António Guterres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
António Guterres
António Guterres
Primeiro-ministro de  Portugal
Período de governo 28 de outubro de 1995
a 6 de abril de 2002
Antecessor(a) Cavaco Silva
Sucessor(a) Durão Barroso
Vida
Nascimento 30 de Abril de 1949 (65 anos)
Santos-o-Velho, Lisboa
Dados pessoais
Partido Partido Socialista
Profissão Engenheiro, Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados

António Manuel de Oliveira Guterres GCC (Santos-o-Velho, Lisboa, 30 de abril de 1949) é um engenheiro e político português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ainda jovem demonstrou deter as capacidades de dedicação ao estudo, que lhe valeram um Prémio Nacional dos Liceus, em 1965. Frequentou o Liceu Camões e o Instituto Superior Técnico, tendo-se licenciado em Engenharia Electrotécnica.[1] Durante a universidade, não se envolveu na oposição estudantil ao regime de Salazar, mas dedicou-se à acção social promovida pela Juventude Universitária Católica. Em 1971 iniciou uma efémera carreira académica, como assistente do Instituto Superior Técnico, regendo a disciplina de Teoria de Sistemas e Sinais de Telecomunicações. Envolve-se nas discussões religiosas e sociais do Grupo da Luz, onde conhece o padre Vítor Melícias, que celebrará o seu casamento com Luísa Melo, em 1972.

Pela mão de António Reis, aderia ao Partido Socialista em 1973. Foi chefe de gabinete do Secretário de Estado da Indústria dos I, II e III Governos Provisórios. Estreia-se como deputado à Assembleia da República em 1976, vindo a exercer as funções de presidente das Comissões Parlamentares de Economia e Finanças (1977-1979) e Administração do Território, Poder Local e Ambiente (1985-1988), bem como da Comissão de Demografia, Migrações e Refugiados da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa (1983). Foi presidente da Assembleia Municipal do Fundão, entre 1979 e 1995.

No PS Guterres enfrenta alguma oposição interna, muito devido ao facto de ser membro da Opus Dei.[2] Eleito secretário-geral em 1992, vence as eleições legislativas de 1995 e de 1999, chefiando os XIII e XIV Governos Constitucionais. Pelo meio presidiu à Internacional Socialista, entre 1995 e 2000.

Exercia o cargo de primeiro-ministro quando se demitiu, após as eleições autárquicas de Dezembro de 2001, em que o PS sofreu uma derrota significativa. No acto inesperado da demissão declara demitir-se para evitar que o país caia num «pântano democrático», devido à falta de apoio ao governo que os resultados eleitorais indicavam. Sucederam-lhe Ferro Rodrigues, na liderança do PS, e José Manuel Durão Barroso, no governo.

A 9 de Junho de 2002 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[3]

Desde 2005 é Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados.

Esteve presente na reunião de 2012 dos Bilderberg na Alemanha, já na qualidade de Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados. O seu nome continua a ser uma hipótese para outros voos, designadamente o Palácio de Belém, em 2016.

Cargos e diplomas[editar | editar código-fonte]

Condecorações[4] [editar | editar código-fonte]

Cronologia sumária[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. António Guterres (em português) Porto Editora Infopédia. Visitado em 1º de maio de 2014.
  2. Biografia Kremelin.50webs.com.
  3. http://www.ordens.presidencia.pt/
  4. http://www.ordens.presidencia.pt/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre António Guterres
Precedido por
Aníbal Cavaco Silva
Primeiro-ministro de Portugal
(XIII e XIV Governos Constitucionais)
19952002
Sucedido por
José Manuel Durão Barroso
Precedido por
Paavo Lipponen
Finlândia
Presidente do Conselho Europeu
Janeiro de 2000 – Junho de 2000
Sucedido por
Jacques Chirac
França
Precedido por
Jorge Sampaio
Secretário-Geral do PS
19922002
Sucedido por
Eduardo Ferro Rodrigues