Itaúna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itaúna
Vista parcial da cidade

Vista parcial da cidade
Bandeira de Itaúna
Brasão de Itaúna
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 16 de setembro de 1901
Gentílico itaunense
Prefeito(a) Osmando Pereira (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itaúna
Localização de Itaúna em Minas Gerais
Itaúna está localizado em: Brasil
Itaúna
Localização de Itaúna no Brasil
20° 04' 30" S 44° 34' 33" O20° 04' 30" S 44° 34' 33" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Oeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião Divinópolis IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Belo Horizonte
Municípios limítrofes Carmo do Cajuru, Itatiaiuçu, Pará de Minas, Igaratinga, Mateus Leme[2] .
Distância até a capital 76 km
Características geográficas
Área 495,875 km² [3]
População 90 783 hab. Est. IBGE/2014[4]
Densidade 183,08 hab./km²
Altitude 880 m
Clima tropical de altitude
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,823 muito alto PNUD/2000 [5]
PIB R$ 1 368 373,626 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 16 085,27 IBGE/2008[6]
Página oficial

Itaúna é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Está localizado no Quadrilátero Ferrífero, no Colar Metropolitano da Região Metropolitana de Belo Horizonte, a apenas 76 km da capital. Limita-se ao sul com Itatiaiuçu (Grande Belo Horizonte), ao leste com Mateus Leme (Grande Belo Horizonte), ao oeste com Carmo do Cajuru, ao norte com Pará de Minas e, ao noroeste, com Igaratinga.

"Itaúna" é um topônimo de origem tupi que significa "pedra negra", através da junção dos termos itá ("pedra") e un ("negro")[7] .

História[editar | editar código-fonte]

Até emancipar-se politicamente, Itaúna pertenceu administrativamente aos municípios: Sabará: 1711 Pitangui: 1715 Pará de Minas: 1848 Pitangui: 1850 Pará de Minas: 1858 Pitangui: 1872 Pará de Minas: 1874 Itaúna: 1901. O Município foi instalado em 2 de janeiro de 1902 e sua criação deu-se pela Lei Estadual número 319, sancionada pelo Governador Silviano Brandão em 16 de setembro de 1901. Os distritos que compunham o território de Itaúna quando de sua criação foram os de Santana do São João Acima (sede do município e correspondente ao que ficou reduzido o território atual), Carmo do Cajuru e o povoado dos Tinocos, desmembrados de Pará de Minas; os de Itatiaiuçu e Conquista (hoje Itaguara), desmembrados do município de Bonfim. A maior contribuição para a historiografia da cidade é do historiador João Dornas Filho, itaunense nascido em 7 de agosto de 1902.Sua obra mais conhecida de seus conterrâneos é, evidentemente, a que tem por tema sua cidade natal: "Itaúna - Contribuição para a História do Município", publicada em 1936. De acordo com João Dornas Filho, o primeiro morador do município foi Antônio Gonçalves da Guia, do que discordou o engenheiro e empresário itaunense, já falecido, Osmário Soares Nogueira, também estudioso da história da região, para quem o habitante pioneiro foi Manuel Pinto. A polêmica sobre o primeiro povoador da região não se encerra nesses dois nomes. Guaracy de Castro Nogueira, historiador e genealogista itaunense, ex-reitor da Universidade de Itaúna, sustenta que o pioneiro na região foi o Sargento-mor Gabriel da Silva Pereira, cujo pentaneto, Osmando Pereira da Silva, veio a ser prefeito da cidade. Sobre os primórdios do município, assim narra João Dornas na obra citada: "O que se conhece da história do Município de Itaúna está entrelaçado com a história de Pitangui, Bonfim e Pará de Minas, pois o arraial de Santana de São João Acima pertenceu, por muitos anos, a esses municípios". Continua o historiador na obra editada em 1936: "Lugar de escassa tradição na história do nosso Estado na época em que as minas de Vila Rica, Ribeirão do Carmo e Sabarabuçu enchiam a imaginação e os alforges dos intrépidos paulistas, Santana dormitava sossegadamente, lavrando a terra e criando o gado nas margens do pobre e escachoante S. João, que ainda hoje carreia nas suas águas o nosso minguado aluvião aurífero para as venturosas paragens do Pitangui...". Ainda comentando o que chamou de descobrimento do município: "Naquele tempo em que a descoberta do ouro era a preocupação dominante dos paulistas, lugar que o não escondesse nas suas entranhas não merecia a atenção do bandeirante. E esse era o caso de Santana, que humilde e ignorada, plantava e criava para o sustento dos mineradores vorazes" Um fato importante a ser salientado é a grande riqueza que sempre pairou entre Itaúna e Itatiauçu terras de grandes fazendeiros que levaram suas fámílias a formarem o povoado de Itatiauçu e Itaúna, em Itaúna o Bairro de Nossa Senhora de Lourdes bem como a região do bairro Padre Eustáquio é formada em sua maioria por descendentes destes grandes fazendeiros que tinham inclusive amizade com a famfília real.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

Itaúna tem uma população de 85 838 habitantes[8] e uma área de 495,875 quilômetros quadrados. Localiza-se na região cortada pelo paralelo 20º 04' 32" de latitude sul e pelo meridiano 44º 34' 35" de longitude oeste[8] .

Itaúna faz fronteira ao norte com Igaratinga e Pará de Minas, a leste com Mateus Leme, ao sul com Itatiaiuçu e a oeste com Carmo do Cajuru[8]

Relevo e hidrografia[editar | editar código-fonte]

O ponto com maior altitude em itaúna é a Serra dos Marques, com 1 191 metros de altitude. Já o ponto de menor altitude é a Fazenda Córrego do Sítio, com 857 metros de altitude.[8]

A cidade é cortada pelo Rio São João, afluente do Rio Pará, que, por sua vez, é afluente do Rio São Francisco. São afluentes do Rio São João: o Córrego do Soldado, o Ribeirão dos Capotos, o Ribeirão Calambau, o Ribeirão dos Coelhos[8] , o Ribeirão Joanica e o Ribeirão Bagaço.

Há duas represas no território: do Benfica e dos Britos. O município faz parte das bacias hidrográficas: Bacia do Rio Pará (afluente do Rio São Francisco) e Bacia do Rio Paraopeba (afluente do Rio São Francisco).

O rio tem grande importância na cidade, e recentemente, a prefeitura de Itaúna vem realizando projetos de limpeza e conservação do rio.

Clima[editar | editar código-fonte]

Pela classificação de Köppen, o clima de Itaúna é do tipo Cwa: Tropical de Altitude com verões quentes.[8]

  • Temperatura média de 21,8 °C
  • Temperatura mínima anual: 13,2 °C
  • Temperatura máxima anual: 32,2 °C
  • Temperatura mínima absoluta: 7 °C
  • Temperatura máxima absoluta: 35 °C
  • Índice pluviométrico anual: 1.419 mm
  • Umidade relativa do ar média: 64,15%
  • Umidade relativa mínima do ar: 53,5 %
  • Umidade relativa máxima do ar: 74,8%

Bairros[editar | editar código-fonte]

O município possui atualmente cerca de 73 bairros: Aeroporto, Aeroporto II, Alaita, Antunes, Bela Vista, Belvedere,Centenário, Centro, Cerqueira Lima, Chácara do Quitão, Cidade Nova, Cidade Nova II, Bairro das Graças, Distrito Industrial, Dona Jovenila, Eldorado, Fazenda da Chácara, Garcias, Irmãos Auler, Itaunense, Itaunense II, Jadir Marinho, João Paulo II, JK, Leonane, Lourdes, Morada Nova I, Morada Nova II, Morro do Engenho, Morro do Sol, Murilo Gonçalves, Nogueira Machado, Nogueirinha, Nova Vila Mozart, Novo Horizonte, Olímpio Moreira I, Olímpio Moreira II, Palmeiras, Parque Jardim Santanense, Parque Jardim América, Padre Eustáquio, Piaguassu, Piedade, Pio XII, Residencial Santanense, Residencial São Geraldo, Res. Santa Edwiges, Santa Edwiges, Santa Mônica, Santa Mônica II, Santanense, Santiago, Santo Antônio, São Bento, São Geraldo, São Judas Tadeu, Três Marias, Tropical, Universitário, Vale das Aroeiras, Vale dos Pequis, Várzea da Olaria, Veredas, Veredas II, Vila Augusto Chaves, Vila Israel, Vila Mozart, Vila Nazaré, Vila Santa Maria, Vila Tavares, Vila Vilaça e Vitória, Vila Washington.[8]

