Daniel Fernandes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Daniel Fernandes
Daniel Fernandes 2012.jpg
Informações pessoais
Nome completo Daniel Fernandes
Data de nasc. 21 de setembro de 1983 (30 anos)
Local de nasc. Edmonton,  Canadá
Altura 1,95 m
Destro
Informações profissionais
Clube atual Países Baixos FC Twente
Número 25
Posição Goleiro
Clubes de juventude
2001-2000
20002002
Estados Unidos Vancouver Metro
Portugal FC Porto
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
20022003
20032004
20042008
20082009
2010
20102011
2011
2011
2012
Espanha Celta de Vigo B
Alemanha Jahn Regensburg (emp.)
Grécia PAOK
Alemanha VfL Bochum
Grécia Iraklis (emp.)
Grécia Panathinaikos (emp.)
Grécia Panserraikos FC (emp.)
Roménia FCR Cluj
Países Baixos FC Twente
00001 0000(0)
00012 0000(0)
00090 0000(0)
00032 0000(0)
00010 0000(0)
00000 0000(0)
00007 0000(0)
00002 0000(0)
00000 0000(0)
Seleção nacional3
2006
2007
Flag of Portugal.svg Portugal Sub-21
Flag of Portugal.svg Portugal
00002 0000(0)
00002 0000(0)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 11 de Maio de 2013.


3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 4 de Março de 2010.

Daniel Márcio Fernandes, conhecido por Dani Fernandes, (Edmonton, Canadá, 21 de setembro de 1983) é um guarda-redes (goleiro) luso-canadiano-checo, que atua atualmente na equipa do FC Twente. Mede 1,95 cm de altura e pesa 88 kg.

Na génese[editar | editar código-fonte]

Foi reconhecido como um jovem guarda-redes de grande talento quando começou a jogar nas camadas jovens do FC Porto. Mais tarde, os proprietários do seu passe, o FC Porto, Jahn Regensburg II e o Celta de Vigo libertaram-no, numa transferência livre. Tinha contactos na Grécia e, com a ajuda deles, conseguiram que ,tivesse um período experimental na equipa do PAOK. O antigo treinador do PAOK, Aggelos Anastasiadis reconheceu o seu talento, o que lhe permitiu assinar um contrato com o PAOK.

Começou como suplente[editar | editar código-fonte]

Os seus primeiros dois anos na Boavista não foram tão bons como esperava. Raramente teve chances de mostrar o seu talento e era totalmente desconhecido dos adeptos gregos de futebol. Mas, mesmo assim, ele nunca parou de se esforçar, trabalhando arduamente.

Torna-se titular[editar | editar código-fonte]

Em 2005, o treinador principal do PAOK, Nikos Karageorgiou, foi despedido, devido a uma série de maus resultados. O novo treinador do PAOK, Giorgos Kostikos, colocou imediatamente no onze inicial o Dani, em vez do habitual, Kyriakos Tochouroglou. Muitas pessoas ficaram surpreendidas pela escolha do novo treinador. E foi efectivamente a sua melhor escolha na sua pequena carreira como treinador do PAOK. Dani é um daqueles a quem o PAOK deve a sua qualificação para a fase de grupos da Taça UEFA, com as suas defesas decisivas no jogo de qualificação com a equipa ucraniana, Metalurg Donetsk, na qual a partida acabou 2-2.

Leal ao PAOK[editar | editar código-fonte]

No verão de 2006, muitas vezes o seu nome era referido como alvo de transferência para várias equipas, como o VfB Stuttgart e o Manchester United. Mas ele é conhecido pela sua lealdade ao PAOK da Grécia, acabando por assinar um novo contrato com o PAOK. Ganhou o prémio do Homem do Jogo, na Super Liga grega, no dérbi entre o AEK e o PAOK. O AEK teve 27 ocasiões de por a bola dentro das redes, mas ele esteve sempre em cima da jofada. Após a saída de Dimitris Salpingidis, foi o jogador mais valioso no PAOK.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]