Gonçalves (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Gonçalves
Bandeira de Gonçalves
Brasão de Gonçalves
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 1 de março
Fundação 1 de março de 1963
Gentílico gonçalvense
Prefeito(a) Maria de Lourdes das Neves (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Gonçalves
Localização de Gonçalves em Minas Gerais
Gonçalves está localizado em: Brasil
Gonçalves
Localização de Gonçalves no Brasil
22° 39' 32" S 45° 51' 21" O22° 39' 32" S 45° 51' 21" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião Pouso Alegre IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Paraisópolis, São Bento do Sapucaí (SP), Sapucaí-Mirim e Camanducaia
Distância até a capital 458 km
Características geográficas
Área 187,596 km² [2]
População 4 220 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 22,5 hab./km²
Altitude máx. 2.100 - mín. 960 - sede 1.350 m
Clima Tropical de Altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,759 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 22 795,953 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 5 153,96 IBGE/2008[5]
Página oficial

Gonçalves é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, na microrregião de Pouso Alegre.[6] Gonçalves é atualmente um dos pólos turísticos em forte desenvolvimento na Serra da Mantiqueira, fazendo parte do circuito turístico Serras Verdes do Sul de Minas.[7]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Gonçalves limita-se com os municípios de Paraisópolis a oeste e norte, São Bento do Sapucaí (este em São Paulo) a leste, Sapucaí-Mirim a sul e Camanducaia a sudoeste. Como na maioria dos municípios da Mantiqueira, seu relevo é fortemente acidentado, com raríssimas áreas planas. Montanhas altas, vales profundos, aflorações rochosas de grande porte e muitos córregos e ribeirões compõem a paisagem que tanto atrai turistas.

Além das áreas de cultivo de banana, hortaliças e pastagens para o gado, a vegetação do município apresenta trechos de replantio, bosques, concentrações de eucaliptos e pinheiros, mas o que mais chama a atenção são os fragmentos florestais com mata nativa, remanescentes da Mata Atlântica, porém com espécies típicas de altitude. Entre elas, a Araucária, ou pinheiro-do-paraná (araucaria angustifolia), árvore que antigamente era encontrada continuamente desde o Paraná e Santa Catarina até o sul de Minas. Por essa razão, é de se notar que os fragmentos florestais de Gonçalves e regiões próximas são considerados como Floresta Ombrófila Mista ou Floresta com Araucárias, formação que hoje praticamente só é encontrada no Sul do Brasil.

Clima[editar | editar código-fonte]

Gonçalves possui um clima Tropical de Altitude tipo Cwb, apresentando verões suaves amenizados pela altitude da Serra da Mantiqueira e pela alta pluviosidade da estação. Seus invernos são secos e frios, (submetidos a forte geadas), devido à redução de chuva ocorrida durante o outono entre o fim de março até o fim de junho. O outono e a primavera são estações de transição entre o inverno e o verão e vice-versa.

GONÇALVES CLIMATE

Relevo[editar | editar código-fonte]

O principal rio é o Capivari, que nasce no município, recebe vários ribeirões e córregos, atravessa a pequena área urbana (apenas 1,2 km²), passa por Paraisópolis e deságua no rio Sapucaí Mirim, já no município de Conceição dos Ouros. O rio Sapucaí Mirim também cruza pequena parte do território de Gonçalves, próximo à rodovia MG-173. Ainda nas imediações dessa rodovia, fica a Barra do Lambari, bairro que tem esse nome por ser o local onde desemboca no Sapucaí Mirim outro importante curso d'água de Gonçalves, que é o ribeirão Lambari. Esse ribeirão dá nome à maior região do município, a do Lambari, que agrega os bairros Lambari de Cima, Lambari do Meio, Lambari de Baixo, Barra do Lambari, Serrinha, Três Barras, Atrás da Pedra, Ribeirãozinho, Remédios e Piquiras.

Economia[editar | editar código-fonte]

A população é basicamente rural, com apenas 25% dela vivendo na zona urbana. Há uma ligeira predominância de homens sobre o número de mulheres, motivada pelo fato de ser mais comum que mulheres saiam para estudar fora e acabem não retornando. Apesar da redução na velocidade de crescimento populacional, Gonçalves não sofreu redução em 2007 comparado com o censo de 2000, como aconteceu em outras cidades. Isso se deve ao crescimento do turismo, que tem oferecido vagas de trabalho, mas também tem atraído pessoas que antes eram turistas e acabaram fixando moradia.

Além dos já citados bairros rurais da região do Lambari, há vários outros espalhados pelo município. Entre eles, Sertão do Cantagalo, São Sebastião das Três Orelhas, Retiro, Venâncios, Campestre, Terra Fria, Dona Luciana, Henriques e Mundo Novo.

Em Gonçalves existe uma empresa de produtores rurais orgânicos, que vem crescendo muito nos últimos anos, que faz uma feira orgânica aos sábados e um caminhão leva cestas para a cidade de São Paulo.

Acessos[editar | editar código-fonte]

Seu acesso principal é a estrada AMG-1930,[8] que liga a sede do município à MG-173, rodovia que dá acesso, ao sul, ao Vale do Paraíba, Via Dutra e São Paulo e, ao norte, a Itajubá e Pouso Alegre pela BR-459 (que liga a Paraty-RJ a Poços de Caldas-MG), e a São Paulo e Belo Horizonte pela BR-381 Rodovia Fernão Dias. Outro acesso alternativo é a estrada que sai da Rodovia Fernão Dias em Cambuí, passa por Córrego do Bom Jesus e daí segue por terra durante 22 km até Gonçalves, subindo a serra. Este caminho reduz a distância para quem vem da capital paulista ou da Região Metropolitana de Campinas. Todas as rodovias possuem sinalização indicativa para Gonçalves.

História[editar | editar código-fonte]

A localidade existe desde 1878, mas sua data oficial de fundação é a da emancipação política e administrativa, ocorrida em 1 de março de 1963. Até então, Gonçalves era distrito do município vizinho de Paraisópolis.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Macro e Microrregiões Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Página visitada em 11 de setembro de 2011.
  7. SETUR-MG. Circuito Serras Verdes do Sul de Minas. Página visitada em 16 de fevereiro de 2010.
  8. DER-MG. Rodovias Estaduais de Acesso. Página visitada em 30 de junho de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.