Hendrik Frensch Verwoerd

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hendrik Verwoerd
Primeiro Ministro da África do Sul
Mandato 2 de setembro de 1958
até 6 de setembro de 1966
Antecessor(a) Johannes Gerhardus Strijdom
Sucessor(a) Theophilus Ebenhaezer Dönges
Vida
Nome completo Hendrik Frensch Verwoerd
Nascimento 8 de Setembro de 1901
Amsterdão, Holanda do Norte, Países Baixos
Morte 6 de setembro de 1966 (64 anos)
Cidade do Cabo, Cabo África do Sul
Dados pessoais
Alma mater Universidade de Stellenbosch
Esposa Betsie Schoombie
Partido Partido Nacional
Religião NGK
Profissão Político

Hendrik Frensch Verwoerd (Amesterdão, 8 de Setembro de 1901 - Cidade do Cabo, 6 de Setembro de 1966) foi um político da África do Sul criador e principal implantador do regime de segregação racial conhecido como apartheid, que categorizava os negros e outras etnias do país como uma "sub-classe" de cidadãos. [1] Serviu como Primeiro-Ministro da África do Sul desde 1958 até 1966, quando foi assassinado. Verwoerd concretizou o sonho africano de estado independente para a África do Sul, ao estabelecer uma república em 1961. Inúmeras ruas nas vilas e cidades sul-africanas foram apelidadas de «Verwoerd», no entanto, depois de 1994 (com o fim do apartheid), muitas mudaram de nome. Foi eleito, num concurso realizado pela televisão sul-africana, como um dos maiores sul-africanos de sempre. [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aos dois anos de idade emigrou, juntamente com os seus pais, para a África do Sul. Frequentou o ensino secundário em Wynberg. Em 1913, a sua família mudou-se para Bulawayo, na Rodésia do Sul; em 1917, mudaram-se novamente, desta vez para Branfort, no Estado Livre do Orange. Verwoerd fez os seus exames de candidatura à Universidade em Fevereiro de 1919. Concluiu os seus estudos na Universidade de Stellenbosch. Completou mestrado em 1922 e doutoramento em 1924. Verwoerd foi psicólogo e depois lançou-se na sociologia. A sua tese de doutoramento era sobre o efeito psicológico que a depressão tinha numa pessoa (em africâner: «Afstomping van Gemoedsaandoeninge»). [2] Hendrik Verwoerd partiu para Alemanha após a conclusão do seu doutoramento, em 1925, e lá permaneceu até 1926, visitanto diversas universidades como Hamburgo, Berlim e Leipzig. Publicou inúmeros trabalhos que datam dessa época, os quais estão disponíveis na Universidade de Stellenbosch: [2]

  • a) Um método experimental para a produção experimental de emoções(1926);
  • b) «n Bydrae tot die metodiek en probleemstelling vir die psigologiese ondersoek van koeranteadvert» (1928)(«Uma contribuição na metodologia psicológica de aconselhamento de jornal»);
  • c) A distribuição de «atenção» e os seus testes (1928);
  • d) Efeitos da fadiga na distribuição de atenção (1928);
  • e) Uma contribuição para a investigação experimental de declarações (1928?);
  • f) «Oor die opstel van objektiewe persoonlikheidsbepalingskemas» (1930?)(«Critérios objectivos de determinação dos diferentes tipos de personalidade»);
  • g) «Oor die persoonlikheid van die mens en die beskrywing daarvan» (1930?)(«Na personalidade humana e na descrição da mesma»);

Hendrik Verwoerd conheceu Elizabeth Schoombie, sua futura esposa, enquanto eram estudantes na Universidade de Stellenbosch; viriam a casar a 7 de Janeiro de 1927. [3]

Mais tarde, Verwoerd continuou os seus estudos no Reino Unido e nos Estados Unidos. Foi professor e liderou o Departamento de Sociologia na Universidade de Stellenbosch, antes de se tornar editor das publicações «Die Transvaler». [1]

