Lúcio Munácio Planco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Busto de Plancus simbolizando a filosofia romana. Encontrado em 1823 perto dos Jardins das Plantas e do anfiteatro em Lyon. Exposto no Museu galo-romano de Fourvière.

Lúcio Munácio Planco (em latim Lucius Munatius L.f. L.n. L.pron. Plancus[1] ; 87 a.C. - 15 a.C.) foi um senador romano, cônsul [1] em 42 a.C. [2] e censor [1] em 22 a.C. com Emílio Lépido Paulo. O seu nome Plancus significa Pé chato[3] .

Vida pública[editar | editar código-fonte]

O início de sua carreira é pouco conhecida, e pouco se sabe dele. É um oficial de Júlio César na Guerra das Gálias e na guerra civil contra Pompeu. Quando César é assassinado a 15 de março de 44 a.C., Munácio Planco é procônsul da Gallia comata. No ano seguinte, em 43 a.C.,[4] funda as colónias romanas de Lugduno (Lyon) e de Augusta Raurica (Augst)[1] . Celebrou triunfo sobre os raetians, e com os espólios deles construiu um templo a Saturno[1] .

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. a b c d e Segundo o epitáfio em seu túmulo, referenciado em Corpus inscriptionum latinarum 10.6087 [em linha]
  2. Dião Cássio, História Romana, Livro XLVII, 16.1 [em linha]
  3. Caio Plínio Segundo, Histórias naturais, livro XI, 105
  4. Cronologia. Paris culture. Página visitada em 28 de novembro de 2011.