João Filgueiras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de João Filgueiras Lima)
Ir para: navegação, pesquisa
Nome completo João da Gama Filgueiras Lima (Lelé)
Nascimento 10 de janeiro de 1932
Rio de Janeiro, RJ
Morte 21 de maio de 2014 (82 anos)
Bahia, BA
Nacionalidade Brasil Brasileira
Obras notáveis
Prêmios professor Honoris Causa da Universidade Federal da Bahia em 2003
Entrada do Palácio Tomé de Sousa, sede da Prefeitura de Salvador.

João da Gama Filgueiras Lima (Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 1932[1]Salvador, 21 de maio de 2014) foi um arquiteto brasileiro cuja obra é reconhecida especialmente pelo conjunto de projetos que desenvolveu junto à Rede Sarah de hospitais.[2] A maior parte das obras dele encontra-se fora do eixo Rio de Janeiro-São Paulo (regiões tradicionalmente abordadas pela crítica e pela historiografia da arquitetura nacional), especialmente nos estados da região Nordeste do país e em Brasília, cuja construção acompanhou.[2] [3] Apesar de ter nascido, crescido e se formado no Rio de Janeiro, passou a maior parte da vida adulta em Brasília e em Salvador. É conhecido popularmente pela alcunha Lelé.[2] [3] [4]

Formou-se arquiteto pela Universidade do Brasil (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ), em 1955 e sob influência de Oscar Niemeyer e Nauro Esteves, mudou-se para Brasília ainda recém-formado, em 1957, ano em que foi iniciada a implantação do plano piloto de Lucio Costa. Neste período, construiu, projetou e colaborou com Oscar Niemeyer na construção da cidade.[2] Trabalhou na Universidade de Brasília de 1962 a 1965, quando pediu demissão junto com 209 professores e servidores, em protesto contra a repressão na universidade.[5] [6] A necessidade de racionalização na construção de Brasília, despertou em Lelé o interesse na tecnologia de racionalização do uso do concreto armado, levando-o ao leste europeu para conhecer as tecnologias de construções pré-fabricadas aplicadas em países como União Soviética, Tchecoslováquia e Polônia, em meados da década de 1960.

A obra arquitetônica de Lelé caracteriza-se especialmente pela busca da racionalização e da industrialização da arquitetura. Durante sua trajetória chegou a propor métodos e processos de pré-fabricação de elementos construtivos inéditos no país, sendo inclusive dono de uma fábrica de pré-fabricados (a qual não mais existe). A forma como a argamassa armada, em especial, e o aço foram explorados em sua obra também é fato revelador de tal preocupação.

Atualmente Lelé atua como diretor do Centro de Tecnologia da Rede Sarah (CTRS), onde desenvolve os projetos e a execução dos novos hospitais da rede. Trabalhando para a CTRS, também desenvolveu projetos de mobiliário hospitalar, entre os quais destaca-se uma cama-maca móvel utilizada bastante pelos hospitais da rede. Com a CTRS, trabalhou ainda na construção de sedes do Tribunal de Contas da União em diversas cidades, como Salvador, Aracaju, Cuiabá, Teresina, Vitória e Belo Horizonte.[1] [7] Em muitas de suas obras verificam-se painéis e outras obras do artista plástico Athos Bulcão, com quem Lelé estabeleceu uma parceria criativa durante bastante tempo.

Além dos hospitais de Rede Sarah, destacam-se também em sua obra os projetos do Palácio Tomé de Sousa, sede provisória da Prefeitura de Salvador (a qual, apesar de ter sido construída na década de 1980 é usada até hoje), o Centro Administrativo da Bahia e de várias passarelas de Salvador.[3]

Foi reintegrado à Universidade de Brasília em 1990, quando se aposentou.[5]

Em 2003 recebeu o título de professor Honoris Causa da Universidade Federal da Bahia.

Na cidade do Rio de Janeiro, no bairro do Riachuelo, existe uma rua residencial com seu nome.

Em 21 de maio de 2014 faleceu vítima de complicações de câncer de próstata, aos 82 anos, em Salvador.[2] [3] [4]

Principais projetos[editar | editar código-fonte]

. (1975) - Igreja da Ascensão do Senhor (Centro Administrativo da Bahia)

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • DERNTL, Maria Fernanda; "A necessidade da racionalização" in Revista AU n 140; São Paulo: PINI, novembro de 2005
  • LATORRACA, Giancarlo; João Filgueiras Lima - Lelé; São Paulo: Instituto Lina Bo e Pietro Maria Bardi, 2000
  • COSTI, Marilice Costi. A influência da Luz e da Cor em Corredores e salas de espera hospitalares. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) arquiteto(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.