Frosinone (província)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Frosinone
(província italiana)
Região: Lácio
Capital: Frosinone
Área: 3 248 km²
População
 Total
 Densidade:

477 950 hab.
147 hab/km²
Comunas: 91 (lista)
Website: www.provincia.fr.it
Frosinone posizione.png

A província de Frosinone é uma província italiana da região de Lácio com cerca de 477 950 habitantes, densidade de 147 hab/km².[1] [2] [3] Está dividida em 91 comunas, sendo a capital Frosinone.[1] [2] [3]

Faz fronteira a norte com o Abruzzo (província do Áquila), a este com o Molise (província de Isérnia), a sudeste com Campania (província de Caserta), a sul com a província de Latina e a oeste com a província de Roma.[1] [2] [3]

A província foi estabelecida por decreto real em 6 de dezembro de 1926, com territórios pertencendo ao Lácio e a Campania. As áreas de Campania eram o vale esquerdo do rio Liri-Gagliano, o distrito de Sora, o vale Comino, o distrito de Cassino, o golfo de Fórmias e Gaeta, as Ilhas Pontinas, que até aquela época fizeram, por séculos, parte da província chamada Terra di Lavoro, do Reino de Nápoles (ou Reino das Duas Sicílias)


Principais comunas[editar | editar código-fonte]

Em 31 de maio de 2005, as principais comunas, por população, eram:

Comune Population
Frosinone 48,621
Cassino 32,617
Alatri 27,993
Sora 26,430
Ceccano 22,495
Ferentino 20,523
Veroli 20,144
Anagni 19,330
Pontecorvo 13,214
Monte San Giovanni Campano 12,818
Isola del Liri 12,072
Fiuggi 9,113
Boville Ernica 8,927
Ceprano 8,341
Paliano 7,897
Arpino 7,720
Roccasecca 7,522
Cervaro 7,101
Sant'Elia Fiumerapido 6,310
Arce 5,982
Aquino 5,301

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros traços da presença humana na província datam dos tempos pré-históricos: um famoso crâneo do Homo erectus (o chamado Homo cepranensis, no Museu Pré-Histórico de Pofi), datando de 800 000 anos, constitui-se no mais antigo achado antigo da espécie Homo na Europa.

Nos tempos históricos (século X ao IX a.C.), a área, previamente ocupada pela chamada civilização pelasga, foi colonizada pelos protoindo-europeus. Esta chegada ecoou em numerosas lendas, como aquelas de Eneias e Saturno: este último, expulso do Monte Olimpo, teria vindo ao Lácio para ajudar os homens a fundar sete cidades cujos nomes se iniciam com "A" (Alatri e Agnani, por exemplo).

Mapa linguístico de Ciociaria e Lácio meridional: italiano central em rosa e italiano do sul (língua napolitana) em magenta.[4]

No século VII a.C. a área em que agora se encontra a província entrou na órbita de Roma, o que a transformou no chamado Latium adiectum ("Lácio adjunto"). Entretanto, Roma precisou de 300 anos para obter uma vitória definitiva contra os Volscos e os Hérnicos, que se romanizaram depois das guerras Social e Samnitas.

Depois da queda do Império Romano do Ocidente, a parte norte da província (usualmente referenciada como Ciociaria) passou a pertencer aos Estados Papais. Na Idade Média, a Abadia do Monte Cassino sempre foi um grande proprietário de terras e um elemento politicamente renomado da área. A parte sudeste era uma área de fronteira, que foi por muito tempo reclamada por outras potências da época, os Ducados de Benevento e Gaeta e o Condado de Aversa: anexado ao Reino de Nápoles sob os normandos (século XII), a partir do século XIV tornou-se parte do condado e depois, com status independente, do Ducado de Sora. Pontecorvo permaneceu um enclave papal a partir de 1463.

Depois da unificação da Itália, em 1927 o governo fascista tornou Frosinone a capital da província, o que unificou diferentes áreas que pertenciam aos estados Papal e Napolitano. Esta mudança provocou críticas, pois as regiões eram consideradas muito diferentes em história, língua e cultura, especialmente pelo nostálgico partido Bourbon, que manteve uma posição forte no sul da Itália por muitas décadas.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Europa | Itália | Lácio
Frosinone | Latina | Rieti | Roma | Viterbo


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Itália é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências