Isoroku Yamamoto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Isoroku Yamamoto
Yamamoto
Nascimento 4 de Abril de 1884
Nagoaka, Japão
Morte 18 de Abril de 1943
Ilhas Salomão
Nacionalidade japonês
Cargo Comandante-chefe da Esquadra Combinada da Marinha Imperial Japonesa
Serviço militar
Patente Almirante-de-esquadra

Isoroku Yamamoto (Nagaoka, 4 de abril de 1884 — Espaço aéreo das Ilhas Salomão, 18 de abril de 1943) foi o almirante japonês que criou os planos de ataque a Pearl Harbor, durante a Segunda Guerra Mundial.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido a 4 de Abril, sexto filho do director de uma escola, foi posto para adoção. Foi adotado pela família Yamamoto.

Em 1919, deixou o Japão e entrou para a Universidade de Harvard nos EUA. Essa experiência o fez discordar de uma eventual guerra contra os Estados Unidos, ardorosamente defendida pelos militares japoneses.

Em 1939, foi nomeado Almirante, para sua surpresa. Imediatamente, ponderou sobre os novos paradigmas da guerra naval. "Sob meu comando…", disse ele ao ser empossado, "…dar-se-á prioridade ao treinamento aéreo", ou seja, Yamamoto defendia ardorosamente o uso de porta-aviões em operações avançadas. Assim sendo, planejou o ataque a Pearl Harbor, perpetrado na manhã de 7 de dezembro de 1941, que desencadeou uma mobilização político-industrial-militar irresistível para o Império Japonês. Após o ataque, soltou a célebre frase: "Receio que tenhamos acordado um gigante adormecido"

Pouco mais de seis meses depois do "dia que viverá na infâmia", como o presidente americano Roosevelt classificou o ataque a Pearl Harbor, Yamamoto sofreria uma derrota de proporções catastróficas na Batalha de Midway. Nesta, foram afundados os porta-aviões Akagi, Kaga, Hiryu e Soryu – todos veteranos de Pearl Harbor. Somente o Almirante Japonês Yamamoto, foi o unico não-germânico a ganhar a Cruz de Ferro com Folhas de Carvalho e Espadas pelo sucesso do Ataque a Pearl Harbor.[carece de fontes?]

Almirante Isoroku Yamamoto, pintura a óleo.


Morte[editar | editar código-fonte]

O Almirante Yamamoto não viveu para testemunhar a derrota japonesa. Em 1943, a 18 de abril, de manhã cedo, morre ao dirigir-se para a inspecção de bases militares. Seria uma visita de inspeção a várias bases nas Ilhas Salomão. A visita duraria um dia e pretendia elevar o moral das tropas e ao mesmo tempo inspecionar as bases sob seu comando. No entanto a 8ª Frota Japonesa havia difundido uma mensagem sobre o itinerário do mesmo. Tal mensagem, cifrada no Código JN-25[1] , utilizado nas comunicações militares e das grandes unidades navais, havia sido interceptado e decifrado pela Marinha Americana[2] .

Com a mensagem em mãos o almirante Chester Nimitz e seu estado maior analisaram a oportunidade e a possibilidade de realizar um ataque contra a formação que o conduziria.[3]

O avião em que seguia foi interceptado por 16 caças Lockheed P-38 Lightning americanos comandados pelo major Mitchell, comandante do 339.º Esquadrão de Caças baseado em Henderson Field-Guadalcanal, e foi abatido, caindo nas selvas da ilha de Bougainville, no arquipélago das Ilhas Salomão.

Yamamoto seguia com mais dois oficiais de alta patente num bombardeiro Mitsubishi G4M, com uma escolta de dois grupos de caças A6M Zero.

No Japão, apesar da morte de Yamamoto ter ocorrido no dia 18 de abril, o povo japonês somente foi informado da morte em 21 de maio. Ele foi substituído no comando da Frota Combinada pelo almirante Mineichi Koga, seu amigo pessoal. A morte de Yamamoto foi um duro golpe para o moral do Japão.[4]

Referências

  1. JN-25 Significava Japan Navy 25, um sistema de codificação manual, porém muito efetivo. Inventado na Primeira Guerra Mundial, baseava-se na combinação de 33.333 letras e palavras, além de tabelas de códigos com um número de 5 dígitos, os quais eram decifrados pela série de combinações que estavam relatados em grossos livros de códigos. Este código foi capturado pelos americanos através de um adido naval japonês em 1923, sendo quebrado parcialmente pela criptanalista americana Agnes Discroll, após três anos de trabalho. - Coleção 70º Aniversário da II Guerra Mundial - Abril 2009
  2. Almirante de Pearl Harbor foi alvo fatal de vingança dos EUA Folha.com de 7 de maio de 2011
  3. Coleção 70º Aniversário da II Guerra Mundial - Abril Coleções, 2009 - pg 133
  4. Seu corpo foi posteriormente recuperado e cremado e suas cinzas foram transportadas até o Japão. Em 5 de julho, foram enterradas no Parque Hibiya, em Tóquio. Coleção 70º Aniversário da II Guerra Mundial - Abril Coleções, 2009. Pag. 133

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • M.Okumiya/Cadin, Martin - ZERO Asas Japonesas na Guerra (1941-1945)- Editora Flamboyant,s/data
  • Coleção 70º Aniversário da II Guerra Mundial - Abril Coleções, 2009

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons

Ligações externas[editar | editar código-fonte]