Jair Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jair Rodrigues
Jair Rodrigues no BRAVO.jpg
Jair Rodrigues no prêmio BRAVO! Prime de Cultura de 2009
Informação geral
Nome completo Jair Rodrigues de Oliveira
Nascimento 6 de fevereiro de 1939
Origem Igarapava, SP
Data de morte 8 de maio de 2014 (75 anos)
Local de morte Cotia, SP
Nacionalidade  brasileiro
Gênero(s) MPB, samba, sertanejo
Instrumento(s) vocal
Período em atividade 1964–2014[1]
Afiliação(ões) Luciana Mello
Jair Oliveira
Página oficial www.jairrodrigues.com.br
Jair Rodrigues e Pelé, em show no Auditório Ibirapuera, em São Paulo.

Jair Rodrigues de Oliveira (Igarapava, 6 de fevereiro de 1939Cotia, 8 de maio de 2014) foi um cantor brasileiro.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Nascido em Igarapava, o cantor foi criado no município de Nova Europa, também interior paulista.[2] Durante a juventude, teve várias profissões, entre as quais engraxate, mecânico e pedreiro, até participar de um programa de calouros da Rádio Cultura e se classificar em primeiro lugar.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

A carreira musical de Jair Rodrigues começou quando ele se tornou crooner no meio dos anos 50 na cidade de São Carlos,[1] lá chegando em 1954 e participando da noite são-carlense,[2] que era intensa na época, também com participações na Rádio São Carlos como calouro e com apresentações, vivendo intensamente nessa cidade até o fim da década.

Em 1958 Jair Rodrigues prestou o serviço militar no Tiro de Guerra de São Carlos, como Soldado Atirador nº 134, que na época era denominado TG 02-043.[3]

No início da década de 60, ele foi tentar o sucesso na capital do estado e acabou por participar de programas de calouros na televisão. Em 1965, Elis Regina e Jair Rodrigues fizeram muito sucesso com sua parceria em O Fino da Bossa, programa da TV Record.[1]

Em 1966, o cantor participou e venceu o Festival da Canção de 1966 com a canção Disparada, de Geraldo Vandré e Théo de Barros,[1] empatando com a música "A Banda", de Chico Buarque. Conhecido por cantar sambas, Jair surpreendeu o público com uma linda interpretação da canção. Disparada. A partir daquele momento, sua carreira decolou e seu talento assegurou décadas de sucesso ao cantor. Nesse período, o artista realizou turnês por Europa, Estados Unidos e Japão.

Em 1971, gravou o samba-enredo Festa para um Rei Negro, da Acadêmicos do Salgueiro, do Rio de Janeiro. Jair interpretou ainda sucessos sertanejos como O Menino da Porteira, Boi da Cara Preta e Majestade o Sabiá. Nas décadas seguintes, sua produção diminuiu de volume. Entretanto, Jair Rodrigues continuaria conhecido por sua grande energia e sua alegria contagiante.

Morte[editar | editar código-fonte]

Jair Rodrigues morreu repentinamente no dia 8 de maio de 2014 na sauna de sua casa, em Cotia, na Grande São Paulo em decorrência de um infarto agudo do miocárdio.[1] O cantor era casado com Claudine Mello, com quem teve os filhos Jair Oliveira e Luciana Mello, ambos cantores.[1] O corpo do cantor foi sepultado no dia 9 de maio de 2014 no Cemitério Gethsêmani em São Paulo.[4]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Vou de samba com você (1964)
  • O samba como ele é (1964)
  • Dois na Bossa - Elis Regina e Jair Rodrigues (1965)
  • O sorriso do Jair (1966)
  • Dois na Bossa nº 2 - Elis Regina & Jair Rodrigues (1966)
  • Dois na Bossa nº 3 - Elis Regina & Jair Rodrigues (1967)
  • Jair (1967)
  • Menino rei da alegria (1968)
  • Jair de todos os sambas (1969)
  • Jair de todos os sambas nº 2 (1969)
  • Talento e bossa de Jair Rodrigues (1970)
  • É isso aí (1971)
  • Festa para um rei negro (1971)
  • Com a corda toda (1972)
  • Orgulho de um sambista (1973)
  • Abra um sorriso novamente (1974)
  • Jair Rodrigues dez anos depois (1974)
  • Ao vivo no Olympia de Paris (1975)
  • Eu sou o samba (1975)
  • Minha hora e vez (1976)
  • Estou com o samba e não abro (1977)
  • Pisei chão (1978)
  • Antologia da seresta (1979)
  • Couro comendo (1979)
  • Estou lhe devendo um sorriso (1981)
  • Antologia da seresta nº 2 (1981)
  • Alegria de um povo (1981)
  • Jair Rodrigues de Oliveira (1982)
  • Carinhoso (1983)
  • Luzes do prazer (1984)
  • Jair Rodrigues (1985)
  • Jair Rodrigues (1988)
  • Lamento sertanejo (1991)
  • Viva meu samba (1994)
  • Eu sou… Jair Rodrigues (1996)
  • De todas as bossas (1998)
  • 500 anos de folia-100% ao vivo (1999)
  • 500 anos de folia vol. 2 (2000)
  • Intérprete (2002)
  • A nova bossa (2004)
  • Alma negra (2005)
  • Jair Rodrigues - Programa Ensaio - Brasil 1991 (CD e DVD) (2006)
  • Festa Para Um Rei Negro (CD e DVD) (2009)
  • Samba mesmo vol. 1 (2014)
  • Samba mesmo vol. 2 (2014)

Referências

  1. a b c d e f Da redação (8 de maio de 2014). Morre cantor Jair Rodrigues aos 75 anos, em Cotia, São Paulo. Folha de S. Paulo. Página visitada em 8 de maio de 2014.
  2. a b c Da redação (6 de fevereiro de 2009). Jair Rodrigues comemora 50 anos de carreira com show em SP. Música, Terra. Página visitada em 8 de maio de 2014.
  3. http://www.saocarlos.sp.gov.br/tg/1958n.html
  4. Corpo do cantor Jair Rodrigues é enterrado em São Paulo. Jornal Nacional (9 de maio de 2014). Página visitada em 23 de maio de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jair Rodrigues
Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.