Folke Bernadotte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Folke Bernadotte
Folke Bernadotte (c. 1945)
Nascimento 2 de Janeiro de 1895
Estocolmo, Suécia
Morte 17 de setembro de 1948 (53 anos)
Jerusalém, Israel
Nacionalidade Suécia sueco
Ocupação diplomata
Plano de partilha da Palestina de 1947.

Folke Bernadotte (Estocolmo, 2 de janeiro de 1895 - Jerusalém, 17 de setembro de 1948) foi um diplomata sueco, conhecido pela negociação da libertação de cerca de 31.000 prisioneiros de campos de concentração alemães durante a Segunda Guerra Mundial, incluindo 423 judeus dinamarqueses de Theresienstadt, que foram libertados em 14 de abril de 1945.[1]

Após a aprovação do Plano de Partição da Palestina, em 29 de Novembro de 1947, agravaram-se os confrontos entre judeus e árabes na Palestina, então sob mandato britânico.

Em 20 de junho de 1948, Bernadotte foi escolhido pelo Conselho de Segurança da ONU para ser o mediador entre as partes em conflito,[2] fazer cessar as hostilidades e supervisionar a aplicação da partição territorial da Palestina Mandatária. Foi o primeiro mediador oficial da história da organização. Todavia, pouco depois do início da missão, em setembro do mesmo ano, Bernadotte foi assassinado em Jerusalém, pelo grupo sionista Lehi. A decisão de matá-lo foi tomada por Natan Yellin-Mor, Yisrael Eldad e Yitzhak Shamir, que mais tarde tornar-se-ia Primeiro-ministro de Israel.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Heydecker, Joe J. O Julgamento de Nuremberga, Editora Ibis Ltda, 1956


Ícone de esboço Este artigo sobre relações internacionais, diplomacia ou sobre um diplomata é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre a ONU é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.