Igreja de Santo Inácio de Loyola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Igreja de Santo Inácio
Chiesa di Sant'Ignazio
Fachada da Igreja de Santo Inácio de Loyola.
Estilo dominante Barroco
Arquiteto Orazio Grassi
Construção 1626-1650
Diocese Roma
Padre Roberto Tucci
Local Roma,  Itália
Afresco de Pozzo na nave

A Igreja de Santo Inácio de Loyola no Campo de Marte (em italiano: Chiesa di Sant'Ignazio di Loyola a Campo Marzio) é uma igreja de Roma, na Itália, dedicada ao fundador da ordem dos jesuítas.

Construída em estilo barroco entre 1626 e 1650, a igreja funcionou inicialmente como igreja paroquial adjacente ao Collegio Romano, que se mudou em 1584 para um novo prédio maior e tornou-se a Pontifícia Universidade Gregoriana.

Após a canonização de Santo Inácio de Loyola em 1622, o Papa Gregório XV sugeriu a seu sobrinho, o Cardeal Ludovico Ludovisi, que uma nova igreja deveria ser erigida para o fundador da Companhia de Jesus. O cardeal aceitou a idéia e pediu a vários arquitetos para desenhar planos, entre os quais Carlo Maderno. Ludovisi finalmente escolheu o do matemático jesuíta Orazio Grassi, professor no Collegio Romano. A pedra fundamental foi lançada apenas em 2 de agosto de 1626, quatro anos mais tarde, um atraso que foi causado pelo fato de que uma parte dos antigos edifícios pertencentes ao Collegio Romano tiveram de ser demolidos. Igreja de Santo Inácio foi aberta ao culto público apenas em 1650, por ocasião do Jubileu de 1650, e só foi concluída no final do século. A consagração solene da igreja foi celebrada apenas em 1722. A igreja tem uma planta em cruz latina, com numerosas capelas laterais. O edifício foi inspirado na igreja matriz dos Jesuítas, a Igreja de Jesus. As imponentes pilastras coríntias que estruturam todo o interior, a ênfase teatral sobre o altar na abside, mármores coloridos, vívidas esculturas em estuque e mármore ornamentando os altares, fartas douraduras, e ousadas pinturas em trompe-l'oeil no teto nave, produzem um efeito de conjunto festivo e suntuoso.

Andrea Pozzo, um irmão jesuíta, pintou após 1685 o grandioso afresco que se estende por todo o teto da nave. Ele celebra a obra de Santo Inácio e da Companhia de Jesus no mundo, apresentando o santo recebido no Paraíso por Cristo e a Virgem Maria e rodeado por representações alegóricas dos quatro continentes. Pozzo trabalhou de modo a dissolver ilusionisticamente a superfície real da abóbada da nave, criando uma projeção em perspectiva que faz o observador ver uma cúpula aberta para o céu brilhante e cheio de figuras voando. Um disco de mármore no meio do chão da nave marca o ponto ideal a partir do qual os observadores podem perceber melhor a ilusão. Pozzo também pintou os afrescos nos pendentes da cúpula, cada um com uma passagem do Antigo Testamento, figurando Judite, Davi, Sansão e Jael. Novamente por Pozzo, os afrescos da abside apresentam a vida e a apoteose de Santo Inácio. O cerco de Pamplona, no painel à esquerda, comemora o ferimento de Santo Inácio, que levou à convalescença e conversão que transformou sua vida. O painel sobre o altar-mor tem a Visão de Santo Inácio na Capela de La Storta, comemorando o lugar onde o santo recebeu o chamado divino. Santo Inácio recebendo Francisco Borgia recorda o recrutamento do nobre espanhol que se tornou o Geral da Companhia dos Jesuítas. Pozzo é também responsável pelo afresco na concha da abside representando Santo Inácio curando os pestilentos.

A capela do transepto direito, dedicada a São Luís Gonzaga, tem um mármore em alto-relevo representando São Luís Gonzaga na Glória (1697-1699), de Pierre Le Gros, o Jovem, e abaixo fica o caixão de vidro de São Roberto Bellarmino. Le Gros foi autor também da suntuosa tumba de Gregório XV e de seu sobrinho, em associação com Pierre-Étienne Monnot, que esculpiu duas figuras da Fama para o monumento. A capela do transepto esquerdo tem um altar em mármore da Anunciação de Filippo della Valle, com figuras alegóricas e os anjos (1649) por Pietro Bracci, e um teto com afrescos de Andrea Pozzo. A parede oeste da nave tem um grupo escultórico mostrando a Magnificência e a Religião (1650) por Alessandro Algardi. Algardi também ajudou a projetar os altos-relevos em estuque que existem em ambas as paredes laterais da nave logo acima das entradas das capelas e debaixo da grandiosa entablatura da nave.

Referências[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Igreja de Santo Inácio de Loyola
Ícone de esboço Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.