Condomínios[editar | editar código-fonte]

Alphaville I, Alphaville II, Aeroporto I, Aeroporto II, Arraial do Lago, Barrancas do São João, Educare, Lago das Garças, Lago do Sol, Solar dos Lagos,Penhora, Recanto da Siriema, Recanto do Lago, Recanto dos Pássaros, Residencial Granja Glória, Resplendor das Águas, Vale dos Ypês I, Vale dos Ypês II e Village.[8]

Povoados Rurais[editar | editar código-fonte]

Angu Seco, Arrudas, Barragem, Barreiro, Braúna, Brejo Alegre, Cachoeirinha, Cafuringa, Calambau, Camilot, Campos, Carneiros, Coelhos, Córrego do Soldado,Deus me Livre, Freitas, Fundão, Grota dos Paulistas, Lopes, Marques, Mato Grosso, Morro Grande, Paulas, Retiro dos Farias, São José de Pedras, Sumidouro, Tocas, Três Barras e Vista Alegre.[8]

Economia[editar | editar código-fonte]

Itaúna possui uma área de influência econômica e de serviços compreendida por treze municípios sendo: Bonfim, Carmópolis de Minas, Crucilândia, Igarapé, Itaguara, Itatiaiuçu, Juatuba, Mateus Leme, Passa Tempo, Piedade dos Gerais, Piracema, Rio Manso e São Joaquim de Bicas.

A população total da área, incluindo o município de Itaúna chega a 275 000 habitantes, com uma área total aproximada de 3 812,86 quilômetros quadrados sendo os municípios localizados próximos à MG-050 e à BR-381 (Fernão Dias).

A economia itaunense tem destaque nos setores de mineração, siderurgia, usinagem, têxtil. São empresas renomadas de Itaúna: a ArcelorMittal, A Fundição Sideral, a Cia Tecidos Santanense, a BMB, a Magnetti Marelli, a Ferguminas, a Minas Gusa, a Peripan, entre outras.

Outras empresas em que são destaques em Itaúna se encontram no Distrito Industrial. O mesmo compoe-se de empresa na área de fundição como Comercial Mazury, Fundição Sideral, Metalurgica Progresso, Metalurgica Àgape e Metalurgica Vega. Em Itaúna há também empresas que comercializam produtos fundidos bem como modelos para fundição, possuindo as melhores modelagens do país [carece de fontes?] que são: Modelação Fenix, Modelagem Nova Ltda, Modelagem Estrela e Modelagem Alto Relevo.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Itaúna recebeu da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, em 1975, o título de Cidade Educativa do Mundo, pela alta qualidade do ensino municipal e envolvimento da sociedade civil para a melhora dos índices de educação. Itaúna é a sede da Universidade de Itaúna com campi em Itaúna e Almenara. Aproximadamente 8 000 alunos estudam diversos cursos de graduação e de pós-graduação.

A cidade possui ainda uma unidade do SENAI/CETEF. Respeitada instituição de cursos técnicos, de aprendizagem, de qualificação e de aperfeiçoamento profissional, já recebeu diversos prêmios em nível nacional.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O Hospital Manoel Gonçalves (Bairro São Judas Tadeu) é mantido por uma entidade e também possui parceria com a Prefeitura Municipal no funcionamento do Pronto-Socorro 24 horas. O hospital possui cerca de 150 leitos. O município mantém também a Policlínica Municipal Doutor Ovídio Nogueira Machado (São Geraldo) especializada em exames especializados pelo SUS. Existem postos de saúde em diversos bairros. Na área de psicologia a Prefeitura mantém o CAPS-NAPS (Hospital Dia - Núcleo de atendimento psico-social) e o CAPS-AD (Álcool e drogas).

Saneamento básico[editar | editar código-fonte]

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto é uma autarquia municipal responsável pelo abastecimento de água e coleta de esgoto no município. A água distribuída no município é captada na Barragem Velha após a Barragem do Benfica e é tratada na ETA (Estação de tratamento de água) no bairro de Lourdes, sendo distribuída pelas adutoras e armazenada em diversos reservatórios nos bairros da cidade. Nos povoados rurais a maioria conta com o sistema de captação através de poço artesiano e armazenamento.

Segurança pública[editar | editar código-fonte]

O município conta com os serviços de segurança pública de diversos órgãos.

Energia[editar | editar código-fonte]

A CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais) é responsável pela distribuição de energia no município. A empresa possui uma subestação localizada na Rodovia MG-431 ao lado do Campus Verde da Universidade de Itaúna, com capacidade de 65 mega watts, que atende aos municípios de Itaúna e Itatiaiuçu. A iluminação pública municipal é gerenciada pela Prefeitura Municipal.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Cortam o município duas rodovias estaduais: MG-050 (Rodovia Newton Penido) e MG-431 (Rodovia Nilo Penido).

Ferrovia[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Existem três teatros na cidade:

  • Teatro Sílvio de Matos
  • Teatro Vânia Campos
  • Grande Teatro da Universidade de Itaúna.

Esporte[editar | editar código-fonte]

A Prefeitura Municipal mantém todos os anos campeonatos regionais com a participação dos núcleos esportivos da cidade e ainda convida algumas equipes da região. Além disso mantém parceria com entidades que administram os seguintes clubes: Praça de Esportes de Santanense, Praça de Esportes de Garcias, Praça de Esportes de Lourdes, Praça de Esportes Juscelino Kubitschek, Praça de Esportes do Padre Eustáquio e o Poliesportivo do bairro Itaunense.

O Esporte Clube Itaúna é um clube de futebol profissional que não disputa atualmente o módulo II da primeira divisão do Campeonato Mineiro e tem como estádio o Estádio Municipal José Flávio de Carvalho. Neste estádio joga também o clube Coimbra Esporte Clube.

Lazer[editar | editar código-fonte]

Itaúna ainda não tem um shopping, mas há dois projetos já finalizados:

  • o da Casa Rena, que terá um hipermercado Rena na Av. Jove Soares, além de praça de alimentação, lojas renomadas de setores variados e salas de cinema 3D;[9]
  • o Shopping Pátio Itaúna, pelas empresas Construtora Ferreira Miranda e Mineradora J.Mendes Nogueira. Será construído no centro da cidade, na área de 5.100m² da antiga fábrica Itaunense. O empreendimento contará com um mix de lojas com âncoras, megalojas, praça de alimentação e cinema.[10]

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Gruta Nossa Senhora de Itaúna
  • Museu Municipal Francisco Manuel Franco
  • Estância Água Mineral Viva
  • Barragem do Benfica
  • Cachoeira "Cachoerinha"
  • Igreja do Rosário
  • Capela do Senhor do Bonfim
  • Praça da Matriz
  • Igreja da Matriz de Sant'Ana
  • Campus Verde Universidade de Itaúna
  • Escola Estadual de Itaúna
  • Colégio Sant'Ana

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. Municípios de Minas Gerais Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Visitado em 14 de dezembro de 2014.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de referência em 1º de julho de 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (28 de agosto de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  7. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  8. a b c d e f g h i Matos, Ângelo Braz de, Itaúna, 2010, Editora Vile.
  9. http://www.noticiasdeitauna.com.br/noticiasdiarias/admin/2012/04/26/ir-ao-rena-sera-muito-mais-do-que-fazer-compras/
  10. http://www.santanafm.com.br/index.php/itauna-e-regiao/1589-shopping-center-pode-se-tornar-realidade-em-itauna/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.