Dasht-e Kavir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Dasht-e Kavir (دشت كوير em Língua persa), também conhecido como Kavir-e Namak ou Grande Deserto Salgado é um extenso deserto se estendendo no centro do Planalto Iraniano. Possui 800 km de comprimento e 320 km de largura, cobrindo uma área de 77600 km², fazendo dele o 23.º deserto mais extenso do mundo. A área do deserto estende-se desde a Cadeia Montanhosa de Alborz no noroeste até Dasht-e Lut (Deserto Vazio) no sudeste e é dividido entre as províncias iranianas de Coração,Semnan,Teerã,Ispaã e Yazd. O nome do deserto é devido às salinas (kavirs) que ficam na região.

Clima e Estrutura[editar | editar código-fonte]

Foto de Satélite de Dasht-e Kavir

O Clima de Dasht-e Kavir é característico por um clima árido, com pouquíssimas precipitações. A temperatura pode chegar a 50°C no verão, tendo a média de temperatura em Janeiro em torno dos 22°C. As temperaturas entre o dia e a noite durante o ano podem diferir até 70°C. As precipitações ocorrem normalmente no inverno.

O solo do deserto é coberto por areia e pequenas rochas; há pântanos, lagos e uádis.

As temperaturas altas causam extremas vaporização, que deixam os pântanos e os solos de lama com grandes crostas de sal. Tempestades forte ocorrem e elas podem causar colinas de areia, que chegam a uma altura de até 40m. Algumas partes do Dasht-e Kavir possuem semelhanças com vegetação de estepe.

Vida Selvagem[editar | editar código-fonte]

A vegetação no deserto é adaptada às temperaturas altas e o clima árido como também o solo salino no qual se enraízam. Plantas comuns como arbustos e gramíneas podem ser encontradas em topo de vales e de montanhas. A planta mais comum é a Artêmia.

Cultivo[editar | editar código-fonte]

O extremo calor e a as tempestades fazem com que o solo do deserto possua processos avançados de erosão, com que faz a região ser impossibilitada de fazer cultivos. O deserto é quase inabitado e pouco explorado. Rebanhos de Camelos e Carneiros e também a agricultura são as fontes de vida para a pequena população que reside no deserto. Aglomerações humanas são frequentes nos oásis, onde há as construções de casas que são levantadas para o impedimentos dos ventos e as duras condições meteorológicas da região. Para a irrigação, os iranianos inventaram um sofisticado sistema de água de poços chamado "Qanats". Ainda estão em uso no Irã.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Wright, John W. (ed.); Editors and reporters of The New York Times (2006). The New York Times Almanac (2007 ed.). New York, New York: Penguin Books. p. 456. ISBN 0-14-303820-6.