Kurt Waldheim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kurt Waldheim
Presidente da Áustria Áustria
Mandato 8 de Julho de 1986
a 8 de Julho de 1992
Primeiro-ministro Franz Vranitzky
Antecessor(a) Rudolf Kirchschläger
Sucessor(a) Thomas Klestil
Secretário-geral da ONU Flag of the United Nations.svg
Mandato 1 de Janeiro de 1972
a 31 de Dezembro de 1981
Antecessor(a) U Thant
Sucessor(a) Javier Pérez de Cuéllar
Vida
Nome completo Kurt Josef Waldheim
Nascimento 21 de Dezembro de 1918
Viena, Áustria Alemã
Morte 14 de Junho de 2007 (88 anos)
Viena, Áustria
Dados pessoais
Alma mater Academia Diplomática de Viena
Universidade de Viena
Cônjuge Elisabeth Waldheim
Partido ÖVP
Religião Católico
Profissão Advogado, diplomata
Assinatura Assinatura de Kurt Waldheim
Serviço militar
Serviço/ramo Exército Austríaco
SA-Logo.svg SA
Balkenkreuz.svg Exército Alemão
Anos de serviço 1º 1936-1937
2º 1938-1941
3º 1941-1945
Batalhas/guerras Segunda Guerra Mundial

Kurt Josef Waldheim (21 de Dezembro de 1918, Sankt Andrä-Wördern, Baixa Áustria - 14 de Junho de 2007[1] , Viena) foi um diplomata e político austríaco, Secretário-geral da ONU de 1972 a 1981 e Presidente da República da Áustria de 1986 a 1992.

Passado nazi[editar | editar código-fonte]

Durante a Segunda Guerra Mundial, foi capitão SA e participou da ocupação da Jugoslávia, com a Wehrmacht, como tradutor.

Secretariado-geral das Nações Unidas[editar | editar código-fonte]

Foi eleito Secretário-geral da ONU em Janeiro de 1972, posto onde se empenhou bastante nas intervenções da ONU para resolver crises, como a israelo-árabe. Foi reeleito para um segundo mandato em 1978. Realçou a necessidade de um desenvolvimento económico para os países mais pobres.

Também reagiu ao massacre dos hutus no Burundi, num relatório de Junho de 1972, qualificando-o de genocídio. Esta matança havia feito mais de 80 000 mortos. Falha em obter um terceiro mandato, devido ao veto da China. Contudo, o seu secretariado é visto como um fracasso, pois a ONU saiu dos anos 70 mais paralisada e ineficaz do que entrara. Por fim, em 1982, o New York Times revela o seu passado nazi.

Presidência da república austríaca[editar | editar código-fonte]

Em 1986 é eleito presidente da Áustria como candidato do ÖVP (Partido Popular Austríaco). Mas é então que o seu passado nazi ressurge. Ele reconhece ter pertencido a uma unidade responsável de atrocidades na Jugoslávia, recusa-se no entanto a demitir-se como lhe havia pedido o partido socialista. A maior parte dos estados europeus e os Estados Unidos consideram-no persona non grata.

O Congresso Judeu Mundial acusa-o de ter participado na deportação dos judeus de Grécia. Porém, ele leva o seu mandato até ao fim (1992).

Faleceu em 14 de Junho de 2007[1] , em Viena.

Precedido por
Rudolf Kirchschläger
Presidente da Áustria
19861992
Sucedido por
Thomas Klestil
Precedido por
U Thant
Secretário-geral das Nações Unidas
19721981
Sucedido por
Javier Pérez de Cuéllar

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Morreu Kurt Waldheim (14 de Junho de 2007). Página visitada em 14 de Junho de 2007.