix, durante o especial que comemorou os 20 anos de Os Trapalhões, no dia 28 de dezembro de 1986, na Rede Globo. Dedé também comemorou os 25 anos de Os Trapalhões com Mussum e os 30 anos de Os Trapalhões com Didi no Criança Esperança.

Após sofrer com a perda dos amigos e parceiros "Zacarias", falecido no ano de 1990, e "Mussum", falecido no ano de 1994, em 1995, Dedé e Didi são contratados por um Canal de Televisão de Portugal e levam a magia trapalhônica ao velho continente com o programa Os Trapalhões em Portugal. O programa fica no ar por 4 anos, encerrando em 1998.

Integrante da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus, Dedé Santana diz ter se convertido depois que passou por uma série de problemas cardíacos, em 1995.

Em 1999 Dedé foi escalado para ser um dos professores do programa humorístico Escolinha do Barulho da Rede Record.

Em 2004, após uma longa separação e diversos desentendimentos, (alguns devido a declarações que dava em entrevistas à imprensa), Dedé se reconciliou com o parceiro Renato Aragão como Didi, em uma participação no programa Criança Esperança daquele ano, exibido pela Rede Globo.

Em 2005, Dedé voltou à televisão com o programa Dedé e o Comando Maluco, em associação com o empresário e comediante Beto Carrero, exibido pelo SBT. O programa chegou a ser exibido no mesmo horário do programa A Turma do Didi. De acordo com o Ibope, o programa de Dedé no SBT chegou a vencer A Turma do Didi. Dedé e o Comando Maluco foi cancelado após o falecimento de Beto Carrero, em fevereiro de 2008.

Depois de ter ficado 15 anos afastado da Rede Globo e após diversas negociações, em junho de 2008 Dedé voltou a trabalhar com o atual parceiro Renato Aragão, e o retorno deu-se no programa humorístico A Turma do Didi, da Rede Globo, onde Dedé foi recebido com muita festa por toda a equipe do programa, com a música "No Mundo da Lua", de autoria de Michael Sullivan e Paulo Massadas.

Dedé Também voltou ao Programa anual Criança Esperança da Rede Globo também no ano de 2008, ao lado dele, claro, Renato Aragão, o Didi e do elenco de A Turma do Didi, cantando as músicas "No Mundo da Lua" e "Um Cientista Maluco".

Em abril de 2011 foi homenageado em seu 75º aniversário, no "Circovolante - 3 Encontro de Palhaços", realizado em Mariana/MG.

Dedé inaugurou em julho de 2011, perto do Shopping São Gonçalo, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, o circo chamado de Circo do Dedé Santana, onde acontece espetáculos circenses.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Dedé conheceu sua ex-esposa, Ana Rosa, em 1958 e, em menos de dois anos, casaram e tiveram um filho: Maurício, que morreu de leucemia em 1961, para desespero de Dedé e de Ana. Eles se separaram por alguns meses, porém se reconciliaram e Ana Rosa engravidou, e em Abril de 1962 tiveram uma filha: Maria Leone, que já é adulta e lhe deu uma neta. Quando a filha era ainda criança, Dedé e Ana resolveram se separar definitivamente.

Dedé Santanta também foi casado com a atriz Susana Mattos com quem fez par romântico no filme O Casamento dos Trapalhões .

Casou novamente e teve cinco filhos com a filha do ator Átila Iório.

Está casado desde 1983 com Christiane Bublitz, ex-Rainha da 1° Oktoberfest de Santa Cruz do Sul e tem os filhos: Marcos, Yasmin.

O Trapalhão Dedé[editar | editar código-fonte]

Dedé ficou marcado como o mais sério dos Trapalhões (fato que ele mesmo admite em entrevistas sobre o seu personagem), por ser ele o que agia de maneira mais normal, talvez para que o personagem se diferenciasse um pouco dos seus três amigos exageradamente hilários. Por ser o mais inteligente, Dedé agia como o cérebro do grupo. Sempre tentava corrigir as trapalhadas de seus companheiros e se mostrava o mais impaciente e o mais facilmente aborrecível. Mas não era difícil vê-lo metido em situações bastante cômicas. Sua masculinidade era constantemente questionada e ironizada por Didi.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel
2010 - 2013 Aventuras do Didi Dedé e outros personagens
2008 - 2010 A Turma do Didi Dedé e outros personagens
2005 - 2008 Dedé e o Comando Maluco General Dedé
2004 - 2006 A Praça É Nossa General Dedé
1999 Escolinha do Barulho Professor Dedé
1998 A Turma do Pererê Motorista de ônibus (episódio especial de Páscoa)
1996 Chico Total Dedé (no quadro café bola branca em um só programa)
1995 - 1998 Os Trapalhões em Portugal Dedé
1974 - 1995 Os Trapalhões Dedé e outros personagens
1973 Meu Adorável Mendigo -
1972 - 1974 Os Insociáveis Dedé
1966 - 1969 Praça da Alegria Dedé
1965 - 1966 Os Adoráveis Trapalhões Dedé
1964 - 1965 Didi e Dedé Dedé

Solo[editar | editar código-fonte]

Com Os Trapalhões[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Os Saltimbancos Trapalhões - O Musical [7]

Referências

  1. a b Quiz: No aniversário de 75 anos, teste sua memória sobre Dedé Santana (9 de maio de 2011). Visitado em 8 de março de 2012.
  2. Hoje Evangélico, Dedé Santana visita Sousa/PB e diz: 'Eu tinha fama, dinheiro, mas, eu era uma pessoa triste' Folha do Sertão (26 de setembro de 2011). Visitado em 8 de março de 2012.
  3. Caminhão da prefeitura invade a casa de Dedé Santana Portalct.com.br.
  4. Os Trapalhões Globo.com Aturmadodidi.globo.com. Visitado em 22 de junho de 2011.
  5. Rio à Noite Cinemateca Brasileira.
  6. Lana, Rainha da Amazonas Cinemateca Brasileira.
  7. Louise Soares (19 de outubro de 2014). Estreando no teatro aos 78 anos, Dedé Santana quer atuar em filme sério F5 - televisão. Visitado em 19 de outubro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]