Governo[editar | editar código-fonte]

No início de 1950, Verwoerd tornou-se Ministro dos Assuntos Nativos, do executivo liderado por Daniel François Malan. [4] O Dr. Verwoerd empenhou-se no desenvolvimento da político de «Desenvolvimento Separado», mais conhecida de apartheid, a qual ele fez com que fosse além das políticas de segregação residencial, insistindo que os africanos poderiam reivindicar a cidadania nos seus territórios, os quais, deviam, na óptica de Verwoerd, tornar-se em Estados-Nação. [2] [1] [5]

Os principais actos de Verwoerd, enquanto Primeiro-Ministro (cargo que alcançou em 1958) foram:
  • «A promoção do Acto Negro de Auto-Governação» (1958): segundo esta lei, os governos territoriais eram separados das instalações das pátrias tribais, designadas terras para as tribos autóctones;
  • «Acto de Investimento numa Corporação Bantu» (1959): esta lei criou um mecanismo de transferência de capitais para as homeland's(bantustões), de modo a criar postos de trabalho nesses territórios;
  • «Acto de extensão da Universidade» (1959): esta lei criou universidades para pretos, indianos e mestiços;
  • «Acto físico de Planeamento e Utilização de Recursos» (1967): esta lei permitiu que o governo promovesse o desenvolvimento industrial das zonas fronteiriças das pátrias negras.

República[editar | editar código-fonte]

Durante o governo de Verwoerd, a África do Sul deixou de ser um reino, a União Sul-Africana, dentro da Commonwealth, sendo Isabel II a chefe de Estado. [6] Em 31 de Maio de 1961, a África do Sul passa a ser uma república, República Sul-Africana. A transformação da África do Sul numa república era uma das promessas do Partido Nacional, que havia alcançado o poder em 1948, bem como um sonho da população boer/africâner. A data de proclamação da república coincidiu, propositadamente, com o aniversário da assinatura do Tratado de Vereeniging, o qual pôs fim à Guerra Anglo-Boer, em 1902.

Assassinato[editar | editar código-fonte]

A 16 de Abril de 1960, o Dr. Verwoerd foi baleado por David Pratt, aquando da abertura de um espectáculo de Páscoa, no Parque Milner, em Joanesburgo. Pratt foi declarado louco, sendo internado numa instituição psiquiátrica em Bloemfontein, vindo a suicidar-se poucos meses depois. [1]

A 6 de Setembro de 1966, Dimitri Tsafendas, um caixeiro parlamentar, esfaqueou Hendrik Verwoerd até à morte no edifício do Parlamento. O funeral de Hendrik Frensch Verwoerd teve lugar a 10 de Setembro de 1966. [7] [1]

Referências

  1. a b c d e Famous South African Crimes. DEATH IN PARLIAMENT (em inglês). Página visitada em 03 de janeiro de 2013.
  2. a b c d South African History Online. Hendrik Frensch Verwoerd (em inglês). Página visitada em 03 de janeiro de 2013.
  3. Geni. Hendrik Frensch Verwoerd (em inglês). Página visitada em 03 de janeiro de 2013.
  4. Hephaestus Books. Articles on Stellenbosch University Alumni, Including: Hendrik Verwoerd, Daniel Fran OIS Malan, Heinz Winckler, J. B. M. Hertzog, Magnus Malan, Stuart. [S.l.]: Hephaestus Books, 2011. 136 p. ISBN 124306479X
  5. Encyclopædia Britannica. Hendrik Frensch Verwoerd (em inglês). Página visitada em 03 de janeiro de 2013.
  6. Science Encyclopedia. Apartheid - Hendrik Frensch Verwoerd (em inglês). Página visitada em 03 de janeiro de 2013.
  7. South African History Online. Dimitri Tsafendas (em inglês). Página visitada em 03 de janeiro de 2013.