Folke Bernadotte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Conde Folke Bernadotte
Conde Folke Bernadotte (c. 1945)
Nascimento 2 de Janeiro de 1895
Estocolmo, Suécia
Morte 17 de setembro de 1948 (53 anos)
Jerusalém, Israel
Nacionalidade Suécia sueco
Ocupação diplomata
Plano de partilha da Palestina de 1947.

Folke Bernadotte, conde de Wisborg (Estocolmo, 2 de janeiro de 1895 - Jerusalém, 17 de setembro de 1948), mais conhecido como Conde Bernadotte, foi um nobre e diplomata sueco, conhecido pela negociação da libertação de cerca de 31.000 prisioneiros de campos de concentração alemães durante a Segunda Guerra Mundial, incluindo 423 judeus dinamarqueses de Theresienstadt, que foram libertados em 14 de abril de 1945.[1]

O conde era membro da Casa de Bernadotte, a família real sueca. Era filho do príncipe Óscar Bernadotte, duque de Götland e conde de Wisborg (que depois perderia o título de duque de Götland por não ter se casado com alguém pertencente à realeza ou alta nobreza - como dita a tradição nobiliárquica sueca -, mas permaneceria com o título nobiliárquico de conde de Wisborg, por este título ser do Luxemburgo) e da princesa Ebba Bernadotte, condessa de Wisborg (nascida Ebba Henrietta Munck af Fulkila). Era neto da rainha Sofia (nascida princesa de Nassau) e do rei Óscar II da Suécia e Noruega, rei dos dois países até 7 de junho de 1905;e depois somente Rei da Suécia até à data da sua morte, em decorrência da separação dos dois países na data supracitada.

O conde casou com a americana Estelle Manville, então titulada Estelle Bernadotte, condessa de Wisborg, tendo sido o primeiro membro da realeza europeia a casar-se em território americano.[2]

Após a aprovação do Plano de Partição da Palestina, em 29 de novembro de 1947, agravaram-se os confrontos entre judeus e árabes na Palestina, então sob mandato britânico.

Em 20 de junho de 1948, o conde foi escolhido pelo Conselho de Segurança da ONU para ser o mediador entre as partes em conflito,[3] fazer cessar as hostilidades e supervisionar a aplicação da partição territorial da Palestina Mandatária. Foi o primeiro mediador oficial da história da organização. Todavia, pouco depois do início da missão, em setembro do mesmo ano, Bernadotte foi assassinado em Jerusalém, pelo grupo sionista Lehi. A decisão de matá-lo foi tomada por Natan Yellin-Mor, Yisrael Eldad e Yitzhak Shamir, que mais tarde tornar-se-ia Primeiro-ministro de Israel.

Referências

  1. Count Folke Bernadotte (em inglês).
  2. [Erik Lindorm, Gustaf V och hans tid 1928-1938, Stockholm : Wahlström & Widstrand, 1979, p 51 ].
  3. Le Plan de Partage et la fin du Mandat Britannique

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Heydecker, Joe J. O Julgamento de Nuremberga, Editora Ibis Ltda, 1956


Ícone de esboço Este artigo sobre relações internacionais, diplomacia ou sobre um diplomata é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre a ONU é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.